...
Adilson Barroso Alesc bancada Eron Giordani Fábio Schiochet Jair Bolsonaro Jair Miotto João Rodrigues Jorginho Mello Kennedy Nunes Mauricio Eskudlark MDB Narcizo Parisotto Patriota Reforma da Previdência Sargento Lima Thiago Vieira

Previdência: Governo deve conversar com as categorias; Bancada do MDB poderá pedir o adiamento das prévias; Bolsonaro poderá adotar a neutralidade em SC entre outros destaques

Para seguir recebendo a coluna via WhatsApp, favor salvar o número: 49 98504.8148. Para quem ainda não recebe, favor enviar mensagem para o mesmo número.   FAZER JORNALISMO COM INDEPENDÊNCIA CUSTA CARO. ANUNCIE NO SCEMPAUTA E APOIE A CONTINUIDADE DE NOSSO TRABALHO!

Ontem o Governo do Estado seguiu com as conversas na Assembleia Legislativa em busca de apoio ao projeto da reforma da Previdência. Mais uma vez o chefe da Casa Civil, Eron Giordani, e representantes do Instituto de Previdência do Estado de Santa Catarina (Iprev), apresentaram números às bancadas que balizam a proposta que será enviada ao parlamento no próximo mês.

No encontro com os deputados do Partido dos Trabalhadores, talvez uma das bancadas mais sensíveis ao tema da previdência, os representantes do Governo ouviram contestações ao déficit que hoje está estimado em R$ 4,8 bilhões anuais. De acordo com os petistas, há uma outra forma de cálculo que foi feita pelos sindicatos que reduzem o valor. Já o governo alega que o déficit apresentado é baseado em estudos elaborados por técnicos. Além disso, foi feito um pedido para que as categorias sejam ouvidas o que foi prontamente aceito por Giordani.

Já no encontro com a bancada do PL, primeiro uma surpresa. O deputado Sargento Lima, que é oposição ao governo Moisés, anunciou o seu apoio à reforma. Já o deputado Maurício Eskudlark assumiu a discussão em favor dos delegados, agentes da Polícia Civil, do IGP e do sistema prisional. Ele pediu para que a categoria não sofra um forte impacto.

O chefe da Casa Civil argumentou que o valor do déficit previdenciário tem reduzido o poder do Estado de realizar mais investimentos, sobretudo em infraestrutura. Ao todo são R$ 400 milhões mensais que saem dos cofres públicos, o que supera o gasto em rodovias.

Eskudlark respondeu que a polícia não é a responsável pela situação da Previdência, destacando que 52% da categoria que está na ativa, entrou no período entre 2004 e 2016 e, que desde então, seguem contribuindo. O parlamentar argumentou que é possível discutir uma alternativa, como um aumento na alíquota que não afete consideravelmente os policiais, ou algum pedágio e, para quem está próximo de se aposentar que passe por uma transição sem ter que depender da nova faixa de idade.

Conversei com alguns parlamentares que me disseram que é possível que a tramitação não seja lenta, mas querem que a discussão seja ampliada para que o projeto chegue para ser votado consensuado.

Atenderá a todos

Após ter constrangido um de seus maiores aliados, o senador Jorginho Mello (PL), o presidente da República Jair Bolsonaro (sem partido) buscou apagar a situação e confirmou a participação no evento com motociclistas e empresários em Florianópolis no dia 14 de agosto. Jorginho tem se dedicado a fazer a defesa do governo na CPI da Covid e Bolsonaro sabe, que não pode abrir mão do catarinense. Por outro lado, não esconde que gosta do prefeito de Chapecó, João Rodrigues (PSD), e a cada gesto que faz em direção ao pessedista, o coloca no cenário eleitoral ao Governo do Estado. O fato é que durante o pleito do próximo ano, salvo em locais onde tenha apenas um candidato bolsonarista, o presidente não se arriscará a perder voto e adotará a neutralidade para agradar a todos.

Então, qual o efeito?

O efeito Bolsonaro servirá para alçar o senador Jorginho Mello (PL) e o prefeito de Chapecó João Rodrigues (PSD), a uma condição diferenciada no pleito do próximo ano junto ao eleitorado de direita e extrema-direita. De resto, caberá a eles, caso realmente disputem, construir uma aliança com musculatura para tentar conquistar o Estado, já que o presidente Jair Bolsonaro não tomará partido.

Deputados e as prévias do MDB

Mais uma reviravolta dentro da bancada estadual do MDB em relação a prévia, que definirá o nome do partido que disputará o Governo do Estado. O assunto estava na pauta do almoço da bancada nesta semana, porém, a presença do chefe da Casa Civil, Eron Giordani, que foi apresentar os números que servirão como base para a reforma da Previdência, adiou a conversa. Uma fonte relatou que a bancada que tem a liderança do deputado Valdir Cobalchini, volta a pensar em sugerir o adiamento da prévia agendada para o dia 15 de agosto. Parlamentares já começam a defender que a prévia, que envolverá um grande número de pessoas, só poderá ser realizada após a imunização da população que deve ocorrer até o final do ano.

Questão política

Fontes ligadas a bancada do MDB na Assembleia Legislativa fizeram questão de deixar claro, que a pandemia não é o único fator que motiva um possível pedido de adiamento da prévia. Segundo um dos parlamentares com quem conversei, há um clima político pesado dentro do partido, muito motivado pela disputa interna pela vaga de candidato a governador. “Alguém tem que ajudar a acalmar”, afirmou. Já outro deputado me disse que cabe a bancada exercer o seu papel de liderança entre os emedebistas, tanto, que na próxima semana deve pedir uma reunião com o diretório para tornar claro o posicionamento do grupo. Antes disso, até a próxima terça-feira a bancada se reunirá para discutir o assunto e definir uma proposta.

Força, segundo a bancada

Também em conversa com alguns deputados estaduais do MDB, soube que para eles o deputado federal Celso Maldaner deve aparecer com força nas prévias. O relato é que Maldaner visitou as bases, enquanto o senador Dário Berger não se movimentou como devia. Já em relação ao prefeito de Jaraguá do Sul, Antídio Lunelli, a avaliação é que aos poucos ele tem apresentado crescimento junto as bases. “Mas ainda precisa se tornar mais conhecido”, disse uma das lideranças.

Patriota

Ontem à noite conversei rapidamente com o presidente nacional do Patriota, Adilson Barroso, sobre o futuro do partido em Santa Catarina. Ele respondeu que ainda não estão discutindo o assunto, pois aguardam pela filiação do presidente da República, Jair Bolsonaro. “Só depois que vamos resolver os estados, esse é o acordo”, informou Barroso. Ele também adiantou que nesta próxima semana se reunirá com Bolsonaro, para provavelmente definir a data da filiação. “Vou estar com ele na semana que vem para falarmos, eu tive que viajar hoje e não pude ficar, por isso, ficou acertado que na quarta ou quinta da semana que vem falaremos, sem pressa”, afirmou.

Parisotto no páreo

Ontem à noite o PSC estadual realizou em Florianópolis um evento de posse das novas executivas estadual e municipais. A presidência segue sendo do ex-deputado estadual por seis mandatos, Narcizo Parisotto. A novidade é que ele está de volta ao cenário, novamente como pré-candidato a deputado estadual. O projeto de Parisotto, que é uma das maiores lideranças evangélicas de Santa Catarina, poderá gerar uma disputa com o seu herdeiro político, o deputado Jair Miotto (PSC). A informação nos bastidores é de que há um distanciamento entre Parisotto e Miotto, em suma, já não há a mesma relação de antes.

Filiação de Kennedy

Hoje a partir das 19h o deputado estadual Kennedy Nunes se filiará oficialmente ao PTB. Ele é um dos nomes escolhidos pelo partido, para o projeto de eleger pelo menos 10 senadores que defendem pautas conservadoras. O evento será online. “Começamos uma nova missão em um partido que tem em suas diretrizes estatutárias, as bandeiras que há tantos anos defendemos: vida, família e combate à corrupção. Uma nova história Deus tem pra mim”, escreveu Kennedy em uma rede social.

Não tem as bases

Uma fonte tucana relatou que atualmente o ex-deputado estadual, Gelson Merisio, tem o apoio das principais lideranças estaduais do PSDB, para o seu projeto de disputar o Governo do Estado. Acontece que segundo a fonte, Merisio ainda é visto com ressalvas pelas bases do partido. “Ele terá que gastar bastante sola de sapato para conquistar o apoio das bases. Hoje, ele não conta com esse apoio”, afirmou.

Schiochet X Governo Moisés

Ontem o deputado federal Fábio Schiochet (PSL) gravou um vídeo ao lado do presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido). Na gravação o parlamentar convida o presidente para a inauguração das obras de duplicação da BR-280, entre Jaraguá do Sul e Guaramirim. O vídeo gerou reações no Governo do Estado, pois a obra em questão está sendo realizada em um trecho que foi estadualizado, ou seja, não tem dinheiro federal. O secretário de Infraestrutura do Estado, tenente-coronel Thiago Vieira, se disse surpreso com o vídeo. Ele explicou que são R$ 160 milhões aplicados pelo Estado. “Nesse trecho já finalizamos a duplicação, estamos terminando o elevado com a SC-108 de Guaramirim e, demos a ordem de serviço para terminar as obras de artes como viadutos e pontes”, explicou.

União não repassa

O secretário de Infraestrutura do Estado, tenente-coronel Thiago Vieira, disse ainda que há quatro meses o Governo Federal ficou de repassar os R$ 50 milhões para as desapropriações, mas que não deposita o valor na conta do Estado. Segundo ele, a alegação para o não repasse, é que o novo traçado da BR-280 que ficará com o Governo Federal não contempla o trecho estadualizado. “Eles alegam que não voltará para a União”, explicou Vieira.

Potencialidades de BC

O prefeito de Balneário Camboriú, Fabrício Oliveira (Podemos), apresentou ontem a empresários de Florianópolis obras e projetos em desenvolvimento em seu município, entre as quais, a megaobra de recuperação da Praia Central, ora em andamento, que levará a capital catarinense do turismo a se destacar nacional e internacionalmente. Chamou a atenção dos empresários no encontro, a experiência de participação da iniciativa privada na concretização de grandes obras como a da recuperação da praia, cujo projeto foi ofertado ao município pelo Instituto “+ BC”, uma OSCIP formada por grupo de empresários da cidade. O modelo despertou o interesse dos empresários presentes à reunião. Fabrício falou ainda de obras estruturantes e novas atrações que preparam a Dubai Catarinense para a retomada pós-pandemia.

Indignação  

Alguns prefeitos ficaram indignados com a deputada Ana Caroline Campagnolo (PSL), e com os deputados Bruno Souza (Novo) e Sargento Lima (PL). O trio pediu vistas do projeto que seria votado ontem na Comissão de Finanças, que iria agilizar o repasse de verbas do Governo do Estado para os municípios. Se não houvesse o pedido, a alteração da Constituição Estadual poderia já ter sido votada em Plenário. Com o pedido, os prefeitos ainda vão ter que esperar a nova votação e a regulamentação da lei.

Investimento

O Governo do Estado acelerou a liberação de licenças ambientais, que garantem a aplicação de R$ 442 milhões para modernização e ampliação, da unidade da Seara Alimentos em Itaiópolis e da unidade biodiesel em Mafra. Ontem o secretário de Estado da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural, Altair Silva, esteve nos municípios para a entrega da licença ambiental prévia aos diretores e executivos da empresa JBS.

Comércio

As vendas para o dia dos namorados deste ano no comércio catarinense registraram um aumento de 2,8% em relação ao mesmo período do ano passado. O cálculo da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas de Santa Catarina (FCDL/SC) foi realizado com base nos dados de crediário do SPC. O número confirma o levantamento prévio que indicava o otimismo pela maior parte, 61,5%, dos empresários entrevistados. Depois do Natal e do dia das mães, o dia dos namorados é a comemoração que mais movimenta o varejo. Entre os itens mais procurados para a tradicional data, estiveram na preferência as roupas, calçados, perfumes e flores.

ATENÇÃO!!

Devido a um problema de memória do telefone, alguns contatos de pessoas que pediram para receber a coluna e demais informações foram perdidos. Se você pediu para receber via WhatsApp, mas não está recebendo, favor informar novamente o número. Obrigado!

Para seguir recebendo a coluna via WhatsApp, favor salvar o número: 49 98504.8148. Para quem ainda não recebe, favor enviar mensagem para o mesmo número.   FAZER JORNALISMO COM INDEPENDÊNCIA CUSTA CARO. ANUNCIE NO SCEMPAUTA E APOIE A CONTINUIDADE DE NOSSO TRABALHO!