...
Carlos Moisés da Silva Chapecó Daniela Reinehr Deputados Gean Loureiro Jair Bolsonaro João Rodrigues Jorginho Mello Parlamentares Ricardo Roesler

Visita de Bolsonaro coloca mais um personagem na disputa estadual de 2022; Roesler precisa acelerar a votação do impeachment; Deputados estão incomodados com Daniela entre outros destaques

Para seguir recebendo a coluna via WhatsApp, favor salvar o número: 49 98504.8148. Para quem ainda não recebe, favor enviar mensagem para o mesmo número.

 

FAZER JORNALISMO COM INDEPENDÊNCIA CUSTA CARO. ASSINE O SCEMPAUTA E APOIE A CONTINUIDADE DE NOSSO TRABALHO!

O presidente da República Jair Bolsonaro (sem partido) nem imagina que a sua visita a Chapecó, marcada para amanhã, colocará no tabuleiro eleitoral de Santa Catarina mais um personagem que poderá disputar o Governo do Estado.

Bolsonaro conhece há muitos anos o prefeito João Rodrigues (PSD), de quem foi colega na Câmara dos Deputados. Foi o agora prefeito quem convidou o ainda deputado, Bolsonaro, a conhecer a cidade há alguns anos para palestrar sobre o porte de armas. Depois, ficaram um tempo sem se encontrar, retomando os contatos durante a eleição no ano passado, em encontro patrocinado pelo senador, Jorginho Mello (PL), além de outro contato em Brasília no pós-eleição.

Há alguns dias, o presidente teve acesso a um vídeo de Rodrigues, no momento em que estava sendo feita a desativação de um dos ambulatórios criados pela administração de Chapecó. Na live, o prefeito faz uma defesa do tratamento precoce como se fosse o grande responsável pela melhora dos pacientes que ali estiveram internados, quando na verdade, a estrutura montada foi o que ajudou.

Vale reconhecer que o prefeito de fato foi ousado, ao enfrentar o grave problema que se abateu no município com inúmeros contaminados e mortos, após o aumento do contágio provocado por quem viajou às praias e não se cuidou, além das aglomerações em barzinhos noturnos e a nova cepa, em suma, foi a chamada tempestade perfeita. Lembro que ao falar com Rodrigues durante o colapso do setor da Saúde, ouvi que tudo estava sendo feito com recursos próprios e, que todo o dinheiro que tivesse em caixa seria utilizado para o combate à doença. “Nem que eu não pinte mais uma faixa na rua, mas não vou deixar o povo morrer por falta de atendimento”, me disse Rodrigues.

O fato é que os ambulatórios funcionaram. Organizados no Centro de Eventos, permitiram ao setor da Saúde cuidar dos contaminados sem a necessidade de transferência. Após, o Governo do Estado liberou mais leitos e Chapecó conseguiu ter uma estrutura vista em poucos lugares no Brasil. Tudo isso deve ser somado às duas semanas de fechamento dos serviços não essenciais, além da limitação de circulação, o que fez com que as pessoas ficassem em casa e reduzisse consideravelmente as contaminações. Portanto, foi isso que funcionou, as ações, não um tratamento que é questionado por médicos e entidades do setor.

Em meio a tudo isso, a capital do Oeste virou exemplo para outros prefeitos, tanto de Santa Catarina, quanto de fora do estado. Sabendo disso, Bolsonaro resolveu aterrissar em Chapecó antes de viajar a Foz do Iguaçu. Ele ficará no município das 09h às 11h, quando conversará com Rodrigues e demais lideranças locais. Na verdade, de tudo o que foi feito, o presidente tentará dar destaque ao tão questionável “tratamento precoce”, bandeira de Bolsonaro que ao contrário das principais entidades médicas, defende o uso da cloroquina.

O fato, é que Bolsonaro encontrou um garoto propaganda do tratamento precoce, sendo quase que uma troca não combinada, pois, desse modo, ele coloca Rodrigues numa condição favorável para retornar ao cenário eleitoral catarinense, com uma musculatura interessante para voltar a pensar na Casa D’Agronômica. Em suma, após a visita de Bolsonaro e o destaque que isso dará a Chapecó, João Rodrigues ficará numa situação extremamente confortável para se colocar no cenário como um possível candidato a governador, mexendo em todo o cenário novamente.

 

Baixou o ritmo

A primeira semana de gestão da governadora interina Daniela Reinehr (sem partido) foi de redução na velocidade da vacinação. O atraso na entrega das doses aos municípios ocorrido na semana passada resultou numa queda de 4,7% no número de doses aplicadas, em comparação com a semana anterior. Entre os boletins de vacinação dos dias 22 e 29 de março, última semana do governador Carlos Moisés da Silva (PSL), antes do afastamento, foram aplicadas 185.061 doses. Nos sete dias seguintes, foram 176.253. Desde que Daniela assumiu, o Governo do Estado também parou de publicar os balanços da vacinação no site coronavirus.sc.gov.br, criado pela Secretaria de Estado da Saúde em abril do ano passado para dar transparência as ações de combate à pandemia.

 

Transparência

Questionei na coluna de ontem o Governo do Estado, sobre o motivo dos documentos referentes ao novo decreto que estabelece as medidas de restrição, ter ficado sob sigilo. Segue a resposta: “A Secretaria de Estado da Saúde informa que o processo foi iniciado em sigilo enquanto estava sendo redigido. Foi assim mantido para não haver exposição da redação enquanto ainda não estivesse pronto, com os demais documentos anexados. Cabe ressaltar que o processo já encontra-se público no sistema do Governo, o SGP-e. Nesse mesmo sistema, é possível verificar que todos os documentos foram incluídos no processo sem nenhum tipo de desentranhamento de peça. Caso houvesse desentranhamento, ficaria registrado no sistema.

 

Fora da agenda

O deputado estadual, Laércio Schuster (PSB), esteve ontem no Centro Administrativo para conversar com a governadora interina, Daniela Reinehr (sem partido). O teor da conversa ainda não é conhecido, mas o fato, é que chamou a atenção que o encontro aconteceu fora da lista de permissões.

 

SC não pode esperar

Frente a falta de capacidade da agora governadora interina, Daniela Reinehr (sem partido), de fazer a gestão do Estado, é de fundamental importância que o presidente do Tribunal de Justiça e do Tribunal Misto do Impeachment, Ricardo Roesler, tenha a sensibilidade de olhar para o processo com celeridade e marcar para no máximo 30 dias o julgamento final do processo. Enquanto não for julgado, o Estado seguirá sofrendo o prejuízo de uma gestão interina.

 

Incomodados com Daniela

Alguns deputados me relataram que há uma insatisfação na Assembleia Legislativa, em relação a governadora interina, Daniela Reinehr (PSL). Segundo o relato, os parlamentares estão incomodados com o fato de Daniela estar se comportando como se já estivesse num mandato definitivo.

 

Apoio a Daniela

 A deputada estadual Ana Paula da Silva, a Paulinha (PDT), esteve em audiência com a governadora interina, Daniela Reinehr (sem partido). Ao final, a parlamentar definiu o encontro como leve, agradável e que superou as suas expectativas. Paulinha lembrou que Daniela é a primeira mulher a assumir o comando político e administrativo do Estado. “É perceptível que Daniela quer dar o melhor de si nesse período de interinidade. E num mar de palavras que brotaram do coração, conversamos levemente”, disse, destacando que no que for importante, não faltará apoio a Daniela na Assembleia Legislativa.

 

Juliano provoca

O ex-prefeito de Governador Celso Ramos, Juliano Campos, que é vice-presidente estadual do PSB, reagiu a nota enviada pelo presidente estadual do Podemos, o ex-prefeito de Palhoça, Camilo Martins, que negou a participação de seu partido no governo interino de Daniela Reinehr (sem partido). “É muita cara de pau te mandar uma nota dessa. E outra, o tal Laercio (Schuster) só votou pelo afastamento pq não foi atendido. Camilo (Martins) virou prefeito no tapetão. O Camilo é marionete do Paulinho Bornhausen, ele está a serviço do Paulinho”, escreveu Campos.

 

Vacinas

O presidente do Consórcio Nacional de Vacinas das Cidades Brasileiras (Conectar), Gean Loureiro (DEM), prefeito de Florianópolis, teve uma conversa online com o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, para discutir o cronograma de entregas da Coronavac para o Plano Nacional de Imunização. A previsão é de mais 9,8 milhões de doses para o mês de abril, finalizando o primeiro contrato com o Ministério da Saúde de 46 milhões de vacinas. Loureiro questionou se o Butantan consegue produzir mais do que as doses previstas e iniciar o segundo contrato com o Ministério ainda em abril, de 54 milhões de doses. Dimas Covas respondeu que é possível iniciar o segundo contrato ainda em abril, caso mais Ingredientes Farmacêutico Ativo (IFA), cheguem ao Brasil neste mês. O segundo contrato do Butantan firmado com o Governo Federal prevê as doses até agosto.

 

Liberação aos municípios

Após a entrega ao Ministério da Saúde das 100 milhões de doses em agosto, o Instituto Butantan estaria liberado para negociar com Estados e Municípios, o que despertou interesse do Consórcio em buscar a contratação de mais doses no segundo semestre. Além disso, o prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro (DEM), que preside o Consórcio, também deve se reunir com o laboratório Sinovac, na China, para buscar doses produzidas diretamente do Oriente. “Já sabemos que a Sinovac está com sua produção totalmente comprometida, mas também sabemos que estão para abrir um novo laboratório na China com capacidade de produção de mais 500 milhões de doses por ano. Queremos entrar na negociação com esse novo laboratório”, explicou Gean.

 

Decreto em Joinville

O prefeito de Joinville, Adriano Silva (Novo), publicou um novo decreto adequando às normas do município às estabelecidas pelo Governo do Estado. Permanecem em vigor as adequações dos horários de funcionamento de estabelecimentos comerciais e serviços, além da manutenção da restrição de circulação de pessoas que fica proibida entre 23h e 6h, com exceção de deslocamentos para o trabalho, ou para serviços considerados essenciais. É responsabilidade dos estabelecimentos comerciais e daqueles que prestam serviço ao público a garantia de ocupação máxima de 25%, sendo que a mesma regra se estende para igrejas e templos religiosos. A realização dos cultos e missas é permitido entre 6h e 21h. A principal alteração, conforme previsto no decreto estadual, é com relação a comercialização e o consumo de bebidas alcoólicas, que pode ser feito nos estabelecimentos até às 22h.

 

Movimento do PSB

Lideranças e filiados do Partido Socialista Brasileiro (PSB) em Santa Catarina, participaram ontem de uma reunião online para lançar o movimento “SC Potência Criativa”. O encontro contou com a presença do governador do Espírito Santo, Renato Casagrande (PSB). A partir de hoje, as reuniões do movimento acontecerão regularmente até o final deste ano, com o objetivo de debater temas relevantes e propor soluções inovadoras para o estado. De acordo com o presidente estadual do PSB, Claudio Vignatti, o projeto surgiu na ideia de construir um novo modelo político de governança. “A ideia é que a gente explore o máximo possível a potência criativa dos catarinenses em várias áreas, como saúde, segurança pública, educação, economia, entre outras”, destacou. A cada nova reunião, uma personalidade de renome nacional ligada ao tema, será convidada para debater junto com os membros do partido.

 

Aeroporto de Navegantes

A comissão de Infraestrutura do Senado Federal realizou ontem uma audiência que discutiu o edital de concessão do Aeroporto de Navegantes. A reunião foi proposta pelo senador Esperidião Amin (Progressistas) e teve a condução do presidente da comissão, senador Dário Berger (MDB). O debate ocorreu às vésperas do leilão, marcado para amanhã na Bolsa de Valores de São Paulo (B3). A audiência foi motivada pela decisão da Secretaria Nacional de Aviação Civil de suprimir, sem fundamento técnico, a construção da 2ª Pista de Pouso e Decolagem (PPD). Amin afirmou que vai encaminhar uma moção de apoio à PGE, para que sejam realizadas medidas para proteger os interesses de Santa Catarina.

 

ATENÇÃO!!

Devido a um problema de memória do telefone, alguns contatos de pessoas que pediram para receber a coluna e demais informações foram perdidos. Se você pediu para receber via WhatsApp, mas não está recebendo, favor informar novamente o número. Obrigado!

Para seguir recebendo a coluna via WhatsApp, favor salvar o número: 49 98504.8148. Para quem ainda não recebe, favor enviar mensagem para o mesmo número.

 

FAZER JORNALISMO COM INDEPENDÊNCIA CUSTA CARO. ASSINE O SCEMPAUTA E APOIE A CONTINUIDADE DE NOSSO TRABALHO!