...
Alesc Antídio Lunelli Bancadas na Assembleia Legislativa Carlos Moisés da Silva Dário Berger Esperidião Amin Gean Loureiro Jair Bolsonaro Jorginho Mello

Opositores e neutros são a maioria na Alesc; Emedebistas à espera de uma reação; Amin quer a convocação de ministro do STF entre outros destaques

  Agora estamos nas redes sociais. Segue lá!
 
Instagram: @scempauta
 
Twitter:  @scempauta
 
https://www.facebook.com/scempauta

Para receber a coluna via WhatsApp, favor enviar mensagem com o seu nome e cidade e salvar o número: 49 98504.8148. Faça parte da lista de transmissão do site que todo mundo lê.

Após o encerramento do prazo para a mudança de partido sem perder o mandato, a Assembleia Legislativa apresenta uma nova divisão de forças entre governistas, neutros e oposição.

Com as mudanças, o governo passa a ter a minoria. São 18 deputados estaduais que ainda estão na base governista, contra 22 que se colocam na neutralidade, ou que se tornaram oposicionistas. Portanto, um governo que tinha mais de 30 parlamentares, agora não chega a 20, ou seja, tem menos de 50% das cadeiras, o que fará com que as lideranças ligadas ao governador, Carlos Moisés da Silva (Republicanos), tenham que fazer um grande exercício de articulação para fazer passar as pautas do governo.

A bancada do MDB ainda segue com Moisés. Até quando, não é possível saber, mas ele ainda conta com os emedebistas. O Progressistas seguirá dividido, devendo manter na base, Altair Silva e Zé Milton Scheffer, que ainda é o líder do governo. Tanto o Podemos quanto o PSDB e o Republicanos, cada um com dois deputados, seguem na base do governo, com Ana Paula da Silva, a Paulinha, Nazareno Martins, Marcos Vieira, Vicente Caropreso, Sérgio Motta e Coronel Mocellin. Por fim, Rodrigo Minotto do PDT, aparentemente também seguirá na base.

Já entre neutros e opositores ao governo, estão as bancadas do PL, PT, PSD, União Brasil, além de João Amin (Progressistas), Kennedy Nunes (PTB) e Bruno Souza (Novo), totalizando 22 cadeiras.

Sem olhar para fora

Algumas lideranças e assessores do MDB, próximos ao presidente estadual, Celso Maldaner, e ao pré-candidato a governador, Antídio Lunelli, reclamaram do abre da coluna de ontem, negando que o partido e o projeto de Antídio estejam isolados. Ora, se o que ocorreu em Jaraguá do Sul no sábado, não expõe o isolamento, o que mais será preciso para deixar as claras que o MDB está perdido em seus próprios erros, ao ponto de não conseguir atrair outras siglas? Qual liderança de outro partido esteve na renúncia de Antídio, me apontem um nome, qual? Nenhum dos que reclamaram, souberam apontar, pelo simples fato de que não houve. Repito, Gean Loureiro (UB), que foi prestigiado em sua renúncia por emedebistas e lideranças de outros partidos, deu um sinal claro ao não ir a Jaraguá, por estar em uma feijoada na capital promovida pelo Cacau Menezes. Enquanto essas pessoas não olharem para fora da bolha, seguirão se iludindo com um projeto que, a cada dia mostra não ter viabilidade.

Sem subestimar

O MDB como o maior partido do estado, nunca poderá ser subestimado. A sua força e sua história devem ser respeitadas, mas, acontece que lideranças do partido levaram a sigla para uma situação inédita em Santa Catarina, que é o isolamento provocado por uma pré-candidatura que não decola. Se o recado dos demais partidos e até mesmo da maioria da bancada estadual, não serviu como um importante alerta, então nada mais desviará o partido de um projeto que tem tudo para ter um desempenho pior do que 2018. E pelo visto as bases não foram ouvidas. Ontem vários leitores que se identificaram como emedebistas, concordaram com a minha análise, inclusive, um enviou algumas fotos que lembram de um MDB protagonista que parece não existir mais.

Sobre as fontes

Ontem as lideranças e assessores do MDB que não concordaram com o que escrevi, reclamaram do fato de eu não revelar o nome das fontes. Claro que não vou revelar e, assim continuarei a fazer. O sigilo de fonte é um direito do jornalista, nunca traí uma fonte e, olha que as pressões foram enormes para que isso acontecesse. Não traio porque não vou colocar em uma má situação, alguém que confiou no meu trabalho ao ponto de me passar informações relevantes. Além disso, no dia que eu trair alguma fonte, com certeza os maiores prejudicados serão vocês, o público que me acompanha, pois não mais terão as informações diferenciadas dos bastidores, inclusive, as que algumas pessoas não querem que sejam divulgadas. Manter o sigilo das fontes, é a garantia de que vocês continuarão bem informados, inclusive sobre o que acontece na política.

Pé na estrada

O pré-candidato ao Governo do Estado, Gean Loureiro (UB), começou a percorrer o estado. Ontem em Tijucas, ele se encontrou com o prefeito, Elói Rocha (PSD), e o vice Sérgio Cardoso (PSD). Durante a conversa uma coincidência, pois chegou o ex-prefeito de Florianópolis, Cláudio Ávila da Silva, que ficou para um registro do encontro. Segundo assessores, o encontro entre Gean e Ávila foi casual, já que o ex-prefeito e deputado federal constituinte, atua na iniciativa privada em Tijucas.

Apoio

Uma fonte ligada ao Patriotas me disse que o partido fechou a sua lista de candidatos à Assembleia Legislativa e Câmara dos Deputados. Segundo a liderança, é forte a possibilidade de apoio a Gean Loureiro (UB). “O Gean é o equilíbrio no meio de tudo isso”, afirmou, destacando o cenário que se apresenta.

Entrevista na Pan News

Hoje eu entrevisto o delegado Egídio Ferrari, pré-candidato a deputado federal e integrante do grupo “Cadeia para os maus-tratos aos animais”, e o senador Jorginho Mello (PL), pré-candidato ao Governo do Estado. A partir das 16h, você acompanha nas rádios Jovem Pan News de Florianópolis, 103,3 FM, e Jovem Pan News de Criciúma, 101,5 FM o programa O Jogo do Poder. Você também pode assistir pela Panflix, ou pelo perfil Jovem Pan Floripa no Youtube. Não perca!!!

Incerteza sobre o fundo

Um pré-candidato pelo Republicanos, me confidenciou que há uma grande preocupação quanto ao fundo eleitoral. O partido é o décimo maior fundo do Brasil com R$ 242,06 milhões, o que representa 4,94% do total que será distribuído. Na executiva nacional a prioridade é usar esse valor para as candidaturas na proporcional e, mesmo assim, há uma preocupação em relação aos valores que chegarão aqui no estado. A fonte foi além, ao dizer que considera extremamente difícil chegar ao governador, Carlos Moisés da Silva, qualquer valor que o permita fazer uma campanha mais robusta.

Com o Motta

Quando o governador, Carlos Moisés da Silva, se filiou ao Republicanos, ele acompanhado de um assessor, foi conversar com o presidente nacional do partido, pastor Marcos Pereira. Ao questionarem sobre o fundo, ouviram de Pereira que esse é um assunto para ser tratado aqui no estado, com o presidente estadual, bispo Sérgio Motta.

Nada fechado

Fabiano defende o nome de Décio

Conversei com o deputado estadual, Fabiano da Luz (PT), que se mostrou contrário a afirmação feita por um outro parlamentar do partido, que me disse que o Partido dos Trabalhadores mais para frente, vai aderir ao projeto do senador, Dário Berger (PSB), para que ele encabece a aliança de centro-esquerda no estado. Segundo Fabiano, o partido tem no ex-deputado, Décio Lima, o nome que é mais ligado ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que é o pré-candidato petista à Presidência da República.

Quer o Senado

Mais um nome quer se colocar como pretenso candidato ao Senado. É o deputado federal, Coronel Armando (PL). Nesta semana o parlamentar vai a Brasília conversar com o presidente da República, Jair Bolsonaro (PL). Armando quer o apoio de Bolsonaro para ser o candidato dos liberais. Vale lembrar que o presidente já manifestou preferência pelo ex-secretário da Pesca, Jorge Seif Júnior, conforme divulguei em primeira mão.

Convocação de ministro

Amin quer a convocação de Alexandre de Moraes

O senador Esperidião Amin (Progressistas) está no grupo que começará a pressionar o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD), que paute a votação do pedido de convocação do ministro do Supremo Tribunal Federal, Alexandre de Moraes. Amin também deve apresentar um requerimento sugerindo que sejam convidados os ex-ministros do STF, Francisco Rezek, único brasileiro que foi nomeado duas vezes no STF, além de ter integrado a Corte Internacional de Justiça de Haia na Holanda. Além dele, Marco Aurélio Melo, que também foi ministro do Supremo. “É uma coisa muito séria o que está acontecendo”, disse Amin.

Voz da experiência

Antônio Carlos Mafalda, um dos grandes nomes do fotojornalismo nacional, falará hoje para os alunos do curso de Jornalismo da Estácio de Sá, de São José, sobre sua longa trajetória. São 53 anos com passagem por vários Estados brasileiros e países, enfrentando revoluções e também clicando gente e natureza. Assimilou com valentia as inovações que marcaram a profissão nesse meio século de atividade, como a substituição da câmera analógica pela digital, e a telefoto pela internet. Mafalda sempre diz que, como um eterno foca, sente um frio na barriga e uma forte emoção nas grandes coberturas como se fosse sempre a primeira vez. Imperdível!!!

Cooperativismo

Acontece hoje no Hotel Majestic em Florianópolis uma entrevista almoço com o presidente da Organização das Cooperativas do Estado de Santa Catarina (OCESC), Luiz Vicente Suzin. O evento terá início às 12h30 e terá como tema o desempenho das cooperativas catarinenses em 2021 e as projeções para este ano.

Coluna da Maria Helena

Hoje às 10h, acesse ao SCemPauta e leia a coluna da colega Maria Helena. Entre os assuntos abordados estão a Serra Catarinense com voos regulares para São Paulo e, a visita do embaixador de Luxemburgo a Grande Florianópolis.

Para receber a coluna via WhatsApp, favor enviar mensagem com o seu nome e cidade e salvar o número: 49 98504.8148. Faça parte da lista de transmissão do site que todo mundo lê.

  Agora estamos nas redes sociais. Segue lá!
 
Instagram: @scempauta
 
Twitter:  @scempauta
 
https://www.facebook.com/scempauta