...
Alesc Antídio Lunelli Carlos Moisés da Silva Dário Berger Gean Loureiro

Os bastidores do almoço do MDB na Alesc; Berger no PSB? entre outros destaques

  Agora estamos nas redes sociais. Segue lá!
 
Instagram: @scempauta
 
Twitter:  @scempauta
 
https://www.facebook.com/scempauta

Para receber a coluna via WhatsApp, favor enviar mensagem com o seu nome e cidade e salvar o número: 49 98504.8148. Faça parte da lista de transmissão do site que todo mundo lê.

A decisão do deputado estadual, Valdir Cobalchini, de desistir de sua pré-candidatura ao Governo do Estado, foi tomada após o almoço da bancada na Assembleia Legislativa. Ontem o tradicional encontro das terças, reuniu também outro pré-candidato, o senador Dário Berger, além do ex-deputado federal, Mauro Mariani, e os ex-governadores Paulo Afonso Vieira e Eduardo Pinho Moreira.

Duas informações que adiantei ontem se confirmaram. Havia o temor de algumas lideranças, sobre um possível recuo da bancada estadual em relação as prévias, o que de fato aconteceu e, segundo, movimentos bruscos iriam ocorrer. A bancada recuou alegando que uma disputa levaria o partido a um racha sem precedentes, pensamento compartilhado por Pinho Moreira e Paulo Afonso. Já quanto aos movimentos bruscos, já começaram a acontecer. Cobalchini declinou e o mesmo gesto é aguardado da parte de Dário.

O entendimento à mesa na sala da Presidência da Alesc é de que, se houver apenas Antídio nas prévias, que a mesma perderá a sua validade, afinal, não existe prévia com apenas um nome. Além disso, ao contrário das vezes anteriores, boa parte do MDB está disposto a ignorar o resultado e, partir para a defesa de um nome e de um projeto apenas nas convenções. “Nas outras prévias houve acordo, as regras eram estabelecidas em conjunto, porém, desta vez foi diferente, foi à base da imposição e isso ninguém irá aceitar”, afirmou uma liderança.

Para alguns dos emedebistas que participaram do almoço, o anúncio do nome de Antídio pelo que chamaram de “vitória por WO”, quando não há adversário, somente deve acirrar ainda mais o conflito dentro do partido.

Enquanto isso, algumas movimentações estão sendo estudadas, entre as quais, até mesmo um pedido de destituição de Celso Maldaner do cargo de presidente estadual do MDB. Mas esse é um assunto que será discutido com calma, pois, mesmo com o descontentamento em relação a postura de Maldaner, ainda não há um consenso. Alguns líderes emedebistas entendem que seria traumático para o partido e pensam até mesmo, no estimulo à uma renúncia. O fato é que o argumento do trauma é rebatido por quem defende um nome que apazigue os ânimos, ao invés de acalorar ainda mais, situação que é atribuída ao atual presidente.

Para quem pensa que a situação está apaziguada no MDB, é bom acompanhar de perto os próximos capítulos de uma novela que expõe as fragilidades do maior partido de Santa Catarina.

Entrevista com Cobalchini

Vale a pena assistir a entrevista que o deputado estadual, Valdir Cobalchini (MDB), me concedeu no programa O Jogo do Poder nas rádios Jovem Pan News de Florianópolis 103,3 FM e Jovem Pan News Criciúma, 101,5 FM, ontem, logo após ter decidido declinar de sua pré-candidatura ao Governo do Estado. Uma revelação de Cobalchini é que para o futuro, pretende se lançar à majoritária, mas que nessa eleição tentará uma vaga à Câmara dos Deputados. Confira:

E o Antídio

Antídio segue em roteiro pelo estado

O prefeito de Jaraguá do Sul, Antídio Lunelli, parece que baseou a sua manifestação ao final da tarde de ontem, na entrevista que o deputado estadual, Valdir Cobalchini (MDB), me concedeu. Acontece que um questionamento que fiz a Cobalchini, é se o MDB se manifestará quanto ao suposto caso entre Antídio e um menor de idade. Antídio mais uma vez afirmou ser ficha limpa e que, nunca foi defendido na esfera jurídica pela bancada do MDB, ou qualquer instância do partido. Também se disse capaz de responder pelos seus atos e que, é totalmente desnecessária qualquer manifestação de lideranças.

Então, MDB?

Ao contrário do que afirma o prefeito de Jaraguá do Sul, Antídio Lunelli, o MDB tem a obrigação de se manifestar a respeito da situação. O que os deputados pensam sobre “o assunto Antídio”, as lideranças mais antigas, o que os prefeitos pensam. A partir do momento em que Antídio se torna o nome dos emedebistas, pelo menos, até a convenção, é o partido o avalizando, serão as lideranças do MDB que se colocarão como seus fiadores junto à população. Não adianta as lideranças emedebistas pensarem que o silêncio os eximirá, porque não vai. A sociedade cobrará um posicionamento sobre o assunto.

Erro estratégico

O prefeito de Jaraguá do Sul, Antídio Lunelli, se realmente deseja levar a sua pré-candidatura ao Governo do Estado adiante, precisa repensar a sua estratégia a respeito do suposto caso com um menor. Se enfrentasse de frente, parasse de falar que é ficha limpa como se fosse um mantra e, abordasse o assunto diretamente com a sociedade, trazendo a situação como ela realmente foi, quem sabe poderia se sair melhor quando esse assunto for explorado na eleição. Tem gente produzindo meme que já tem sido visto em grupos de WhatsApp. Ou alguém tem dúvida que os adversários do MDB usarão a situação? E não adianta dizer que é mentira, pois, terá que chamar a Polícia, o Judiciário e o Ministério Público de mentirosos.

Berger no PSB

Tem liderança do PSB que já está contando como certa a filiação do senador Dário Berger (MDB) ao partido. Até o momento, nada de oficial. Primeiro é preciso aguardar a decisão de Berger em relação às prévias, se declinar, saberemos que estará a caminho do PSB.

Avançam as investigações

O conselheiro do Tribunal de Contas do Estado, Luiz Roberto Herbst, transformou o Procedimento Apuratório Preliminar do processo de representação contra o governador, Carlos Moisés da Silva (sem partido), para apurar supostas irregularidades relacionadas a remuneração de agentes públicos, além das normas que transformou os analistas financeiros e os contadores em auditor fiscal.

Infraestrutura

Hoje às 14h, o secretário de Estado da Infraestrutura, Thiago Vieira, vai apresentar a situação das rodovias estaduais catarinenses. O diretor-superintendente administrativo da Portonave, Osmari de Castilho Ribas, vai destacar os 10 milhões de TEUs movimentados pelo porto. O encontro é uma iniciativa conjunta do Conselho Estratégico para Infraestrutura de Transporte e a Logística Catarinense e da Câmara de Transporte e Logística da FIESC.

Projeto trabalhista

A seção catarinense da Fundação Leonel Brizola-Alberto Pasqualini, através de seus núcleos de base, idealizou a construção do Projeto Catarinense de Desenvolvimento como estratégia de atuação nos anos de 2021 e 2022, como preparação para o processo de eleições gerais que se avizinha, de modo a alinhar em âmbito regional as ideias do Projeto Nacional de Desenvolvimento defendido pelo PDT e pela pré-candidatura presidencial de Ciro Gomes. De acordo com lideranças, o projeto será capaz de apresentar um programa de governo para as eleições estaduais de 2022, através da pré-candidatura de Fernando Coruja. Para o próximo ano está prevista a etapa externa, sendo que a equipe de trabalho se reuniu no início de fevereiro, sob a liderança de Manoel Dias.

Para receber a coluna via WhatsApp, favor enviar mensagem com o seu nome e cidade e salvar o número: 49 98504.8148. Faça parte da lista de transmissão do site que todo mundo lê.

  Agora estamos nas redes sociais. Segue lá!
 
Instagram: @scempauta
 
Twitter:  @scempauta
 
https://www.facebook.com/scempauta