...
Acélio Casagrande Clésio Salvaro Criciúma

“Por mim, o Acélio é o vice”, afirma Salvaro sobre a eleição em Criciúma

Em um jantar na quarta-feira (24) passada, o prefeito de Criciúma, Clésio Salvaro (PSD), afirmou que o secretário Acélio Casagrande, filiado ao PSDB, será o vice de Arleu da Silveira (PSDB) na disputa majoritária. O encontro ocorreu na casa de praia que pertence a Silveira.

Ontem, conversei com Salvaro a respeito de sua fala no encontro, que teve como participantes os próprios Arleu e Casagrande, além da deputada federal Geovânia de Sá (PSDB) e lideranças comunitárias. O prefeito me disse que Acélio é um bom nome para ser o vice e que tem o compromisso de estar no projeto do PSD. “Tenho que conversar com o Júlio (Garcia) e com o Eron (Giordani), mas, por mim, o Acélio é o vice. Temos uma conversa muito adiantada nesse sentido”, afirmou Salvaro.

Quando questionado sobre a situação do deputado federal Ricardo Guidi, que também deseja ser o candidato do PSD a prefeito, Salvaro respondeu que o parlamentar precisa definir o que fará. “Sua pergunta é perfeita, só que para a pessoa errada. É o Guidi que deve definir o que fará de sua vida. O que ele quer? Continuar no governo? A ida para o governo foi uma decisão pessoal, não do partido. Precisa dizer se quer continuar no partido”, afirmou. (segue após o anúncio)

Para Salvaro, Ricardo Guidi deve construir seu caminho dentro do PSD, não fora. Entende que falta ao deputado conversar com o presidente do partido e demais lideranças e questionou: “Ele quer ser candidato por qual partido? PL, PSD, PP e quer ter o apoio do governador? Ele é o candidato do Governo do Estado? Em qual partido, em qual time ele está? Essas questões não estão claras, e a política tem que ser com clareza. Até agora, ele não falou comigo que deseja ser candidato. Ele tem que definir por qual partido e o motivo de querer disputar”, disse Salvaro, jogando a responsabilidade para o parlamentar.

Alianças

O prefeito de Criciúma, Clésio Salvaro (PSD), me disse que a aliança que está sendo costurada pelo seu partido terá o Republicanos, União Brasil, PSB, PDT e o PSDB. Quanto ao PL, que tem mantido conversas com o seu grupo, Salvaro respondeu que não descarta, mas que o principal partido da coligação será o que chamou de “Partido Criciúma”.