...
ACM Neto Alesc Carlos Moisés da Silva Daniela Reinehr Dário Berger Fábio Schiochet Gean Loureiro Jair Bolsonaro Jorginho Mello Márcio Búrigo PIB catarinense

Construções irregulares na capital viram caso de Polícia; Gean receberá Schiochet para discutir o novo partido; Tucanos divididos em SC entre outros destaques

Agora estamos nas redes sociais. Segue lá!   Instagram: @scempauta   Twitter:  @scempauta   https://www.facebook.com/scempauta  

Para receber a coluna via WhatsApp, favor enviar mensagem com o seu nome e cidade e salvar o número: 49 98504.8148. Faça parte da lista de transmissão do site que todo mundo lê.

A prisão de quatro empreiteiros em Florianópolis, pode levar a descoberta de uma série de infrações na construção de prédios de poucos andares, inclusive, com uma suposta conivência de agentes públicos.

As obras teriam sido realizadas no bairro dos Ingleses. Os suspeitos adquiriam terrenos que tinham uma limitação de andares, porém, faziam mais apartamentos do que o previsto pelo projeto e, do que foi autorizado pelo município através da Secretaria de Desenvolvimento Urbano. Em outros casos, nem autorização havia.

Uma fonte relatou que até o momento, dos quatro que foram presos, apenas um empreiteiro teria sido solto. Ele já teria sinalizado para uma colaboração onde em troca de atenuantes à pena, abriria detalhes das ações e de supostos colaboradores ligados ao meio político e a agentes públicos. Nomes até o momento não foram revelados.

O que chamou a atenção dos investigadores, é que algumas obras não tinham nem a autorização, ou permissão para que fossem realizadas, tanto, que foram embargadas. Mesmo assim, os construtores seguiam os trabalhos como se nada tivesse acontecido. “Quando a fiscalização aparecia, o agente político conseguia segurar”, relatou a fonte, sem apontar nomes.

Conversei com o secretário de Desenvolvimento Urbano, Nelson Gomes Júnior. Ele se mostrou ciente das prisões dos empreiteiros, mas negou ter conhecimento de algo mais. Em relação a uma suposta participação de servidor público no favorecimento dos empreiteiros, Nelsinho, como é conhecido, também disse desconhecer. “Tá em averiguação e se eventualmente ocorreu, todas as penalidades serão adotadas, mas desconheço qualquer fato desse tipo envolvendo servidor”, disse.

Novo partido

Na quarta-feira (05) o prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro (DEM), deve se reunir com o deputado federal, Fábio Schiochet (PSL). A pauta será a fusão de seus partidos e a presidência estadual. Eles definirão no encontro quem comandará a nova agremiação em Santa Catarina, embora, a tendência é que seja Loureiro, já que a prioridade para o comando nos estados será dos pré-candidatos à majoritária. Vale lembrar que, conforme divulguei em primeira mão, o anúncio oficial da criação do novo partido será no próximo dia 21.

Interesse

Após eu ter divulgado a criação do novo partido via fusão entre o PSL e o DEM, inúmeras lideranças demonstraram interesse em se unir à nova agremiação. Em novembro deve abrir a janela para a transferência e, os vereadores que desejarem se filiar, não correrão o risco de perder o mandato por infidelidade partidária, pois será um novo partido. Para o comando da sigla nos municípios, a prioridade será dada a quem tem mandato. O ex-prefeito de Criciúma, Márcio Búrigo, já demonstrou interesse em se filiar ao novo partido.

Pela terceira via

Uma das maiores lideranças do Democratas em Santa Catarina, Paulo Gouveia, entrou em contato para informar que, ACM Neto, pré-candidato ao Governo da Bahia, tem defendido uma terceira via, não um apoio ao presidente da República Jair Bolsonaro (sem partido).

Ficarão com Moisés

Alguns prefeitos do PSL já se manifestaram que ficarão com o governador, Carlos Moisés da Silva (sem partido), portanto, se filiarão no mesmo partido que ele for. Informação preliminar indica que Moisés estaria muito próximo do Republicanos.

Indecisão de Dário

Fontes próximas ao senador, Dário Berger (MDB), entendem que a demora na tomada de decisão sobre o seu futuro, poderá atrapalhá-lo. Lideranças defendem um projeto de centro-esquerda, no qual, o senador seria o protagonista como candidato ao Governo do Estado.

Tucanos divididos

Ficou tenso o clima no PSDB catarinense, após a visita de uma comitiva do partido ao governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite. Ele disputará as prévias que definirão o candidato tucano à Presidência da República, com o governador de São Paulo, João Dória. Outros nomes estão na disputa, porém, Dória e Leite são considerados os principais. Os “Doristas” reclamam de uma movimentação dos apoiadores de Leite, para que seja fechada a questão em favor do gaúcho. Essa situação gerou reações contrárias de lideranças como o presidente da Federação Catarinense de Municípios (Fecam), Clenilton Pereira, prefeito de Araquari; dos ex-senadores, Dalírio Beber e Paulo Bauer; do secretário de Turismo de São Paulo, o catarinense Vinícius Lummertz, entre outros.

O que fará Jorginho?

Nos bastidores de Brasília é dito que o presidente nacional do Partido Liberal, Valdemar da Costa Neto, analisa um possível afastamento do presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido). Se realmente ele se afastar, a pergunta será: o que fará o senador Jorginho Mello (PL), que se tornou um dos parlamentares mais fiéis ao presidente?!

Daniela de olho

A vice-governadora Daniela Reinehr (sem partido) está de olho no comando do Patriotas em Santa Catarina. Daniela quer construir um projeto que a mantenha na política, tanto, que para isso tentará uma vaga à Assembleia Legislativa. Vale lembrar que neste caso, Daniela não precisará renunciar, mas também não poderá assumir o cargo de governadora, no caso de Carlos Moisés da Silva (sem partido) ter que se afastar. Como ele provavelmente disputará a reeleição, pode ser que sobre para o futuro presidente da Assembleia Legislativa, Moacir Sopelsa (MDB), a responsabilidade de substituí-lo em algumas oportunidades.

PIB catarinense

Santa Catarina, já consolidada a segunda economia mais competitiva do país, alcançou um dos melhores índices da história do estado, balizado pelo Produto Interno Bruto estadual, que passou de um crescimento de 2.9% para 9% nos doze meses encerrados em junho. Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), apontam que o PIB brasileiro passou de uma retração de 3,8% em 12 meses até março, em relação ao mesmo período anterior, para um crescimento de 1,8%, na mesma comparação até junho. Com isso, Santa Catarina ocupa uma das melhores posições de crescimento econômico no cenário nacional.

Para receber a coluna via WhatsApp, favor enviar mensagem com o seu nome e cidade e salvar o número: 49 98504.8148. Faça parte da lista de transmissão do site que todo mundo lê.

Agora estamos nas redes sociais. Segue lá!   Instagram: @scempauta   Twitter:  @scempauta   https://www.facebook.com/scempauta