...
Ada de Luca Antídio Lunelli Carlos Moisés da Silva Celso Maldaner Dário Berger João Dória Jorginho Mello Kennedy Nunes Mário Hildebrandt Mauro Mariani MDB Orvino de Ávila prévia Vinicius Lummertz

Lideranças apoiam Dário Berger; Lummertz provoca o PSDB catarinense a apoiar Dória; Cassação em São José entre outros destaques

Para seguir recebendo a coluna via WhatsApp, favor salvar o número: 49 98504.8148. Para quem ainda não recebe, favor enviar mensagem para o mesmo número.   FAZER JORNALISMO COM INDEPENDÊNCIA CUSTA CARO. ANUNCIE NO SCEMPAUTA E APOIE A CONTINUIDADE DE NOSSO TRABALHO!

As lideranças emedebistas realizaram ontem à noite um encontro com a base da Grande Florianópolis. Prefeitos, vereadores e filiados participaram do evento que contou com a presença dos três pré-candidatos ao Governo do Estado, o senador Dário Berger, deputado federal Celso Maldaner e o prefeito de Jaraguá do Sul, Antídio Lunelli.

O prefeito de Biguaçu Salmir da Silva, e as prefeitas de Anitápolis Solange Back, e de Rancho Queimado, Cleci Veronese, além dos vice-prefeitos Michel Schlemper de São José e Amaro Júnior de Palhoça, manifestaram apoio a Berger, afirmando que desejam ter o senador como o candidato a governador do MDB.

O que chamou a atenção, é que duas lideranças de outros partidos também se manifestaram a favor de Dário. Um foi o vice-prefeito de Biguaçu Alexandre Souza (Podemos), e o outro foi o prefeito de São José, Orvino de Ávila (PSD), ambos filiados a partidos que planejam lançar candidatos à majoritária estadual. “O senhor que é um administrador por excelência, dos melhores. Testado e aprovado, queria dizer aqui, que eu e o Michel (Schlemper), o Michel e eu, e o município de São José somos Dário Berger”, afirmou o pessedista.

O fato é que Berger se sentiu em casa, já que o ato foi de forte apoio ao seu nome, situação que até não poderia ter sido diferente, pois foi na região que construiu a sua carreira. Tanto Lunelli quanto Maldaner, discursaram, mas não disfarçaram o sentimento de estar no campo de um adversário. Hoje será a vez de Garopaba, Tubarão e Braço do Norte, em agenda que também se estenderá amanhã em Cocal do Sul e Turvo. Será uma boa oportunidade para medir a temperatura no Sul do estado.

Outro ponto forte do encontro, foi a manifestação da deputada estadual, Ada de Luca. Em nome da unidade do partido, ela pediu que Dário, Antídio e Maldaner entrem em consenso e evitem uma disputa a qual, segundo a parlamentar, poderá prejudicar o projeto do MDB.

Caso não se opte pelo consenso, Ada pediu que a prévia seja adiada para o ano que vem. Na verdade, ela adiantou um sentimento que novamente começa a ganhar corpo na bancada emedebista na Assembleia Legislativa, que é pelo adiamento da escolha do candidato do partido.

Ontem adiantei que alguns deputados estaduais defendem o adiamento e, à noite em conversa com mais um parlamentar, eu soube que o posicionamento está praticamente definido. Uma ideia seria adiar para 15 de novembro.

Outra liderança que defende a mesma tese é o ex-deputado federal Mauro Mariani. Mas ao argumentar, diferente dos demais, ele toca na questão do posicionamento da bancada estadual na Alesc, que hoje está na base do governador Carlos Moisés da Silva (PSL), inclusive com secretário de Estado, no caso, Luiz Fernando Vampiro que assumiu a Educação. “Quando o MDB tiver candidato o partido terá que se posicionar como oposição a Moisés. Isso vai dificultar a vida da bancada”, afirmou.

Lummertz quer Dória

Ex-ministro do Turismo e atual secretário do Estado de São Paulo, Vinicius Lummertz, provocou o seu partido em Santa Catarina, o PSDB, a apoiar de forma mais contundente o nome do governador João Dória à Presidência da República. Segundo ele, Dória sairá com uma votação expressiva de São Paulo, pois tem bons resultados para mostrar. O ex-ministro destaca que é importante que o centro democrático crie essa alternativa, visando um programa de desenvolvimento para o Brasil. “Assim como estamos fazendo aqui em São Paulo com modernização, concessões, privatizações, programas sociais avançados, vacinação e tudo isso num Estado que crescerá 7,6% neste ano. Já cresceu no ano passad,o enquanto o Brasil caiu 4,5%, São Paulo cresceu 0,9% e no Turismo vamos crescer 16%”, relatou Lummertz.

Única alternativa

Para Vinicius Lummertz o nome do governador de São Paulo, João Dória (PSDB), é a única alternativa de centro para se contrapor a polarização nacional. Ele lembra que foi o PSDB que criou os principais programas do Brasil e que controlou a inflação. “Não tem mais Luciano Huck, nem Moro (Sérgio), não tem mais quimera. O PSDB tem outros nomes como o senador Tasso Jereissati, mas tem uma questão de saúde, e o governador do Rio Grande do Sul Eduardo Leite é para o futuro”, relatou. Lummertz acredita que Dória é o nome com as melhores condições para vencer o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) no segundo turno. “É a racionalidade contra essa emoção descontrolada, que é muito mais contra tudo de um lado ou de outro, do que de construção. Temos que dar uma chance para a racionalidade”, afirmou. Lummertz também defende que os tucanos tenham candidato ao Governo de Santa Catarina.

Elogio ao Codesul

O presidente da Federação das Associações Empresariais de Santa Catarina (Facisc), Sérgio Alves, elogiou a reunião dos governadores do Sul, da qual participou o governador Carlos Moisés da Silva (PSL). O projeto para os próximos 20 anos, animou a liderança do setor empresarial. “Muito bom Marcelo, como soa bem quando vemos nossos governantes alinhados e pensando num planejamento para 2040, este é o caminho correto de dirigentes políticos com responsabilidade. Parabéns governadores do Codesul”, escreveu Alves.

Ação improcedente

O juiz eleitoral da 88ª Zona Eleitoral de Blumenau, Emanuel Schenkel do Amaral e Silva, julgou improcedente a Ação de Investigação Judicial Eleitoral (Aije) contra o prefeito Mário Hildebrandt (Podemos), sua vice Maria Regina Soar (PSDB) e a coligação que os elegeu. Eles foram acusados de disseminar mensagens ilegais contra adversários e, de usar da máquina pública na eleição. Das três ações ajuizadas contra Hildebrandt, todas foram consideradas improcedentes. De acordo com o advogado Marcos Probst, as duas primeiras já transitaram em julgado.

Filiou

O deputado estadual Kennedy Nunes assinou ficha ontem à noite em Brasília, no PTB. Nunes presidirá o partido em Santa Catarina e disputará uma vaga ao Senado. O ato contou com a presença do presidente nacional do partido, Roberto Jefferson, e do senador Jorginho Mello (PL), que é pré-candidato ao Governo do Estado. Vale lembrar que o deputado já acertou com Jorginho que o PTB fará parte da aliança que está sendo construída pelo senador.

Lei da Improbidade

O presidente da Associação Catarinense do Ministério Público, promotor de Justiça Marcelo Gomes Silva, viu com muita preocupação a aprovação, pela Câmara dos Deputados, em regime de urgência, do projeto que modifica a Lei de Improbidade Administrativa. Para o dirigente da entidade que representa os promotores e procuradores de justiça, foi desfigurado um dos principais instrumentos de combate à corrupção no país, na contramão de tudo o que a sociedade espera. Por fim, confia que o Senado possa reverter os retrocessos causados.

Cassação em São José

Ontem por 6 votos a 1 o Tribunal Regional Eleitoral cassou toda chapa proporcional do MDB de São José, que disputou a eleição no ano passado. A decisão atinge os vereadores eleitos pelo partido, Sanderson de Jesus, Alini Castro e Alexandre Cidade. O MDB foi condenado pela acusação de ter usado mulheres para candidatura laranja. O advogado Alessandro Abreu considerou importante o resultado como forma de moralizar o processo eleitoral.

Enfraquece a base

Além do MDB de São José, quem também perdeu foi o prefeito Orvino de Ávila (PSD), já que os três vereadores cassados faziam parte de sua base. Serão empossados os suplentes Neri Amaral (DEM), Amauri dos Projetos (PSL) e Jumeri Zanetti (PT). Orvino terá um grande trabalho para recompor a bancada governista na Câmara de Vereadores.

Redução de custo

Os deputados estaduais vão debater a proposta de isenção nas operações de medicamentos relacionados ao “kit intubação”, para prestadores de serviços ao Sistema Único de Saúde (SUS). Tanto hospitais filantrópicos como públicos e privados do país, têm relatado desde o ano passado a escassez de composto de anestésicos, sedativos e bloqueadores neuromusculares para intubar pacientes com casos graves da Covid-19. O autor do projeto de lei, é o deputado Milton Hobus (PSD).

Linguagem

Está proibido em todas as instituições de ensino públicas ou privadas de Santa Catarina a utilização de novas formas de flexão de gênero e de número das palavras da Língua Portuguesa. Atendendo ao projeto de lei da deputada estadual, Ana Campagnolo (PSL), o governador Carlos Moisés da Silva sancionou assegurando a aplicação da medida em documentos escolares oficiais, provas, grade curricular, material didático, comunicados e editais de concurso, vedando possíveis modismos artificialmente impostos.

Debate

Ontem teve mais um SCemDebate. Se não assistiu ao vivo, clique e assista agora.

ATENÇÃO!!

Devido a um problema de memória do telefone, alguns contatos de pessoas que pediram para receber a coluna e demais informações foram perdidos. Se você pediu para receber via WhatsApp, mas não está recebendo, favor informar novamente o número. Obrigado!

Para seguir recebendo a coluna via WhatsApp, favor salvar o número: 49 98504.8148. Para quem ainda não recebe, favor enviar mensagem para o mesmo número.   FAZER JORNALISMO COM INDEPENDÊNCIA CUSTA CARO. ANUNCIE NO SCEMPAUTA E APOIE A CONTINUIDADE DE NOSSO TRABALHO!