...

Ex-servidora denuncia a prática de rachadinha no Imetro, Senado terá a CPI do voo da Chape, dispensa de licitação na SCPar pode ter sido manobra financeira entre outros destaques

Receba pelo celular !!
 
Para receber via WhatsApp é só enviar uma mensagem pelo (49) 98504.8148.
 
PATROCINE ESTA COLUNA: (49) 985048148 / email: mlula.jornalista@gmail.com

Destaque do Dia

O SCemPauta teve acesso a uma denúncia feita por uma ex-servidora do Instituto de Metrologia de Santa Catarina (Imetro), órgão do Governo do Estado. Maria Suely José, denunciou ao Ministério Público Federal, Shirley Ferreira, que é assessora direta do presidente do Imetro, o subtenente da Polícia Militar, Rudinei Luiz Floriano. Além dela, Nalci Antunes, diretor de Meteorologia também foi alvo de denúncia. Entre as acusações, a prática da chamada “rachadinha” e assédio moral.

Maria relatou que trabalhou na campanha eleitoral para Floriano, que disputou pelo PSL, mas acabou não se elegendo a deputado estadual. Após a eleição ele assumiu o comando do Imetro e a convidou para ocupar a Gerência do setor de Pré-Medidos, cargo que ocupou durante 7 meses e três dias.

A hoje ex-servidora, diz que foi exonerada após ter se negado a aceitar um pedido supostamente feito por Shirley, a qual, segundo Maria, cobrava e segue cobrando R$ 350, de parte dos salários de ocupantes de cargos comissionados. “Sofri assédio moral em base do requerido pela própria administração, onde todos os funcionários da equipe estavam cientes da minha exoneração, menos eu”, diz parte de seu relato ao MP.

Já a acusação feita por Maria contra Nalci, é de uma suposta participação do diretor, ao lado de Shirlei, de um plano para desequilibrá-la emocionalmente, gerando uma justificativa para exonerá-la.

Liguei para a assessoria de comunicação do Imetro, que ficou de entrar em contato durante o dia de hoje. Já a servidora Shirley não atendeu as minhas ligações, enquanto que Antunes afirmou que não procede as acusações feitas por Maria. “Ela sempre teve um tratamento especial, bem tratada, não só na área, mas também junto aos demais servidores. É que simplesmente não deu, ela não correspondeu. Ela foi tratada de uma maneira muito especial, não está falando a verdade”, disse.

Questionado se ele soube de alguma prática de cobrança de parte dos salários dos servidores, Nalci disse que nunca soube de nada, mas, acredita que se a denúncia foi feita, que alguma prova Maria deve ter. “Ela não seria infantil de falar algo assim se não tivesse prova. Ela vai ter que arcar, pois, quem acusa cabe o ônus da prova. Se alguém pegou dinheiro dela, eu não posso afirmar, nunca vi”.

Ao Ministério Público, Maria entregou arquivos de áudio com supostas conversas gravadas e outro de texto. A promotoria ainda não se manifestou.

SCPar

Uma fonte ligada ao Governo do Estado informou que a razão do SCPar Porto de São Francisco do Sul S.A, ter contratado com dispensa de licitação a própria SCPar, para a execução dos serviços de elaboração de plano de investimentos e programa de financiamento, é repassar recursos do Porto para sua controladora. Segundo o relato, a SCPar vive uma seca de recursos e o Porto seria a fonte, salvo, se não fossem as limitações legais para distribuir dividendos ou reduzir capital. “Então este disfarce: contrata a SC Par e assim paga a folha dela por uns meses. Fazer um project finance é algo simples. A contratação é legal, mas a motivação é questionável” relatou a fonte.

Contestação

A SCPar Holding justifica o contrato com a SCPar Porto de São Francisco do Sul S.A, em um artigo da lei que regula a contratação entre partes relacionadas. Acontece que a lei somente é válida caso a contratada exerça essa atividade como objeto social, ou seja, é uma artigo que visa, por exemplo, autorizar uma empresas que produz gasolina a contratar sua subsidiária de transporte de gasolina, desde que o preço não exceda ao de mercado. Em suma, a SCPar teria que ser uma especialista em consultoria, as realizando como atividade principal para se enquadrar na justificativa para a contratação.

Darci reage

Ontem recebi a ligação do deputado federal, Darci de Matos (PSD), que não gostou de saber da conversa que relatei na coluna de ontem, entre o ex-governador, Raimundo Colombo, e o ex-presidente da Celesc, Cleverson Siewert. Durante o encontro, Colombo teria convidado Siewert a se filiar no PSD pensando na eleição do próximo ano em Joinville. Matos disse que Colombo e qualquer outra liderança não estão autorizadas a falar de política em Joinville, sem conversar com ele. “Está desautorizado. O Raimundo tem que cuidar da eleição em Lages. Vamos ajudar a reeleger o nosso amigo Ceron (Antônio)”, afirmou um incomodado Matos.

Colombo liga

O ex-governador, Raimundo Colombo (PSD), ligou para o deputado federal, Darci de Matos (PSD). Ele explicou que ao voltar de Curitiba, que passou em Joinville para conversar com o ex-presidente da Celesc, Cleverson Siewert. Porém, Colombo disse que Matos será o candidato do PSD a prefeito de Joinville, se for de sua vontade. Ouviu como resposta de Matos, que o deputado somente decidirá se irá disputar, entre abril e maio do próximo ano. “O Cleverson é um bom nome para vice, ou, se eu decidir não disputar ele pode ser o candidato”, disse o parlamentar.

Confirmou com Kassab

O deputado federal, Darci de Matos (PSD), não perdeu tempo, ontem mesmo após ter lido a nota no SCemPauta, ligou para o presidente nacional do Partido Social Democrático (PSD), Gilberto Kassab, e pediu para conversar. Eles falaram na sede do PSD em Brasília sobre o cenário político nacional, estadual e o futuro de Joinville. Durante a conversa, Matos comunicou a Kassab que, em relação à candidatura à Prefeitura de Joinville, que somente decidirá no ano que vem, se disputará. Em resposta, Kassab disse que a decisão sobre a candidatura é de Darci de Matos.

Loureiro de olho em 2020

Na segunda-feira (02) o prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro (sem partido), reuniu um grande grupo no Lyra Tênis Clube. Ele apresentou o ex-presidente do PSB, Ronaldo Freire, que é muito ligado a Paulinho Bornhausen, e Carlos Eduardo Mamute, que pertenceu a equipe de Gelson Merisio. Uma fonte relatou que é um indicativo de que Loureiro deverá se filiar ao Podemos de Bornhausen. Estiveram presente cerca de 40 pré-candidatos a vereador, porém, a informação é de que o número na eleição deve ser muito maior. Liguei para Loureiro que negou que a reunião fora para discutir a eleição do próximo ano. “É hora de pensar nas obras do município”, disse o prefeito que tem passado as noites em visita às obras na cidade.

Mais segurança

Mesmo tendo que cuidar para que os gastos com pessoal não atinja ao limite prudencial, o governador Carlos Moisés da Silva (PSL), se mostrou sensível à necessidade de reforçar a Polícia Civil e o Instituto Geral de Perícias. Estão sendo chamados 100 policiais civis, sendo 50 agentes e 50 escrivães. Também serão chamados 94 peritos e dois papiloscopistas, o que ajudará a reduzir um pouco do déficit de servidores. A Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros que também sofrem com o ônus de capital humano, serão contemplados mais para frente.

Capital humano

O entendimento do governador, Carlos Moisés da Silva (PSL), de que segurança pública sem policiais acaba não tendo o resultado esperado, deve ser valorizado. Porém, como o déficit de policiais civis e militares se arrasta há anos, desde outros governos, é fundamental que ele consiga organizar o seu governo para que novas chamadas sejam realizadas.

Deputado cobra devolução

Aprovado por unanimidade no plenário da Assembleia Legislativa durante a sessão ordinária de ontem, o requerimento do deputado estadual, Bruno Souza (sem partido), que solicita a devolução, ou venda da residência oficial da vice-governadora, Daniela Reinehr (PSL). Souza lembrou que na semana passada, ela explicou os gastos divulgados em quase R$ 300 mil com a residência oficial, dizendo que as instalações são destinadas ao trabalho, já que no Centro Administrativo as condições estariam prejudicadas devido a reformas. Por isso, a residência oficial estaria sendo utilizada para atividades oficiais e recepção de autoridades.

Cronograma

O requerimento do deputado estadual, Bruno Souza (sem partido), aprovado na Alesc, também pede o cronograma das obras de reforma do Centro Administrativo e o prazo estimado de conclusão. “Nada mais justo solicitarmos o cronograma de entrega das obras, a previsão de desembolso e quando pode ser vendida. Acabar com este resquício imperial. O Brasil deixou de ser império e durante a república ainda temos manias e rituais de realeza. Temos que nos tornar uma república de fato onde todos são iguais perante a lei”, ressaltou em seu discurso o parlamentar.

CPI do voo da Chape

A luta por justiça por parte de parentes das vítimas brasileiras do voo da LaMia, que vitimou a delegação da Chapecoense e convidados, fez com que o senador Jorginho Mello (PL) buscasse assinaturas para abertura de uma CPI. O apoio foi imediato dos colegas de Senado que querem cobrar das empresas seguradoras o reconhecimento e a rapidez nas indenizações dos familiares. Com o número de assinaturas muito acima do requisito legal, Mello entregou os documentos para abertura imediata da CPI.

Legitima defesa

O ministro da Justiça, Sérgio Moro, convocou o deputado Rogério Peninha Mendonça (MDB) para uma conversa sobre a PEC 100, que insere na Constituição o direito do cidadão usar arma de fogo em legítima defesa. A ideia é acrescentar ao texto de autoria do emedebista, o excludente de ilicitude para ações policiais. “Foi uma conversa muito produtiva, até porque o texto é muito claro: garantir o direito de defesa. Se alguém entra na minha casa, eu preciso ter a segurança constitucional que não serei julgado por exercer este direito”, explicou Peninha.

Mesários em Blumenau

Os Cartórios Eleitorais entraram em contato com vereadores de Blumenau, para propor um Projeto de Lei que isentará os mesários do pagamento de taxa de inscrição em concursos públicos. A proposta foi aceita pelo vereador, Alexandre Matias (PSDB), e foi apresentada ontem à Câmara. Se aprovada, após a sanção do prefeito, Mário Hildebrandt (sem partido), a lei começará a valer 30 dias após a sua publicação.  Assim como em Blumenau, a 31ª Zona Eleitoral de Tijucas enviou para vereadores dos municípios de Porto Belo, Canelinha e Tijucas, a sugestão de implementação de lei similar, seguindo o projeto já aprovado no município de Bombinhas.

Rio Mathias

As obras do Rio Mathias em Joinville estiveram na pauta da Comissão de Urbanismo que contou com as presenças da presidente da Companhia Águas de Joinville (CAJ), Luana Pretto, e do secretário de Infraestrutura Urbana (Seinfra), Romualdo França. O representante do consórcio executor, Ricardo Baartz, reafirmou que há problemas no andamento das obras por causa de interferências da CAJ. Ele argumentou que o consórcio iniciou as obras da rua Eusébio de Queiroz em junho de 2014, e que, no mesmo mês, em reunião com a CAJ, foi decidido que o consórcio não mais executaria as interferências como estabelecido a princípio, porque Companhia quis fazer melhorias na rede.

Dois anos parada

O representante do consórcio executor, Ricardo Baartz, disse que apenas em setembro de 2016, a frente de trabalho foi liberada e o consórcio conseguiu começar a macrodrenagem. Para Ricardo, os fatos já comprovariam que o consorcio não conseguiria terminar os trabalhos em 24 meses. Ele afirmou também que houve falta de pagamentos de aditivos, citando a Rua Jerônimo Coelho como uma frente de trabalho em que as obras teriam sido paralisadas por falta de pagamento. O secretário Romualdo França, disse que desconhece qualquer atraso por falta de pagamento. Com a palavra o município, afinal, faltou algum pagamento?

Carvão mineral

O ministro de Minas e Energia, Almirante Bento Albuquerque, recebeu ontem, representantes da Frente Parlamentar em Apoio ao Carvão Mineral, onde foram apresentadas demandas do setor energético. Segundo o presidente da Frente Parlamentar em Apoio ao Carvão Mineral, na Câmara Federal, deputado Daniel Freitas (PSL), o setor carbonífero tem extrema relevância para a economia do sul do Brasil. “Nos mobilizamos em sensibilizar o ministro para que sejam implantadas ações de sustentação à indústria carbonífera, garantindo o suprimento de combustível nacional com preço estável e segurança energética”, contextualizou.

Acesso ao aeroporto

Na sessão de ontem da Câmara de Florianópolis, o vereador Fabio Braga (PTB), usou a tribuna para expor a sua preocupação com a entrega do novo acesso ao Sul da ilha ao aeroporto, principalmente com relação a iluminação, o que é de responsabilidade do Governo do Estado. Braga citou inclusive, uma lei que proíbe inauguração de obras públicas inacabadas aprovada na Assembleia Legislativa, proposta pelo deputado estadual, Jair Miotto (PSC). A lei aguarda sanção ou veto por parte do governador. Caso a lei seja sancionada, o novo acesso não pode ser inaugurado por falta de iluminação.

Sander critica

O secretário de Desenvolvimento Econômico de Chapecó, e pré-candidato a prefeito, Márcio Sander, fez uma provocação à Associação Comercial e Industrial de Chapecó (Acic). De acordo com Sander, a entidade fala em controle dos trabalhos da Câmara, mas deveria lançar o seu próprio candidato na eleição. Sander também admitiu que tem conversado com vários partidos, principalmente o Progressistas, pensando no pleito do próximo ano.

Frente da Juventude

A Assembleia Legislativa, por proposição da deputada estadual, Ana Paula da Silva, a Paulinha (PDT), lança hoje às 17h no auditório Antonieta de Barros, a Frente Parlamentar da Juventude, que busca discutir e promover ações, projetos e políticas públicas efetivas para os jovens catarinenses. Entidades e lideranças da juventude estarão presentes no evento, entre elas, a secretária nacional da Juventude, Jayana Nicaretta da Silva, e representantes da UCE, UCES e CONJUVE.

Confiança em Chapecó

O Índice de Confiança do Consumidor (ICC) chapecoense caiu neste mês de setembro em 0,57%, ao passar de 95,03 pontos em agosto para 94,49 pontos em setembro. Esses dados fazem parte de pesquisa feita em conjunto pelo Sindicato do Comércio da Região, através da sua Divisão de Pesquisa e Estatística (Sicom Pesquisas) e a Unochapecó, por meio do curso de Ciências Econômicas. Realizada entre os dias 15 e 24 de agosto, a amostra foi composta por 121 mulheres e 108 homens de diversas faixas etárias e classes de renda. A queda do índice de confiança foi puxada pela população com idade inferior a 24 anos (-20,15%), seguida por pessoas com idade igual ou maior que 65 anos (-15,38%).

Poder econômico

A pesquisa feita em Chapecó indica queda nos resultados quanto ao Índice de Condições Econômicas (ICE), de 1,75%, totalizando 82,07 pontos, ante 83,53 registrados em agosto. Já no Índice de Expectativas de Consumo (IEC) e no Índice de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (IEIC), houve elevação. Os resultados indicam que os consumidores estão menos confiantes com relação as suas finanças e as condições para aquisição de bens duráveis, se comparado ao mês de agosto, indica a coordenação da pesquisa. No Índice de Expectativas de Consumo houve leve aumento de 0,02%, atingindo 102,12 pontos, ante 102,10 de agosto.

Só no discurso

A deputada federal, Carla Zambelli (PSL), está passando por uma situação, no mínimo, constrangedora. Após ter sido eleita com a bandeira da “a mamata acabou”, Zambelli se aproveitou do cargo para conseguir que o Colégio Militar de Brasília furasse a fila para matricular o seu filho que estuda no sexto ano do ensino fundamental. Além disso, o jovem não precisou passar pela seleção.

Para receber via WhatsApp é só enviar uma mensagem pelo (49) 98504.8148.
 
PATROCINE ESTA COLUNA: (49) 985048148 / email: mlula.jornalista@gmail.com