Bivar vem a SC para resolver a crise do PSL, Moisés separa o PSL do governo, melhora a arrecadação do Estado entre outros destaques

Marcelo Lula

Marcelo Lula

Bivar vem a Santa Catarina para resolver a crise no PSL

Hoje as lideranças do PSL catarinense recebem o presidente nacional do partido, Luciano Bivar, para uma reunião em Florianópolis. As portas estarão fechadas, pois, é esperado um confronto direto de ideias, sendo que se não houver um bom pacificador poderá aumentar a pior crise da história dos poucos anos de relevância do PSL, que foi fundado em 1994.

Os deputados federais eleitos, Caroline de Toni, coronel Armando e Daniel Freitas, pedirão a saída de Lucas Esmeraldino da presidência estadual do partido. Argumentarão que ele havia dado a palavra de que Armando e Freitas ocupariam cargos na executiva, o que não foi cumprido. Acusarão o atual presidente de ter enviado na calada da noite uma documentação para a executiva nacional em Brasília, apenas com nomes próximos a ele para compor a executiva, ignorando alguns deputados.

Bioter
De Toni, detona Esmeraldino.

Além disso, os deputados eleitos dizem que Esmeraldino começou a adotar uma postura autoritária após o resultado da eleição, inclusive, tentando sabotá-los em suas bases, colocando pessoas ligadas a ele. Caroline reforça, afirmando que somente quem é fiel a Esmeraldino estará nas comissões provisórias. “O Lucas baixou uma regra que nós deputados eleitos não estaríamos na executiva para cuidar do mandato, enquanto que ele cuidaria do partido. Porém, a regra não vale para quem está próximo a ele. Em Blumenau o deputado estadual, Ricardo Alba, está como presidente da comissão, quando deveria estar o Rui Godinho”, disse de Toni.

Além do caso Alba, lideranças pesselistas dizem que o deputado federal eleito, Fábio Schiochet, preside a executiva do PSL de Jaraguá do Sul, tendo o seu pai como vice. Enquanto isso, em Chapecó, base de Caroline de Toni, a executiva está inativa.

Para a deputada eleita, Lucas Esmeraldino não compartilha as decisões querendo ter o domínio de tudo. Ela relata que lideranças pesselistas em São Lourenço do Oeste, teriam sido pressionadas dar apoio a Lucas. “O Lucas já disse que nos perseguirá. Se eu permitir que aconteça agora, como será depois? Estaremos fazendo a velha política”, contesta Caroline, que nega que o Fundo Partidário seja o motivo da crise.

Espaço no Oeste

Uma briga deverá iniciar dentro do PSL do Oeste, caso a coordenação regional não seja definida hoje pelo presidente nacional do partido, Luciano Bivar. Caroline de Toni que se elegeu para a Câmara dos Deputados, não aceitará que o suplente de deputado estadual, Alexandre Badotti, coordene a região. Além disso, ela suspeita que Lucas Esmeraldino já teria montado uma executiva paralela no Oeste, para dominar o partido e tentar lhe tirar a musculatura política.

Negociando em Blumenau?

Alba é acusado de atuar em interesse próprio.

Lideranças do PSL contrárias ao presidente estadual do partido, Lucas Esmeraldino, afirmam que há graves suspeitas que o deputado estadual eleito, Ricardo Alba, estaria usando o partido e a sua condição de presidente, para negociar com outros partidos na Câmara de Vereadores de Blumenau. Além disso, acusam Alba de querer usar o partido para no próximo ano, quando será o candidato pesselista à Prefeitura de Blumenau. Com a palavra, Alba.

Moisés e as críticas

Respondendo às críticas que o seu governo tem sofrido dentro do PSL, a respeito das indicações de nomes que estão compondo o primeiro escalão, o governador, Carlos Moisés da Silva (PSL), voltou a defender as escolhas. Quanto a crise no PSL, Moisés disse que vai separar o seu governo do partido, o qual, segundo ele, tem presidente que é Lucas Esmeraldino. Para Moisés a questão relacionada a presidência do PSL, terá que ser resolvida internamente.

Melhora a arrecadação

A Secretaria de Estado da Fazenda divulgou ontem, o resultado da arrecadação de impostos de 2018. A receita corrente bruta de ICMS, IPVA, ITCMD e demais taxas estaduais foi de R$ 26,1 bilhões, alta de 13,3% em relação ao ano anterior. O maior tributo arrecadado foi o ICMS, com R$ 19,4 bilhões, um crescimento real de 13% em relação a 2017. Para o secretário de Estado da Fazenda, Paulo Eli, o número é resultado do esforço dos servidores estaduais, que cumpriram e bateram as metas mesmo em ano de crise. “Tivemos um excelente segundo semestre. Batemos o recorde de arrecadação em novembro, com R$ 2,3 bilhões, alta de 17,1% em relação ao mesmo período de 2017”, conta.

Setores

Em 2018 os setores que apresentaram maior crescimento no recolhimento de ICMS foram: Redes de Lojas (29,3%), Automação Comercial (22,7%), Automóveis (17,5%) e Transportes (12,5%). Três setores apresentaram queda na arrecadação: Embalagens e Descartáveis (-0,5%), Comunicações (-5,23%) e Agronegócio (-14,4%). A queda no Agronegócio é principalmente em decorrência dos 11 dias de paralisação dos caminhoneiros, no primeiro semestre do ano passado.

Presidência da Fecam

Eleito para o comando da Federação Catarinense de Municípios (FECAM) na gestão 2019/2020, o prefeito de Tubarão, Joares Ponticelli (Progressistas), assume com a missão de manter a defesa por um novo Pacto Federativo, identificar e disseminar as boas práticas das prefeituras catarinenses e focar no fortalecimento das Associações de Municípios e da organização municipalista, no processo de desenvolvimento de Santa Catarina. O ato de posse ocorreu ontem, em cerimônia prestigiada, com a presença do governador, Carlos Moisés da Silva (PSL), da vice-governadora, Daniela Reinehr (PSL), representantes dos poderes Legislativo e Judiciário, secretários de Estado, presidentes e diretores de entidades, universidades, parlamentares eleitos e em atividade, prefeitos, empresários, e demais lideranças. Durante a solenidade também foi assinado um termo de cooperação técnica, entre a FECAM e a FIESC, para o desenvolvimento dos municípios e regiões de Santa Catarina em regime de parceria.

Diretoria

Também foram empossados o prefeito de Balneário Piçarras (AMFRI), Leonel José Martins, como 1º vice-presidente; o prefeito de Itapoá (AMUNESC), Marlon Roberto Neuber, como 2º vice-presidente; o prefeito de Itapiranga (AMEOSC), Jorge Welter, como 3º vice-presidente; o prefeito de Pomerode (AMMVI), Ércio Kriek, como 1º secretário; e o prefeito de Mafra (AMPLANORTE), Wellington Roberto Bielecki, como 2º secretário. O prefeito de Xaxim, Lírio Dagort (PSD), na foto com o governador, Carlos Moisés da Silva (PSL), se tornou membro efetivo do Conselho Fiscal.

Atendimento aos municípios

O Governo do Estado terá uma Central de Atendimento aos Municípios. O anúncio foi feito ontem, pelo governador, Carlos Moisés da Silva (PSL), durante a posse do novo Conselho Executivo e Fiscal da Federação Catarinense dos Municípios (Fecam), evento ocorrido na sede da Federação das Indústrias (Fiesc), em Florianópolis. A estrutura ficará dentro da Secretaria de Estado da Casa Civil e servirá para fazer a interlocução com as prefeituras das 295 cidades catarinenses. O secretário Douglas Borba, da Casa Civil, também compareceu ao evento e garantiu que a Secretaria estará de portas abertas para atender a todos os prefeitos.

Almoço emedebista

Almoçaram ontem em Jaraguá do Sul, o prefeito Antídio Lunelli, o deputado federal eleito, Carlos Chiodini, e o deputado estadual reeleito, Moacir Sopelsa. Na oportunidade eles falaram sobre o comando estadual emedebista, a situação do partido na Assembleia Legislativa e a relação com o governo de Carlos Moisés da Silva (PSL).

Elogios e críticas

Ivan Naatz

Deputado estadual eleito, Ivan Naatz (PV), elogiou via redes sociais uma iniciativa do governador Carlos Moisés da Silva (PSL), ao anunciar que os primeiros serviços do “Governo Digital” começarão pelo Detran com objetivo de desburocratizar e gerar economia. Porém, Naatz disse que, na prática, vai de encontro a projeto de lei que ele apresentou na Alesc, em 2016, quando assumiu como suplente, criando o licenciamento automático de veículos.  “Não se pode admitir hoje que uma pessoa seja submetida a ir três ou quatro vezes numa delegacia para licenciar o seu veículo”, justificou.

E a crítica

O deputado estadual eleito, Ivan Naatz (PV), criticou a decisão do novo governo de retirar os incentivos fiscais que atualmente são concedidos a produtos da cesta básica, como o arroz, feijão e farinha de trigo, que terão suas alíquotas de ICMS elevadas de 7% para 12%.  Observa que, principalmente no caso do arroz, é colocar em risco a produção catarinense, reduzindo a competitividade do produto no mercado nacional.  “Creio que é um retrocesso aumentar imposto onde somos líderes e competitivos. Ademais, aumentar imposto na mesa do catarinense não me parece uma boa proposta”, resumiu.

Polícia Militar

Ontem à tarde aconteceu no Quartel do Comando-Geral (QCG) da Polícia Militar de Santa Catarina, em Florianópolis, a passagem da Chefia do Estado-Maior-Geral da Corporação. Na ocasião, o coronel Giovanni Cardoso Pacheco, que está à frente do EMG desde agosto de 2016, entregou a chefia ao coronel Carlos Alberto Fritz Bueno, que estava à frente da 7ª Região de Polícia Militar, desde junho de 2017. O coronel Pacheco, que contabiliza quase 35 anos se serviços prestados à PM, assinou sua reserva na última sexta-feira. Ao se despedir, o oficial destacou os momentos vividos dentro da corporação.

Tucanos

O deputado estadual, Vicente Caropreso, se encontrou com o ex-prefeito de Blumenau, Napoleão Bernardes, na cidade de Jaraguá do Sul. Os dois conversaram sobre o futuro do PSDB em Santa Catarina. Para o deputado estadual e para Napoleão, o PSDB terá que passar por mudanças. Ao final da conversa, os dois concordaram que o partido necessita de uma reestruturação.

Entrega

O deputado federal João Rodrigues (PSD) entrega amanhã, às 18h30 balanças bovinas e três implementos agrícolas a 24 municípios catarinenses na Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca. Os equipamentos foram adquiridos com recursos que sobraram de uma emenda parlamentar entregue em 2017, quando foram adquiridos 18 tratores e dois caminhões para prefeituras catarinenses, em parceria com a Secretaria da Agricultura. Rodrigues destaca a importância de parcerias com o Governo do Estado para a compra de equipamentos, resultando em maior eficiência e menos burocracia.

Veto gera polêmica

Valduga quer derrubar o veto.

O governador, Carlos Moisés da Silva (PSL), vetou o projeto de autoria do deputado estadual, Cesar Valduga (PCdoB), que autorizava o uso do nome social e o reconhecimento da identidade de gênero de travestis e transexuais, quando procurarem um serviço público. Valduga disse que trabalhará para derrubar o veto, pois, segundo ele, o projeto é legal por ter sido aprovado em todas as comissões e no plenário. Para o deputado, a decisão foi baseada no preconceito. Moisés disse que foi um veto técnico, pois, a competência não pode ser estadual, é federal.

 

Receba pelo celular !!
 
Para receber via WhatsApp é só enviar uma mensagem pelo (49) 98504.8148.
 
Patrocine esta coluna: (49) 985048148 / email: [email protected]
 

Atualizado em:

SIGA-NOS NO FACEBOOK