...

Solidariedade X Medo no caso dos pacientes vindos de Manaus para SC e a eleição que promete manter o MDB por dois anos na presidência da Alesc

Se tudo sair como combinado, nesta segunda-feira, dia 1º, o MDB dá o primeiro passo para garantir sua ascensão à presidência da Assembleia Legislativa de Santa Catarina. Primeiro passo porque daqui a um ano para que o acordo de cavalheiros vingue o presidente a ser eleito hoje deverá renunciar e, por meio de nova eleição, seu colega de partido seja confirmado ao cargo.

Estou falando de Mauro de Nadal e Moacir Sopelsa, os deputados do MDB que assumiram firmemente suas posições e intenções de chegar à presidência da Alesc. Nadal, atual vice-presidente, ficará o primeiro ano no cargo e Sopelsa no segundo. Dividir mandato não é novidade no Parlamento catarinense. A novidade fica por conta de ambos serem do mesmo partido.

Com a negativa da ministra Rosa Weber, vice-presidente do Superior Tribunal  Federal (STF), ao pedido de liminar feito pela Alesc, Júlio Garcia continua afastado das funções de deputado e de presidente e em prisão domiciliar por conta da segunda fase da Operação Alcatraz. Chegou a ser aventado que Júlio ficaria na vice-presidência para posteriormente renunciar ao cargo e possibilitar o cumprimento do acordo.

A sessão preparatória para eleição do presidente que comandará a Casa no biênio 2021-2023 será realizada no Plenário Deputado Osni Régis, a partir das 14 horas, sob o comando do deputado Romildo Titon (MDB), parlamentar mais idoso entre os de maior número de legislaturas estaduais completas.

Solidariedade X Medo

Logo após o jornalista Marcelo Lula do SC em Pauta divulgar com exclusividade que Santa Catarina receberia pacientes de Covid-19 vindos de Manaus para continuidade de seus tratamentos em nosso estado, questionamentos dos mais diversos começaram.

A chegada dos 11 pacientes se confirmou na madrugada deste domingo, 31, e logo foram transportados para os hospitais Nereu Ramos e Universitário, ambos em Florianópolis.

O governo do estado comunicou o fato pela manhã, depois de ocorrido. O governador Carlos Moisés (PSL) justificou que “são brasileiros que precisam da nossa ajuda e que poderão contar com a solidariedade dos catarinenses na luta pela vida”.

Sabe-se que Manaus está com seu sistema de saúde colapsado e faltam insumos para o tratamento aos doentes. Para Santa Catarina vieram quatro mulheres e sete homens, com idades entre 33 e 55 anos, para os quais desejamos pronto restabelecimento.

Ao mesmo tempo, que pessoas defendem a ação de solidariedade demonstram medo de que mais rápido chegue a nós a recém descoberta e já em estudos nova cepa do coronavírus que, segundo estudos, é de maior transmissibilidade.

Defendo que a comunicação e a transparência das ações sejam feitas sempre e, nestes casos, que envolvem a saúde física e emocional das pessoas, de maneira que toda a sociedade se sinta participativa e corresponsável. Afinal, solidariedade e empatia são palavras presentes nestes tempos de pandemia e devem ser exercitadas.