COLUNA EXTRA: Os bastidores da posse na Assembleia Legislativa

Marcelo Lula

Marcelo Lula

Garcia, ditará o ritmo do Estado.

“Começo por dizer em alto e bom som, que eu sou político. Mas não basta dizer que sou político, eu quero dizer que tenho orgulho de ser político. Não sou da política nova e não sou da política velha. Considero que isso seja apenas um bordão de campanha eleitoral que as vezes pega e não pega e, no caso pegou”, disse o presidente da Assembleia Legislativa, Júlio Garcia (PSD), que por unanimidade assume o comando pela terceira vez.

Antes disso, citando São Thomaz de Aquino, falou de gratidão, inclusive aos deputados, fazendo questão de citar nominalmente todos os seus 39 colegas de parlamento, com quem se comprometeu estando na presidência, a trabalhar por Santa Catarina.

Brasao
Garcia recebeu o apoio de todos os parlamentares.

O fato é que Garcia dá o tom de como trabalhará a Alesc, deixando clara a independência do poder em relação ao Executivo. Seguramente, o que movimentará o parlamento num primeiro momento será a apreciação dos vetos, que poderá até mesmo paralisar os trabalhos. Segundo uma fonte, ou o governador acorda para a necessidade de formar a sua base nos próximos 60 dias, ou a pauta da Assembleia poderá ser bloqueada, ou, até mesmo, sucessivas derrotas poderão ser impostas ao governo já na arrancada.

A questão é que ser derrotado logo no início da legislatura, poderá colocar Moisés em uma posição de fraqueza frente aos deputados. A tarefa não será fácil, pois, a dificuldade demonstrada por ele em dialogar, já provocou descontentamentos. Ninguém conhece a reforma administrativa que será apresentada pelo governo, muito menos, as principais propostas de mudanças. “Para quem queria entregar ainda no ano passado pelas mãos do Eduardo Pinho Moreira, está demorando demais”, criticou um parlamentar.

Uma questão importante é, que se Moisés espera que parta de Júlio Garcia o gesto de formar a sua base, perderá tempo, pois, o recado já foi dado de forma clara, que isso não será feito pelo deputado. “Isso cabe ao secretário da Casa Civil, ou, ao líder do governo na Alesc”, afirmou uma liderança.

O fato, é que Moisés não pode ignorar a Assembleia Legislativa, como deu a entender em declarações na capital, ao dizer que não estava preocupado com a Alesc. É preciso que ele esteja bem atento, pois, começou nesta sexta-feira (01) o governo de Garcia, que será o responsável por dar o ritmo a todas as pautas de interesse do Governo do Estado.

Brasao

De olho em tudo

Leia também »  ICMS dos medicamentos em debate em SC

Uma das características de Júlio Garcia (PSD), é de cuidar de todos os detalhes. Foi assim nas duas vezes em que presidiu a Assembleia Legislativa. Garcia tanto controla a aplicação dos recursos públicos, como as condições de trabalho e o andamento dos projetos no parlamento.

Acordo

Souza não vota no PT

Júlio Garcia (PSD) conseguiu construir um acordo que lhe deu a eleição à Presidência da Assembleia Legislativa, por unanimidade. Porém, na votação para a mesa diretora, os deputados Jessé Lopes (PSL) e Bruno Souza (PSB), votaram contra. Lopes justificou dizendo que somente conhece o presidente Júlio Garcia (PSD) e, por não conhecer os demais, decidiu não dar o seu voto de confiança. Por sua vez, Souza disse que de sua parte não teve acordo para a mesa. Como que a votação foi em bloco e não individual, decidiu não votar a favor por ter um integrante do PT na chapa.

Participou

Mocellin quer costurar apoios.

O líder do governo na Assembleia Legislativa, coronel Onir Mocellin (PSL), entrou em contato para informar que esteve na reunião de ontem, que definiu o acordo para a presidência e à mesa diretora da Alesc. “Nós estamos de fora da mesa, mas tenho ótimo relacionamento com todos os parlamentares”, informou. No papel de líder, Mocellin já está organizando para que o governador Carlos Moisés da Silva (PSL), receba os deputados para um jantar na Casa D’Agronômica, para discutir o estado.

Continuar as pautas

Luciane com um de seus filhos, na posse.

A deputada estadual, Luciane Carminatti (PT), afirmou que seguirá na defesa da educação e pela luta das mulheres. Além disso, destaca a importância da economia solidária e da defensoria pública. Mesmo assim, Luciane chama a vice-governadora, Daniela Reinehr (PSL) à responsabilidade com o Oeste, que necessita de mais equipamentos públicos e mais investimentos, para que tenha mais equilíbrio em relação a região Norte e a Grande Florianópolis. “São as duas regiões que tem o PIB mais alto e, que atraem mais recursos públicos o que deveria ser o contrário em relação ao Oeste. Nós queremos aeroporto ampliado em Chapecó, um novo terminal, queremos rodovias decentes, investimentos em escola, comercialização dos produtos e tudo o que a nossa região tem direito”, disse Luciane.

Primeiro ministro

Giordani ao lado da mãe e de vereadores de Chapecó.

Ex-secretário municipal em Chapecó e Florianópolis, Eron Giordani é o homem de confiança do presidente da Assembleia Legislativa, Júlio Garcia (PSD). Caberá a Giordani a chefia do gabinete da presidência, ou seja, terá um papel chave nos acontecimentos da Alesc.

Comunicação

A colega, Lúcia Helena Vieira, é a nova diretora de Comunicação da Assembleia Legislativa. Ela já esteve à frente do cargo nos outros mandatos de Júlio Garcia (PSD), do hoje senador, Jorginho Mello (PR) e de uma parte da então presidência de Gelson Merisio (PSD).

Leia também »  MDB busca se reencontrar, a incoerência de Moisés em relação a Saúde, crise da Avianca pode gerar prejuízo ao Oeste entre outros destaques

Médicos

Caropreso é o único que continua na Alesc.

Dos cinco deputados estaduais da legislatura anterior que são médicos de formação, apenas um continua na Assembleia Legislativa. Anteriormente tinham mandato os deputados, Serafin Venzon (PSDB), Fernando Coruja (Podemos), Antônio Aguiar (PSD), o suplente que depois assumiu, Dalmo Claro de Oliveira (PSD) e Vicente Caropreso (PSDB), que é o único que conseguiu se reeleger. Coruja e Aguiar não disputaram o pleito. Vale destacar que Caropreso é o presidente da Comissão de Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência.

Fecam na Alesc

A diretoria da Federação Catarinense de Municípios (FECAM), esteve em Florianópolis e Brasília acompanhando as posses. O 1° secretário da entidade e prefeito de Pomerode, Ércio Kriek, participou da posse dos novos deputados estaduais, na Assembleia Legislativa. Em nome da Federação cumprimentou o novo presidente, deputado Júlio Garcia, e afirmou que este é um momento de trabalho coletivo. “Esperamos que os 40 deputados tenham a consciência de que é preciso estar ao lado dos prefeitos, pois são eles que vivem o dia a dia e as dificuldades de cada cidadão”, pontuou. Kriek destacou que é preciso união para que as ações efetivamente aconteçam.

Fecam em Brasília

O 2º vice-presidente da FECAM e prefeito de Itapoá, Marlon Neuber, acompanhou na Câmara e no Senado a posse dos deputados federais e senadores eleitos por Santa Catarina. Neuber destacou o que a Federação espera do novo Congresso o comprometimento com o municipalismo. “A revisão do Pacto Federativo, o cuidado com a saúde, a educação e a segurança pública. Que sejamos lembrados em todas as matérias que tramitarem no Congresso”, disse. Na próxima segunda-feira (04), o Presidente da FECAM e prefeito de Tubarão, Joares Ponticelli (Progressistas), que está de férias, representará a entidade na posse do novo presidente do Tribunal de Contas do Estado, Adircélio Casagrande.

Diego Goulart

O secretário de Estado da Articulação Nacional, Diego Goulart, ligou para responder a nota que publiquei na coluna de hoje de manhã, a respeito dos gastos de seu setor e também a respeito de sua experiência. Segundo Goulart, quanto ao custeio já foi feito um levantamento para que uma casa mais barata seja alugada. “Já estou com o orçamento. Vamos reduzir os custos em 50% do valor pago atualmente”, disse Goulart, lembrando que o aditivo do atual contrato foi realizado pelo governo anterior. O custeio com veículos e pessoal também passará por uma redução, o que segundo ele, deve provocar uma economia de 50% em relação ao custeio atual.

Leia também »  Alesc apresenta questionamentos sobre a reforma, Ivete da Silveira no cenário eleitoral de Joinville, BR-282 receberá investimentos no Oeste entre outros destaques

Experiência

Quanto a não ter muita experiência, o secretário de Estado da Articulação Nacional, Diego Goulart, concorda que ainda é novo, mas, destaca que poderá aprender. Me disse que dos 22 ministros do governo de Jair Bolsonaro (PSL), já esteve reunido com 11 e, que inclusive, ajudou em questões a exemplo do acesso ao aeroporto de Florianópolis, a Serra do Rio do Rastro e a duplicação da BR 280 e BR-470.

Aniversário

Prefeitos da Grande Florianópolis foram ao aniversário do ex-deputado estadual, Gelson Merisio (PSD). Presentes os prefeitos de, da direita para a esquerda, Camilo Martins (PSD), de Palhoça; Adeliana Dal Pont (PSD), de São José; Gean Loureiro (MDB), de Florianópolis; Ramon Wollinger (PSD), de Biguaçu, e Juliano Campos (PSD), de Governador Celso Ramos. Uma reunião de amigos que ignorou as diferenças partidárias.

Frente das Rodovias

O deputado estadual, Altair Silva (Progressistas), já começou a coletar assinaturas para a formação da Frente Parlamentar em Defesa das Rodovias do Grande Oeste. Silva quer uma maior discussão a respeito da infraestrutura da região.

Do Oeste

O primeiro a assinar a lista para a formação da Frente Parlamentar em Defesa das Rodovias do Grande Oeste, articulada por Altair Silva (Progressistas), foi o deputado estadual, Nilso Berlanda (PR). Empresário de sucesso em todo o estado, Berlanda há anos se mudou para Curitibanos, mas, é natural de Nova Itaberaba no Oeste, quando o município ainda era um distrito de Chapecó. Por isso, Berlanda tem em sua certidão de nascimento, que é natural da capital do Oeste.

Gerências Regionais

O deputado estadual, Neodi Saretta (PT), tem realizado reuniões desde janeiro, para discutir a manutenção das Gerências Regionais de Saúde, que devem ser extintas na reforma administrativa que acabará com as ADRs. Saretta lembra que as gerências existem há décadas e que facilitam o atendimento nas regiões. “O fechamento dessas regionais resultará em sobrecarga nos municípios menores, pois sofrerão para manter a qualidade da saúde oferecida com o auxílio das respectivas regionais”, disse.

 

Receba pelo celular !!
 
Para receber via WhatsApp é só enviar uma mensagem pelo (49) 98504.8148.
 
Patrocine esta coluna: (49) 985048148 / email: [email protected]
 

Atualizado em:
STF derruba os 15% da Saúde, Tebaldi quer Napoleão no PSDB, segue a polêmica entre Hang e o governo de Udo Döhler entre outros destaques
ICMS dos medicamentos em debate em SC
Alesc apresenta questionamentos sobre a reforma, Ivete da Silveira no cenário eleitoral de Joinville, BR-282 receberá investimentos no Oeste entre outros destaques
Pinho Moreira poderá presidir o MDB de Criciúma