A expectativa de Breithaupt em relação aos novos governos, recurso de João Rodrigues será julgado amanhã, Pinho Moreira admite que deseja presidir o MDB entre outros destaques

Marcelo Lula

Marcelo Lula

O presidente da Fecomércio em Santa Catarina, Bruno Breithaupt, está cauteloso em relação aos governos do presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), e do governador eleito, Carlos Moisés da Silva (PSL) aqui no estado, que terão início em primeiro de janeiro.

Ontem em entrevista que me concedeu na Rádio Super Condá, Breithaupt destacou o cuidado que os futuros governantes estão tendo na escolha de suas equipes. No caso do presidente eleito, o empresário destacou o nome do juiz Sérgio Moro, que aceitou assumir o Ministério da Justiça. Já em relação ao governador eleito, ele espera que realmente seja escolhida uma equipe técnica para comandar o Estado.

LojaPrática horizontal

Breithaupt entende que em Santa Catarina, entre as primeiras medidas, deve ser priorizado o corte do custo governamental, o rearranjo das atividades do funcionalismo público e um maior cuidado com as finanças. “Muitas dívidas contratadas em governos anteriores, começam a vencer no próximo ano”, disse o presidente da Fecomércio, destacando ainda que tem privatizações que devem entrar na pauta, de estatais que não dão um bom resultado para a população. Dessa forma, o dirigente entende que Moisés poderá se preocupar mais com a saúde, educação e com a segurança do cidadão.

Ao recordar a entrega da “Carta do Comércio” aos candidatos ao Governo do Estado, Breithaupt destacou que a segurança foi o primeiro ponto em uma pesquisa feita com empresários do setor. Além disso, há uma cobrança para que seja investido na infraestrutura do Estado, além da desburocratização quando são criadas novas empresas. “É uma demora desnecessária em função da documentação”, disse Bruno, destacando ainda à necessidade do combate à pirataria e a informalidade.

Em relação as rodovias, o dirigente defende a ideia apresentada por Moisés durante a eleição, no tocante a privatização, porém, alerta para a necessidade de um contrato que garanta uma boa contrapartida ao Estado, além de uma boa condição das rodovias para o transporte de pessoas e o escoamento da produção.

Um ponto que gerou polêmica neste ano, foi a questão da alíquota do ICMS, que colocou a Fecomercio e a Fiesc em lados opostos quando o governador, Eduardo Pinho Moreira (MDB), propôs uma alteração na tributação. Para Breithaupt, o assunto está pacificado, até mesmo pela promessa dos candidatos durante a campanha de que não haverá aumento de impostos.

Já quanto ao Governo Federal, o presidente da Fecomercio entende que a vitória de Jair Bolsonaro (PSL) é uma garantia de que será mantida a reforma trabalhista, a qual, entende como importante na flexibilização da relação entre empregado e empregador. Outra questão importante, é a reforma tributária, na qual ele defende uma facilitação na cobrança e no pagamento dos impostos, além da desoneração de algumas faixas do imposto de renda e a adoção de um imposto único.

Embaixada

A polêmica causada pelo anúncio do presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), de que mudará a Embaixada do Brasil em Israel de Tel Aviv para Jerusalém, preocupa o presidente da Fecomércio de Santa Catarina, Bruno Breithaupt. Ele entende que faltou cautela a Bolsonaro, pois, entende que a mudança não seria um assunto importante, sendo que tem outras prioridades. “Faltou cautela e experiência no aspecto internacional”, disse, destacando que preocupa a possibilidade de retaliação dos países árabes, podendo gerar grandes prejuízos para Santa Catarina. Breithaupt disse que as federações e o conselho das federações está analisando a situação.

Sinal de recuo?

O presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), poderá rever uma possível mudança da Embaixada do Brasil em Israel, de Tel Aviv para Jerusalém. Questionado ontem em Brasília, ele disse que a troca de cidade ainda não está decidida. Ontem, o Egito retaliou o governo brasileiro ao cancelar uma visita oficial do ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes, que iria ao Cairo acompanhado de empresários. “Pelo que eu vi, é questão de agenda. Acho que seria prematuro um país anunciar uma retaliação sobre uma coisa que não está decidida ainda”, disse Bolsonaro.

Movimento

Lideranças defendem o nome de Colatto para a Agricultura.

Lideranças do Oeste aproveitaram uma reunião organizada pelo Sebrae com a participação de empresários e políticos, para discutir o futuro da Agricultura no governo de Carlos Moisés da Silva (PSL). Incentivados pelo vice-prefeito de São Carlos, Kelen Giongo (PSDB), prefeitos e vices de vários partidos defenderam o nome do deputado federal, Valdir Colatto (MDB), para comandar o setor. “Nós precisamos de alguém com experiência e trânsito político”, disse Giongo. Ontem no litoral vazou a informação de que a vice-governadora, Daniela Reinehr (PSL), poderia ser a secretária de Estado da Agricultura.

Merisio

Última aparição pública de Merisio após a eleição.

Recolhido a poucos contatos após a eleição ao Governo do Estado, o deputado estadual Gelson Merisio (PSD), tem mantido algumas conversas nos bastidores. Tem quem diga que Merisio, que terá o seu mandato como presidente de seu partido até setembro do próximo ano, estaria pensando na possibilidade de disputar a Prefeitura de Chapecó. A informação ainda não é confirmada oficialmente, porém, não pode ser descartada.

Almoço do MDB

Ontem o almoço da bancada emedebista na Assembleia Legislativa, foi na Casa D’Agronômica, residência oficial do Governo do Estado. O encontro presidido pelo anfitrião, o governador Eduardo Pinho Moreira (MDB), contou com a participação dos atuais deputados estaduais e federais, além dos eleitos em outubro. Também estiveram presente, o prefeito de Joinville, Udo Döhler, e de Florianópolis Gean Loureiro. Pinho Moreira relatou o processo de transição para o governador eleito, Carlos Moisés da Silva (PSL), informando que todos os dados estão sendo repassados. Porém, o governador ainda não adiantou quais os setores passarão por uma fusão, ou até extinção. Sobre a presidência da Assembleia Legislativa no próximo ano, Pinho Moreira pediu aos deputados que mantenham a unidade do partido para que não haja disputa, porém, segundo uma fonte, o encaminhamento deverá ser feito em prol de Valdir Cobalchini.

Presidência do MDB

O governador Eduardo Pinho Moreira, pela primeira vez foi claro em relação a presidência estadual do MDB. Sendo direto como é a sua característica, recordou de quando presidiu o partido e que deseja mais uma vez liderar o projeto de reorganização. Acontece que uma fonte confirmou a informação adiantada ontem nesta coluna, que tanto o deputado federal eleito, Carlos Chiodini, como o senador Dário Berger, também teriam o interesse. “Quando tudo parece estar se acalmando, lá vem uma outra disputa”, disse rindo uma liderança.

Sem reforma

Uma fonte emedebista me disse que o partido não estaria inclinado, a aprovar todos os projetos que passarem pela Assembleia Legislativa neste ano. Inclusive, é possível que a Reforma Administrativa fique somente para fevereiro, quando o parlamento iniciar a nova legislatura. Se isso acontecer, é provável que o novo governador Carlos Moisés da Silva (PSL), tenha que procurar as bancadas para a sua primeira grande negociação política. Por outro lado, a mesma fonte disse que o MDB apoiará o governo de Moisés na Alesc, porém, sem se considerar um partido governista.

Moisés com o MP

O governador eleito Carlos Moisés da Silva (PSL), se reuniu na tarde de ontem, com o Ministério Público de Santa Catarina para conhecer a fundo o trabalho dos promotores e se aproximar da instituição. Segundo ele, transparência e eficiência são duas prioridades de seu futuro governo. Moisés destacou que enxerga o Ministério Público como um parceiro para a próxima gestão ser marcada como moderna e eficaz. “Primeiramente, uma relação de visita, de apresentação mútua, e para firmar parcerias que já têm sido ofertadas pelo MP ao Estado, no sentido de disponibilizar ferramentas de inteligência, de cruzamento de dados, que nos prestam informações importantes. Dados que o Governo tem em mãos, mas muitas vezes tem dificuldade de tratar. O MP, inclusive, vai nos ceder uma servidora, que trabalha justamente em auditoria e transparência, e vem para a nossa fase de transição para fortalecer esse processo e a parceria”, afirmou.

João Rodrigues

Conforme eu já havia adiantado na semana passada, o julgamento do recurso apresentado pela defesa do deputado federal, João Rodrigues (PSD), está pautado para amanhã. O relator do processo é o ministro Gilmar Mendes.

Orçamento

Ontem em Brasília, foi dia de reunião do Fórum Parlamentar Catarinense para discutir as emendas de Bancada para o orçamento de 2019. Deputados e senadores participaram do encontro presidido pela presidente, a deputada Carmen Zanotto (PPS).

Indignação

Barozzi critica morosidade.

Ontem antes de embarcar para a Alemanha, o presidente da Associação Comercial e Industrial de Chapecó (Acic), Cidnei Barozzi, soltou uma nota com duras críticas ao Governo do Estado, o qual, segundo ele, está morosamente cuidando da autorização para as reformas e ampliação do aeroporto Serafin Enoss Bertaso. Barozzi fala em nome da classe empresarial do Oeste, que tem se mostrado descontente com o governo de Eduardo Pinho Moreira (MDB). Lembro que ao entrar em contato com o diretor de Transportes da Secretaria de Estado da Infraestrutura, José Carlos Muller, ouvi que a pedido da Secretaria Nacional de Aviação Civil (SAC), que o projeto teve que passar por uma nova adequação. Portanto, enquanto se perde na morosidade da burocracia, a região Oeste perde tempo, já que o prefeito Luciano Buligon (sem partido), precisa que a obra seja realizada para iniciar o processo de concessão à iniciativa privada.

Apoio

O presidente da ACIC, Cidnei Barozzi, ligou ontem para o deputado federal, Celso Maldaner (MDB). Ele pediu ao parlamentar que vá até a SAC para saber se a obra será licitada. “Caso necessário, nós, empresários iremos até Brasília para tentar resolver essa situação”, me disse Barozzi.

Punição

O diretório municipal do PSD, do município de São Lourenço do Oeste, foi condenado ao pagamento de multa no valor de R$ 53.205,00, devido divulgação de informações falsas. A decisão do juiz auxiliar do TRE-SC, Jaime Pedro Bunn, foi assinada ontem. Conforme a representação, uma publicação na página do diretório no Facebook divulgou informações de pesquisa eleitoral ilícita, uma vez que a referida pesquisa e a presumida empresa responsável não estavam registradas no Tribunal Superior Eleitoral. A agremiação alegou em defesa não ser responsável e, que a divulgação ocorreu apenas por acreditar na licitude da pesquisa o que, segundo entendimento, afastaria o dolo no ato praticado.

Capacitação

Secretários de foro e policiais militares que atuam nas comarcas do Oeste participam amanhã, do Curso de Procedimentos de Segurança nas Unidades Judiciárias. O treinamento será promovido pelo Núcleo de Inteligência e Segurança Institucional (NIS), Casa Militar e Academia Judicial, no salão do Tribunal do Júri em Chapecó, com início às 09h. O curso está sendo ministrado em todas as regiões do estado. O objetivo é compartilhar orientações e boas práticas com os servidores que atuam no setor de segurança, bem como perceber a demanda atual das comarcas.

 

Receba pelo celular !!
 
Para receber via WhatsApp é só enviar uma mensagem pelo (49) 98504.8148.
 
Patrocine esta coluna: (49) 985048148 / email: [email protected]
 

LojaPrática horizontal
Atualizado em:

SIGA-NOS NO FACEBOOK