...
Carlos Moisés da Silva Eduardo Pazuello Márcia Pauli Veigamed

Veigamed: Márcia Pauli autorizou 7 pagamentos sem o recebimento de mercadoria; A curiosa atuação de Paulinha em busca de respiradores; Nova personagem pode mexer com o caso Veigamed entre outros destaques

Para seguir recebendo uma coluna via WhatsApp, favor salvar o número: 49 98504.8148. Para quem ainda não recebe, favor enviar mensagem para o mesmo número.

 

FAZER JORNALISMO COM INDEPENDÊNCIA CUSTA CARO. ASSINE O SCEMPAUTA E APOIE A CONTINUIDADE DE NOSSO TRABALHO!

No relatório de evidência produzido pelo GAECO no caso Veigamed, aparece a deputada estadual, Ana Paula da Silva, a Paulinha (PDT), negociando a compra de respiradores em nome do Governo do Estado.

De acordo com as investigações, no dia 26 de março às 17h, uma mensagem eletrônica foi enviada da conta gabch@defesacivil.sc.gov.br para a conta marcia.geremias@gmail.com , com o assunto “Respiradores Respiráveis”. O que chama a atenção é que o e-mail também é direcionado a Guarany Pacheco, assessor de Paulinha. A origem, é uma mensagem enviada do e-mail da Bamimport para Guarany, que encaminhou ao e-mail da Defesa Civil. A empresa é de serviços de comércio exterior, importações, logística nacional e internacional e queria vender respiradores ao Estado.

No e-mail a empresa explica que falou com a deputada Ana Paula, referente a Oxilar North America de Orlando nos Estados Unidos, sobre respiradores. “Falei com a Ana Paula que o mundo está atrás destes equipamentos, o Prefeito de Nova York pediu 35.000 unidades, porém, a Oxilar North America está na frente, pois, já fez o pedido antes disso e em 40 dias a Resmed entrega, mas a Deputada pediu para rever o Prazo e enfatizou a importancia da Urgência, liguei para la ágora e consegue 100 unidades Imediato e ficaram de nos posicionar Quanto a hipótese de Entregar 100 unidades POR semana Até totalizar”, Diz parte do e-mail. Na sequência é dito ainda que a Resmed quer a confirmação mais rápido, caso contrário seria somente em outubro.

O documento do Gaeco não aponta qualquer ato de ilegalidade da parlamentar, porém, chama a atenção a atuação ativa de Paulinha, que não é servidora do Executivo. “Ela alega que estava ajudando, mas ter o poder de negociar respiradores em nome do Estado, aí já passa dos limites”, relatou uma fonte que trabalhava no setor na época dos fatos.

Tentei falar com a deputada, porém, não obtive retorno. Por sua vez, Pacheco respondeu que Paulinha era líder do Governo quando começou uma pandemia. Segundo ele, a parlamentar era vista também como ponte para buscar soluções para o problema.

Sobre o papel de ambos junto a Central de Operações de Emergência em Saúde (COES), o assessor respondeu que foi de encaminhar um e-mail à Secretaria da Saúde. “Como obrigada presencialmente na sede da Defesa Civil, como forma de auxiliar o diálogo entre Alesc e Governo, encaminhamos o e-mail em cópia também à Defesa Civil em um gesto de transparência”, explicado.

Questionado se ele e Paulinha foram os responsáveis ​​pelo contato com a empresa que ofereceu respiradores, Guarany respondeu que não lembra de ter trocado e-mail com a empresa, apenas ter encaminhado. “Acho que não houve diálogo”, afirmou.

 

Pagamentos adiantados

Documentos do Governo do Estado que obtive ontem, mostram que a ex-superintendente Márcia Pauli, antes do caso Veigamed já havia autorizado, pelo menos, sete pagamentos adiantados antes que fossem entregues os produtos. Em alguns casos, a exigência de adiantamento era de 30%, porém, o pagamento era integral. Outro detalhe é que alguns produtos pagos em março do ano passado, somente em maio foram entregues. De acordo com uma fonte, Márcia pode ser acusada até mesmo de crime de falsidade ideológica, ao atestar o recebimento de produtos não entregues, só para liberar o pagamento antecipado.

 

Nova personagem

Uma ex-funcionária de uma das empresas de Fábio Guasti, representante da Veigamed investigado no caso dos respiradores fantasmas, pode virar uma peça chave para as investigações. Ela já teria prestado depoimento onde repassou algumas informações, incluindo, a visita de uma liderança de Santa Catarina a Guasti na sede da empresa em São Paulo.

 

Em busca da Sputnik V

O governador Carlos Moisés da Silva (PSL), acompanhado de governadores de outros estados, visitou em Brasília as instalações da União Química Farmacêutica Nacional, responsável no Brasil pela produção da vacina Sputnik V, da Rússia. Os chefes de estados conheceram a estrutura da empresa, a capacidade de produção e o cronograma de entrega da vacina. A empresa tem o compromisso de produzir 10 milhões de doses do imunizante. Os insumos para produção já estão no Brasil e aguardam a liberação emergencial. Assim que for autorizado pela Anvisa, o que se espera para ainda este mês, o imunizante deve ser produzido e distribuído no Plano Nacional de Imunização.

 

Almoço com Lira

O governador Carlos Moisés da Silva (PSL) debateu ações de enfrentamento à pandemia de Covid-19 no Brasil, em uma reunião dos governadores com o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (Progressistas). O encontro teve como principal pauta as ações emergenciais para aprovação do uso de novas vacinas para a imunização da população. Outros assuntos debatidos foram a necessidade de um cronograma mais detalhado de vacinação e, o retorno do pagamento do auxílio emergencial. Os governadores também relataram a necessidade de incremento dos repasses para a saúde em áreas, além do enfrentamento da Covid-19.  Por fim, ainda foi discutida a necessidade de ações para a retomada da economia para o período pós-pandemia.

 

Encontro com Pazuello

Santa Catarina receberá mais 91,2 mil doses de vacina contra a Covid-19. A previsão de chegada é às 8h20 de hoje no aeroporto de Florianópolis. A informação foi confirmada pelo governador Carlos Moisés da Silva (PSL), após uma audiência com o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, em Brasília. O ministro confirmou ainda que visitará o Oeste nesta sexta-feira (5). O roteiro deve incluir as cidades de Chapecó e Xanxerê.

 

UTI na capital

O sistema de Saúde de Florianópolis também está à beira de um colapso. A taxa de ocupação de UTI para pacientes com Covid, já está quase no limite, sendo que a maioria dos hospitais já chegou a lotação total. Cepon, Hospital Florianópolis, Hospital da Caridade, Governador Celso Ramos, Nereu Ramos e Hospital Universitário já estão 100% ocupados. Apenas o Hospital Infantil Joana de Gusmão tem espaço, sendo que estão ocupados neste momento, cerca de 33% dos leitos de UTI.

 

Desrespeito

Um servidor do setor de fiscalização do município de São José, teve uma atitude que precisa de apuração, sob a suspeita de intolerância religiosa. No final de semana o servidor que ainda não teve o nome identificado, esteve na Igreja Assembleia de Deus no bairro de Forquilhas. Ao questionar o pastor que estava no local, ouviu que o responsável pela Igreja estava na Rua Mauro Ramos, onde respondem juridicamente pela entidade. Não satisfeito, o servidor intimou a “Jesus Cristo e o Senhor Universal”. O deputado estadual, bispo Sérgio Motta (Republicanos), disse que a igreja estava aberta sem culto, o que segundo ele, é permitido. Agora, o que gerou indignação do parlamentar e de fieis, foi o desrespeito do fiscal. Com a palavra as autoridades de São José.

 

Prévias do MDB

O Diretório estadual do MDB divulgou ontem um ofício com a resolução que pautará a realização das prévias, para escolha do pré-candidato a governador para a eleição de 2022 no Estado. O partido deve mobilizar os filiados de todas as cidades. Garantindo os cuidados frente à covid-19, o partido realizará a eleição no dia 15 de agosto. De acordo com o documento, todos os filiados devidamente registrados pelo Tribunal Regional Eleitoral, até 15 de abril, terão direito a voto. Os interessados nas pré-candidaturas e a participar da eleição prévia, deverão protocolar perante a Comissão Eleitoral, requerimento de inscrição até o dia 30 de junho.

 

Proposta

A deputada estadual Ana Campagnolo, líder da bancada do PSL na Assembleia Legislativa, protocolou o Projeto de Lei que impede a decretação de fechamento de estabelecimentos comerciais por decorrência da Covid-19, sem uma reunião prévia com representantes dos empregadores e empregados de todo o estado. A parlamentar pediu o apoio dos demais deputados. “Vamos deixar de lado nossas diferenças ideológicas e partidárias que possamos ter, me solidarizo às vítimas do Covid, mas precisamos reorganizar as restrições que têm sido impostas”, afirmou Campagnolo. O texto deixa claro que a decisão por medidas restritivas, precisa ser discutida entre as representações com no mínimo 48h de antecedência.

 

Joinville em alerta

Durante coletiva de imprensa realizada ontem, a Prefeitura de Joinville comunicou que a cidade ingressou na fase 3 do Plano de Contingência contra a Covid-19. A decisão foi tomada uma semana após o município avançar para a fase 2, levando em conta o crescimento do número de pacientes com quadros graves que precisam de atendimento hospitalar. “Com a velocidade do avanço da pandemia e o crescimento da gravidade dos casos, nós chegamos na última etapa do Plano de Contingência. Estamos em um momento muito grave, que exige esta medida emergencial”, alerta o prefeito Adriano Silva (Novo).

 

Organização

Com a ativação da última etapa do Plano de Contingência contra o Coronavírus em Joinville, a Unidade de Pronto-atendimento Leste, localizada no bairro Aventureiro, passa a receber apenas pacientes com casos suspeitos e confirmados, além de encaminhados por outras unidades de saúde. Na prática, a UPA Leste passa a funcionar nos moldes de um hospital de campanha. A população não deve procurar a unidade diretamente. Outra ação emergencial está focada no fortalecimento da atuação das 33 Unidades Mistas, que atendem pacientes com casos suspeitos e confirmados de Covid-19. Pessoas com sintomas da doença podem procurar diretamente uma das unidades

 

Transparência

Com a aprovação por unanimidade do regime de prioridade na sessão de ontem, o projeto de lei do deputado estadual, Felipe Estevão (PSL), que agrega a lei catarinense da Transparência, a divulgação na internet da relação das pessoas vacinadas contra o Covid-19, a tramitação passa ser mais rápida e com prazos mais curtos. O projeto já recebeu apoio do Ministério Público e da OAB, pois visa maior transparência e oferece à sociedade uma ferramenta de fiscalização.

 

Leitos para BC

Reunião de trabalho promovida pelo prefeito de Balneário Camboriú, Fabrício Oliveira (Podemos), contou com a participação de prefeitos de cidades da região que tem hospitais, e foi conduzida junto pelo presidente da Amfri, Emerson Stein. Também participou o secretário de Estado da Casa Civil, Eron Giordani, e os prefeitos de Penha, Aquiles da Costa; de Luiz Alves, Marcos Weber, e o vice-prefeito de Itapema, João Emel. Na pauta a criação de novos leitos clínicos e de UTI para a região. “Foi uma reunião em que conseguimos planejar, com os prefeitos e com o secretário Eron, a criação de 35 novos leitos de retaguarda e 15 de UTI. Os novos leitos de UTI serão 5 no Centro Municipal de Tratamento de Covid aqui de Balneário Camboriú, e 10 no Hospital Marieta. Os novos leitos de retaguarda serão 20 em Luiz Alves, 10 em Camboriú e 5 no hospital da Penha”, explicou Oliveira.

Para seguir recebendo uma coluna via WhatsApp, favor salvar o número: 49 98504.8148. Para quem ainda não recebe, favor enviar mensagem para o mesmo número.

 

FAZER JORNALISMO COM INDEPENDÊNCIA CUSTA CARO. ASSINE O SCEMPAUTA E APOIE A CONTINUIDADE DE NOSSO TRABALHO!