...

A expectativa do comércio para as vendas de Natal; Borba receberá demanda do Oeste para a SC-283; Avaliação da Fiesc entre outros destaques

Destaque do Dia

A expectativa de um dos melhores Natais dos últimos cinco anos anima os lojistas catarinenses. A Pesquisa de Intenção de Compras realizada pela Fecomércio SC em sete cidades do Estado, aponta que os consumidores devem gastar cerca de R$ 493,74 com presentes, variação de 1,4% em relação a 2018, maior valor nominal desde 2015.

A melhora nos indicadores de confiança pode justificar este otimismo do mercado, avalia o presidente da federação, Bruno Breithaupt. “Para 44,7% a situação financeira está melhor na comparação com 2018. Neste ano, ainda tem a renda extra com os saques do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e a entrada do 13º salário, que vão dar um gás no consumo”, comenta.

De acordo com a pesquisa, o destino do 13º varia de acordo com a situação do consumidor: 33,6% querem economizar, 33,3% pretendem pagar dívidas e 15,9% vão usar para garantir os presentes. O período também movimenta o mercado de trabalho: um em cada quatro empresários deve contratar temporários neste ano.

A pesquisa é realizada para conhecer o perfil e o comportamento de consumo das pessoas que devem comprar nesta data e, assim, orientar os empresários em suas estratégias de vendas no fim do ano. Foram entrevistadas 2.097 pessoas, no período entre os dias 14 e 23 de novembro nas cidades de Chapecó, Lages, Florianópolis, Criciúma, Joinville, Itajaí e Blumenau.

A maioria dos consumidores pretendem fazer as compras à vista.  A opção em dinheiro foi a mais lembrada por 69,8% dos catarinenses, disparada na frente do parcelamento no cartão de crédito que é a preferida de 16,2% das pessoas, enquanto que o cartão de débito deve ser o meio utilizado por 5,7%.

Para garantir o melhor custo/benefício, 79,3% dos entrevistados afirmaram que vão realizar pesquisa de preço. O comércio de rua deve ser o principal destino de compras de 65,4% da população catarinense, seguido pelos Shoppings Centers que devem receber 24,8%. Os itens mais procurados no Estado devem ser do setor de vestuário, brinquedos e calçados.

 

SC-283

O secretário de Estado da Casa Civil, Douglas Borba, e o secretário de Infraestrutura, Carlos Hassler, recebem amanhã o projeto para revitalização de parte da SC-283. Prefeitos, vice-prefeitos e lideranças das cidades que cortam a rodovia, estarão na capital do Estado para participar da audiência, que foi marcada e articulada pelo deputado estadual, Altair Silva. Depois, o documento será encaminhado ao governador, Carlos Moises da Silva (PSL). Altair disse que a situação é caótica, ressaltando que o Governador já conhece e está ciente da situação. “Precisamos criar uma força tarefa para revitalizar ela”, comentou, coordenador da Frente Parlamentar em Defesa das Rodovias do Grande Oeste.

 

Nunca revitalizada

Construída nos anos 70 a SC-283 nunca foi revitalizada, apenas recuperada em alguns trechos. Conforme o deputado estadual, Altair Silva (Progressistas), além da entrega do projeto que já existe, com detalhamento de parte da rodovia, a intenção é solicitar aos secretários a execução do projeto de todo o trecho de 233 quilômetros, além do asfaltamento entre Mondai e Itapiranga, trecho que ainda não é pavimentado. “A falta de acostamentos, terceiras pistas, e os constantes buracos na via estão entre as principais reclamações da população oestina sobre a SC-283”, comentou Altair. A SC-283 é considerada o eixo principal das agroindústrias, pois ao longo da sua extensão encontram-se unidades da BRF, JBS e Aurora, as três maiores agroindústrias do país.

 

Emenda para a SC-283

Em debate nas últimas semanas do ano no parlamento, o Orçamento de 2020 do Governo do Estado recebeu duas emendas do deputado Altair Silva (Progressistas), para garantir a manutenção da SC-283, uma na Lei Orçamentaria Anual (LOA) e outra no Plano Plurianual (PPA) de 2020. “Queremos que pelo menos as manutenções necessárias sejam realizadas. O Governo quer garantir apenas 266 mil para o próximo ano, e a nossa emenda vai colocar mais R$ 12 milhões para 2020”, pontuou o autor.

 

Avaliação da Fiesc

A Federação das Indústrias de Santa Catarina (FIESC) realiza balanço econômico do setor, amanhã, às 14h30, na sede da entidade, em Florianópolis. No encontro, o presidente da instituição, Mario Cezar de Aguiar, fará a avaliação dos principais indicadores da indústria no ano, além de projeções para 2020.

 

Pelos olhos de Camilo

Até o dia 10 de janeiro quem visitar a Assembleia Legislativa, terá a oportunidade de conhecer o belo trabalho fotográfico feito pelo servidor, Camilo Diamico de Souza. A exposição expõe o olhar desse servidor que é querido por todos que trabalham ou frequentam a Alesc e, que através de uma câmera fez inúmeros registros através de sua ótica. Vale dizer que Camilo é portador da síndrome do X frágil (SXF), uma doença genética e hereditária. Apaixonado por eletrônicos, Camilo começou a utilizar uma máquina fotográfica de sua irmã neste ano e, diz que aprendeu a fotografar com seu falecido pai. Ele teve o apoio do setor de fotografia e, em especial do servidor Bruno Collaço.

 

Souza em Minas Gerais

Durante dois dias o deputado estadual Bruno Souza participou de uma imersão na administração do governador de Minas Gerais, Romeu Zema. A programação, com outras diversas temáticas, ocorreu durante o primeiro encontro nacional dos deputados estaduais do partido Novo. A imersão incluiu as práticas inovadoras do governo mineiro na área de educação e planejamento e os desafios para recuperar a crítica situação financeira daquele estado. “É importante aprender com os erros dos anos recentes do governo mineiro para que Santa Catarina não siga no mesmo caminho”, afirmou o deputado.

 

Regularização fundiária

A Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina (Faesc) manifestou integral apoio à Medida Provisória (MP) que moderniza as regras para a regularização fundiária. A MP foi assinada, nesta semana, pelo presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), e pretende simplificar e modernizar a análise necessária para a concessão de títulos, destinados em sua maioria, aos pequenos produtores. De acordo com o Governo, a área média dos terrenos a serem regularizados é de 80 hectares. O presidente da Faesc, José Zeferino Pedrozo, observa que a propriedade legal e legítima do imóvel rural dá segurança e tranquilidade ao produtor, trabalhador, ou empresário rural para investir e ampliar as condições de trabalho e produção.

 

Coletiva

Acontece amanhã às 10h, na sede da Associação Catarinense de Imprensa, uma coletiva com o presidente do Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC), desembargador Rodrigo Collaço. O novo presidente da Corte eleito recentemente, desembargador Ricardo Roesler, também participará da coletiva. Em pauta, apresentação das principais ações da atual gestão como dados sobre produtividade, modernização e ações sociais realizadas pelo Poder Judiciário de Santa Catarina, além de temas atuais ligados à Justiça.

 

Rinha em SC

O caso covarde e horroroso que aconteceu em Mairiporã entre os Estados do Paraná e São Paulo, onde covardes exploravam rinha de cães deve servir de alerta aqui em Santa Catarina. Há relatos dessa prática horrorosa com cães e galos, ou seja, os covardes não tem limite. Um exemplo é o município de Planalto Alegre no Oeste, onde ocorre tal prática, claro, de forma escondida, entre outros. Que a população denuncie e que a polícia e a justiça sejam rigorosas.

 

Na coluna exclusiva dos assinantes

 

– Retirada da isenção do ICMS aos defensivos em SC teria efeitos em todo o Brasil;

 

– Lideranças emedebistas afirmam que o partido não está com Moisés;

 

– Segue o afastamento do prefeito de Lauro Muller;

 

– Fala de Hélio Costa: Vazamento de Fake News, ou contradição?

 

– Jorginho Mello quer o MDB;

 

– Condenação apaga Romildo Titon;

 

Assine o SCemPauta Plus, com muito mais informações durante o dia, podcasts e muito mais. As informações exclusivas e de grande impacto serão exclusivas para assinantes. Assine agora por ape/nas R$ 10 Reais mensais, assinatura anual.