...
Ana Caroline Campagnolo Carlos Moisés da Silva Carmen Zanotto Daniela Reinehr Eclésio Silva Gean Loureiro Joinville Multilog Sesi

O desprestígio de Daniela; Mudança nas áreas de APP vai impactar em SC; Tem estreia no SCemPauta; Florianópolis economiza na coleta de lixo entre outros destaques

Para seguir recebendo a coluna via WhatsApp, favor salvar o número: 49 98504.8148. Para quem ainda não recebe, favor enviar mensagem para o mesmo número.   FAZER JORNALISMO COM INDEPENDÊNCIA CUSTA CARO. ASSINE O SCEMPAUTA E APOIE A CONTINUIDADE DE NOSSO TRABALHO!

A cada dia que passa, fico mais grato ainda a vocês, caros leitores, por acompanhar o nosso trabalho. Diariamente, são inúmeros os pedidos vindos de todas as regiões para receber as informações do SCemPauta. Se por um lado, temos muito a agradecer, por outro, devemos admitir que algumas pessoas podem estar em desacordo com o nosso trabalho. Saibam que vemos isso com total naturalidade.

Ontem recebi a mensagem de uma, agora, ex-leitora. Escreveu que notou uma mudança ideológica em meu trabalho, com direito a gosto e desgosto por esse ou aquele político, segundo ela. Ainda lembrou em seu texto, com toda razão, que o meu público é formado por pessoas muito bem instruídas, de fato, quem segue o SCemPauta é pelo fato de não se contentar com qualquer coisa. É um público crítico, inteligente, por isso mesmo entende o nosso trabalho e, de outros colegas que também atuam em seus espaços com a mesma seriedade.

Essa manifestação da cara ex-leitora, é muito importante por me oportunizar mais uma vez, deixar bem clara a seguinte questão: não busco com o meu trabalho, agradar ou desagradar a ninguém. Quem deseja agradar a todos acaba faltando com a verdade e, entre o agradar e divulgar o que é fato, o que é verdade, prefiro a segunda e terceira opção por respeito a vocês. Por isso, acredito que aqui não seja o espaço para essa pessoa, pois, não poderei entregar o que ela deseja, que é o agradar. Quando ela quiser apenas a verdade, acredito que desejará voltar.

Enquanto lia o que ela escreveu, lembrava ao mesmo tempo, das críticas que fiz ao governador afastado, Carlos Moisés da Silva (PSL). Algumas pessoas me acusaram de perseguição e depois, com o tempo, mudaram de opinião. Agora, quando sigo na mesma linha, escrevendo as informações em cima dos fatos e, por isso mesmo, critico a governadora interina Daniela Reinehr (sem partido), algumas pessoas dizem que mudei e que estou a favor de Moisés. Ledo engano de quem pensa assim.

As críticas que fiz a Moisés, foram motivadas por fatos, por erros que apontei e apontaria tudo novamente se voltassem a acontecer. Ele voltando ao cargo, seguirá sendo criticado quando errar, assim como, divulgarei da mesma forma quando acertar, o que, aliás, eu já fiz algumas vezes. E isso vale para Daniela também, afinal, ela é passível de crítica sim, quem não o faz é por puro interesse. Aqui ninguém bajulará divulgando pesquisas sem vergonhas e, nem análises ou informações encomendadas por puro mercantilismo.

Dito isso, reforço as minhas críticas a Daniela Reinehr. Eu quero saber qual a pessoa de bom senso, que aprova as loucuras que ela tem feito, em obediência serviçal a quem a tem como uma marionete, papel, que aliás, ela aceita para simplesmente gozar das benesses do poder.

Daniela perdeu o freio moral, a noção do limite e do respeito ao Estado. Ao invés de aguardar o fim do processo de impeachment e, se ficar, aí sim fazer as mudanças necessárias, mas, não, ela segue nomeando sem pensar que isso pode afetar o Estado negativamente. Não respeita o bom senso e tão pouco o setor produtivo que pediu em nota, que houvesse poucas mudanças, mas, ao contrário do apelo, ao apagar das luzes de sua interinidade, nomeia mais dois nomes para uma secretaria de extrema importância para a economia do estado.

Essa interinidade está fazendo mal para Santa Catarina. É o poder pelo poder, é o casamento da sede de Daniela pelo poder – sem ter condições para isso – com projetos eleitorais para o próximo ano. Não querer enxergar isso, é fugir da realidade.

Estratégia

Fontes próximas ao Governo do Estado, relataram que as novas nomeações foram arquitetadas para manter a motivação de quem ainda defende a interina Daniela Reinehr (sem partido). No entendimento de quem comanda boa parte das movimentações que ela faz, nomear mais pessoas, próximo ao julgamento do processo de impeachment, dá a impressão de que ela teria o sétimo voto e a certeza de que ficará à frente do governo. É o vale-tudo!

Desprestígio

Em Blumenau, a assessoria da interina Daniela Reinehr (sem partido) convidou 28 prefeitos, mas apenas três compareceram. Em Chapecó, sua região, a equipe de assessores de Daniela era superior ao número de presentes conforme mostra a foto. O prefeito João Rodrigues (PSD) a ignorou olimpicamente.

Made in Brasília

Ana Blasi virou alvo da teoria da conspiração

Colegas e assessores que atuam em Brasília relataram o despreparo de Daniela Reinehr (sem partido). A governadora interina perambulou por gabinetes sem contato prévio.  As visitas tinham uma pauta única: apoio a favor do impeachment do governador Carlos Moisés da Silva (PSL). A paranoia que beira o desespero coloca a equipe de Daniela a desconfiar até de seus novos secretários. Ana Blasi, secretária de Administração, e Rogério Macanhão, secretário da Fazenda, são uns dos alvos do Gabinete de Daniela.

Economia em Florianópolis

Desde o dia 2 de fevereiro a região continental de Florianópolis passou a ter a coleta de lixo convencional, realizada por uma empresa contratada pela Prefeitura. Em três meses de atuação, foram economizados R$ 1,980 milhão em relação à coleta da Comcap. O custo mensal para a empresa terceirizada realizar a coleta é de R$ 450 mil, enquanto a coleta da autarquia custava na mesma área, mensalmente, R$ 1,110 milhão. Este valor equivale a 60,5% de economia, sem contar a contenção do crescimento geométrico da folha da autarquia antes da reforma. O prefeito Gean Loureiro (DEM) anunciou que através da economia, os recursos gerados vão para a instalação de mais quatro Ecopontos na cidade.

Áreas de APP

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu que o Código Florestal Brasileiro deverá ser utilizado para definir o afastamento mínimo das construções às margens de rios, córregos e cursos d´água nos perímetros urbanos das cidades brasileiras. A decisão se sobrepõe à Lei de Parcelamento de Solo, que define o limite de 15 metros, e passa a exigir um limite que vai dos 30 aos 500 metros de área preservada, conforme a extensão do rio. O deputado federal Rogério Peninha (MDB) avalia como “injusta” a limitação. Ele é autor do Projeto de Lei que pretende derrubar a decisão e amparar os municípios legalmente, para que possam definir os limites de Área de Preservação (APP) conforme sua realidade.

Emprego em Joinville

Joinville registrou números positivos de empregos formais. De acordo com levantamento do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Novo Caged), nos meses de janeiro e fevereiro deste ano, o município teve 25.448 admissões e 20.540 desligamentos, com saldo de 4.908 novas vagas ocupadas no período. O desempenho supera o registrado nos mesmos meses de 2020, antes da pandemia, quando Joinville obteve 28.239 admissões, mas o número de desligamentos foi de 27.183, com saldo de 1.056 novas vagas ocupadas.

Municipalização do SESI

Entre os requerimentos aprovados pelos vereadores de Blumenau, está o de autoria do presidente Egídio Beckhauser (Republicanos), que constitui Comissão Temporária Especial para acompanhar o processo de municipalização do Centro Esportivo Bernardo Werner, o SESI. De acordo com o requerimento, a Comissão deverá ser formada por 5 membros com assento na Casa, com prazo de duração de 90 dias.

Reforma da previdência

Pauta importante para o Estado e para as contas públicas, na interinidade de Daniela Reinehr (sem partido), a reforma da previdência não caminhou em suas mãos. Na Assembleia Legislativa, essa é considerada uma das principais pautas para ser votada ainda no primeiro semestre.

Pressa

Na bancada federal há um certo desconforto entre os parlamentares de Santa Catarina. A informação é de que todas as emendas da saúde de Carmen Zanotto, enquanto deputada, foram encaminhadas ou pagas. Verificando com uma fonte, Carmen fez o prosseguimento para suas emendas, para as do senador Jorginho Mello (PL), e as dos deputados federais Darci de Matos (PSD) e Rodrigo Coelho (Podemos). A reclamação dos demais ecoa nos bastidores.

Reunião sobre a LOA

O deputado estadual João Amin (Progressistas) promoverá na próxima segunda-feira (3), uma reunião ordinária ampliada para tratar dos vetos do Governo Federal na Lei Orçamentária Anual (LOA) de 2021, que vão impactar em perdas superiores a R$ 152 milhões para Santa Catarina. O encontro acontece no âmbito da Comissão de Transportes e Desenvolvimento Urbano, presidida pelo parlamentar, e será realizado no plenário da Alesc, a partir das 14h. A reunião contará com a presença do presidente da Comissão de Serviços de Infraestrutura do Senado, Dário Berger, do presidente da Comissão de Viação e Transportes da Câmara Federal, Carlos Chiodini e da coordenadora do Fórum Parlamentar Catarinense, Ângela Amin. Representantes da Secretaria de Estado da Infraestrutura, Secretaria de Estado da Fazenda, FIESC e PGE também vão participar do evento.

Perdas

Além do setor de infraestrutura, os vetos do Governo Federal vão afetar também os investimentos na Universidade Federal de Santa Catarina, Universidade da Fronteira Sul, Instituto Federal de Santa Catarina, assistência social, aquisição de máquinas, pesquisa e inovação, educação profissional, recuperação ambiental e saúde.

Estreia no SCemPauta

Hoje uma das maiores autoridades em comércio exterior estreará a sua coluna semanal no SCemPauta. Eclésio da Silva é advogado, sócio do Escritório de Advocacia Silva & Barella Advogados Associados; Diretor Executivo do Sindicato das Agências de Navegação Marítima do estado de SC (SINDASC); ex-Presidente da Associação Empresarial de Itajaí, no período de 2014 à 2017; ex-Professor Universitário na Univali, de 2003/2015, Titular da Cadeira de Transportes e Seguros da Faculdade de Comércio Exterior; ex-Diretor da Diretoria de Transportes Aquaviários da Confederação Nacional dos Transportes-CNT entre outros atividades.

Ensino domiciliar

A pauta do homeschooling, ou ensino domiciliar, como também é conhecida, será debatida nos próximos dias na Alesc por uma Comissão Mista que contará com cinco membros, dentre eles, a deputada estadual Ana Caroline Campagnolo (PSL). Eles terão 60 dias para analisar o projeto de lei complementar, que regulamenta o ensino domiciliar. O requerimento, de autoria de Campagnolo, foi aprovado por unanimidade durante reunião da Comissão de Educação realizada na última quarta-feira (28). O projeto de autoria do deputado Bruno Souza (NOVO), visa incluir na legislação estadual a previsão da educação domiciliar, modalidade na qual os próprios pais ficam encarregados de prover o ensino dos filhos, que ficam desobrigados de comparecer à escola.

ATENÇÃO!!

Devido a um problema de memória do telefone, alguns contatos de pessoas que pediram para receber a coluna e demais informações foram perdidos. Se você pediu para receber via WhatsApp, mas não está recebendo, favor informar novamente o número. Obrigado!

Para seguir recebendo a coluna via WhatsApp, favor salvar o número: 49 98504.8148. Para quem ainda não recebe, favor enviar mensagem para o mesmo número.   FAZER JORNALISMO COM INDEPENDÊNCIA CUSTA CARO. ASSINE O SCEMPAUTA E APOIE A CONTINUIDADE DE NOSSO TRABALHO!