...

São José completa 271 anos, sofre com a pandemia e já planeja sua recuperação; Fundos públicos precisam das doações do Imposto de Renda   

São José, na Grande Florianópolis,  comemora neste 19 de março, 271 anos.  Ao mesmo tempo que prioriza neste momento de pandemia a saúde dos josefenses, sua administração planeja a recuperação econômica do município.

Neste planejamento está o Programa Avança São José que surgiu da necessidade de auxiliar a economia, fortemente atingida pela pandemia, a saúde financeira de empreendedores, a recuperação do emprego e do poder de compra da população, no aumento da competitividade da economia e nos consequentes reflexos nas contas públicas.

São cinco os eixos planejados para sustentar esta recuperação: recuperação de emprego e renda, recuperação do poder de compra, recomposição da demanda, recuperação do fluxo de caixa e investimentos e responsabilidade fiscal. Dentro deles, estão seis programas para o município, sendo eles o Crédito Produtivo, São José Conta Digital, Modernização Administrativa e Desburocratização, São José Mais Educação, Programa Nova Economia e o Programa Nota Fiscal Premiada.

O prefeito Orvino Coelho de Ávila enaltece o Avança São José. “São José quer buscar inspiração na experiência dos antepassados, respeitar a trajetória de serviços e ajudar as pessoas. Nosso município é berço da imigração açoriana, que deixou suas marcas em toda a cidade, e da colonização alemã. Temos que buscar nesta trajetória a experiência necessária para tornar o município ainda melhor, contando com a parceria dos empresários.”

História

Localizado na Grande Florianópolis, é o quarto município mais antigo e mais populoso de Santa Catarina. Foi colonizado em 26 de outubro de 1750 por 182 casais açorianos, oriundos das Ilhas do Pico, Terceira, São Jorge, Faial, Graciosa e São Miguel, além de receber em 1829, o primeiro núcleo de colonização alemã do Estado.

Está na hora de doar para os fundos públicos

Até o dia 30 abril, salvo de houver prorrogação, termina o prazo para o acerto de contas com o leão. O contribuinte pode doar parte do imposto devido para os fundos públicos e ajudar muitas crianças, adolescentes e idosos.

As pessoas físicas podem doar 3% do valor devido para o Fundo da Infância e Adolescência e para o Fundo do Idoso, regulamentado em 2019.

Os Fundos são geridos pelos Conselhos Nacionais, Estaduais e Municipais da Criança e do Adolescente, que são responsáveis pelo recolhimento e destinação dos recursos para projetos que promovam a proteção e garantia de direitos de crianças e adolescentes e dos idosos.

Para quem deseja doar, no próprio formulário de declaração de renda há o campo para a destinação aos fundos ou fale com seu contador.