...
Alesc André Motta Ribeiro Bill Jonnathan Pereira BR-470 Carlos Moisés da Silva Celso Maldaner Clésio Salvaro Eduardo Bolsonaro Fábio Schiochet Flávio Bolsonaro Jair Bolsonaro Jorge Krüger Júlia Zanatta Laércio Schuster MDB prévia PSL Rachadinha Ricardo Fabris Ronaldo Carioni

Deputado estadual é acusado da prática de “rachadinha”; Data da prévia do MDB será definida em Agosto; A dificuldade de Salvaro entre outros destaques

Ajude as demais pessoas a ficarem mais bem informadas, assim como você! Compartilhe o nosso conteúdo através de seus grupos de WhatsApp e demais redes sociais.

Para receber a coluna via WhatsApp, favor enviar mensagem com o seu nome e cidade e salvar o número: 49 98504.8148. Faça parte da lista de transmissão do site que todo mundo lê.

Laércio Schuster é acusado de supostamente ter praticado a chamada “rachadinha”

Um ex-professor de música de Timbó, cidade conhecida como a “Pérola do Vale”, foi às redes sociais fazer uma grave denúncia contra o deputado estadual, Laércio Schuster (PSB). Bill Jonnathan Pereira acusa Schuster que foi prefeito do município entre 2009 e 2016, de ter praticado a chamada “rachadinha”, que é quando servidores são obrigados a repassar parte de seus salários a um agente público que os nomeou.

A denúncia partiu de uma crítica feita por Pereira, a um vídeo gravado pelo parlamentar, no qual Schuster reclama de ter sido barrado de uma coletiva de imprensa concedida pelo prefeito atual de Timbó, Jorge Krüger (Progressistas), e pelo secretário de Estado da Saúde, André Motta Ribeiro, sobre o retorno das cirurgias eletivas. “Se Laércio fosse o que diz ser, não cobraria 5% de todo salário de cargo comissionado em sua gestão como prefeito de Timbó”, escreveu o ex-servidor, destacando que sabe da situação, por ter sido contratado pelo município durante a gestão do então prefeito Schuster.

De acordo com o denunciante, todos os meses Laércio mandava algumas pessoas, as quais, Pereira define como “capangas”, cobrarem o valor. “Sem contar que o seu assessor era o cara que saia oferecendo grana fácil para quem rachasse com o tal deputado”, afirmou o ex-servidor na publicação. Por fim, Bill Pereira desafia o parlamentar a processá-lo por calúnia e difamação. “Mas, ele até hoje não conseguiu olhar na minha cara. Sabe porque? Porque é corrupto. SIMPLES ASSIM (sic) ”, escreveu.

Tentei falar com o músico durante o final de semana, porém, ele não respondeu às minhas tentativas de contato. Uma fonte confirmou a suposta prática da rachadinha e, disse que outros servidores da época também tiveram que contribuir. Segundo a mesma fonte, cabia a uma ex-secretária o papel de receber a contribuição a qual definiu como “espontânea”. “Todos os servidores da prefeitura conhecem este fato. Aliás, a tal secretaria era a facilitadora das manobras com erário que enriqueceu ilicitamente o tal deputado. Muito papel queimado na churrasqueira da casa dela (sic) ”, relatou.

Tentei contato com Laércio Schuster através de sua assessoria, porém, não obtive retorno. Já quanto ao ex-servidor, autor da denúncia via rede social, vi mais uma postagem em que faz novas críticas ao deputado sobre o seu mandato de prefeito, além de uma direcionada a um vereador. “Querido Vereador! Por favor, não confunda meu posicionamento político com meter o terror. Meter o terror é saber que praticam injustiça, roubam, desviam, fazem caixa 2, e tantas outras coisas, independente qual governo está atuando é mesmo assim fazer de conta que não vê. Se posicionar não é meter o terror. É exercer cidadania e falar o que precisa ser dito (sic”), escreveu.

No sábado, mais uma vez ele voltou a escrever, possivelmente sobre a sua decisão de apresentar a denúncia. “Não tenha medo quando estiver falando a verdade. Tenha medo sim, quando estiver mentindo”, publicou às 14h59.

A coluna seguirá tentando contato, tanto com o deputado, quanto com o professor que fez a denúncia.

Desfiliação do governador

A saída do governador Carlos Moisés da Silva do PSL não foi uma novidade, pelo simples fato do SCemPauta ter anunciado já há algum tempo em primeira mão, que esse seria o caminho, a desfiliação. No sábado (10) Moisés reuniu algumas lideranças para anunciar que nesta semana assinará o documento de desfiliação. Durante a sua fala, ele também confirmou que ficará um tempo sem se filiar, porém, quando for a hora, que vai querer um partido que lhe permita apresentar uma proposta para Santa Catarina e que dê todo o respaldo.

Críticas a Schiochet

Relação entre Schiochet e Moisés já havia azedado há tempos

Algumas lideranças que estiveram com o governador Carlos Moisés da Silva (sem partido), no sábado (10), incluindo vereadores eleitos pelo PSL, criticaram duramente o presidente pesselista no estado, o deputado federal, Fábio Schiochet. A maior reclamação foi a de que Schiochet fez inúmeras promessas aos candidatos na eleição passada, que não foram cumpridas. No mesmo dia a noite uma fonte ligada ao deputado, que recebeu informações de um dos participantes do encontro na Casa D’Agronômica, me disse que nas eleições municipais Moisés não abriu o governo para o PSL, o que inviabilizou o cumprimento das promessas feitas por Schiochet.

Previdência

Há oito dias da audiência pública que será realizada pelas comissões de Constituição e Justiça, Finanças e Trabalho da Assembleia Legislativa, os sindicatos e associações prometem iniciar uma agenda de visitas aos deputados estaduais. As categorias querem discutir com os parlamentares o projeto da Reforma da Previdência. Uma fonte ligada a Alesc já adiantou que será uma semana de peregrinação.

BR-470

Carioni precisa explicar o motivo da demora

As entidades empresariais estão se reunindo para cobrar explicações sobre a situação da BR-470. Mesmo com o recurso do Governo do Estado aprovado pela Assembleia Legislativa, a duplicação está parada. A cobrança das entidades deve recair sobre Ronaldo Carioni, superintende do DNIT no estado. Com o recurso aprovado a duplicação da obra dos trechos 1 e 2 estariam prontas até dezembro. Com a demora, os prazos vão se estendendo. Em duas décadas, o trecho do Vale do Itajaí da BR-470 soma mais de 2 mil mortes. O governador Carlos Moisés da Silva (sem partido) chegou a afirmar a lideranças, que defende o investimento de recursos estaduais em rodovias federais. “As rodovias são federais, mas quem passa por ela são os catarinenses”, ressalta.

Prévia do MDB

O presidente estadual do MDB, deputado Celso Maldaner, informou que na primeira quinzena de agosto, reunirá o diretório do partido para definir a data da prévia. O roteiro das reuniões presenciais tem como data final, o próximo dia 31 em São Lourenço do Oeste. Tem quem aposte no dia 15 de novembro para ser a nova data da prévia.

Dificuldade de Salvaro

O prefeito de Criciúma Clésio Salvaro (PSDB) tem gostado das manifestações em prol de sua candidatura ao Governo do Estado. Apesar do assunto agradar, Salvaro segue com a sua fidelidade ao pré-candidato Gelson Merisio, que tenta se viabilizar e tem um prazo para mostrar que pode ser o candidato tucano. Além disso, fontes ligadas a Salvaro também relatam que a falta de confiança na capacidade de gestão de seu vice, Ricardo Fabris (PSD), seria outro empecilho para uma eventual renúncia, para disputar o pleito do próximo ano. Uma liderança chegou a confidenciar que para a sua sucessão, Salvaro não pensa em apoiar a Fabris, o seu nome preferido é o do atual presidente da Câmara de Vereadores, Arleu da Silveira (PSDB).  

Preferida dos Bolsonaro

A advogada Júlia Zanatta (PL) já há algum tempo tem sido presença constante nos encontros e eventos da família Bolsonaro. Neste final de semana ela comemorou o aniversário do deputado federal, Eduardo Bolsonaro (PSL). Na foto também aparece o senador, Flávio Bolsonaro (Patriota). Júlia que atualmente é coordenadora Regional Sul da Embratur, é pré-candidata a deputada federal e, conta com o apoio da família do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) para dar musculatura ao seu projeto.

Porto de São Francisco

A Federação das Cooperativas Agropecuárias de Santa Catarina (Fecoagro), reagiu a uma nota da administração do Porto de São Francisco do Sul, em relação ao congestionamento que tem ocorrido com frequência no terminal. A preocupação é com os prejuízos causados aos importadores, devido aos custos de sobrestadias dos navios que não conseguem atracar nos berços públicos para descarregamento. De acordo com a Fecoagro o setor de fertilizantes é o que mais sofre, pois além dos prejuízos elevados, que somente para a feeração já representam mais de R$ 10 milhões, ainda provocam problemas operacionais nas estregas dos adubos que têm calendário agrícola especifico e intransferíveis na sua aplicação. “As atracações dos navios têm ocorrido com atraso de 6 a 20 dias até o momento. E os navios já nomeados, pelo Line-up, têm previsão de até 39 dias de demarragem. Totalmente fora do habitual, mesmo considerando a aumento das operações no Porto”, diz a nota.

Possível colapso

A Fecoagro vem alertando a autoridade do Porto de São Francisco do Sul desde o mês de abril, que teriam que ser tomadas providências no sentido de encontrar formas de agilizar as entregas dos fertilizantes para evitar o colapso justamente na época da necessidade do produto. Segundo a entidade, diversas negociações e sugestões foram apresentadas pela federação e pelo Sindicato dos Operadores Portuários, e nenhuma providência foi tomada pelo Porto, inclusive com manifestação depreciativa da importância da atividade no terminal. “Somos obrigados levar a público o assunto e solicitar que o Governo do Estado que detém o controle do Porto, tome as devidas providências para com assunto”, diz a nota da Fecoagro.

Rodovias

O deputado estadual Ivan Naatz (PL) esteve em agenda no Oeste e Extremo Oeste. Segundo ele, a situação é crítica nas principais rodovias estaduais da região. “São buracos, pavimentos rachados e centenas de quilômetros intransitáveis que prejudicam não só o escoamento da produção do agronegócio, como também inibem o desenvolvimento da infraestrutura e do aproveitamento do potencial turístico regional. Nada diferente também do que está acontecendo na região do Vale do Itajaí”, analisou o parlamentar.

ATENÇÃO!!

Para receber a coluna via WhatsApp, favor enviar mensagem com o seu nome e cidade e salvar o número: 49 98504.8148. Faça parte da lista de transmissão do site que todo mundo lê.

Ajude as demais pessoas a ficarem mais bem informadas, assim como você! Compartilhe o nosso conteúdo através de seus grupos de WhatsApp e demais redes sociais.