...
Carlos Moisés da Silva Daniela Reinehr Gelson Merisio Impeachment Jorginho Mello Ricardo Roesler Rodrigo Coelho

A promessa frustrada que foi feita a Daniela; Disputa no TJ pode interferir no julgamento do impeachment; PTB quer Weintraub disputando o Governo do Estado entre outros destaques

Para seguir recebendo a coluna via WhatsApp, favor salvar o número: 49 98504.8148. Para quem ainda não recebe, favor enviar mensagem para o mesmo número.   FAZER JORNALISMO COM INDEPENDÊNCIA CUSTA CARO. ASSINE O SCEMPAUTA E APOIE A CONTINUIDADE DE NOSSO TRABALHO!

Os bastidores das promessas: Daniela Reinehr (sem partido) ainda como vice-governadora e com a pretensão de aproveitar a primeira oportunidade que pudesse, para assumir o Governo do Estado, aceitou a ajuda de quem ela disse querer distância na eleição passada. Falo de Gelson Merisio (PSDB).

O MDB também era alvo de ataques de Daniela, mas foi Merisio que conseguiu a tutela da interina, com a promessa de torná-la titular. Isso se daria, segundo ele, com a denúncia que seria feita pela Procuradoria Geral da República, contra o governador Carlos Moisés da Silva (PSL), no âmbito do caso Veigamed. A leitura feita por ele à vice, foi que através da denúncia na esfera judicial, haveria o automático enfraquecimento de Moisés no processo de impeachment.

Moisés acabou inocentado. Conforme divulgado com exclusividade pelo SCemPauta, a subprocuradora geral da República, Lindôra Araújo, bolsonarista de carteirinha, pediu o arquivamento do inquérito por falta de provas. O ministro do Superior Tribunal de Justiça, Benedito Gonçalves, atendeu ao pedido da PGR e arquivou, no que resultou no enfraquecimento de Merisio frente ao processo.

O ex-deputado Gelson Merisio não pode ser subestimado. Fez mais de um milhão de votos na eleição passada, venceu o primeiro turno, mas acabou sendo avassalado pela onda Bolsonaro que alçou Carlos Moisés da Silva (PSL) à condição de governador, com Daniela a tiracolo como vice. O fato é que Merisio tentou vender à interina uma influência em Brasília que na verdade não tem.

Após a decisão da PGR, que deve influenciar no julgamento do processo de impeachment, o sentimento no governo interino é de que tudo o que foi feito até agora, incluindo as trocas bruscas de secretários devido a confiança que Daniela ficaria, foi por água abaixo.

O claro sinal de que o jogo deu totalmente errado, é que somente aceitaram embarcar no governo quem foi convidado antes do arquivamento do inquérito contra Moisés. Já os que foram convidados após, não quiseram assumir. De certo, perceberam que foi vendida uma promessa que não seria entregue.

O julgamento

Ontem a decisão do presidente do Tribunal de Justiça e do Tribunal Misto do Impeachment, Ricardo Roesler, surpreendeu pelo fato de ter indeferido, tanto o pedido de testemunha, quanto das diligências. Além disso, conforme adiantei em primeira mão, Roesler negou o pedido do deputado estadual, Laércio Schuster (PSB). Ele queria que o governador afastado, Carlos Moisés da Silva (PSL), fosse convocado para prestar depoimento durante o julgamento. A tentativa de Schuster de gerar constrangimento a Moisés, acabou virando contra ele, que demonstrou não ter conhecimento dos prazos para manifestação. O fato é que o julgamento conforme antecipei com exclusividade, será no próximo dia 7 de maio com início às 09h.

Desembargadores do TJ

Fontes afirmam que desembargadores que integram o Tribunal Misto do Impeachment, não estão julgando o governador afastado, Carlos Moisés da Silva (PSL). Estariam mais alinhados e fazendo reuniões secretas, inclusive aos sábados, para manter uma posição no julgamento que possa constranger o presidente do Tribunal de Justiça, Ricardo Roesler, que também é o responsável por presidir. O objetivo seria influenciar no processo de sucessão da presidência do TJ. Lamentavelmente, parece que não é Moisés o réu do processo e, sim, Roesler.

MP define a lista

O Conselho Superior do Ministério Público de Santa Catarina definiu em sessão, ontem à tarde, a lista sêxtupla de candidatos ao cargo de Desembargador. A lista tem os seguintes procuradores: Sandro José Neis, Genivaldo da Silva, Rui Arno Richter, Monica Pabst, Leonardo Felipe Cavalcanti Lucchese e Carlos Henrique Fernandes. A lista será enviada ao Tribunal de Justiça que selecionará três candidatos, dentre os quais, o governador fará a escolha do desembargador. A vaga faz parte do quinto constitucional e foi aberta ao MPSC, após a aposentadoria do então desembargador Ronei Danielli.

Manifestação da defesa

“A defesa do Governador Carlos Moisés da Silva enaltece a agilidade e temperança na condução do processo de impeachment, com julgamento final marcado para o dia 7 de maio. Renova-se a confiança na serenidade dos integrantes do Tribunal Especial de Julgamento, que bem saberão avaliar o conjunto probatório constante dos autos” – Marcos Probst – Advogado do governador afastado Carlos Moisés da Silva.

Ousadia

A ousadia dos manipuladores da interina Daniela Reinehr (sem partido) envolvendo deputada estadual, e ex-candidato a governador, chegou ao ponto de tentar influenciar o colégio superior de procuradores, a tentar modificar a decisão do procurador geral de Justiça, em relação ao arquivamento do inquérito contra Carlos Moisés da Silva (PSL). Isso é para perceber o vale-tudo pelo poder e a troca de camisa no jogo político. Se ao final da partida o resultado for desfavorável, as consequências serão inevitáveis.

Coelho aguarda

O deputado federal Rodrigo Coelho (PSB) me disse ontem que ainda aguarda a publicação da decisão judicial, que o permitiu trocar de partido sem perder o mandato. Coelho confirmou a informação que divulguei ontem, de que está perto do Democratas, porém, ele também analisa a possibilidade de se filiar ao Podemos. “Não posso falar nada ainda, pois não me decidi. Ainda depende de alguns fatores, mas o caminho que você apontou é o certo. Estou entre os dois”, destacou. Coelho aproveitou para negar que já está confirmado no Podemos e que teria até data para se filiar.

Jorginho deu sinais

Jorginho Mello durante a visita a Joinville

No último final de semana em visita a Joinville, o senador Jorginho Mello, que na condição de presidente estadual do PL, convidou o deputado federal, Rodrigo Coelho, a se filiar, confidenciou ao presidente da Câmara de Vereadores local, Maurício Peixer (PL), que o parlamentar não aceitou o convite para se juntar aos liberais. Jorginho disse que Coelho deve ir para o Democratas.

Pré-candidaturas

Além do ex-prefeito de São João Batista, Daniel Netto Cândido (PSD), e do atual prefeito de Porto Belo, Emerson Stein (MDB), a prefeita de Itapema, Nilza Simas (PSD), também está sendo mapeada para a eleição à Assembleia Legislativa no próximo ano. A necessidade de candidaturas femininas fará com que os partidos, especialmente o PSD, segundo uma fonte pessedista, façam propostas irrecusáveis a possíveis candidatas.

Dobradinha

Silvio Dreveck (Progressistas) está consolidando a sua pré-candidatura a deputado federal. Além de apoios no Planalto Norte, Dreveck formará uma dobradinha com o prefeito de Timbó, Jorge Krueger (Progressistas), que disputará a deputado estadual. Se Carlos Moisés da Silva (PSL) retomar ao seu mandato de governador, o projeto de Krueger será turbinado.

Weintraub ao Estado?

O homem forte de Roberto Jefferson em Santa Catarina, Alexander Brasil, que preside o PTB no estado, convidou o ex-ministro da Educação, Abraham Weintraub, para disputar o Governo do Estado no próximo ano. O jovem empreendedor Lucas Dalló, de Criciúma, filiado ao Podemos, de Paulinho Bornhausen, usou suas redes sociais para consultar a opinião de seus seguidores sobre a possibilidade do ex-ministro disputar aqui. O movimento, mesmo que isolado, mostra que vai ser difícil uma coesão do bloco bolsonarista em torno de um nome.

Dificuldade

O polêmico Abraham Weintraub não tem ligação alguma com Santa Catarina, esse seria um ponto de dificuldade para um projeto ao Governo do Estado com ele liderando. Além disso, o Ministério Público Federal denunciou Weintraub por improbidade administrativa, devido a uma série de afirmações consideradas, dolosamente incorretas ou distorcidas, sobre as universidades públicas no Brasil.

Pediu ajuda

Após exonerar toda a equipe de comunicação de Carlos Moisés da Silva (PSL), durante a primeira interinidade, agora a interina Daniela Reinehr (sem partido) e a secretária de Estado da Saúde, Carmen Zanotto, pedem ajuda para executar o Boletim Covid. O profissional que, mesmo exonerado, avisou sobre a necessidade de transição e continuou executando o serviço por uma semana, só foi procurado após 22 dias. Sem remuneração, decidiu auxiliar no trabalho para prestar serviço ao Estado, mas não quer ser nomeado pelo Governo interino. A equipe só retornará ao Governo com o fim do afastamento de Moisés.

Troca de deputados

A assessoria de Daniela Reinehr (sem partido) confundiu o deputado estadual, Felipe Estevão (PSL), que acompanhou a governadora interina em viagem ao Sul do estado, com o deputado do Norte do estado, Fernando Krelling (MDB). A troca ainda não foi corrigida nas redes sociais.

Multa em Blumenau

A Câmara de Vereadores de Blumenau aprovou ontem, o Projeto de Lei Complementar de autoria do vereador Bruno Cunha (Cidadania), que institui multa de R$ 200 para quem agendar vacinação contra Covid-19 e não comparecer, sem prévia justificativa plausível. A matéria foi aprovada por 11 votos, tendo dois contrários e uma abstenção. Cunha salientou que se sente triste ao perceber que no Brasil, as coisas só funcionam quando existe o medo da multa, mas que o projeto é necessário em respeito aos que aguardam para serem vacinados.

ATENÇÃO!!

Devido a um problema de memória do telefone, alguns contatos de pessoas que pediram para receber a coluna e demais informações foram perdidos. Se você pediu para receber via WhatsApp, mas não está recebendo, favor informar novamente o número. Obrigado!

Para seguir recebendo a coluna via WhatsApp, favor salvar o número: 49 98504.8148. Para quem ainda não recebe, favor enviar mensagem para o mesmo número.   FAZER JORNALISMO COM INDEPENDÊNCIA CUSTA CARO. ASSINE O SCEMPAUTA E APOIE A CONTINUIDADE DE NOSSO TRABALHO!