...
Porto de Imbituba SCPar

Porto de Imbituba perde contrato milionário, deputado acusa Moisés de não atender aos prefeitos, clima ruim entre Jessé Lopes e demais deputados na Alesc entre outros destaques

Receba pelo celular !!
 
Para receber via WhatsApp é só enviar uma mensagem pelo (49) 98504.8148.
 
PATROCINE ESTA COLUNA: (49) 985048148 / email: mlula.jornalista@gmail.com

Destaque do Dia

Porto deve ter um prejuízo de R$ 9 milhões.

O SCPar Porto de Imbituba, perdeu um importante contrato com a Braskem, empresa química e petroquímica brasileira, que tem a sua matriz em São Paulo. É a maior produtora de resinas termoplásticas das Américas e, a sexta maior fabricante mundial de resinas plásticas.

Uma fonte relatou que houve dificuldade de relacionamento entre o diretor-presidente do porto, Jamazi Alfredo Ziegler, com a empresa que até então, movimentava granel líquido e soda cáustica há anos via Santa Catarina.

A decisão da empresa foi motivada pelo fato do porto ter deixado de providenciar a renovação da licença junto a Polícia Federal. O documento teve o vencimento no mês de maio, o que gerou insegurança à Braskem que desviou para Paranaguá, um navio que estava programado para aportar em Imbituba. “A situação ainda não foi resolvida, por isso, a empresa não movimentará mais cargas via Santa Catarina”, relatou uma fonte ligada a SCPar.

Com a transferência somente das operações dessa empresa para o Paraná, há uma estimativa de prejuízo superior a R$ 9 milhões, sendo de R$ 2,5 milhões com a Autoridade Portuária, R$ 6 milhões de ICMS junto ao Estado, e de R$ 1 milhão de ISS via o município de Imbituba.

Outro impacto da perda do contrato, foram 11 demissões de funcionários que há anos estavam no porto. Alguns com idade mais avançada, os quais, de acordo com a fonte, terão dificuldade de voltar ao mercado de trabalho.

Contraponto

Procurei o diretor-presidente do SCPar Porto de Imbituba, Jamazi Alfredo Ziegler, que enviou a seguinte nota sobre a rescisão do contrato com a Braskem. Segue:

“Trata-se de uma Autorização de Uso de Instalação Pública, regulada pelo Princípio da Eficiência insculpido no Art. 3” da Lei n. 12.815/2013 e da RN 07/2016 (Resolução Normativa) da ANTAQ – Agência Nacional de Transporte Aquaviário, órgão Regulador como ANTT e ANAC.

– O Tanque onde a BRASKEN utilizava para depósito de suas cargas, é de propriedade do Porto, por isso à modalidade de “Autorização”, pois ela é temporária, pois caso haja alguma possibilidade comercial no Porto Público (Porto Organizado) viabiliza operações não só de Granéis Líquidos mas como outras cargas o que possibilidade que áreas ou ambientes não permaneçam inutilizados/ociosos.

Isso permite que a Autoridade Portuária otimize o Porto. Essa modelagem é usada provisoriamente, até que se faça o Arrendamento Definitivo por Meio de Licitação. No Nosso caso coincidentemente estava na fase provisória desde que chegamos ao Porto.

Nós neste momento ainda seguiremos essa modelagem até que se materialize o Arrendamento Definitivo que já começamos estudo sobre. Um Arrendamento Definitivo leva em torno de 30 meses (2 anos e meio).

É Nossa Meta e está no Nosso Pipeline essa Ação, contudo ela necessita de Segurança Juridico-Administrtiva. Feito esses breves esclarecimentos, passo a resposta final:

A BRASKEN parceira no Nosso Porto até então estava operando normalmente. Recebemos visita da área comercial da Empresa há uns 3 meses atrás informando que apesar de alguns desdobramentos na produção do material que eles operavam (Soda Cáustica) originária do Campo de Mineração no Nordeste o qual estava com dificuldades Operacionais de Extração, manteve-se naturalmente as atividades e a Autorização. Contudo há umas 3 semanas atrás nos informaram oficialmente da suspensão as Operações em Nosso Porto.

Por fim desde que começou essa dificuldade de Operações no Nordeste já recebemos visitas de algumas empresas para utilizarem aquele espaço “provisoriamente” até que enfim consigamos fazer adequadamente o Arrendamento Definitivo que gira em torno de 25 anos” – Jamazi Alfredo Ziegler

 Sindicância

Durante a visita, Moisés conversou com a empresária. Na semana passada o governador, Carlos Moisés da Silva (PSL), esteve no Porto de Imbituba. Ele foi buscar informações sobre o planejamento de ações de crescimento das atividades portuárias. Porém, Moisés aproveitou a ida para conversar com a empresária, Adriana David Maria, dona da empresa Lumma Construtora, para ser candidata a prefeita de Imbituba pelo PSL. Chamou a atenção o fato de que o diretor-presidente do SCPar Porto de Imbituba, Jamazi Alfredo Ziegler, pediu a abertura de uma sindicância para apurar, quem autorizou a empresária e um pastor, a entrarem no porto sem a sua autorização.

Imetro se manifesta

“O IMETRO/SC repudia as informações veiculadas pela coluna SCemPauta nesta quarta-feira, 4 de setembro. O instituto afirma que ainda não foi notificado pelo Ministério Público Federal (MPF) e tomou conhecimento da denúncia pela publicação.

O IMETRO/SC destaca que as práticas relatadas na coluna não condizem com a realidade. Ao contrário do que sugere o artigo, a exoneração da servidora foi atrelada à análise de desempenho técnico. O instituto está à disposição das autoridades para prestar esclarecimentos” – Assessoria de comunicação do IMETRO/SC

Moisés não atende

O deputado estadual, Laércio Schuster (PSB), reclamou ontem durante a sessão da Assembleia Legislativa, do comportamento do governador, Carlos Moisés da Silva (PSL). De acordo com o parlamentar, Moisés ignora há cerca de 8 meses o pedido de audiência apresentado pelo prefeito de Blumenau, Mário Hildebrandt (sem partido), e demais prefeitos do Médio Vale do Itajaí. “Essa é a nova política. Que se distancia da vida das pessoas e, que não vive a vida real das cidades. É a política que não acredito”, criticou Schuster.

 Governo digital

 O governador Carlos Moisés da Silva (PSL) precisa entender de uma vez por todas, que não se governa sem diálogo, ainda mais com os prefeitos que sabem das dificuldades por que passam os seus municípios. Ninguém vive no Estado, as pessoas moram nos municípios, onde as ações de governo devem acontecer. Mas como pode um governador realizar ações eficientes, se nega ter contato com os prefeitos? A atitude pedante de Moisés só mostra o quanto precisa aprender e, principalmente, o quanto precisa evoluir para ter a humildade de entender a importância do diálogo. Governar pela internet e através de vídeos, não faz de ninguém um grande estadista.

Colombo critica

O ex-governador Raimundo Colombo (PSD) considera um absurdo e um desrespeito aos catarinenses, o Governo do Estado insistir no aumento de impostos. “A sociedade já deixou claro que não aceita, que não quer e que não se justifica”, lamenta. “Carne de frango, carne suína, gás de cozinha, água mineral, tudo mais caro. A mesa do trabalhador vai sofrer e ter menos comida. Não podemos aceitar”, disse o pessedista. Além disso, segundo Colombo, Santa Catarina vai perder competitividade, porque o Paraná, Rio Grande do Sul e outros estados não aumentaram o ICMS. “E os produtos para o exterior, como é que fica? E o emprego que gera o desenvolvimento de Santa Catarina”, questiona o ex-governador.

Escritório de projetos

O governador Carlos Moisés da Silva (PSL) almoçou com à Bancada Federal catarinense, ontem em Brasília, e entregou o Caderno Digital de Emendas Parlamentares. Desenvolvido pela Secretaria de Estado da Fazenda, o Escritório de Projetos (Eproj) e a Casa Civil, oferecem um banco com sugestões para as propostas dos deputados. O objetivo segundo Moisés, é ajudar a captar recursos para o desenvolvimento de políticas públicas alinhadas com a necessidade de Santa Catarina. O Caderno Digital reúne 356 projetos estimados em R$ 580 milhões, distribuídos nas mais diferentes áreas como Segurança Pública, Saúde, Transporte e Agricultura.

Mal-estar na Alesc

Ontem à Assembleia Legislativa viveu mais um momento constrangedor. O deputado estadual, Sargento Lima (PSL), levou a sua indignação ao plenário contra uma postagem do assessor, Lucas Campos, que trabalha no gabinete do deputado Jessé Lopes (PSL). Campos postou que Lopes “seria a única voz sincera e sem compromisso com a ilicitude”, se referindo ao parlamento, em postagem que revoltou a todos os demais deputados. Lima disse que não tem compromisso com a ilicitude e, pediu ao presidente da Alesc, Júlio Garcia (PSD), que tome providências. Vários deputados se manifestaram, a exemplo de João Amin (Progressistas), que afirmou em sua fala que a internet deu voz a imbecis. A chamada nova política também foi criticada pelos parlamentares, a qual é feita via internet e sem contato com a população. Puxado por Fernando Krelling (MDB), também foi feita uma crítica ao comportamento de Jessé, que andou comparado na internet, os gastos dos parlamentares com diárias.

Jessé responde

Foi no mínimo lamentável a fala do deputado estadual, Jessé Lopes (PSL). Disse que não é o pai do servidor e que não poderia impedi-lo de fazer tal declaração, no máximo uma retratação. Lopes disse ainda que ao ler a postagem de seu assessor, que entendeu como uma homenagem a ele. O fato é que Jessé teria ganho mais se não tivesse se manifestado. Dizer que entendeu como homenagem uma postagem de seu assessor que agride o parlamento, pode ser entendida como, no mínimo, uma grande falta de bom senso, ou seja, ele não entendeu a gravidade da situação. Jessé cria para si próprio uma esfera ruim junto aos demais parlamentares e, pode acabar isolado.

Jeito do Moisés

O governador, Carlos Moisés da Silva (PSL), fez uma rápida ligação ao deputado estadual, Felipe Estevão (PSL). Após ter praticamente ignorado o parlamentar em duas oportunidades, Moisés fez uma ligação de cerca de 2 minutos, para simplesmente dizer que não tem nada contra Estevão. Alguém acredita que um contato tão superficial, resolveu algo?

Alcatraz se movimenta

Uma fonte relatou que seguem os trabalhos da Polícia Federal em relação a Operação Alcatraz. Segundo o relato, os desdobramentos para uma possível próxima fase estão ocorrendo, podendo chegar próximo a novos personagens, incluindo lideranças. Por hora, nada de oficial.

Investigação negada

Uma representação que pedia abertura de Comissão Processante contra o prefeito de Joinville, Udo Döhler (MDB), foi rejeitada ontem. O motivo era uma suposta irregularidade no pagamento de serviços de publicidade contratados pela Secretaria de Comunicação da Prefeitura. Os vereadores de oposição se retiraram do Plenário no momento da votação. Segundo a denúncia, já arquivada, a Manchester Vídeo e Produções (TV da Cidade) teria emitido notas fiscais de serviços que foram efetivamente prestados pela Rádio Floresta Negra (Nativa FM). “A rádio Floresta Negra prestou serviço e quem recebeu foi a Manchester”, dizia a queixa.

Mais investimento

O deputado federal, Carlos Chiodini (MDB), relatou o encontro que participou junto aos demais deputados e senadores catarinenses, quando reivindicaram em Brasília, mais respeito ao estado de Santa Catarina, que é um dos que mais produz, mas que menos recebe investimentos. “Ficamos decepcionados com a peça orçamentária que o Governo Federal mandou para a Câmara dos Deputados, prevendo redução de recursos para 2020. Isso precisa mudar, ser revertido”, enfatiza Chiodini. Foi pedida atenção especial às duplicações das BRs-280, 470 e 282.

Frente da Juventude

O lançamento da Frente Parlamentar da Juventude realizado ontem na Assembleia Legislativa, teve duas situações inusitadas. A primeira foi a presença da Gerente Estadual da Juventude do Governo do Estado, Leticia Braz, que foi chamada pelo cerimonial da casa para subir ao palco, mas na hora de sua fala, alegou vergonha e apenas agradeceu o convite. Quem representa o Governo do Estado, deve estar preparado para defender as políticas públicas realizadas pelo Executivo.

Jayana presente

Quem esteve presente também foi, Jayana Nicaretta da Silva, catarinense que responde pela Secretaria Nacional da Juventude do Governo Federal. Durante a sua fala, mais de cem jovens deixaram o auditório em protesto contra os cortes na educação promovidas pelo governo de Jair Bolsonaro (PSL). No fundo foi um protesto partidarizado, já que Jayana tem realizado um importante trabalho à frente da pasta.

Progressistas se reúnem

As lideranças do Progressistas de Chapecó se reuniram para discutir a pré-candidatura de quase 25 pretendentes a vereador. Durante o encontro, foi feito o pedido para que nenhum nome de mais destaque na política local, seja aceito no partido, a exemplo do secretário de Desenvolvimento Econômico, Márcio Sander, e Ivaldo Pizzinatto, o Gringo. O deputado estadual, Altair Silva, informou que não é pré-candidato a prefeito, abrindo espaço para outros nomes. Conversei ontem com o vereador, Diego Alves, que se coloca como pré-candidato a prefeito. Quanto a novos nomes no partido, ele explicou que se aparecer alguém que tenha potencial para ser uma novidade no pleito, que ninguém irá se opor. Alves também elogiou a sensibilidade de Altair e do presidente, Nicolau Buraseska.

Gastos com diárias

Chamou a atenção o gasto com diárias pela secretária de Saúde de Chapecó, Maristela Bisongni Santi Rocha. Ela já usou R$ 30.431,79, mais do que o prefeito, Luciano Buligon (DEM), que teve um gasto de cerca de R$ 26 mil. O assunto gerou até uma certa discussão entre alguns vereadores.

Contraponto

“Segundo dados do Portal da Transparência, as diárias da Secretária de Saúde, Maristela Bisognin Santi Rocha, em 2019, foram utilizadas em viagens para tratar de assuntos de interesse da saúde pública municipal, envolvendo: Secretaria de Saúde, SAMU, Hospital Regional do Oeste, Hospital da Criança e outros serviços oferecidos pelo Município.

Além disso, é importante destacar que Chapecó é gestão plena no Sistema Único de Saúde – SUS e as decisões e tratativas envolvidas nessas reuniões e discussões afetam todos os municípios da região, pois envolvem a destinação dos recursos da área de Saúde no Estado. Um dos pontos de maior relevância debatido nas reuniões e agendas que a Secretária Maristela participou está a construção do Plano Hospitalar, de grande importância para região.

 

Segue relação de alguns compromissos de interesse regional:

– Reuniões da Comissão de Intergestores Bipartite (CIB);

– Reuniões da Comissão do SAMU, Câmaras Técnicas de Gestão Hospitalar, Regulação e Gestão;

– Participação do 70º Congresso do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde de Santa Catarina – COSEMS SC e da 2ª Mostra Aqui tem SUS;

– Participação da Oficina do Plano Regional Integrado;

– Participação no 35º Congresso Nacional de Secretarias Municipais de Saúde;

– Participação no 2º Encontro Estadual de Implantação da Política de Atenção Integral à Saúde de Adolescentes em Conflito com a LEI – PNAISARI;

– Reuniões da Câmara Técnica do SAMU, de Gestão e Regulação;

– Reunião na Secretaria de Estado da Saúde para conhecer o Programa Qualifica OS” – Secretaria de Comunicação da Prefeitura de Chapecó.

Para receber via WhatsApp é só enviar uma mensagem pelo (49) 98504.8148.
 
PATROCINE ESTA COLUNA: (49) 985048148 / email: mlula.jornalista@gmail.com