...
Daniela Reinehr Estado Governador

Vice Daniela assume o governo do Estado; Moisés avalia 2019, projeta 2020 e anuncia novo complexo hospitalar na Grande Florianópolis

Vice Daniela assume o governo do Estado

Foto: Ricardo Wolffenbuttel / SecomPela primeira vez, Santa Catarina tem uma governadora mulher em exercício. Daniela Reinehr assumiu o cargo no início da tarde desta segunda-feira, 6. O ato foi assinado na Casa d’Agronômica por ela e pelo agora governador licenciado, Carlos Moisés. Daniela permanecerá na função até o dia 20 de janeiro.

“É uma honra ter sido eleita a primeira vice-governadora e agora assumir como primeira governadora. Eu me inspiro em muitas mulheres que já fizeram história e represento muitas que, anonimamente, ajudaram a construir o Estado. A força da mulher é muito grande”, declarou Daniela.

Daniela Cristina Reinehr é natural de Maravilha, no Oeste de Santa Catarina. Construiu família e estabeleceu a vida profissional em Chapecó. A governadora em exercício é advogada há 19 anos, com experiência em Direito Empresarial, Civil, Administrativo e Comércio Exterior, além de empreendedora, produtora rural e ex-policial militar.

 

Governador projeta 2020 com mais entregas para a população catarinense

Foto: Julio Cavalheiro / SecomAntes de transmitir o cargo, o governador Carlos Moisés reuniu a imprensa na manhã de ontem para fazer uma projeção para 2020. Na avaliação do chefe do Executivo estadual, o ano que se inicia deve ser de entregas para a população, após um 2019 dedicado ao reequilíbrio das contas públicas. Ainda assim, o alerta segue ligado para manter salários em dia e a máquina estatal funcionando.

“Santa Catarina tem uma posição privilegiada dentro do Brasil, mas ainda assim precisamos estar alertas. Estamos pagando dívidas herdadas, de coisas que já foram executadas. Esse ano será um grande teste. Precisamos manter os índices de arrecadação e, em relação aos benefícios fiscais, é preciso que haja um retorno para a sociedade. Tem de ser algo republicano”, afirmou Moisés.

O governador salientou também que, após muitos anos, o Executivo voltou a investir com recursos próprios, fruto da economia realizada com a digitalização do governo e a racionalização das despesas. Segundo ele, o Governo segue em busca dos financiamentos, porém a nota C junto ao Tesouro Nacional dificulta a obtenção de crédito. Mesmo assim, já existe um planejamento para a infraestrutura:

“Nós trabalhamos em parceria com as associações de municípios. Cada região escolhe suas obras prioritárias e o Governo tem a intenção de atender a esses pleitos. Também temos quase R$ 7 bilhões em imóveis, que constam de um levantamento que está sendo realizado pela Secretaria de Administração. Esse é um patrimônio que nós precisamos trabalhar. Havia muito descontrole”.

Em relação à gestão orçamentária, a meta para 2020 é a implantação da Nota Fiscal Eletrônica em Santa Catarina. Segundo o secretário Paulo Eli, o instrumento ajudará na redução da sonegação de impostos. A expectativa no Centro Administrativo é que não haja deficit orçamentário este ano.

Sobre o projeto de reforma da previdência estadual, enviada ao Parlamento no fim do ano, a expectativa do Governo é que ele seja aprimorado pelos deputados estaduais, porém sem perder a sua essência. Moisés enfatizou que o envio da PEC se deu após um acordo entre os governadores.

“Precisamos caminhar para que tenhamos uma Previdência equilibrada até 2030 ou 2035”, afirmou o governador.

 

Governo anuncia projeto para complexo hospitalar na Grande Florianópolis

Moisés também afirmou na manhã de ontem que o Estado pretende construir, em parceria público-privada (PPP), um complexo hospitalar na área do atual Hospital Nereu Ramos, em Florianópolis. A futura estrutura abrangeria os serviços realizados hoje pelos hospitais Celso Ramos, Infantil Joana de Gusmão, pela maternidade Carmela Dutra, além do próprio Nereu Ramos.

A ideia inicial é que as antigas estruturas sejam desativadas aos poucos conforme o novo hospital fique pronto. Segundo o governador, a ideia do projeto foi aprovada pelo BID, a um custo de US$ 800 mil (pouco mais de R$ 3,2 milhões, no câmbio atual). A expectativa é que a elaboração do projeto final leve entre 18 e 20 meses. A partir daí, parte-se para a execução, que deve custar aproximadamente R$ 500 milhões, valor este que deve ser bancado pela iniciativa privada. A forma de compensação dos investidores ainda está em estudo.

“Queremos uma proposta humanizada, com investimento privado, em troca da exploração do espaço. Temos de 18 a 20 meses para a elaboração do projeto, então parte-se para a execução”, afirmou Carlos Moisés.

O secretário de Estado da Saúde, Helton de Souza Zeferino, conta que o Governo ainda vai trabalhar na destinação das atuais estruturas do Celso Ramos e da Carmela Dutra, porém a ideia é trabalhar com a centralização, que proporcionará uma redução de custos no futuro.

“O grande mote é que se trata de uma PPP. O setor privado vai fazer parte do processo. Assim nós teremos uma obra muito mais ágil. Acreditamos que, nesse período de 20 meses, o processo estará pronto para licitação. A partir daí caberá à empresa ter a capacidade de investimento”, explica.

 

Mais Inteligência Artificial para a segurança pública

Fotos: Julio Cavalheiro / Secom O delegado-geral da Polícia Civil, Paulo Koerich (à esquerda), assumiu a presidência do Colegiado Superior de Segurança Pública e Perícia Oficial. Segundo ele, o desafio para 2020 na área da Segurança Pública será manter os índices de criminalidade em queda. Ele diz que as forças públicas seguirão atuando de maneira coordenada. “Nós vamos continuar o trabalho que foi iniciado, somando esforços para transformar Santa Catarina em um estado ainda mais seguro. Nós também vamos intensificar o uso da inteligência artificial e aprimorá-la. Dessa forma, será possível fazer previsões em relação aos índices de criminalidade e buscar coibir os crimes violentos”, afirmou Koerich.

Na visão do coronel Araújo Gomes (à direita), que esteve à frente da pasta ano passado, o ano de 2019 foi especial pelo fato de Santa Catarina voltar a ter um índice de homicídios inferior a 10 para cada 100 mil habitantes. Segundo ele, apenas São Paulo também atingiu essa marca. Ele destacou que é possível manter homicídios, roubos e furtos em queda. “Essa é uma tendência que se iniciou há 18 meses e deve ser mantida. As forças de segurança têm adotado estratégias que ajudaram a alcançar esses resultados. A transmissão do cargo para o delegado Paulo Koerich ocorreu de forma muito natural e o trabalho continuará de maneira integrada a serviço da população”, disse.

 

Contra o aumento de juros

Os bancos já podem cobrar tarifa de novos clientes sobre o limite acima de R$ 500 do cheque especial. O Senador Catarinense Jorginho Mello, que não tira férias, já protocolou um Decreto Legislativo no Senado para suspender a cobrança e também protocolou projeto de lei para proibir a cobrança. “A gente tem que trabalhar para diminuir a taxa de juros e a burocracia, não criar novos empecilhos”, ressalta Jorginho que é contra a criação de novas tarifas e aumento de juros.

 

Deputado ou candidato a prefeito? 

O deputado federal do Novo, Gilson Marques, prometeu que não será candidato nas eleições deste ano. “Constantemente sou questionado pela imprensa, amigos e eleitores se serei candidato a Prefeito de Timbó? de Pomerode? de Blumenau? Agradeço imensamente o carinho, porém irei cumprir integralmente, e com muita dedicação, o mandato para o qual fui eleito.”, publicou o deputado.