...
Alesc Carlos Moisés da Silva Dário Berger Jair Bolsonaro Jorginho Mello

A neutralidade de Bolsonaro em SC; Partidos de esquerda se reúnem na capital; De Nadal libera recursos para o Oeste entre outros destaques

Agora estamos nas redes sociais. Segue lá!   Instagram: @scempauta   Twitter:  @scempauta   https://www.facebook.com/scempauta  

Para receber a coluna via WhatsApp, favor enviar mensagem com o seu nome e cidade e salvar o número: 49 98504.8148. Faça parte da lista de transmissão do site que todo mundo lê.

Ao ser questionado no cercadinho no entorno do Palácio da Alvorada nesta semana por um admirador, se o senador Jorginho Mello (PL) será o nome que apoiará na eleição do próximo ano em Santa Catarina, o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), deixou claro que se tiver mais de um apoiador, não se envolverá em disputas estaduais. “Não sei. Tem vários estados que tem vários candidatos que são simpáticos a minha pessoa. Eu não posso fechar com A, B ou C e aí, vou ficar a ver navios”, disse o presidente a um apoiador.

Há algum tempo tenho alertado para esse comportamento de Bolsonaro. O presidente pensa nele, em seu projeto e aos que desejam segui-lo, ele não oferece nada em troca, pois entende que a sua imagem já basta como contrapartida. Isso me leva às eleições de 2018, quando Gelson Merisio ao receber a informação de que Mauro Mariani (MDB) anunciaria apoio a Bolsonaro, se antecipou e fez ele o anúncio de que apoiaria o então candidato do PSL.

Enquanto Mariani teve que se voltar a Henrique Meirelles, o então candidato do MDB a presidente, Merisio começou a rivalizar com o então Comandante Moisés a condição de candidato do Bolsonaro em Santa Catarina. Naquela época devido as coberturas que eu fazia em Brasília, tive um contato mais facilitado com o ainda deputado Jair Bolsonaro, quando em uma das conversas por telefone, o questionei sobre as candidaturas aqui no estado e, se ele apoiaria Moisés ou Merisio e, a resposta foi a seguinte: “Não posso apoiar ninguém. Se eu apoiar um dos dois, perco o apoio do outro, preciso de todos”, afirmou o então candidato do 17.

Apesar da provável neutralidade de Bolsonaro, há um fato novo que não pode ser ignorado, que é a influência do número do partido. Mesmo não havendo qualquer cenário que aponte para uma nova onda, boa parte do eleitorado catarinense é conservador e, por isso, votará no que perceber como o mais próximo de Bolsonaro, trazendo isso para o pleito estadual. Em suma, Jorginho Mello pode ter um ganho maior do que qualquer outro candidato, por causa da filiação do presidente ao PL. Para equilibrar esse cenário, os demais prováveis candidatos bolsonaristas precisam trabalhar a associação de suas imagens a de Bolsonaro.

Prazo

Os deputados estaduais do Partido Liberal na Assembleia Legislativa Maurício Eskudlark e Nilso Berlanda, já têm prazo para deixar a bancada governista no parlamento. Em reunião na sede do PL, o senador Jorginho Mello definiu o final deste ano como prazo para que Eskudlark e Berlanda se afastem do governador Carlos Moisés da Silva (sem partido) e, se alinhem ao posicionamento do partido que é de oposição. “O PL terá em Jorginho o seu candidato, por isso mesmo, será necessário se alinhar com o senador”, me disse uma liderança.

Debate na Pan News

Hoje é dia de debate na Jovem Pan News de Florianópolis 103,3 FM e Jovem Pan News Criciúma 101,5 FM. Maria Helena, Maga Stopassoli e eu, Marcelo Lula, a partir das 16h debateremos as principais pautas da política catarinense. Pode ouvir pelo rádio, ou acesse via Panflix, ou no perfil Jovem Pan Floripa no Youtube.  

Sopelsa elogia

Ontem eu conversei com o deputado estadual, Moacir Sopelsa (MDB), sobre o andamento dos trabalhos na Assembleia Legislativa. Ele destacou a harmonia do parlamento e, elogiou o trabalho do presidente Mauro De Nadal (MDB) à frente da Alesc. “A oportunidade que ele recebeu de assumir o governo foi merecida. O Mauro e toda a Assembleia tem ajudado o governo nas pautas que beneficiam a população”, disse Sopelsa, que também elogiou o atual vice-presidente, Nilso Berlanda (PL), que assumiu a presidência interina da Alesc. Moacir Sopelsa será o presidente no próximo ano, situação a qual ele atribui a uma contribuição de todos os deputados, sobretudo de Júlio Garcia (PSD) e De Nadal. O parlamentar disse ainda que usará de sua experiência adquirida como prefeito de Concórdia, secretário de Estado e deputado, para fazer uma boa gestão.

Exemplo e MDB

O deputado estadual Moacir Sopelsa (MDB) foi além, ao dizer que ao assumir a Presidência da Assembleia Legislativa, manterá a relação de diálogo seguindo o exemplo de Júlio Garcia (PSD) e Mauro De Nadal (MDB), à frente do parlamento. Segundo ele, a ideia é manter as portas da presidência aberta a todos os deputados. “Todos precisam ser ouvidos, pois, todos fazem o parlamento funcionar”, afirmou. Já sobre o MDB, Sopelsa entende que o partido precisa definir o seu candidato. “São três grandes nomes, não podemos ficar discutindo quem será. Temos que decidir, até para podermos conversar com os demais partidos”, afirmou, destacando que pensar em chapa pura é um grande erro. Já sobre o governador Carlos Moisés da Silva (sem partido), Sopelsa entende que o MDB também precisa ouvi-lo. “Está fazendo muitas realizações e, atendendo as bases”, disse.

Recursos

O governador em exercício, Mauro De Nadal (MDB), liberou quase R$ 8 milhões em investimentos para a região de São Lourenço do Oeste. Os recursos foram repassados por meio de transferências especiais, na modalidade fundo a fundo, e serão usados para melhorias em áreas como saúde, educação e infraestrutura. De Nadal reforça que as entregas representam a gestão municipalista do atual governo. Também foram repassados recursos para as cidades de Coronel Freitas, Quilombo, Ipuaçu, São Bernardino, Jupiá e Formosa do Sul. Além disso, foram entregues 226 tablets para as escolas da região, em um investimento de R$ 202 mil.

Esquerda catarinense

O Café Cultura em Florianópolis foi o local escolhido pelos presidentes estaduais do PDT, Manoel Dias, do PT, Décio Lima e o vereador da capital filiado ao PSOL, Afrânio Boppré, para discutir o cenário político e eleitoral. Ao final, reafirmaram um compromisso de construir a unidade do que definem como campo democrático e popular, para o enfrentar o bolsonarismo em Santa Catarina. O próximo encontro será no próximo dia 22 e contará com a presença de lideranças e parlamentares Estaduais e Federal dos partidos envolvidos.

Juliano Campos em Pauta

Ontem entrevistei no programa O Jogo do Poder na Jovem Pan News de Florianópolis 103,3 FM, e Jovem Pan News de Criciúma 101,5 FM, o ex-prefeito de Governador Celso Ramos, Juliano Campos (PSB), pré-candidato a deputado estadual. Ele falou do cenário eleitoral, o motivo por não votar novamente no presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), sobre o convite ao senador Dário Berger e a relação de seu partido com o prefeito de São José, Orvino de Ávila (PSD). Confira:

Lummertz em Pauta

O meu segundo entrevistado no O Jogo do Poder foi o secretário de Turismo de São Paulo, o catarinense Vinicius Lummertz. Falamos sobre turismo, economia e prévias do PSDB.

Educação

Foi aprovado por unanimidade pela Comissão de Educação, o relatório do senador Dário Berger (MDB) ao Projeto de Lei que, cria o Sistema Nacional de Educação. A matéria segue agora para decisão final no Plenário do Senado em regime de urgência e, caso aprovada, será enviada para a análise da Câmara dos Deputados. “O país está atrasado e precisa avançar na estrutura organizacional do ensino. Já está previsto na Constituição de 88 um Sistema Nacional nesse sentido, mas até hoje não existe. É preciso tirar esse projeto do papel pensando no futuro do Brasil. É o que estamos fazendo. Hoje é um dia que entrará para a história”, celebrou Berger.

Tendências do mercado

No contexto da competitividade internacional e adequação à nova realidade mundial, pós-pandêmica, o mercado de Recursos Humanos passa por um processo de readequação, promovendo importantes debates ao redor do mundo. No Sul do Brasil, o player WTC Curitiba, Joinville e Porto Alegre promoveu o primeiro encontro do (People and Culture Group) para abordar as tendências da gestão de pessoas nas empresas em 2022. Participaram do debate, profissionais de RH das multinacionais sediadas no Brasil: Renault, LinkedIn e Aon. De forma on-line, o grupo de gestão de pessoas e cultura PCG, presidido por Silvana Pampu, sênior manager da Renault do Brasil, tendo na vice-presidência Andrea Milan, diretora executiva de pessoas da Aon Brasil, também contou com as contribuições dos convidados Alexandre Ullmann, diretor de RH América Latina e Europa do LinkedIn, e Rafaella Matioli, diretora de health & human capital e soluções em ESG da Aon Brasil. No encontro, compartilharam suas ideias, cases e pesquisas.

SC na Expo Dubai

O presidente da Federação das Indústrias (FIESC), Mario Cezar de Aguiar, e o 1° vice-presidente da entidade, Gilberto Seleme, participam da Expo Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, de 13 a 19 de novembro. Eles integram comitiva brasileira que reunirá 320 líderes empresariais. A iniciativa é da Confederação Nacional da Indústria (CNI), com o apoio da Agência de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex Brasil). Representando a CNI, Aguiar apresentará o potencial de negócios entre Brasil e os Emirados Árabes. Nesse período, o vice-presidente da FIESC para o Alto Vale do Itajaí, André Armin Odebrecht, assume interinamente a presidência da entidade.

Para receber a coluna via WhatsApp, favor enviar mensagem com o seu nome e cidade e salvar o número: 49 98504.8148. Faça parte da lista de transmissão do site que todo mundo lê.

Agora estamos nas redes sociais. Segue lá!   Instagram: @scempauta   Twitter:  @scempauta   https://www.facebook.com/scempauta