...
Alesc Avante Camilo Martins Carlos Moisés da Silva Celso Maldaner Débora Parisotto Fabrício Oliveira Gelson Merisio Geovânia de Sá Jair Bolsonaro Jair Miotto Jorginho Mello Narcizo Parisotto Onyx Lorenzoni

MDB pode se afastar de Moisés; Onyx na Pan News de SC; Tucanos se reúnem entre outros destaques

  Agora estamos nas redes sociais. Segue lá!
 
Instagram: @scempauta
 
Twitter:  @scempauta
 
https://www.facebook.com/scempauta

Para receber a coluna via WhatsApp, favor enviar mensagem com o seu nome e cidade e salvar o número: 49 98504.8148. Faça parte da lista de transmissão do site que todo mundo lê.

Moisés pode perder o MDB se optar pelo Avante

Ontem o presidente estadual do MDB, Celso Maldaner, iniciou a segunda rodada de visitas às 36 regionais, para ouvir os presidentes municipais de seu partido. A grande questão é: Maldaner quer ouvir o que espera escutar, ou acatará à vontade das bases?

Em falar nas bases do MDB, um fato é que uma boa parte dos prefeitos, além da bancada estadual e os ex-governadores, querem a aliança com o governador, Carlos Moisés da Silva (sem partido), até mesmo para garantir um projeto viável, já que os problemas internos praticamente inviabilizaram uma candidatura própria. Acontece que o principal beneficiado disso, pode ser, justamente, quem irá atrapalhar um apoio que tem tudo para fortalecê-lo para o pleito, afinal, ter o maior partido do Estado pode fazer toda a diferença. Falo do governador.

Moisés se apaixonou pelo Avante. Foi bem tratado, teve a oferta de que terá plenos poderes em um partido que tem apenas 82 prefeitos em todo o Brasil, 1.073 vereadores, além de 8 deputados federais e 16 estaduais. Aqui em Santa Catarina, o partido se limita a cinco vereadores.

Os números mostram o quanto o Avante é pequeno para as pretensões de Moisés e, principalmente, para o gigante MDB. Lideranças com quem conversei disseram que as bases não aceitam votar no 70 e, alertam que se o governador insistir em se filiar ao Avante, que até poderá levar alguns nomes do MDB, mas não terá todo o partido, situação que dificultará o seu projeto de reeleição. “Prefeitos, vereadores, lideranças, não é pouco não. Não aceitam de forma alguma apoiar o Avante. É um erro, ele não leva o partido com ele”, afirmou uma liderança.

Para os emedebistas com quem conversei, atualmente Carlos Moisés tem o apoio dos deputados estaduais e de algumas lideranças que, estão agradecidos pela liberação de emendas e convênios, mas, alertam que se não houver algo mais sólido que garanta a aliança, o prazo em que não for possível mais liberar recursos poderá ser crucial até mesmo para um afastamento. “Ele está correndo risco e poderá perder o apoio se apenas se orientar pela sua própria cabeça. Querer que o MDB o apoie estando no Avante é um erro. Ele acabará só”, afirmou um importante emedebista, que também criticou a bancada estadual por não pressionar o governador.

A leitura que está sendo feita é que, o quanto mais Carlos Moisés demorar para tomar uma decisão, mais risco ele tende a correr. As lideranças também criticaram o fato de o governador pensar que, conseguirá unir vários partidos, inclusive alguns com posição antagônica aos emedebistas, a exemplo do Progressistas, para ganhar a eleição. A verdade é que essa hipótese não existe para o MDB.

Por fim, uma lembrança em tom de aviso foi feita, sobre as prévias ainda defendidas por Maldaner. Há um grupo no MDB que trabalha com o fato de que as prévias não terão valor legal, pois, de acordo com a lei eleitoral, apenas a convenção obrigatória e com a maioria dos membros e, que tem prazo o mês de julho, será a instância em que se definirá o futuro do MDB. Portanto, ou Moisés aceita se filiar ao partido, ou terá que ter um bom poder de convencimento, muito diferente do que tem usado até agora, o qual, somente o tem feito perder apoiadores entre os emedebistas.

Movimento

Alguns deputados estaduais do MDB estarão em Florianópolis nesta semana. É esperado o início de um movimento para resolver a situação do projeto eleitoral do partido. Os parlamentares precisam de uma solução, já que o calendário é mais apertado para eles.

Onyx e Geovânia no Jogo

Hoje eu entrevisto com exclusividade, o ministro do Trabalho e Previdência Social, Onyx Lorenzoni. Antes, a entrevista será com a presidente estadual do PSDB, Geovânia de Sá, deputada federal. O programa O Jogo do Poder nas rádios Jovem Pan News de Florianópolis 103,3 FM, e Jovem Pan News de Criciúma 101,5 FM, terá início às 16h. Nos ouça pelo rádio, ou assista na Panflix, ou através do perfil Jovem Pan Floripa no Youtube.

Tucanos se reúnem

Hoje conforme adiantei, a executiva estadual do PSDB se reúne na sede do partido em Florianópolis. O encontro está agendado para as 13h e será em formato híbrido, presencial e via Zoom. A presidente Geovânia de Sá anunciará a sua licença do comando do PSDB. O prefeito de Concórdia, Rogério Pacheco, assumirá a presidência de forma interina. Há uma expectativa se Gelson Merisio participará e se fará algum anúncio.  

Camilo responde

O presidente estadual do Podemos, Camilo Martins, enviou nota em resposta às declarações dadas à coluna, pelo prefeito de Balneário Camboriú, Fabrício Oliveira (Podemos), que é pré-candidato ao Governo do Estado. Fabrício afirmou que Camilo não é um presidente soberano e, pediu que o ex-prefeito de Palhoça deixe o comando do partido. Segue a nota: “Diante da informação divulgada na coluna desta segunda-feira, o presidente do Podemos em Santa Catarina, Camilo Martins, esclarece: No Brasil vivemos em uma democracia. Camilo, como presidente estadual, sempre buscou o diálogo com os gestores municipais em busca de uma Santa Catarina melhor. É básico, dentro da administração pública, saber que há momento de fazer política e momento de administrar. O presidente enfatiza que este é o de administrar e está com todas as atenções voltadas para a gestão dos municípios. Por isso, considera extremamente importante dialogar com o governante local que tem projeto para as cidades, porque são nos municípios que a vida acontece, são nas cidades que as pessoas vivem” – Camilo Martins – Presidente estadual do Podemos

Segue a nota

“O presidente reitera, ainda, que um prefeito deve discutir com o governador todas as ações em favor das cidades.  Pode-se entrar em discordância com quanto às ideias e opiniões, mas nunca contra os interesses dos municípios. Camilo também lembra que todo o trabalho de estruturar o partido, unir a classe política, prospectar alianças e discutir os interesses com base nos princípios da presidência nacional do Podemos tem sido executado e lamenta que integrantes do próprio partido acabem pensando de forma individual e sem diálogo. Considera também que a imprensa não é o local adequado para este tipo de debate. A preocupação do presidente sempre foi discutir as ideias em conjunto, a nominata do partido foi construída na busca do melhor para o Podemos e para Santa Catarina” – Camilo Martins – Presidente estadual do Podemos

Jorginho na coordenação

Vem de Brasília a informação de que o senador, Jorginho Mello (PL), deve integrar a coordenação de campanha do presidente da República, Jair Bolsonaro (PL). Caberá a Jorginho coordenar as ações em Santa Catarina.

Jorginho com Coronavírus

O senador Jorginho Mello (PL) está com o Coronavírus pela segunda vez. Segundo ele, os sintomas são leves. Jorginho disse que segue trabalhando em casa.

Moisés ainda de quarentena

Já o governador, Carlos Moisés da Silva (sem partido), que também está com o Coronavírus pela segunda vez, informou que já não apresenta sintomas. Por orientação médica seguirá em isolamento e trabalhando. Quem também fez exame foi o chefe da Casa Civil, Eron Giordani, mas o resultado deu negativo.

Sinais?

O presidente estadual do PSC, Narcizo Parisotto, confiou à sua filha, Débora Parisotto, a presidência do segundo maior templo da Igreja Quadrangular, localizado no Saco dos Limões em Florianópolis. Parisotto é o presidente geral da Igreja. Membros da Quadrangular entendem que pode ser um movimento para dar visibilidade a Débora, que deseja disputar uma vaga a deputada estadual.

Bastidores do templo

O PSC catarinense e a Igreja Quadrangular, duas instituições que se confundem em Santa Catarina sob o domínio do ex-deputado estadual, Narcizo Parisotto, vive uma disputa interna. De um lado, o deputado estadual, Jair Miotto, que trabalha para tentar a reeleição, enquanto que Débora Parisotto, quer a vaga do PSC para disputar um espaço à Assembleia Legislativa. Miotto fala em fidelidade a Parisotto a quem chama de “meu paizinho”, mas, segundo fontes ligadas a ele, o parlamentar não estaria contente com a situação, já que tem movimentos para que ele vá a deputado federal abrindo espaço para Débora. Serão semanas de muita oração e articulação no PSC.

Convênios

Um total de 947 convênios ou termos de fomento e colaboração foram firmados pelo Governo do Estado com municípios e entidades de todas as regiões catarinenses em 2021. Já os valores repassados por meio de convênios durante o último ano chegaram a R$ 838,9 milhões, para o atendimento às mais diversas áreas de atenção da gestão pública.

Dativos

Sobre o pagamento aos cerca de 11 mil advogados dativos, o presidente do Tribunal de Justiça de Santa Catarina, Ricardo Roesler, informou à OAB, que o assunto já está sendo encaminhado com prioridade pelo setor financeiro e, se tudo correr bem, os valores devem ser liberados nesta semana. Na oportunidade, os dirigentes da OAB/SC também manifestaram concordância com a Resolução Conjunta que trata do controle de acesso às unidades judiciais e administrativas do Poder Judiciário. 

Para receber a coluna via WhatsApp, favor enviar mensagem com o seu nome e cidade e salvar o número: 49 98504.8148. Faça parte da lista de transmissão do site que todo mundo lê.

  Agora estamos nas redes sociais. Segue lá!
 
Instagram: @scempauta
 
Twitter:  @scempauta
 
https://www.facebook.com/scempauta