...
Adilson Barroso Oliveira Alesc Eduardo Braga Filipe Mello Flávio Bolsonaro Jair Bolsonaro João Amin Jorginho Mello Lírio Parisotto Mauro De Nadal Ovasco Resende Patriota SEI Vanderson Soares Vicente Caropreso

Jorginho Mello comandará o Patriota em SC; Contas do Governo serão julgadas hoje; Acionista da Celesc é denunciado ao CVM entre outros destaques

Para seguir recebendo a coluna via WhatsApp, favor salvar o número: 49 98504.8148. Para quem ainda não recebe, favor enviar mensagem para o mesmo número.   FAZER JORNALISMO COM INDEPENDÊNCIA CUSTA CARO. ANUNCIE NO SCEMPAUTA E APOIE A CONTINUIDADE DE NOSSO TRABALHO!

O Patriota, futuro partido do presidente da República, Jair Bolsonaro, passa por um momento de turbulência na sua executiva nacional, que reflete em Santa Catarina. Parte das lideranças, incluindo o vice-presidente nacional, Ovasco Resende, se rebelou contra a convenção convocada pelo presidente nacional, Adilson Barroso Oliveira, para garantir a filiação de Bolsonaro e de seu filho, o senador Flávio Bolsonaro, que, aliás, já assinou a sua ficha.

Mas voltando a Santa Catarina, o presidente estadual até a semana passada, Vanderson Soares, foi apenas comunicado da baixa da executiva que deixou de existir do dia para a noite. Mesmo não oficialmente, ele me disse que segue organizando o partido e que aguarda uma decisão judicial para voltar ao comando. Acontece que Soares não foi informado, mas a definição do próximo presidente do Patriota catarinense deverá ser feita em outro partido, no caso, o PL.

Acontece que o senador Jorginho Mello seguirá no Partido Liberal, mas terá o controle do Patriota catarinense. Tudo já estaria acertado com Flávio Bolsonaro, que em nome da família do presidente da República, ajudará na formação de uma aliança, conforme eu já havia adiantado, conservadora liberal. A presidência do partido no estado deverá ficar nas mãos do filho de Jorginho, o advogado Filipe Mello.  

Já quanto a força do Patriota catarinense, dependerá das contas que lideranças como os deputados federais, Caroline de Toni e Daniel Freitas, ambos no PSL, farão, afinal, um partido sem muita representação no Congresso Nacional, não terá uma grande estrutura, tanto do Fundo Partidário, como de tempo no rádio e TV. No caso, não bastará a filiação de Bolsonaro, o que contará é as condições que eles terão.

O senador deixou as portas abertas, tanto para De Toni, quanto para Freitas, seja no PL ou no Patriota. Somente após as definições que ocorrerão na próxima janela partidária, é que ficará claro se o Patriota entrará no próximo pleito, com nomes de expressão no estado, ou apenas contará com a força do presidente Jair Bolsonaro para catapultar a candidatura de Jorginho Mello.

Indecisão

Em meio a defesa e insatisfação em relação as prévias do MDB, o tempo passa e o dia 15 de agosto se aproxima. A bancada estadual defende o adiamento, teria força para levantar um movimento em prol da mudança de data, mas pelo entendimento dos parlamentares durante o almoço da bancada realizado ontem, não é o momento para conflito. Mesmo assim, a situação da pandemia será acompanhada de perto e, caso haja uma piora, aí sim, haverá um argumento plausível para pedir o adiamento. O fato é que o assunto há algum tempo tem sido abordado por todos os integrantes da bancada, que também temem um racha após o resultado da prévia. “Quanto aos desentendimentos na política é normal, a preocupação é de evitar um racha”, destacou um parlamentar que participou do almoço.

Julgamento das contas

Hoje o Tribunal de Contas do Estado se reúne para sessão às 14h. Em pauta as contas do governo de Carlos Moisés da Silva (PSL). A expectativa no Centro Administrativo, é de aprovação unânime. O relator é o conselheiro Luiz Roberto Herbst.

É para segurar

Mesmo com as pesquisas de valores, realizadas nas últimas semanas, indicando aumento do Preço Médio Ponderado ao Consumidor Final (PMPF) para a gasolina em Santa Catarina, o governador Carlos Moisés da Silva (PSL) determinou máximo esforço à Fazenda para manter o percentual abaixo do mercado, convalidado no Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) ainda em abril, durante o governo interino. O ICMS da gasolina no Brasil varia de 25% a 34%, sendo que aqui no estado tem o menor percentual, que é de 25%. O Governo garante que, mesmo que haja reajuste, vai manter o PMPF abaixo da média encontrada nos postos de combustíveis, para não incentivar o aumento desenfreado, como ocorreu há poucos meses na interinidade de Daniela Reinehr (sem partido).

Parceria

Ontem após a Assembleia Legislativa derrubar por unanimidade o veto de Daniela Reinehr (sem partido) ao uso de recursos do Estado nas rodovias federais, BR-470, BR-163 e BR-280, o governador Carlos Moisés da Silva (PSL) fez uma postagem no Twitter agradecendo os parlamentares. “É esse tipo de união de esforços que a população catarinense espera de nós. Agora, vamos tratar com o DNIT e o sempre competente ministro @tarcisiogdf  para a efetivação da parceria. Vamos avançar (sic) ”, escreveu Moisés. O ministro Tarcísio de Freitas, logo após, retuitou a postagem: “Sensacional, governador. Fico honrado pelo gesto de confiança que o estado de Santa Catarina está nos dando. Temos agora o compromisso de dar o retorno esperado em obras e mais infra aos catarinenses. Agradecemos essa parceria”, respondeu. Vale dizer que Moisés terá que cobrar de Freitas o cumprimento da promessa, dado o corte de recursos para a infraestrutura do estado.

Comparou

O deputado estadual Mauricio Eskudlark (PL) disse ontem durante a sessão da Assembleia Legislativa, que os projetos para liberação do dinheiro estadual para as rodovias federais, são, na atualidade, os mais importantes para Santa Catarina. Ele criticou o pouco retorno que o Estado tem em função da quantidade de impostos que repassa para a União. “Rio Grande do Sul tem R$ 1 bilhão em obras federais e Santa Catarina não chega a 200 milhões”, reclamou. Fernando Krelling (MDB) foi outro a criticar. “Temos que chamar a atenção do Governo Federal, que vai reduzir recursos que vão fomentar a economia de Santa Catarina”, afirmou.

Crime cibernético

Mais um fato lamentável nas redes sociais. Foi criado um perfil apócrifo que foi usado para ofender o deputado estadual, João Amin (Progressistas) e a sua família. Amin disse que vai fazer um BO. “Vou até as últimas vias para tentar descobrir quem foi. E se a justiça entender que não é algo grave, que a justiça divina se encarregue de julgar o ato”, me disse. O parlamentar começou a ser atacado após pedir vistas para analisar o veto a investimento com dinheiro do Estado em rodovias federais.

Entidades cobram reposição

Os representantes das entidades da Segurança Pública em Santa Catarina realizaram uma reunião ontem, ávidos por uma resposta do Governo do Estado que contemple os mais de sete anos sem reposição da inflação em seus salários. Conduzido pelo coronel Sérgio Luís Sell, presidente da ACORS, o encontro mobilizou civis e militares que estão à frente da ACORS, ABVO, Elói Mendes, APRASC, ABERSSESC, ACSPBMSC, Alvorada e ASSCBMSC, que congregam policiais militares e bombeiros militares. Também participaram representantes da ADEPOL e SINPOL, AEPOL, AGEPOL e APSIPOL, da polícia civil, e o SINPOSC, APPASC e ASPOSC, do Instituto Geral de Perícias. Nos últimos dias, as entidades representativas dos militares estaduais foram recebidas pelo secretário de Estado da Administração, coronel Jorge Eduardo Tasca, pelos comandantes-gerais, coronel Dionei Tonet, da Polícia Militar, e coronel Charles Alexandre Vieira, do Corpo de Bombeiros Militar. Hoje acontece um novo encontro, quando será apresentada uma proposta de reposição.

Parisotto é denunciado

Lírio abraçado a Eduardo Braga

O maior acionista da Celesc, o empresário Lírio Parisotto, foi alvo de denúncia de deputados federais à Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Segundo os denunciantes, ele teria recebido informações privilegiadas da privatização da estatal através de seu amigo, o senador Eduardo Braga (MDB), um dos maiores defensores da privatização e, que, inclusive, deve ser o relator no Senado. Tanto o parlamentar, quanto Parisotto negam a acusação. O empresário chegou a ser suplente de Braga entre 2010 e 2018.

Sem papel

A Assembleia Legislativa oficializou ontem, com a assinatura do primeiro documento online pelo presidente da Casa, deputado Mauro de Nadal (MDB), a implantação do Sistema Eletrônico de Informações (SEI), que irá dispensar o uso de papel na tramitação de todos os documentos, expedientes e processos administrativos em tramitação. Durante o evento, realizado no começo da sessão ordinária, De Nadal anunciou que o próximo passo é transformar os atos legislativos, como a tramitação de projetos de leis nas comissões, em sistema digital.

Parabenizou a imprensa

O deputado estadual Vicente Caropreso (PSDB) destacou ontem a passagem do Dia da Imprensa. O parlamentar defendeu o trabalho dos jornalistas para garantir o acesso à informação pela população. Ele também criticou os ataques a profissionais de comunicação e condenou a prática de disseminação de informações falsas, as fake news, nas redes sociais. O deputado lamentou que grande parte dos ataques a imprensa estejam sendo motivados e estimulados por ocupante de cargo eletivo. “Autoridades eleitas democraticamente, pessoas Brasil afora que usam os holofotes do cargo para instigar ódio a jornalistas pelo simples fato de noticiarem fatos que desagradam. Isso não é republicano. Isso é censura! É violência. A imprensa livre é peça fundamental para a democracia e para o processo de deliberação, do debate público e de fiscalização do Estado”, bem disse Caropreso.

Competividade

Ao destacar que outros seis estados brasileiros também conquistaram o certificado de Área Livre de Febre Aftosa sem Vacinação, conferido pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), o ex-governador Raimundo Colombo (PSD) afirma que este é o momento de o Governo do Estado trabalhar de forma diferenciada para ampliar as conquistas obtidas até agora, fruto da união histórica de esforços do governo e o setor privado. Considera importante se evitar o vaivém de impostos e mudanças jurídicas que espantam investidores e ampliar mercados construindo novos diferenciais competitivos, começando com liderança em sustentabilidade e respeito ao bem-estar animal. “É preciso mostrar que a nossa produção é qualificada e marcar, cada vez mais, presença no Exterior. Os catarinenses não podem pagar a conta por omissão do Governo”, ressalta Colombo.

ATENÇÃO!!

Devido a um problema de memória do telefone, alguns contatos de pessoas que pediram para receber a coluna e demais informações foram perdidos. Se você pediu para receber via WhatsApp, mas não está recebendo, favor informar novamente o número. Obrigado!

Para seguir recebendo a coluna via WhatsApp, favor salvar o número: 49 98504.8148. Para quem ainda não recebe, favor enviar mensagem para o mesmo número.   FAZER JORNALISMO COM INDEPENDÊNCIA CUSTA CARO. ANUNCIE NO SCEMPAUTA E APOIE A CONTINUIDADE DE NOSSO TRABALHO!