...
Alesc Carlos Moisés da Silva Daniela Reinehr Gean Loureiro Jair Bolsonaro João Rodrigues Jorginho Mello Luiz Felipe D'Ávila Mauro De Nadal Napoleão Bernardes Paulinho Bornhausen Raimundo Colombo Sérgio Moro Sérgio Moro no Podemos Valdir Steglich Valdir Steglich presidente Bolshoi

Falas de Gean desagradam o PSD; Governo pode retirar da Alesc o projeto de revisão salarial; De Nadal governador entre outros destaques

Agora estamos nas redes sociais. Segue lá!   Instagram: @scempauta   Twitter:  @scempauta   https://www.facebook.com/scempauta  

Para receber a coluna via WhatsApp, favor enviar mensagem com o seu nome e cidade e salvar o número: 49 98504.8148. Faça parte da lista de transmissão do site que todo mundo lê.

As últimas declarações do prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro (União Brasil), causaram uma reação negativa entre as lideranças do PSD catarinense. Loureiro dá como certo que terá o apoio dos pessedistas na eleição ao Governo do Estado.

Uma fonte pessedista me disse ontem que, a fala de que a União Brasil e o PSD estão fechados, não é verdadeira. A explicação é de que estão sendo feitas conversas há algum tempo, mas, sem firmar qualquer compromisso. Lideranças a exemplo do ex-governador Raimundo Colombo teriam se sentido incomodadas com a situação. “Algumas lideranças do partido (PSD) já começam a repensar a aproximação”, disse a fonte.

Para outra liderança pessedista, Gean Loureiro está num partido que nasce grande nacionalmente, mas que é pequeno em Santa Catarina. A fonte chega a acusar o prefeito de Florianópolis de buscar um sócio para vender a ideia de sua candidatura, em busca de apoio, usando o PSD como fiador de uma liderança de um partido com pouca representatividade.

Outra situação que incomodou lideranças do PSD, foi a informação de que teria havido um acordo entre Gean Loureiro e Raimundo Colombo. Neste caso, o ex-governador iria ao Senado, levando o PSD a apoiar Loureiro. “O partido nunca aceitaria uma situação dessas”, afirmou.

O fato é que a pré-candidatura do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, à Presidência da República, obriga os pessedistas a terem candidato ao Governo do Estado, tornando mais difícil qualquer acordo que tire o PSD da cabeça de uma futura chapa.

Rodrigues no Progressistas

Uma liderança relatou na condição de anonimato que, partiu do prefeito de Chapecó, João Rodrigues (PSD), a intenção de se filiar ao Progressistas. De acordo com a fonte, Rodrigues empolgado com a possibilidade do presidente da República, Jair Bolsonaro, se filiar ao partido, teria buscado lideranças progressistas para discutir uma possível filiação. Ele deseja ser o nome que será apoiado por Bolsonaro para o pleito estadual. A liderança fez questão de afirmar que o partido é simpático a uma filiação do prefeito de Chapecó, para ser o possível nome na majoritária, porém, deixou claro que o senador Esperidião Amin precisará ser ouvido, já que hoje tem a preferência para liderar o projeto estadual.

O Jogo do Poder

Hoje eu entrevisto a partir das 16h no O Jogo do Poder na Jovem Pan News de Florianópolis, 103,3 FM, o senador Jorginho Mello (PL), e o ex-prefeito de Blumenau e atual pré-candidato ao Governo do Estado, Napoleão Bernardes (PSD). Com Jorginho, falaremos sobre o Relatório Final da CPI da Covid, depois, Napoleão será entrevistado sobre o cenário estadual. Além de ouvir, você pode assistir acessando o perfil Jovem Pan Floripa no Youtube, ou na Panflix. Lembrando que a partir de 1º de novembro, as rádios Jovem Pan News de Criciúma e Jovem Pan News de Tubarão, transmitirão simultaneamente o programa.

De Nadal governador

O presidente da Assembleia Legislativa, Mauro De Nadal (MDB), deve assumir o Governo do Estado no início do próximo mês. Se confirmar, De Nadal comandará o Estado por cerca de uma semana. A situação ainda está sendo construída, já que o governador Carlos Moisés da Silva (sem partido) irá a Glasgow, na Escócia, enquanto que a vice-governadora, Daniela Reinehr (sem partido), deve viajar a Barcelona ou Dubai.

Revisão salarial na Alesc

Nos corredores da Assembleia Legislativa se ouve falar que o Governo do Estado, já foi ao limite na questão das concessões da revisão salarial das categorias. O Governo quer preservar a agenda prevista, para manter as ações de investimentos pelo Estado. Uma fonte do governo me disse que se houver muita tensão em relação as categorias do funcionalismo, que o governo vai considerar como uma ação mais fácil, a retirada dos projetos de pauta, do que a ampliação de concessões. O problema para os servidores é que, neste caso, o período no próximo ano ficaria muito curto para discutir a revisão, já que por força da lei eleitoral, qualquer discussão sobre salário somente poderá ser realizada até abril.

Dois anos perdidos

A mesma fonte do Governo do Estado afirmou que, a Polícia Militar foi a maior vítima dos impasses. A fonte acusa o deputado estadual, Sargento Lima (PL), de ter causado um tensionamento desnecessário nas negociações de reposição salarial dos PMs. “As negociações acabaram engolidas pela lei federal 173, que impede até o final de dezembro deste ano, qualquer revisão salarial. A categoria perdeu dois anos”, lembrou.

Bornhausen em Pauta

Ontem entrevistei o ex-governador, Jorge Bornhausen, no programa O Jogo do Poder na Jovem Pan News de Florianópolis. Confira:

D’Ávila em Pauta

O meu segundo entrevistado no programa O Jogo do Poder de ontem, foi o pré-candidato do Novo à Presidência da República, Luiz Felipe D’Ávila. Assista:

Polícia Penal

Hoje os deputados estaduais devem aprovar o Projeto de Lei Complementar, que institui o Estatuto dos Policiais Penais de Santa Catarina. De manhã passará por votação na última comissão e, à tarde, vai a plenário. A aprovação dessa matéria na Assembleia Legislativa se faz necessária, pelo fato de que, definitivamente, estabelece as funções e cria o plano de cargos e salários dos policiais penais, bem como o regime de disciplina da categoria. Aprovar esse projeto é gerar uma tranquilidade a um setor tão tensionado. Após aprovar essa proposta tão necessária, será fundamental que, também, seja votada a questão dos técnicos como assistentes sociais, enfermeiros, psicólogos, dentistas e serviços administrativos.

Encontro de vices

Aconteceu em Biguaçu, na Marina Pier 33, o primeiro encontro dos vices prefeitos de Santa Catarina. O grupo pretende iniciar um movimento de união de todos os vices do Estado, para troca de experiências e informações de natureza política e administrativa. Neste primeiro momento participaram os vices Aldir Dourival Rosa (MDB) de Governador Celso Ramos, Filipe Schmitz (MDB) de Antônio Carlos, Marcelo Brick (PSD) de Gaspar, Alexandre Martins de Souza (Podemos) de Biguaçu, Rogerio Hasse (PSD) de Anitápolis e Michel Schlemper (MDB) de São José.

Nova rodada

O próximo encontro dos vice-prefeitos acontecerá na cidade de Gaspar no dia 26 de novembro, sendo anfitrião o vice-prefeito local, Marcelo Brick (PSD). Já está confirmada a presença de vice-prefeitos de várias cidades catarinenses, que não participaram do primeiro encontro, entre os quais, o de Florianópolis, Topázio Neto (Republicanos). Na oportunidade, Brick deve apresentar as ações realizadas em Gaspar.

Encontro do Podemos

O Podemos de Joinville se reuniu no Salão do Restaurante Glória para dialogar sobre a construção de seu futuro. Dentre as autoridades presentes, estavam o deputado federal, Rodrigo Coelho, o vereador Brandel Junior, o pré-candidato ao Senado, Paulinho Bornhausen, e o pré-candidato a Governador e atual prefeito de Balneário Camboriú, Fabrício Oliveira. O novo presidente do Podemos de Joinville, André Ramos, destacou que a sigla tem excelentes e capacitados nomes para representar Santa Catarina. Já Bornhausen, agradeceu o apoio e disse que se assim for a decisão do partido, vai trabalhar pelas pautas que Santa Catarina necessita.

Sérgio Moro

O Podemos aguarda com ansiedade o ex-ministro, Sérgio Moro, para ser o pré-candidato do partido à Presidência da República. Acontece que nos últimos dias, Moro teria aberto a possibilidade de disputar uma vaga ao Senado por São Paulo, numa sinalização ao PSDB. A filiação está marcada para o próximo dia 10 de novembro. Em dezembro, o ex-juiz lançará o seu livro sobre a Lava Jato. Caso Sérgio Moro decida disputar o pleito ao Palácio do Planalto, o Podemos catarinense terá fortalecido o seu projeto estadual, encabeçado pelo prefeito de Balneário Camboriú, Fabrício Oliveira.

Filiação em Joinville

O médico Valdir Steglich, presidente da Escola do Balé Bolshoi no Brasil, localizada em Joinville, foi convidado por Paulinho Bornhausen, para se filiar ao Podemos e disputar a eleição a deputado estadual. Steglich que no ano passado foi reeleito para mais quatro anos de mandato no Bolshoi, teria se animado com o convite. Em alguns dias ele dará a resposta se aceita o desafio.

Morastoni

Nos próximos 15 dias o vereador de Itajaí, Thiago Morastoni, define em qual sigla se filiará para disputar a deputado estadual. Nos bastidores PDT, PL, União Brasil e o futuro partido do governador, Carlos Moisés da Silva, aparecem como possibilidade. Dois fatores servem como dica. O prefeito de Itajaí, Volnei Morastoni (MDB), se aproximou muito de Moisés, além disso, o governador quer atrair uma importante liderança de Itajaí, que é um dos municípios, dos quais, ele considera chave. Novembro será o mês derradeiro, façam suas apostas.

Pavimentação

O deputado federal, Rogério Peninha Mendonça, alerta que a região Sul do Brasil poderá ser afetada com o desabastecimento de produtos para pavimentação asfáltica, caso um impasse não seja resolvido. Isso porque a Stratura Asfaltos, uma das principais empresas fornecedoras do material no país, está com dificuldades para obter junto à ANP a autorização de operação para sua fábrica na cidade de Ponta Grossa (PR), responsável pelo atendimento e fornecimento nos Estados de Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul. A ANP comprometeu-se em agilizar o processo de avaliação dos aspectos técnicos para a efetiva liberação.

Zé Trovão

Eu não gosto de dar espaço para pessoas que em nada contribuem para o país, mas me chama a atenção a prisão do chamado Zé Trovão, que se entregou ontem à Polícia Federal em Joinville. Segundo informações ele estava no México, viajou de avião até o Peru na semana passada e retornou ao Brasil. A demora em colocar o nome de Trovão na lista de difusão vermelha da Interpol, fez com que ele se livrasse da prisão, ainda em solo estrangeiro, até aí, se entende. A questão é, como ele conseguiu entrar no Brasil sem que tenha sido preso? Para entrar no país se faz necessária a apresentação de documento, se isso tivesse ocorrido, Trovão já teria sido preso na fronteira, o que não ocorreu. É importante que a PF explique como ele chegou a Joinville, mesmo tendo uma ordem de prisão.

Para receber a coluna via WhatsApp, favor enviar mensagem com o seu nome e cidade e salvar o número: 49 98504.8148. Faça parte da lista de transmissão do site que todo mundo lê.

Agora estamos nas redes sociais. Segue lá!   Instagram: @scempauta   Twitter:  @scempauta   https://www.facebook.com/scempauta