Vacina e prevenção: o melhor samba enredo deste carnaval

Quando vejo pessoas e/ou grupos planejando o carnaval fico preocupada com possíveis aglomerações e festas e nas consequências de atos irresponsáveis no aumento da Covid.

Não tem como negar o aumento do número de casos de contaminação pelo coronavírus e, posteriormente, de óbitos, nos primeiros dias do ano, em razão das aglomerações e festas de final de ano. Na sequência, registramos uma queda, mas entramos na segunda semana de fevereiro com registro de piora da Covid-19 em nosso estado. Segundo boletim da Secretaria de Estado da Saúde, divulgado no último sábado (6), estamos com dez regiões em nível gravíssimo e seis regiões em nível grave.

A vacinação não se dá no ritmo que gostaríamos. Desde 18 de janeiro Santa Catarina recebeu 298,1 mil unidades de doses de vacinas. Na medida em que as doses chegam o estado trata de enviá-las aos municípios que, por sua vez, precisam estar preparados. Pelos dados nacionais vacinamos com a primeira dose somente 1,23% da população. Estamos em vias de dar início a imunização do segundo grupo que é o dos idosos, organizados em 4 subgrupos.

Em 2020 tivemos carnaval. Depois veio a pandemia e nossas vidas se transformaram. Neste ano não teremos ponto facultativo e com a suspensão determinada pelo governador Carlos Moisés todos os serviços da administração direta, autarquias e fundações do Poder Executivo estadual serão mantidos.

Vamos aguardar para termos um grande reinado de Momo quando o espírito for realmente o da folia em nome da alegria. Por enquanto é prevenção e aguardar a vacinação.