...

Documento do Ministério da Saúde deu segurança ao Governo para reabrir o comércio; Pressão dos demais poderes colaborou; Os bastidores das movimentações pela flexibilização do isolamento; Florianópolis é a 13ª cidade com mais casos de Covid 19 no Brasil entre outros destaques

Ajude quem tem fome – 49 985048148 – mlula.jornalista@gmail.com
O SCemPauta entra na campanha de ajuda aos mais necessitados neste momento tão difícil para todos. Abriremos 5 espaços no site para as empresas que doarem cesta básica para famílias carentes. Em troca das doações, daremos dois meses de anúncio gratuito no site. A doação deve ser no mínimo de 30 cestas básicas. As empresas que doarem poderão escolher o município beneficiado e, as doações deverão ser entregues aos setores sociais que terão que atestar o devido recebimento. Ajude!!!

Destaque do dia

Moisés não anunciou durante a coletiva.

Conforme informado pelo SCemPauta ontem a noite com exclusividade, o Governo do Estado autorizará a reabertura do comércio na próxima segunda-feira (13). Foram dois longos dias de busca das entidades do setor, por um entendimento.

Na segunda-feira representantes da Facisc saíram irritados da reunião do Comitê, acusando os deputados Sérgio Motta (Republicanos) e Jair Miotto (PSC), de terem tomado mais da metade do encontro discutindo a reabertura das igrejas. Ontem o clima ficou tenso durante a reunião e nada foi definido, ficando para que o governador Carlos Moisés da Silva (PSL) decidisse com o seu núcleo.

O presidente da Fecomércio, Bruno Breithaupt, defendeu veementemente a pauta da entidade, que é pela abertura irrestrita do comércio, serviços e shopping centers já no dia de hoje. Breithaupt explicou que todas as determinações dos protocolos de segurança seriam respeitadas de forma inflexível, mas não obteve uma resposta, situação que o desagradou tanto, que o dirigente chegou a externar a alguns membros do setor produtivo a sua insatisfação.

A expectativa por uma novidade ficou para a coletiva que aconteceu às 18h, porém, nada foi anunciado por Moisés e, nem pelos demais secretários, o que deixou os empresários apreensivos.

Por volta das 20h15, recebi a informação de uma fonte ligada ao Governo, de que na segunda-feira (13) o comércio será liberado a abrir as portas, incluindo restaurantes e hotéis, com exceção de ambientes que causam aglomeração, no caso, shoppings e locais religiosos. Além disso, o transporte coletivo segue proibido, sendo apenas liberados os táxis e carros de aplicativo.

Um questionamento que fiz à fonte, é o motivo de se abrir os estabelecimentos apenas no início da próxima semana. Recebi como resposta, que é a data recomendada pelo Ministério da Saúde, para que haja redução no endurecimento do isolamento social.

Pressão

O Governo do Estado começou a ficar isolado na decisão de manter a quarentena, devido à pressão das entidades empresariais que ganhava tons mais fortes, à medida que o tempo passava sem uma solução. Além do Ministério Público nas três esferas que cobrou a comprovação de embasamento legal e técnico para a quarentena, a Comissão de Constituição e Justiça da Assembleia Legislativa, ontem de manhã, aprovou a admissibilidade de uma proposta de sustação de ato de autoria do deputado Jessé Lopes (PSL), que pede a derrubada do decreto que estabeleceu o isolamento social. É provável que o parlamento derrubaria o isolamento deixando o Governo numa situação difícil.

Salvo pelo documento

A verdade é que o documento enviado pelo Ministério da Saúde, recomendando a redução das medidas de isolamento social, caiu como uma luva para o governador Carlos Moisés da Silva (PSL). Foi a partir desse momento que ele se sentiu seguro para abrandar a quarentena, antes que a Assembleia Legislativa, ou até mesmo o Ministério Público lhe impusesse uma derrota. Caso a medida gere um aumento da contaminação, o argumento de Moisés será a de que o Ministério da Saúde autorizou a reabertura.

Clique para ler o documento:

2020-04-06—BE7—Boletim-Especial-do-COE—Atualizacao-da-Avaliacao-de-Risco.pdf.pdf.pdf

Setores liberados

O Governo do Estado liberou a partir de hoje o funcionamento de estabelecimentos do setor automotivo, náutico, de implementos agrícolas e lavanderias. O anúncio foi feito pelo governador Carlos Moisés da Silva (PSL), que também anunciou a prorrogação das medidas de isolamento social por mais cinco dias.

Não foi bem aceito

A proposta de um grupo de shopping centers que ofereceu a doação de dois respiradores por unidade que fosse autorizada pelo Governo do Estado, a reabrir as portas, não pegou bem. De acordo com uma fonte governista, ajuda não pode ser barganhada. “Se eles querem ajudar, que o façam por uma questão humanista, não por barganha”, disse a liderança em condição de anonimato.

Maior contaminação

Florianópolis é a 13ª cidade com o maior número de casos confirmados de Coronavírus no Brasil. São ao todo, 114 casos confirmados, enquanto que Blumenau aparece na 26ª posição com 52 casos. Após vem Criciúma em 49º lugar com 29 casos e, Joinville em 55ª com 26 casos confirmados. Ao todo Santa Catarina tem 457 casos e 67 cidades com registros de pessoas com a doença. Já a curva de contágio na capital também chama a atenção, sendo que em 6 dias, a cidade registrou um aumento de 30 casos confirmados, sendo que o próprio prefeito, Gean Loureiro (DEM), acredita que os números sejam ainda maiores.

MP atuará em Brusque

O Ministério Público dará entrada ainda hoje a uma ação para derrubar o decreto do prefeito de Brusque, Jonas Paegle, que autoriza a reabertura do comércio no município. É o segundo município a tomar a iniciativa, o primeiro foi Xaxim no Oeste, que teve a medida derrubada, o que deve se repetir ainda hoje em Brusque.

Micro e pequenas empresas

Em meio a pandemia do Coronavírus, o senador Jorginho Mello (PL) conseguiu emplacar o seu projeto de lei como pauta única no Senado. A matéria que institui o Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe), que oferta crédito sem burocracia, foi aprovado por unanimidade no plenário remoto. “Já havia dificuldade no acesso ao crédito antes da epidemia do Covid-19, agora o acesso piorou gravemente. Precisamos colocar dinheiro barato na mão dos microempreendedores”, defendeu Mello. O projeto foi para a Câmara dos Deputados.

Emendas na capital

Os vereadores de Florianópolis aprovaram ontem em sessão virtual, o remanejamento para a Saúde de R$ 11,5 milhões das chamadas emendas parlamentares. Do total de R$ 600 mil, serão repassados para o combate ao Coronavírus o valor de R$ 500 mil. A proposta foi do vereador Gabriel Meurer, o Gabrielzinho (Podemos).

Subsídio em Criciúma

A Câmara de Vereadores de Criciúma tem mais uma sessão online hoje às 17h. Serão deliberados dois projetos que tratam da redução de subsídios do prefeito, vice e vereadores. Os secretários não terão redução do subsídio, enquanto que está sendo proposto que se reduza o vencimento do prefeito e do presidente da Câmara em 20%, vereadores e vice-prefeito em 10%.

Cuidado com os asilos

Em reunião por videoconferência da Comissão Externa do Coronavírus, a deputada federal Carmen Zanotto (Cidadania) defendeu que o Ministério da Saúde, promova a distribuição de equipamentos de proteção individual para idosos e cuidadores que trabalham nos chamados asilos. A parlamentar afirmou que os idosos são as maiores vítimas da pandemia do Covid-19 e, defendeu que os casos suspeitos de Covid-19 sejam transferidos imediatamente para as unidades de pronto-atendimento de saúde.

Apelo da Fecam

A Federação Catarinense de Municípios (Fecam), enviou nota com informações direcionadas ao Governo do Estado. A entidade destaca que um cenário dramático está cada vez mais próximo e fatalmente atingirá as pessoas, a economia, o serviço público e o modo de vida. “A incerteza assola autoridades e exige um grande exercício de responsabilidade pública, em que instituições são requeridas à posição forte e decidida”, diz a nota.

Clique para ler:

Nota FECAM – imprensa e sociedade

 

Ajude quem tem fome
O SCemPauta entra na campanha de ajuda aos mais necessitados neste momento tão difícil para todos. Abriremos 5 espaços no site para as empresas que doarem cesta básica para famílias carentes. Em troca das doações, daremos dois meses de anúncio gratuito no site. A doação deve ser no mínimo de 30 cestas básicas. As empresas que doarem poderão escolher o município beneficiado e, as doações deverão ser entregues aos setores sociais que terão que atestar o devido recebimento. Ajude!!!