População cobra respostas sobre os respiradores da Veigamed; Paulinho quer reforçar o Podemos; Topázio se prepara para governar a capital entre outros destaques

Para seguir recebendo a coluna via WhatsApp, favor salvar o número: 49 98504.8148. Para quem ainda não recebe, favor enviar mensagem para o mesmo número.

 

FAZER JORNALISMO COM INDEPENDÊNCIA CUSTA CARO. ASSINE O SCEMPAUTA E APOIE A CONTINUIDADE DE NOSSO TRABALHO!

A decisão do Ministério Público estadual de arquivar o inquérito contra o governador, Carlos Moisés da Silva (PSL), no caso dos respiradores da Veigamed, gerou uma responsabilidade ainda maior aos procuradores de encontrar os responsáveis pela compra criminosa.

O público reagiu e exige um posicionamento, afinal, R$ 33 milhões saíram dos cofres do Estado e ainda não voltaram, além de que 200 respiradores não foram postos à disposição da população.

A expectativa é de que nos próximos dias sejam denunciados os nomes dos suspeitos de participação, num dos maiores escândalos da história de Santa Catarina.

Já quanto ao impeachment, ontem o advogado Marcos Probst juntou ao processo que tramita na Assembleia Legislativa a decisão do MP. A situação acaba facilitando a posição do parlamento, que não quer nem ouvir falar em Daniela Reinehr (sem partido) novamente à frente do Estado.

 

PL na oposição

De Brasília, onde esteve para tratar de recursos e projetos para o Estado, o líder da bancada do PL na Assembleia Legislativa, Ivan Naatz, manifestou via suas redes sociais que vai sugerir amanhã na reunião ampliada da agremiação, que o partido fique longe de cargos no atual governo estadual. “Nós temos o nosso candidato senador Jorginho Mello e não somos um partido de conchavos”, escreveu.

 

O sucessor

Um nome que deve começar a aparecer cada vez mais com o passar do tempo no governo do prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro (DEM), é o do vice Topázio Neto (Republicanos). Sucessor natural de Loureiro que deixará o comando do município no ano que vem para disputar o Governo do Estado, Topázio que fez um profundo estudo da lei orgânica da capital, tem se dedicado à gestão e goza da total confiança de Gean.

 

Reforçando o Podemos

O ex-deputado federal, Paulinho Bornhausen, quer voltar a ocupar uma vaga na Câmara dos Deputados. Para isso, tenta fortalecer o Podemos para viabilizar a sua candidatura. Segundo uma fonte, a ideia de Bornhausen é reeditar o mesmo grupo do PSB quando esteve sob o seu comando, por isso, já convidou o ex-prefeito de Chapecó, Luciano Buligon (PSL). Além dele, os prefeitos, Mário Hildebrandt de Blumenau, e Fabrício Oliveira de Balneário Camboriú, já estão no partido e outras lideranças mais estão no radar. A questão é que Hildebrandt não aceita disputar e já teria avisado que não vai liberar seus secretários de primeiro escalão. Já Fabrício deve aceitar o desafio de buscar uma vaga na Assembleia Legislativa. Se Buligon aceitar o convite, passará a ser ao lado de Paulinho o principal projeto do Podemos para a Câmara Federal.

 

Mudança de partido

O PSL perderá quase todos os seus deputados estaduais na próxima janela para a troca de partido. Devem permanecer o deputado, coronel Onir Mocellin, que não demonstrou interesse em sair, e Jessé Lopes que não despertou o interesse de outros partidos. Por outro lado, conforme já divulguei, Ana Caroline Campagnolo e Sargento Lima estão muito próximos do PL. Ricardo Alba estaria praticamente acertado com o Democratas que através do prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro, também já convidou Felipe Estevão, que por sua vez está de namoro com o PSD.

 

Ainda sobre a mesa

Conforme já relatei, o Partido Liberal deve enfrentar uma disputa interna pela vice-presidência da Assembleia Legislativa. O líder da bancada Ivan Naatz quer Marcius Machado como vice-presidente neste ano, porém, conforme já escrevi, Nilso Berlanda foi o escolhido no acordo amplo feito pelos partidos. Se antes havia uma vantagem para Berlanda por causa do acordo, a ausência de Marcius na votação sobre a prisão e afastamento de Júlio Garcia (PSD), deu mais força ainda para o acordo suprapartidário. “O parlamento não gosta de atitudes dos fujões. Marcius Machado jogou fora qualquer possibilidade ao se ausentar da votação do processo do Júlio”, afirmou um parlamentar.

 

Insatisfação

A nomeação do ex-secretário adjunto de Estado da Casa Civil, Mateus Hoffmann, no gabinete da deputada estadual, Ana Paula da Silva, a Paulinha (PDT), gerou reações entre os trabalhistas de Biguaçu. Além da decisão não ter sido bem aceita pela executiva local, há o temor de que Paulinha dê o controle do PDT no município a Hoffmann, situação que se ocorrer, vai gerar uma grande debandada de filiados.

 

Irresponsabilidade

O deputado federal Hélio Costa (Republicanos) considerou como uma irresponsabilidade da Casan, os estragos causados pelo rompimento da Estação de Tratamento de Esgoto na Lagoa da Conceição. “Não tem cabimento o esgoto invadir as casas e danificar tudo. As pessoas suam pra ter o seu espaço e dão com a cara na sujeira e lixo por uma irresponsabilidade dessa. Tem que apurar e punir. E a Casan tem que indenizar essas famílias o quanto antes”.

 

Direitos trabalhistas

Cerca de 120 famílias de ex-trabalhadores do Porto de Imbituba, vem passando há mais de oito anos por dificuldade. Isso porque, desde que a administração do porto foi transferida da Cia Docas para a SCPar, os ex-funcionários aguardam pelo recebimento de suas verbas devidas e complementação de aposentadoria. Durante este período, 24 trabalhadores e aposentados faleceram sem terem a oportunidade de seus direitos restabelecidos. Muitos ainda lutam para uma realocação no mercado de trabalho, visto que a atuação dos profissionais do setor portuário são especificas. Outros, ainda seguem em preocupante situação financeira, pois foram dispensados sem nenhum direito, sem os devidos pagamentos, inclusive sem as devidas anotações em suas carteiras de trabalho. Para buscar uma solução, as famílias realizam hoje às 10h, uma mobilização para cobrar por justiça.

Para seguir recebendo a coluna via WhatsApp, favor salvar o número: 49 98504.8148. Para quem ainda não recebe, favor enviar mensagem para o mesmo número.

 

FAZER JORNALISMO COM INDEPENDÊNCIA CUSTA CARO. ASSINE O SCEMPAUTA E APOIE A CONTINUIDADE DE NOSSO TRABALHO!