...
Ana Paula da Silva a Paulinha Arcanjo 06 Bebê espancado em Caçador Bruno Souza Carlos Moisés da Silva Jessé Lopes Republicanos Valdir Cobalchini

Governador e parlamentares voaram no Arcanjo 06 enquanto criança precisava ser transferida de hospital

Os deputados estaduais Bruno Souza (Novo) e Jessé Lopes (PL), denunciaram hoje na Assembleia Legislativa o uso do avião ambulância Arcanjo 06, pelo governador, Carlos Moisés da Silva (Republicanos), enquanto uma criança precisava ser socorrida com urgência.

De acordo com os parlamentares que tiveram acesso ao diário de bordo, na segunda-feira (18) passada um bebê de três meses em estado grave, após ter sido espancado, precisou ser transferido de ambulância de Caçador a Florianópolis. O avião ambulância não foi utilizado, pelo fato de estar em Caçador, mesma cidade da criança em estado grave. Pasmem, a aeronave estava a serviço de autoridades.

A viagem da criança até a Capital durou cerca de 6 horas. As equipes envolvidas no atendimento tentaram a transferência por transporte aéreo, mas, pelo menos, o Arcanjo 06 estava indisponível, tanto para o dia 18 de julho, como para a manhã seguinte. Os responsáveis mesmo sabendo que o avião estava em Caçador, não ofereceram a aeronave para o transporte do bebê enquanto Moisés cumpria a sua agenda.

Segundo o diário de bordo, o Arcanjo 06 chegou na tarde de segunda-feira, 18 de julho, em Caçador e saiu às 01h da madrugada de 19 de julho. Durante o mesmo dia 18, a equipe médica após concluir que o quadro da criança era gravíssimo, decidiu pela transferência, porém, tentaram sem sucesso a disponibilidade do avião. “Enquanto uma criança brutalmente espancada precisava de transporte, o avião ambulância, que deveria estar disponível para uso da saúde, estava com o governador e alguns deputados fazendo campanha. Isso é absurdo”, denunciou o deputado Bruno Souza.

Quem estava no voo

De acordo com o deputado, Jessé Lopes, os seus colegas de parlamento, Ana Paula da Silva, a Paulinha (Podemos), e Valdir Cobalchini (MDB), usaram o avião neste dia acompanhando o governador. Paulinha voou junto com Moisés os trajetos de ida e volta entre Florianópolis e Caçador, enquanto Cobalchini voou apenas no retorno à Capital. Integrantes do governo, a exemplo do secretário da Casa Civil, Juliano Chiodelli, também estavam a bordo.

Imagem obtida no Instagram pelos parlamentares, mostra Paulinha e Moisés fazendo uma selfie em um evento político. A parlamentar escreveu na postagem que foram visitar obras, porém, é possível notar no canto da foto bandeiras do Republicanos, partido ao qual, Moisés é filiado.

Procurado, Cobalchini me disse que apenas pegou uma carona na volta e que, não sabia do fato da criança, o qual lamenta. Ele me disse ainda que chegou a perguntar ao governo se teria espaço para embarcar. “Se eu soubesse do fato da criança eu seria o primeiro a buscar o transporte como fiz outras vezes”, afirmou.  Ele lembra que em outros momentos voou de carona com outros governadores. Também procurei a assessoria de Paulinha, que ficou de averiguar a situação.

O bebê

Na segunda-feira, 18 de julho, um bebê de três meses deu entrada na emergência hospitalar com várias lesões corporais e parada cardiorrespiratória. O laudo pericial elaborado pelo médico legista apontou a existência de lesões cerebrais e corporais, além de lesões na região da face e da cabeça, nas costas e nádegas.

Um casal de cuidadores, uma mulher de 19 anos e o homem de 21, pagos para cuidar da criança enquanto a mãe trabalhava, foram presos em flagrante suspeitos de espancar o bebê. A investigação da Polícia Civil apurou que o casal cuidava de outras crianças ao mesmo tempo. Eles foram encaminhados ao Presídio Regional de Caçador e vão responder pela prática do crime de lesão corporal de natureza grave. Um médico do hospital de Caçador chegou a fazer a seguinte postagem: