União pela permanência da Eletrosul, a postura republicana de Moisés, as movimentações pela presidência do MDB entre outros destaques

Marcelo Lula

Marcelo Lula

Receba pelo celular !!
 
Para receber via WhatsApp é só e nviar uma mensagem pelo (49) 98504.8148.
 
PATROCINE ESTA COLUNA: (49) 985048148 / email: [email protected]

Destaque do Dia

As articulações pelo comando do MDB de Santa Catarina tem se intensificado nos últimos dias. O fato é que, quanto mais se aproxima a data da convenção, mais distante o partido fica de um entendimento para a construção de um consenso.

Brasao

Os dois postulantes à presidência emedebista, o deputado federal, Celso Maldaner, e o senador, Dário Berger, almoçaram na semana passada em Palhoça acompanhados do deputado Carlos Chiodini, que observa os movimentos de perto, podendo surgir na última hora como candidato. O fato é que o cardápio do encontro foi indigesto, pois, conforme já divulgado pela coluna, não houve acerto e nem aceno de recuo.

Maldaner convidou Dário e Chiodini para acompanhá-lo em duas reuniões/campanha, que realizou no final de semana, uma em Jaraguá do Sul, e a outra em Blumenau. Apenas Chiodini compareceu, Dário em um claro sinal de que o clima é de disputa, preferiu não acompanhar.

Agora, o que é de se estranhar é que Maldaner não participará do almoço da bancada emedebista na Assembleia Legislativa, que na semana passada contou com a presença de Dário Berger. Quem irá representá-lo hoje, será o seu irmão, o presidente de honra do partido e ex-senador, Casildo Maldaner. Considero uma decisão arriscada, pois, somente a mesa terão sete votos em uma bancada de nove, já que descontentes com o partido, os deputados Valdir Cobalchini e Moacir Sopelsa, não devem votar, portanto, que Maldaner torça para que a bancada não se sinta menosprezada com a sua ausência.

Uma solicitação que a bancada apresentará no almoço a Casildo, é que a Secretaria Geral do Partido siga com um deputado estadual, cargo hoje ocupado pelo líder do MDB na Alesc, Luiz Fernando Vampiro. O nome a ser indicado é o de Fernando Krelling, parlamentar de primeiro mandato que declinou da condição de candidato à presidência, para focar na Alesc e na eleição municipal.

Um fato novo é que as conversas passarão a ser quase que diárias a partir de sexta-feira (17), quando o ex-governador Eduardo Pinho Moreira voltará de forma antecipada da Inglaterra. Ele que é pró-Maldaner, mesmo não externando esse sentimento deverá mobilizar uma boa parcela das bases. É aí que começará mais uma forte disputa entre os grupos de Pinho Moreira e de Mauro Mariani, que é pró-Berger.

Vale destacar que o resultado da convenção apontará a nova correlação de forças entre os dois principais grupos do MDB catarinense, que tenta voltar ao eixo ainda não reencontrado desde a morte de Luiz Henrique da Silveira, que levou o partido a um desastrado desempenho na eleição do ano passado.

Informações desencontradas

Celso será representado por Casildo.

Ontem ao conversar com o deputado federal, Celso Maldaner (MDB), soube que ele teria um compromisso hoje em Brasília, por isso, não participaria do almoço da bancada emedebista na Assembleia Legislativa. Segundo ele, o seu irmão Casildo Maldaner o representará. A informação pegou de surpresa o líder da bancada, Luiz Fernando Vampiro, que teria recebido a confirmação do próprio Celso.

Governar para todos

Li no Estadão uma matéria sobre os governadores do PSL e a sua relação com a pauta “Bolsonarista”, o que tem gerado críticas aos únicos três que o partido elegeu, entre os quais o governador Carlos Moisés da Silva (PSL). A abordagem é sobre a não adoção das pautas ideológicas e, a abertura ao diálogo com os partidos que fazem oposição ao governo de Jair Bolsonaro (PSL). A matéria destaca, por exemplo, o caso do governador de Roraima, Antonio Denarium (PSL), que tem um comunista, o deputado estadual, Soldado Sampaio (PCdoB), como o seu líder na Assembleia Legislativa. Outro citado foi o Coronel Marcos Rocha (PSL) que é governador de Rondônia, que mantém atuação mais discreta, tanto, que até o momento não puxou pautas mais polêmicas a exemplo do Escola sem Partido e dos costumes, porém, os que chamam mais a atenção é Moisés e Denarium.

Incoerência X Diálogo

O fato do governador de Roraima, Antonio Denarium (PSL), ter um comunista, o deputado estadual, Soldado Sampaio (PCdoB), como o seu líder na Assembleia Legislativa, é uma incoerência. Com discursos totalmente antagônicos e em partidos que são adversários em todos os aspectos, como será para Sampaio defender possíveis pautas do Governo que sejam contrárias ideologicamente ao seu partido? Não falo só das pautas de costumes, pois, a questão é muito mais ampla. Com o passar do tempo, é possível que a passagem bíblica de que não se pode servir a dois senhores, os chame à realidade. Agora, o caso do governador Carlos Moisés da Silva (PSL) é diferente. A reportagem do Estadão lembra que ele abriu as portas da Casa D’Agronômica para receber os deputados do PT e integrantes do MST, fato também divulgado a época, por esta coluna. Moisés também chegou a receber os parlamentares petistas em outra oportunidade no Centro Administrativo. Neste caso, o gesto deve ser reconhecido, pois, um governador não pertence a um partido, ele governa um Estado e deve dialogar com todos, até com os que pensam diferente, afinal, isso é ser republicano.

Governo moderado

Leia também »  A aprovação da reforma, Gean Loureiro se licenciará, Moisés passará para os municípios a competência da manutenção de rodovias estaduais entre outros destaques

O governador Carlos Moisés da Silva (PSL), segundo algumas fontes próximas a ele, pretende manter essa postura de diálogo com todos. Isso é importante, pois, a princípio, afasta a possibilidade de termos um governo radical em Santa Catarina. É claro que ele deve honrar as bandeiras levantadas pelo seu partido durante a eleição, se fugir disso, terá enganado os seus próprios apoiadores, porém, se mostra responsável ao afastar alguns temas que em nada contribuirão para o desenvolvimento do Estado. Uma das primeiras ações foi a de barrar a tentativa da deputada estadual, Ana Caroline Campagnolo (PSL), que de forma arrogante e do alto de sua fanfarronice tentou impor a indicação de um secretário da Educação, seguidor do astrólogo desocupado Olavo de Carvalho. Portanto, Moisés tem entre os seus muitos erros e acertos, esse ponto positivo de manter um canal aberto ao diálogo, que é o que ajuda a nos manter em um Estado democrático e de direito.

Precatórios

A Procuradoria Geral do Estado recebeu mais de 340 propostas de titulares de precatórios, que são dívidas reconhecidas pelo Estado em decisões judiciais, interessados em fazer acordo para antecipar o recebimento dos valores, em um total de R$ 79 milhões. As propostas estão sendo analisadas para a publicação de um edital com o nome de todos os interessados e os percentuais de desconto oferecidos para posterior assinatura e homologação do acordo pelo Tribunal de Justiça. A estimativa é de uma economia de cerca de R$ 20 milhões aos cofres públicos. Outros editais devem ser lançados até o fim do ano, pois o Estado disponibilizou R$ 250 milhões para pagamento de precatórios através de um acordo em 2019.

Eletrosul

O governador Carlos Moisés da Silva (PSL) reiterou ontem a posição a favor da manutenção da Eletrosul em Santa Catarina, em encontro com deputados federais e senadores que compõem o Fórum Parlamentar Catarinense, na Casa d’Agronômica. A reunião serviu para Moisés e parlamentares debaterem as pautas de interesse do estado no Congresso Nacional e no Governo Federal. Atualmente, está encaminhada uma incorporação da empresa pela Companhia de Geração Térmica de Energia Elétrica (CGTEE) do Rio Grande do Sul. A reestruturação foi aprovada em 2017 pelo Conselho de Administração da Eletrobrás. Tanto os parlamentares quanto o governador, são contrários à proposta. Uma audiência será agendada para que Moisés e a bancada catarinense conversem diretamente com o presidente Jair Bolsonaro (PSL) a respeito do assunto.

Reforma Administrativa

Uma constatação feita por alguns deputados estaduais, é que a Reforma Administrativa do governo de Carlos Moisés da Silva (PSL), é muito mais barulho do que retorno efetivo para o Estado. “Essa reforma como veio, se votarmos hoje, ou em dezembro de 2022 não mudará em nada para o Estado”, afirmou um parlamentar que pediu para não ter o nome divulgado.

Investimento nos municípios

A Agência de Fomento do Estado de Santa Catarina (Badesc) vai investir R$ 58,7 milhões em municípios que apresentam alta evasão populacional e baixo repasse de recursos do FPM, entre outros índices de desenvolvimento. Neste primeiro momento, 46 municípios foram classificados no Protocolo de Intenções para financiar projetos pelo Programa Badesc Cidades. Eles têm até 31 de maio para entregar toda a documentação financeira na Agência. A maior parte dos municípios está localizada na região Oeste (38%), seguida das regiões Norte (23,8%), Vale do Itajaí (14,2%), Serrana (11,6%), Sul (7,1%) e Grande Florianópolis (5,3%). Segundo o presidente do Badesc, Eduardo Machado, a classificação dos municípios seguiu critérios técnicos para pontuação. Clique aqui e confira quais os municípios contemplados.

Vereador é denunciado

De acordo com o site do Notícias do Dia, a Câmara de Vereadores de Florianópolis recebeu uma denúncias contra o vereador, Maikon Costa (PSDB). Um ex-servidor do gabinete do tucano chamado Rafael Coelho, foi quem protocolou a denúncia, dando conta de que supostos repasses entre R$ 500 e R$ 1 mil teriam sido cobrados por Costa a uma suplente, que assumiu em alguns períodos em seu lugar. A matéria diz ainda que Coelho confirmou a informação ao ND+ e, segundo ele, a prática seria comum. A motivação seria interesses pessoais, incluindo o pagamento de pensão alimentícia de um filho de Costa.

O áudio

Em um áudio anexado a denúncia, aparece uma voz que aparentemente é do vereador, Maikon Costa (PSDB), conversando com uma outra pessoa. Ele diz: Todo suplente quando abre pro outro, o que ele faz, ele dá um suporte, isso é natural. A gravação parece que volta e aos 7 segundos repete a mesma fala: Todo suplente quando abre um pro outro, ele dá um suporte, e segue dizendo: Sabe o que foi feito, eu falei: olha preciso pagar a pensão do meu filho é, tu consegue segurar e pagar a pensão, (Fica inaudível). E aí, qual é o problema? Dá para ouvir a voz de uma outra pessoa, mas fica inaudível e encerra a gravação de 28 segundos.

Contraponto

Através de nota o vereador Maikon Costa (PSDB) se manifestou a respeito do caso. Segue:

“Era natural que após provocar a CPI dos Transportes e realizar audiência sobre o novo acesso ao Sul da Ilha que começou a elucidar possíveis irregularidades no processo de indenizações, que os ataques sistemáticos viriam ao nosso mandato.

Leia também »  Déficit de auditores fiscais pode afetar a economia de SC, gastos da Agronômica podem se tornar sigilosos, Reforma Administrativa será votada hoje entre outros destaques

O Sr. Rafael Coelho foi comissionado lotado em nosso gabinete e por incompatibilidade, acabou sendo exonerado. Mesmo assim em função de um vínculo de amizade estabelecido desde 2002 quando servimos o Exército Brasileiro, tentei ajudá-lo financeiramente, até que pudesse se recuperar e encontrar emprego, o que prova conforme os próprios prints encaminhados na sua denúncia, que ao contrário do que diz, ele é o beneficiado do meu depósito e não o contrário. Me espanta que esta denúncia venha só agora, requentada e muito provavelmente a serviço de alguém.

Quanto ao recorte do áudio, ele é absolutamente fora de contexto, fracionado e prova mais uma vez a litigância de má fé de alguém que usou por inúmeras as vezes a coação para tentar chegar os seus objetivos” – Maikon Costa – Vereador

Comissão é formada

Por ordem do presidente da Câmara de Vereadores de Florianópolis, Roberto Katumi (PSD), foi encaminhada a denúncia ao Ministério Público e determinada a abertura de um Conselho de Ética. Tiago Silva (MDB) é quem presidirá os trabalhos, tendo como demais integrantes os vereadores, Vanderlei Farias, o Lela (PDT), Renato da Farmácia (PSOL), Marcos de Abreu, o Marquito (PSOL) e Lino Peres (PT). É importante que, além de ouvir a suplente, que seja feita uma perícia na gravação, pois, chama a atenção a repetição de uma fala. Agora, caso comprovado que não houve alteração, a situação do vereador deve ficar muito difícil, muito embora, uma fonte ligada à Câmara informou que o depoimento da suplente é o principal.

Perseguição?

O vereador de Florianópolis, Maikon Costa (PSDB) não quis apontar nomes, mas quando se referiu a perseguição, pareceu estar se referindo ao presidente da Câmara, Roberto Katumi (PSD) com quem tem tido discussões nas sessões. Aliás, ontem em grupos nas redes sociais ligadas a região de Carianos, as manifestações foram fortes a favor de Costa, incluindo críticas a Katumi e com a lembrança que o presidente é um dos envolvidos na Operação Ave de Rapina.

Virou piada

Uma possível indicação de lideranças de Chapecó, para que a vice-governadora Daniela Reinehr seja a candidata do PSL a prefeita, virou motivo de piada nos encontros políticos. Sem conseguir construir uma imagem de liderança e desgastada por não ter conseguido realizar nenhuma das ações que prometeu, Daniela não é vista como alguém que tenha a condição de comandar um município do porte de Chapecó. A ideia ficou apenas em um grupo restrito e não tem tido adesões. Um dos pontos que depõe contra Daniela, é o fato de ter faltado com a verdade no caso do ISL para o aeroporto Serafin Enoss Bertaso, situação a qual anunciou que estava resolvendo, mas acabou sendo desmentida pela própria Floripa Airport, além do seu comportamento em relação as pessoas, assessores e lideranças. Os pesselistas se quiserem ter candidato, ou vão de Caroline de Toni, ou terão que apoiar um outro projeto.

Pastor no páreo

Muito embora o ex-deputado estadual, Narcizo Parisotto (PSC), se anuncie como pré-candidato a prefeito de Chapecó, mas o fato é que o nome que deverá ser lançado pelo partido, é o do pastor Getúlio Gromovski. Com uma grande popularidade e a benção de Parisotto, não é a primeira vez em que Gromovski aparece como uma possibilidade para encabeçar uma chapa, ou até mesmo para disputar como vice. As conversas seguem sendo realizadas com vários partidos.

PSL em Joinville

Está cada vez mais difícil um entendimento entre os pesselistas em Joinville. Ouvi ontem o comentário do colega João Francisco na Rádio Clube, onde ele praticamente falou que o deputado federal Coronel Armando, e o deputado estadual, Sargento Lima, não falam a mesma língua. Um acerto é considerado quase que impossível, pois, enquanto que Armando é contra o presidente estadual do partido, Lucas Esmeraldino, Lima o defende. Para ter uma ideia, até mesmo o governador Carlos Moisés da Silva (PSL) teria evitado ser fotografado com Armando, porém, um fato novo pode mudar essa situação. Coronel Armando estaria abrindo umas portas para Moisés em Brasília, o que poderá servir como construção para uma aproximação. Se isso vai realmente acontecer, somente o tempo dirá.

Centrão do Udo

Conversei com uma fonte emedebista que me relatou uma situação, que poderá mudar até mesmo os rumos do PSL em Joinville. O prefeito Udo Döhler (MDB) estaria articulando a formação de um “centrão”, para construir uma candidatura com uma base forte na eleição. Entre os partidos a serem procurados, estão os próprios pesselistas, o DEM, PSDB, PR e o Progressistas. Se realmente vingar, dificilmente os emedebistas abrirão mão de encabeçar a chapa, porém, nada está descartado.

Salvaro é questionado

A Comissão de Fiscalização, Controle e Orçamentos da Câmara de Vereadores de Criciúma, apresentou requerimento na sessão de ontem, questionando valores gastos e recebidos pelo Poder Executivo. Eles querem saber qual o total das Receitas Orçadas com as Arrecadadas de julho de 2018, a maio de 2019, além dos valores totais das Despesas Autorizadas com as empenhadas e liquidadas no mesmo período. Os vereadores também pedem um Relatório dos Restos a Pagar inscritos em 2016, 2017 e 2018, e os valores que foram pagos em 2017, 2018 e no corrente ano. Salvaro também terá que apresentar uma lista dos 10 pagamentos mais expressivos de cada período, o saldo total de caixa e aplicações de recursos próprios total da Prefeitura de julho de 2018 a maio de 2019.

Leia também »  Custo da Agronômica pode ultrapassar os R$ 500 mil mensais, Reforma Administrativa será votada amanhã, MDB pode ter disputa em SC entre outros destaques

HRO

A visita dos técnicos do Ministério da Ciência e Tecnologia ao Hospital Regional do Oeste em Chapecó, ocorreu na sexta-feira, como havia sido informado pela coluna. A manifestação inicial é que está tudo OK para o acelerador linear entrar em funcionamento. Basta a publicação do laudo oficial que deve ocorrer nos próximos dias.

 Udo na Acij

 O prefeito de Joinville, Udo Döhler (MDB), esteve ontem na Associação Empresarial de Joinville (Acij) onde palestrou para os empresários locais, na tradicional reunião do conselho realizada as segundas-feiras. Os trabalhos foram conduzidos pelo presidente da entidade, João Martinelli. Döhler falou sobre os avanços na gestão, principalmente no foco em tecnologia e inovação, além do combate aos desvios de caráter na administração pública. Segundo ele, em 2022 o município terá 52% de esgoto, com a água subsidiando o custo. Ele também destacou a segurança em Joinville, o alto índice de IDH, a realização de pavimentações e, deu mais detalhes sobre um financiamento que busca junto ao Banco do Brasil.

Artigo 170

O deputado estadual Rodrigo Minotto (PDT) esteve no fim da tarde de ontem em audiência com o governador Carlos Moisés da Silva (PSL). Na pauta, a liberação de recursos para as Bolsas do Artigo 170, que possibilitam para milhares de catarinenses o acesso ao curso de ensino superior. Na Assembleia Legislativa, Minotto é o coordenador da Frente Parlamentar em Defesa das Instituições de Educação Superior. “Vamos marcar uma audiência com os reitores das Universidades para que o governador Moisés faça o anúncio dos primeiros recursos para estas bolsas. Somente este valor inicial já é superior ao que vinha sendo aplicado pelos Governos anteriores no Artigo 170. Saio feliz pelo interesse que o Governador demonstrou com a educação de Santa Catarina”, adiantou Minotto. De 2008 a 2017, o Governo do Estado deixou de repassar quase R$ 1 bilhão às universidades.

Redução de vereadores

O vereador de Chapecó, Neuri Mantelli (Republicanos), pediu durante a sessão de ontem, questão de ordem para verificar a tramitação do projeto de sua autoria, sobre a redução do número de vereadores, antes que vá à votação no plenário. O presidente da Câmara, Ildo Antonini (DEM), disse que fará consulta às comissões para conferir se a proposta está pronta para entrar na próxima sessão. O projeto de emenda à lei orgânica municipal, prevê diminuir de 21 para 17 o total de parlamentares. “Já faz um tempo que está nas comissões, faltava um parecer, por isso hoje eu pedi informação sobre o andamento. Precisamos apresentar um resultado para a população e, de fato, colocar na Câmara de Vereadores quem queira defender os interesses da população chapecoense”, ressaltou.

Cidadão Honorário

O ex-governador Raimundo Colombo (PSD) receberá o título de Cidadão Honorário de São João do Itaperiú, em sessão da Câmara de Vereadores hoje, às 19h. A proposta de concessão do título, aprovada por unanimidade, foi apresentada pelo presidente da Câmara, vereador Valdeci Delmonego (PSD). Ele justificou dizendo que é um reconhecimento ao que Colombo realizou em benefício do município durante o seu mandato como governador.

Catarinenses palestram no RS

O jornalista João Paulo Borges, e o consultor em Comunicação Pública, Frutuoso de Oliveira, ambos aqui de Santa Catarina, palestrarão hoje na abertura do 10º Encontro dos Assessores de Comunicação Social dos Municípios do Rio Grande do Sul. O evento que encerra amanhã, tem entrada franca e será realizado no auditório Alceu Collares, na sede da entidade. Borges falará sobre o Uso do WhatsApp na comunicação pública, enquanto que Frutuoso abordará o tema “Assessoria de Imprensa no Setor Público”.

Em tempo

A Justiça do Rio de Janeiro anunciou que está autorizada a quebra dos sigilos bancário e fiscal do senador, Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), filho do presidente Jair Bolsonaro (PSL). O sigilo do ex-policial militar Fabrício Queiroz, que foi assessor e motorista de Flávio, também será quebrado. Independentemente de quem seja, deve ser investigado, não é aceitável que se compactue com qualquer situação que possa ter sido ilícita. O importante é que todas as informações sejam prestadas, pois, quem não deve não teme. Além disso, é preciso lembrar que o presidente da República não tem nenhuma ligação com essa situação.

Medidas protetivas

Uma nova lei sancionada ontem pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL), em uma audiência com a senadora Leila Barros (PSB-DF), relatora do projeto que alterou a Lei Maria da Penha, será mais uma ferramenta para tentar inibir a violência contra as mulheres e crianças. Agora, os delegados e policiais poderão emitir medidas protetivas de urgência às vítimas de violência. Nos casos em que as medidas protetivas forem decididas por delegado ou policial, o juiz deverá ser comunicado no prazo máximo de 24 horas e decidirá em igual prazo, sobre a manutenção ou a revisão da medida, comunicando sua decisão ao Ministério Público.

Para receber via WhatsApp é só enviar uma mensagem pelo (49) 98504.8148.
 
PATROCINE ESTA COLUNA: (49) 985048148 / email: [email protected]
 

Atualizado em:
Projeto de Moisés pode tirar recursos dos municípios, seguem as conversas no MDB, Carlito Merss deve voltar à política entre outros destaques
A aprovação da reforma, Gean Loureiro se licenciará, Moisés passará para os municípios a competência da manutenção de rodovias estaduais entre outros destaques
Déficit de auditores fiscais pode afetar a economia de SC, gastos da Agronômica podem se tornar sigilosos, Reforma Administrativa será votada hoje entre outros destaques
Sem disputa no MDB catarinense