...
Alesc Carlos Moisés da Silva Eduardo Leite Gean Loureiro Gelson Merisio Jair Bolsonaro João Dória João Rodrigues Jorginho Mello Napoleão Bernardes PSDB

Dória ou Leite: um deles definirá os rumos do PSDB catarinense; A renúncia de Gean; Pacheco pode motivar saída de JR do PSD entre outros destaques

Agora estamos nas redes sociais. Segue lá!   Instagram: @scempauta   Twitter:  @scempauta   https://www.facebook.com/scempauta  

Para receber a coluna via WhatsApp, favor enviar mensagem com o seu nome e cidade e salvar o número: 49 98504.8148. Faça parte da lista de transmissão do site que todo mundo lê.

O PSDB catarinense parou para esperar as prévias que definirão o pré-candidato tucano à Presidência da República. Até lá, as movimentações para o projeto estadual seguem mais lentas. Uma liderança do partido confirmou o que tenho comentado há algum tempo. Se o governador de São Paulo, João Dória, vencer as prévias, Gelson Merisio não deverá ser o candidato ao Governo do Estado. Neste caso, Vinicius Lummertz ganharia força no ninho tucano para disputar a Casa D’Agronômica, não teria outro, já que o prefeito de Criciúma, Clésio Salvaro, declinou do pleito.

São dois nomes que merecem respeito. Merisio fez mais de um milhão de votos na eleição passada, deixou o MDB no primeiro turno e somente perdeu, por causa da onda causada pelo então candidato a presidente, Jair Bolsonaro, o que favoreceu ao hoje governador, Carlos Moisés da Silva. Por sua vez, Lummertz tem uma experiência administrativa muito maior. Além dos cargos que ocupou no Estado, presidiu a Embratur, foi ministro do Turismo e atualmente comanda a pasta no Estado de São Paulo. Para liderar um setor tão importante para a economia, se faz necessário entender de gestão como um todo.

Portanto, para se manter como o nome do PSDB, Merisio precisa que o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, vença as prévias. O apoio do gaúcho seria a contrapartida para as movimentações de Merisio e seu grupo, que conta com o apoio ativo do “Novo Cristão”, Aécio Neves, deputado federal mineiro que mora em Santa Catarina.  

A grande questão será o sentimento da base que, até o momento, demonstra total indiferença em relação a Merisio, que não conseguiu causar no partido aquele sentimento típico de que todos estão fechados em torno de um nome. Isso é até normal, quando há mais de um pré-candidato colocado, pois o apoio se divide. Agora, quando se está sozinho no cenário e, mesmo assim, não consegue empolgar, é como se disputasse uma eleição sem adversário e perdesse para si mesmo. Tem lideranças que já defendem que o PSDB aponte o vice em alguma chapa.

Encontro em Araquari

O prefeito de Araquari, Clenilton Pereira (PSDB), que também preside a Federação Catarinense de Municípios (Fecam), recebeu em sua residência para um almoço, lideranças do Podemos. O encontro foi agendado pelo vereador, Sid do Itinga (Podemos), que é líder de Clenilton na Câmara Municipal. Dos convidados, foram o pré-candidato a governador, Fabrício Oliveira, que fez um discurso sobre o seu projeto. Também estiveram o deputado federal, Rodrigo Coelho (Podemos), e o ex-vereador de Joinville, Rodrigo Fachini (PSDB), pré-candidato a deputado. O prefeito de Blumenau, Mário Hildebrandt (Podemos), não foi, mas enviou o secretário de Comunicação, André Espezim, pré-candidato a deputado estadual.

Debate na Pan

Hoje você acompanha mais um Jogo do Poder – O Debate, na Jovem Pan News de Florianópolis, 103,3 FM. O programa vai ao ar às 16h. Maria Helena, Maga Stopassoli e eu, Marcelo Lula, debateremos as principais pautas da política estadual. Você pode ouvir pelo rádio, ou assistir acessando o perfil Jovem Pan Floripa no Youtube, ou então pelo Panflix. Lembrando que a partir de 1º de novembro o programa passará a ser transmitido, também, pela Jovem Pan News de Criciúma 101,5 FM, e pela Jovem Pan News de Tubarão 95,9 FM.

Renúncia de Gean

O prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro (União Brasil), deve renunciar no dia 28 de março do próximo ano. A ideia do prefeito que mantém um forte namoro com o PSD, é de tornar a sua candidatura ao Governo do Estado irreversível, pois, uma vez renunciando, apresentará como argumento de que deixa o comando da capital para se colocar no projeto estadual.

Sem desistência

Quem aguarda pela renúncia do prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro (União), é o seu vice, Topázio Neto (Republicanos). Nos bastidores é dito que Gean não poderá recuar, pois Topázio está trabalhando dia e noite já pensando em quando assumir a Prefeitura.

Naatz presta contas

O deputado estadual, Ivan Naatz, líder da bancada do PL e presidente da Comissão de Turismo e Meio Ambiente da Assembleia Legislativa, reuniu mais de 400 pessoas, entre prefeitos, vereadores, lideranças comunitárias e regionais do partido, além de simpatizantes, na Sociedade Fortaleza Tribess, em Blumenau. O parlamentar fez uma avaliação e prestação de contas do mandato, bem como análise do panorama político e pré-eleitoral do Partido Liberal na região do Médio e Alto Vale do Itajaí. O encontro, segundo a organização, aconteceu dentro das regras sanitárias de distanciamento, exigência do uso de máscaras e limitações presenciais de acordo com a capacidade do ambiente. “Já liberei, R$ 26 milhões em emendas”, disse Naatz.

Oktober

O deputado Ivan Naatz (PL) recepcionou em Blumenau o senador, Jorginho Mello (PL), que é pré-candidato ao Governo do Estado, no lançamento oficial da Oktoberfest para o outubro de 2022, no Parque Vila Germânica. Estiveram juntos o também pré-candidato a governador pelo MDB, Antídio Lunelli, e o prefeito de Brusque, Ari Vequi (MDB). Todos destacaram ainda o clima de retomada gradativa da normalidade dos eventos e atos públicos

Pacheco X João Rodrigues

A filiação do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, ao PSD, para disputar a Presidência da República, animou os pessedistas. Por outro lado, tende a afastar um dos pré-candidatos do partido ao Governo do Estado. Falo do prefeito de Chapecó, João Rodrigues, bolsonarista declarado. Fontes próximas afirmam que ele não aceitará a imposição de seu atual partido, para apoiar Pacheco contra o presidente Jair Bolsonaro. Algumas lideranças pessedistas afirmam que o candidato do PSD ao governo, terá que obrigatoriamente estar alinhado ao projeto nacional.

Força de Geovânia

A perda do apoio institucional da Igreja Assembleia de Deus, parece ter dado mais força para a deputada federal, Geovânia de Sá (PSDB). Para o seu projeto de reeleição, ela já teria o apoio de um grupo ligado à igreja, além de apoiadores conquistados durante o seu mandato, que não fazem parte da igreja. Nos bastidores é dito que, religiosamente Geovânia segue fiel a Assembleia, mas que politicamente conseguiu se emancipar.

Pedido ao além

O vereador de Florianópolis, Renato da Farmácia (PSDB), foi ao cemitério gravar um vídeo, em que cobra a entrega do contrato que envolve as funerárias e a Central de Óbitos do município. Renato quer saber o que rege o contrato. Segundo ele, há histórias “cavernosas”. O vereador se refere a denúncias em relação a funerárias. Confira o vídeo, com direito a uma interpretação de Renato fazendo ruídos atribuídos a fantasmas.

Napoleão dá o recado

A “Carta de Napoleão”, a qual está publicada a seguir, mais parece dois recados, um para a classe política e, outro para a população. Do ponto de vista político, este compromisso de não buscar a reeleição, em sendo governador, abre uma questão importante em termos de governabilidade. Neste caso, não sendo um futuro adversário de ninguém, abre espaço para a aprovação de projetos importantes para o Estado. Para a população, a questão da gestão é mais importante ainda, pois é desse modo que se apresenta para a sociedade as ideias que o pré-candidato tem em favor da população.

Artigo

Carta de Napoleão

“Neste período “sabático”, fora de mandato, cargo, emprego ou função pública, tenho me dedicado à vida privada (advogando e lecionando) e acadêmica (cursando o doutorado em Direito Público).

Em paralelo, sigo firme rodando o estado no sentido de pavimentar a candidatura ao governo internamente, junto ao PSD.

Fruto da minha vivência, dos meus estudos e das minhas reflexões, tenho pensado muito sobre um posicionamento que agora está maduro para ser assumido.

Fruto do meu doutorado tenho estudado e refletido muito sobre modelos de gestão: públicos e privados. Neste meio tempo participei de diversos debates internacionais e, inclusive, a convite, fui conferencista de abertura do Fórum Global de Transparência e Integridade, no Banco Mundial, em Washington, e, também a convite, tive uma imersão na Alta Autoridade Francesa para a Promoção da Transparência na Vida Pública.

Somando o que tenho estudado de mais inovador na governança corporativa e na gestão pública, mais as experiências políticas e administrativas que tive, cheguei à conclusão que num governo meu, serei governador por um mandato – não disputarei a reeleição.

Esta questão de não disputar a reeleição tem uma única razão: busca pela máxima eficiência de governo e pela otimização dos resultados da gestão.

A não reeleição vai representar visões políticas e administrativas claras de um governo meu:

* Governo ágil, com senso de urgência: 8 anos em 4;

* Fazer o que precisa ser feito de verdade;

* Foco e prioridade totais na gestão, na administração e não na reeleição;

* Condição de mirar e executar algo que acredito muito: a Revolução pela Educação.

Napoleão Bernardes – Ex-prefeito de Blumenau

Importante

Todas as informações que são divulgadas pelo SCemPauta podem ser publicadas e comentadas por outros veículos, desde que citem com destaque o SCemPauta e o jornalista que escreveu a informação. Caso contrário, a reprodução não está autorizada, cabendo o devido processo para reaver eventuais perdas e danos.

Para receber a coluna via WhatsApp, favor enviar mensagem com o seu nome e cidade e salvar o número: 49 98504.8148. Faça parte da lista de transmissão do site que todo mundo lê.

Agora estamos nas redes sociais. Segue lá!   Instagram: @scempauta   Twitter:  @scempauta   https://www.facebook.com/scempauta