...
Alesc CPI de Gaspar Delegado Egídio Ferrari Jair Bolsonaro Jorginho Mello MDB Nilza Simas Paulo Müller

Ferrari quer investigar empresas de guincho; Prefeitos discutem durante programa de rádio; Os movimentos na política de São José entre outros destaques

  Agora estamos nas redes sociais. Segue lá!
 
Instagram: @scempauta
 
Twitter:  @scempauta
 
https://www.facebook.com/scempauta

Faça parte do grupo do SCemPauta no WhatsApp. Não será aberto aos debates, será apenas para o envio das informações que divulgamos. Clique no link para acessar!! Qualquer problema favor entrar em contato via WhatsApp: 49985048148

Coluna em áudio

O deputado estadual, delegado Egídio Ferrari (PTB), anunciou que pretende investigar empresas que prestam serviço de guincho por supostas cobranças abusivas. As diárias de pátio que recebem veículos apreendidos também serão apuradas.  

Ferrari destaca que as taxas aplicadas por serviços como a diária de um automóvel retido, seguem o que é determinado na legislação estadual. Neste caso, R$ 12,24. Na prática, tais valores superam em muito a tabela do Departamento Estadual de Trânsito (Detran-SC), variando de cidade para cidade. “Um município cobra R$ 175 simplesmente pela entrada do automóvel no pátio e vai somando as diárias, R$ 40 para carros, R$ 81 para caminhões ou ônibus. Isso significa que o valor cobrado é de três a seis vezes a mais do que prevê a lei”, afirmou.

Além da suspeita sobre cobrança abusiva, o parlamentar também recebeu denúncias de cobrança em duplicidade e, até mesmo, depredação de veículos retidos e roubo de peças. “Custa-me a acreditar que existe máfia de pátio, máfia de guincho, em solo catarinense. É isso que eu quero investigar. Não foram uma e nem duas reclamações e denúncias que recebi. Estou juntando esses documentos e quero encaminhar tudo ao Ministério Público e às delegacias de polícia, para que inquéritos policiais sejam instaurados e possamos apurar esses fatos”, destacou.

Discussão no ar

Ontem o prefeito de Bombinhas, Paulo Müller (Podemos), e a prefeita de Itapema, Nilza Simas (PSD), discutiram ao vivo durante um programa na Rádio Cidade. O motivo foi a ponte interditada que passa por cima do Rio Perequê que liga Itapema e Porto Belo. Paulinho que é presidente da Associação dos Municípios da Foz do Rio Itajaí (Amfri), criticou Nilza, o prefeito Joel Lucinda (MDB) e o deputado estadual, Emerson Stein (MDB). Segundo ele, o trancamento do trânsito por causa da obra está causando prejuízo à região. Em resposta no mesmo programa, Nilza fez duras críticas a Paulinho. Ouça os áudios:

Áudio de Paulinho

Áudio de Nilza Simas

CPI em Gaspar

Hoje a Câmara de Vereadores de Gaspar votará se aprova a abertura de uma CPI, para investigar o teor de alguns áudios com supostas conversas entre o ex-secretário de Fazenda, Jorge Purcino Pereira e uma pessoa ainda não identificada. O Ministério Público fará uma análise para saber se a voz realmente pertence a Pereira. O conteúdo de um dos áudios eu trouxe na coluna de ontem. Os vereadores querem apurar a suspeita de ações não republicanas. Procurei mais uma vez o ex-secretário que, através de mensagem, me disse que está focado nos cuidados com a família que está assustada. Pereira ao pedir exoneração, apresentou um bilhete com ameaças a ele e a sua família. Quando questionado se a voz nos áudios é a dele, o ex-secretário não respondeu.

Movimentos

O vice-prefeito de São José, Michel Schlemper (PSB), estaria praticamente acertado para voltar ao MDB, conforme informou o colega Marcos Schettini. A questão é que a ex-prefeita, Adeliana Dal Pont, deixou o PSD na semana passada e também tenta uma aproximação com os emedebistas. Se confirmar a ida de Schlemper para o MDB, Adeliana terá que procurar um outro partido, já que não terá espaço para o seu projeto de voltar a disputar a Prefeitura. O Partido Liberal seria uma opção.

Foco na Alesc, deputado!

Alguns deputados estaduais devem focar o seu mandato em ações e discussões para as quais foi eleito, que é Santa Catarina. Ontem o deputado Jessé Lopes (PL) escreveu em uma rede social sobre o The New York Times, Equador, Paraíba, Papa Francisco, entre outros assuntos, menos sobre pautas que interessam aos catarinenses. Já que a cabeça está em Brasília, o ideal é começar a pensar em um projeto para tentar se eleger a uma vaga na Câmara Federal no próximo pleito, pois, o salário pago neste mandato é para o debate de pautas que fazem diferença para a vida dos catarinenses.

Candidatura alienígena

Renan Bolsonaro, um dos filhos do ex-presidente da República, Jair Bolsonaro (PL), poderá disputar a eleição para a Câmara de Vereadores de Florianópolis, ou de Balneário Camboriú. A questão é: Qual a ligação de Renan com Santa Catarina? O filho de Bolsonaro chegou há pouco aqui no estado, não tem o mínimo conhecimento da nossa realidade e, ainda por cima, a sua possível candidatura nada mais seria que um trampolim para disputar a deputado federal em 2026. Como não pode disputar pelo Rio de Janeiro e São Paulo, onde tem os seus irmãos, o negócio é tentar usar Santa Catarina para o projeto. Quem apoiar essa candidatura, com toda certeza não tem o mínimo respeito e apreço pelo nosso estado. Apoiar Renan é ir contra os catarinenses que precisam de pessoas realmente comprometidas com as nossas pautas.

Contraponto

Sobre a nota publicada por esta coluna acerca das relações do vice-presidente do Conselho Federal da OAB, Rafael Horn, fui procurado por fontes próximas a ele. Segundo me informaram, a imagem de Horn e Beto Simonetti ao lado do ex-presidente da República, Jair Bolsonaro (PL), remonta ao evento de sanção presidencial da lei que alterou o estatuto da advocacia e, portanto, mera agenda institucional da entidade. Uma das fontes relatou que dois integrantes da lista tríplice para o TRE/SC, os advogados Renato Boabaid e Ana Rosa Grasso, foram nomeados por Bolsonaro para o ofício de juízes auxiliares junto ao TRE/SC, enquanto Ítalo Mosimann teve seu nome rejeitado quando integrou a lista tríplice anterior.

Gastos na educação

O deputado federal, Valdir Cobalchini (MDB), protocolou a PEC que inclui as despesas com merenda escolar no rol dos gastos com manutenção e desenvolvimento do ensino, previstos na Constituição Federal. O artigo 212 da Constituição determina que estados e municípios gastem, no mínimo, 25% do que arrecadam com MDE. Cobalchini explica que, embora a alimentação escolar seja imprescindível, ela não é incluída nessa categoria, o que acaba prejudicando a oferta e qualidade dos alimentos. “Estou apontando que merenda escolar é essencial para os estudantes da educação básica e fundamental, por isso, precisa receber a atenção adequada do governo. Muitas crianças só fazem essa refeição no dia”, complementa.

Prestando contas

O procurador-geral do Ministério Público do estado, Fernando Comin, estará hoje na Assembleia Legislativa, às 15h, para fazer o balanço dos anos da sua gestão. Entre os números que serão apresentados, mais de R$ 1,6 bilhão em impostos sonegados recuperados aos cofres públicos, 25 mil pessoas atendidas pessoalmente nas Promotorias de Justiça, mais de 500 julgamentos pelo Tribunal do Júri, R$ 37 milhões repassados para órgãos de segurança e projetos que restituem danos causadas à sociedade.

Faça parte do grupo do SCemPauta no WhatsApp. Não será aberto aos debates, será apenas para o envio das informações que divulgamos. Clique no link para acessar!! Qualquer problema favor entrar em contato via WhatsApp: 49985048148

  Agora estamos nas redes sociais. Segue lá!
 
Instagram: @scempauta
 
Twitter:  @scempauta
 
https://www.facebook.com/scempauta