...
Alessandro Vieira AME Floripa Ana Paula da Silva Antídio Lunelli Carlos Moisés da Silva CPI da Covid Daniela Reinehr Edson Piriquito Eron Giordani Jorginho Mello Mauro De Nadal Paulinha SC Mais Renda

CPI da Covid acirra os ânimos entre Moisés e Jorginho; O futuro partidário do governador; Antídio ganha força para ser o candidato do MDB entre outros destaques

Para seguir recebendo a coluna via WhatsApp, favor salvar o número: 49 98504.8148. Para quem ainda não recebe, favor enviar mensagem para o mesmo número.   FAZER JORNALISMO COM INDEPENDÊNCIA CUSTA CARO. ANUNCIE NO SCEMPAUTA E APOIE A CONTINUIDADE DE NOSSO TRABALHO!

A convocação do governador Carlos Moisés da Silva (PSL) e da vice-governadora, Daniela Reinehr (sem partido), pela CPI da Covid, gerou reações internas no Governo do Estado. Fontes com quem conversei acusam o senador Jorginho Mello (PL), integrante da Comissão Parlamentar de Inquérito, de ter articulado as convocações para tentar desgastar o governador.

Um dos pontos que chamou a atenção é que o único estado que teve a convocação de um vice, foi Santa Catarina. No entendimento de governistas, Daniela pode ser estimulada por Jorginho a atacar a gestão de Moisés em relação ao combate a pandemia. Esse sentimento ganhou força com o fato do governador do Rio de Janeiro, Claudio Castro, não ter sido convocado, sendo que atuou a frente do governo fluminense neste período de pandemia e durante as investigações envolvendo o governador cassado, Wilson Witzel. Além disso, uma situação curiosa, que é a filiação de Castro ao PL, partido do senador catarinense, que ocorreu ontem em Brasília, também levantou mais suspeitas.

O contragolpe começa a ser organizado. Lideranças governistas disseram que para Moisés não é um problema prestar esclarecimento, uma vez que os principais órgãos de controle e investigação o consideraram inocente no caso Veigamed. Também acreditam que será a oportunidade de se criar uma situação de cobrança para cima de Jorginho, referente a alguns atos que ocorreram na Assembleia Legislativa quando o hoje senador era o presidente.

Uma fonte próxima a Moisés me disse que Jorginho terá que explicar o gasto com 670 refeições por dia, só no Gabinete da Presidência da Alesc em pleno recesso, no ano de 2009. Neste período Jorginho era o presidente. Outro questionamento é quanto a compra de materiais de som para o parlamento, incluindo uma bateria. Ao todo foram gastos R$ 292 mil.

Ontem à noite Jorginho respondeu as críticas dizendo que factoide é desaparecer, R$ 33 milhões e, o governador não dizer quem foi o responsável. O senador disse que não teve participação na escolha dos convocados, situação a qual atribui ao gaúcho, Alessandro Vieira (Cidadania), senador por Sergipe. “Foi ele quem definiu os nomes dos convocados”, disse o senador catarinense.

Quanto aos questionamentos sobre a sua presidência na Alesc, Jorginho se disse tranquilo, afirmando que não fez nada de errado. “A minha vida é limpa. Se levantarem inverdades serão processados”, falou.

Outras convocações

As convocações pela CPI da Covid, dos ex-secretários de Estado da Casa Civil, Douglas Borba, e da Saúde Helton Zeferino, além da servidora Márcia Pauli, ficarão mais para frente. O pedido foi apresentado pelo senador, Jorginho Mello (PL).

Debate

Hoje tem debate no SCemPauta. Acesse às 22h o site www.scempauta.com.br e assista Maria Helena, Ananias Cipriano e eu, debatendo os principais assuntos da política e economia de Santa Catarina.

Futuro de Moisés

Nos próximos 15 dias o governador Carlos Moisés da Silva (PSL) definirá o seu futuro partidário. Uma fonte governista relatou que ele estuda a melhor data para a desfiliação do PSL. A tendência é que Moisés não se filie até a data limite dada pela justiça eleitoral, aos postulantes a candidaturas para as eleições do próximo ano. O governador durante esse período que permanecer neutro, mantendo uma boa relação com todos.   

Antídio ganha força

Deputados estaduais do MDB em conversas internas, já admitem que o prefeito de Jaraguá do Sul, Antídio Lunelli, começa a ganhar força dentro do partido para ser o candidato ao Governo do Estado. Outra informação é que a bancada não deve mais pedir o adiamento da prévia marcada para agosto. Uma liderança relatou que se os deputados estaduais aderirem ao nome de Lunelli, o jogo estará praticamente definido nas internas a favor do prefeito.

Pacote de projetos

O Governo do Estado entregou ontem ao presidente da Assembleia Legislativa, Mauro De Nadal (MDB), através do chefe da Casa Civil, Eron Giordani, uma série de projetos para apreciação do parlamento. Entre as propostas estão a criação do SC Mais Renda, que é um auxílio emergencial para famílias catarinenses, a destinação de R$ 100 milhões ao enfrentamento à estiagem, uma alteração na Constituição do Estado para facilitar a transferência de recursos para os municípios e a chamada PEC da Inovação, que incentiva o desenvolvimento científico, a pesquisa e a capacitação tecnológica. O SC Mais Renda vai garantir R$ 900 para até 67 mil famílias catarinenses não contempladas pela ajuda federal, divididos em três parcelas. Esse será o primeiro teste do governo na Alesc, após a volta de Moisés ao comando do Estado.

Superado

Lideranças governistas me procuraram ontem para corrigir uma informação repassada por uma fonte, que colocou a deputada estadual, Ana Paula da Silva, a Paulinha (sem partido), como oposição ao governador Carlos Moisés da Silva (PSL). Segundo o relato que me foi feito, a aproximação de Paulinha com a interina Daniela Reinehr (sem partido) durante o processo de impeachment, já é uma situação superada, portanto, Paulinha permanece na base.

Não superado

Conforme divulguei ontem em primeira mão, a deputada estadual Ana Paula da Silva, a Paulinha, foi expulsa do PDT pela executiva federal do partido. Nem o fato de que Paulinha não é mais a líder do governador Carlos Moisés da Silva (PSL) na Assembleia Legislativa, fato que motivou o processo, não impediu as lideranças trabalhistas de votarem por unanimidade pela expulsão.

“Foi uma libertação”

Foi o que me disse ontem o prefeito de Bombinhas, Paulo Müller (DEM), marido da deputada estadual, Ana Paula da Silva, a Paulinha (sem partido), após a informação que divulguei sobre a expulsão da parlamentar do PDT. Paulinho enviou a seguinte nota: “Parabéns a deputada Paulinha, que depois de anos, conseguiu se libertar do PDT. Um partido de ódios e que sempre quis cargos, nunca o bem do país; que na mão de DIREÇÃO ESTADUAL que nunca fez nada de positivo para SC, mas sempre lucrou com alianças, pois “coliga” o partido em todas as eleições, muitas destas duvidosas. Um partido que não honra sua história, muito menos as pessoas que neles acreditam. Partidos políticos têm que ser feitos para as pessoas, para fazer o bem a elas, não para beneficiar interesses pessoais como é o PDT, hoje em todo país, e especialmente em Santa Catarina. Paulinha, agradeça pela sua libertação, pois as pessoas acreditam em você, não em uma sigla que engana o POVO”.

Motivação

Edson Piriquito ganha espaço para se filiar ao PDT

O fato é que a deputada estadual, Ana Paula da Silva, a Paulinha, não tinha mais clima para ficar no PDT. Há muito tempo ela já não tinha uma boa relação com o grande líder dos trabalhistas no estado, o ex-ministro do Trabalho, Manoel Dias, fato que culminou com a agressão de Dalva Dias a parlamentar na sede do partido em Brasília. Além disso, boa parte da executiva não aceitava o posicionamento independente de Paulinha que não ouvia mais o partido e, por fim, o ex-prefeito de Balneário Camboriú, Edson Piriquito (MDB), está para se filiar ao PDT, ou seja, a saída de Paulinha seria uma limpeza de espaço para as pretensões de Piriquito, que deseja disputar uma vaga à Assembleia Legislativa.

Ministro em Joinville

Hoje o ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, chega em Joinville por volta das 15h. Ele será recebido pelo prefeito Adriano Silva (Novo) e pela vice Rejane Gambin (Novo). O ministro visitará a Estação de Tratamento de Esgoto Jarivatuba, que está em fase de pré-operação. Também acompanharão a visita o senador Jorginho Mello (PL); o presidente da Câmara de Vereadores, Maurício Peixer (PL); o presidente da Companhia Águas de Joinville, Giancarlo Schneider; e demais deputados, vereadores e secretários municipais.

AME Floripa

Florianópolis se tornou a primeira cidade de Santa Catarina a possibilitar um auxílio emergencial municipal, para as pessoas em situação de vulnerabilidade social, o AME Floripa. Ontem o prefeito Gean Loureiro (DEM) assinou o contrato da Prefeitura com a Caixa Econômica Federal, para que o pagamento do benefício comece a ser feito a partir de amanhã. Cerca de 1800 famílias da Capital que não recebem nenhum tipo de ajuda governamental, como Bolsa Família ou Auxílio Emergencial Federal, irão receber cinco parcelas de R$ 300, enquanto as famílias em que as mulheres são as provedoras, o repasse terá um valor maior, de R$ 375.

Quem é apto

Estão aptas para receber o AME Floripa famílias inscritas no CadÚnico até dezembro de 2020 com renda per capta de até R$ 178,00 mensais e, que não tenham recebido, neste mesmo mês, benefício do Bolsa Família e/ou Auxílio Emergencial do Governo Federal. A lista dos beneficiários está disponível para consulta no www.covidometrofloripa.com.br/amefloripa . No site, também estão disponíveis as principais informações sobre o programa.

Aniversário de Tubarão

O município de Tubarão comemora hoje 151 anos de história. Dentre a programação, na qual o prefeito Joares Ponticelli (Progressistas) fará entrega de obras, também ocorrerá a assinatura de um termo de parceria entre o município e a cidade israelense de Rehovot, um dos polos de tecnologia do país hebreu. O acordo será assinado às 12h pelo horário de Brasília, 19h pelo horário de Tel Aviv. Ponticelli me disse que além da parceria em tecnologia e inovação, também serão acertados intercâmbios. A Unesul também participa da parceria. “Queremos vocacionar o nosso futuro centro de inovação para a saúde”, anunciou.

ATENÇÃO!!

Devido a um problema de memória do telefone, alguns contatos de pessoas que pediram para receber a coluna e demais informações foram perdidos. Se você pediu para receber via WhatsApp, mas não está recebendo, favor informar novamente o número. Obrigado!

Para seguir recebendo a coluna via WhatsApp, favor salvar o número: 49 98504.8148. Para quem ainda não recebe, favor enviar mensagem para o mesmo número.   FAZER JORNALISMO COM INDEPENDÊNCIA CUSTA CARO. ANUNCIE NO SCEMPAUTA E APOIE A CONTINUIDADE DE NOSSO TRABALHO!