...
Carlos Moisés da Silva Daniela Reinehr Gaeco Gelson Merisio Lenir Roslindo Piffer Marcos Probst MP Saudades TCE

Impeachment: Os bastidores da tentativa de protelação do julgamento; TCE recebe manifestação sobre os voos de Merisio; Vereador se manifesta sobre processo em São José entre outros destaques

Para seguir recebendo a coluna via WhatsApp, favor salvar o número: 49 98504.8148. Para quem ainda não recebe, favor enviar mensagem para o mesmo número.   FAZER JORNALISMO COM INDEPENDÊNCIA CUSTA CARO. ASSINE O SCEMPAUTA E APOIE A CONTINUIDADE DE NOSSO TRABALHO!

Se os bastidores da política fossem expostos no atual processo de impeachment contra o governador afastado, Carlos Moisés da Silva (PSL), a população se surpreenderia com o quanto as movimentações e interesses podem afetar até mesmo, um julgamento que teria que ser mantido no âmbito do Tribunal Misto formado por deputados e desembargadores.

O julgamento marcado para depois de amanhã, precisa ser realizado para o bem de Santa Catarina. Protelar a decisão é condenar o Estado a permanecer no limbo por mais um tempo, prejudicando ações necessárias para a população, sobretudo neste momento de pandemia.

Após o Tribunal de Contas do Estado, a Polícia Federal, a Procuradoria Geral da República e o Superior Tribunal de Justiça se manifestarem contra o prosseguimento das investigações contra Moisés, por falta de provas de sua participação na compra dos 200 respiradores fantasmas da Veigamed, o Ministério Público Estadual junto ao Gaeco, determinou o arquivamento do inquérito. Como se trata de uma decisão pelo arquivamento, o Conselho Superior do MP precisa levar a plenário, decidindo pela manutenção, ou pelo prosseguimento do processo.

Conforme noticiei ontem, o conselho se reuniu e o voto da procuradora Lenir Roslindo Piffer, relatora do processo foi pelo prosseguimento, contrariando a decisão assinada pelo procurador geral, Fernando Comin, e pela coordenação do Gaeco. Restando mais três votos o julgamento acabou ficando para o próximo dia 18, devido a um pedido de vistas de outros dois procuradores que podem acompanhar a relatora, ou votar pela confirmação do arquivamento.

O advogado de defesa, Marcos Probst, reclamou da data da sessão, pois, segundo ele, apenas serviu para tentar criar um fato antes do julgamento do processo de impeachment. Outro ponto reclamado por ele e que está sendo levado ao Conselho Nacional do Ministério Público e à OAB, é o fato de ter sido impedido de ter acesso aos autos do processo. Conforme informei com exclusividade, Probst recebeu um e-mail do Conselho informando que devido a um erro interno, não foi permitido o acesso aos autos.

Apurando nos bastidores do próprio MP e do Tribunal de Justiça, soube que a motivação para o agendamento da sessão no dia de ontem, teria partido de uma oferta de que a próxima vaga para desembargador do TJ seria do MP, ou seja, mais uma vez a vaga no quinto ao Tribunal, entra no jogo em meio ao processo de impeachment.

Mais uma vez nos bastidores a movimentação é atribuída à influência de Gelson Merisio (PSDB), que tem a tutela da interina Daniela Reinehr (sem partido), com a garantia de que ela permanecerá a frente do governo, porém, a protelação do julgamento também interessa ao PL do senador, Jorginho Mello. A leitura é que Daniela não tem expressão alguma no meio político, o que tornaria mais fácil o cenário aos projetos eleitorais de quem tiver poder sobre ela.

Contra SC?

Após o encerramento da sessão de ontem do Conselho Superior do Ministério Público, o deputado estadual Ivan Naatz (PL), anunciou que entrará com uma ação ainda hoje no Tribunal de Justiça pedindo a suspensão do julgamento desta sexta-feira (07), até que haja uma definição final do conselho sobre a revisão, ou não do inquérito. Naatz pensa politicamente, apenas isso. Tem o interesse de ser o líder de Daniela Reinehr (sem partido) na Assembleia Legislativa e ainda atende ao projeto eleitoral de parte de seu partido. O fato é que o parlamentar após ter dado uma grande contribuição na CPI dos Respiradores, deveria agora pensar primeiramente no Estado e no que representa atrasar mais ainda, o julgamento do impeachment. Vale dizer que Naatz tem todo o direito de querer o impedimento de Moisés, mas não tem o direito de manter Santa Catarina no limbo em que está. Querer adiar o julgamento é pensar mais em disputas políticas do que na população.

Teatro

Enquanto o setor produtivo e a sociedade clamam por pressa no julgamento de impeachment, o deputado estadual, Laércio Schuster (PSB) tenta mais um movimento para retardar e aumentar a estagnação de Santa Catarina. Enquanto erra no tom, a crítica na rede social a Schuster é para parar de se preocupar com política pequena e começar a trabalhar pelo Estado. O povo está cansado de teatro.

Voos de Merisio

A Secretaria de Estado da Casa Civil respondeu, após 10 dias, o pedido do Tribunal de Contas sobre os voos de Gelson Merisio pagos pelo Estado e divulgados com detalhes pelo SCemPauta. A longa resposta traz a ponderação para que seja também direcionado o questionamento à Assembleia Legislativa. Merisio usou helicóptero e avião do Estado e, a suspeita que tenha utilizado as aeronaves para fazer campanha. Num dos voos investigados, Merisio usou a aeronave para se deslocar do centro de Florianópolis para um Resort, no norte da ilha. Acontece que no site da Alesc não consta evento oficial no dia do voo. Se fosse feito de carro, o valor gasto em combustível não teria custado R$ 50, com o valor da época. O translado de helicóptero custou R$ 18 mil aos cofres públicos, 300 vezes mais caro. O Ministério Público também investiga o caso.

Tragédia em Saudades

Foi importante a ida da governadora interina, Daniela Reinehr (sem partido), ao município de Saudades no dia de ontem. São nesses momentos que o governo deve se fazer presente, mostrar que a estrutura está à disposição para atender a população afetada. Também importante a presença do delegado geral da Polícia Civil, Paulo Koerich, devido a sua experiência. O problema é que Daniela não soube dar o tom certo à sua visita ao Oeste. Em uma atitude que pode ser entendida como oportunista, disse que determinou que as forças de segurança fossem a Saudades, assim como, também, a disponibilidade do atendimento de psicólogos aos afetados com a situação e a investigação completa para elucidar o crime. Ora, isso tudo já estava sendo feito antes mesmo de ela chegar a Saudades, ou seja, não anunciou nada demais.

Crime terrível

É de se lamentar a tragédia vivida ontem em Saudades, quando um jovem de 18 anos ceifou a vida de três crianças e duas jovens que trabalhavam na escola. Um crime bárbaro, ao mesmo tempo inexplicável. Fica o sentimento de solidariedade às famílias e o pedido de m

Críticas ao governo Daniela

O deputado estadual Bruno Souza (NOVO) abordou uma notícia divulgada pela Secretaria de Estado da Fazenda do governo interino de Daniela Reinehr (sem partido), comemorando o aumento da arrecadação. Após ter um mês de receita superpositiva, o governo Daniela poderia baixar o imposto, mas foi na contramão do governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e aumentou o imposto sobre o combustível. Souza acerta na crítica e Daniela silencia, quando não bloqueia.

Cassação em São José

Sanderson se disse confiante

Ontem informei que logo deve ser julgado o processo sobre candidatura laranja do MDB na eleição do ano passado. Caso comprovado, os três vereadores do partido, Alexandre Cidade, Sanderson de Jesus e Alini Da Silva Castro perderão o mandato. Vale lembrar que em primeira instância os emedebistas ganharam. Ontem o vereador Sanderson explicou que todos estão confiantes e, ressaltou que o caso de São José é diferente do que ocorreu em Joinville, quando vereadores eleitos foram cassados após a comprovação que seus partidos usaram candidatas laranjas. “Lá ficou comprovado, aqui não”, me disse Sanderson.

Empreendedores de Biguaçu

Biguaçu pretende seguir o caminho trilhado por outras cidades da região que margeiam a BR-101 para impulsionar a economia local. Nas próximas semanas o município inaugurará o chamado Pró-Cidadão Empresarial, que vai reunir em um único espaço os diversos serviços públicos que atendem aos empreendedores. “A ideia é simplificar e agilizar o processo de abertura de empresas e atrair novos negócios”, disse o secretário de Desenvolvimento Econômico, André Leal. Ele informa ainda que já foi iniciada a pesquisa para a criação da área industrial, que vai oferecer às companhias um diferencial logístico importante, com a proximidade da capital e o fácil acesso à BR-101.

Asfaltamento da marginal

As obras de asfaltamento da marginal da Via-Expressa Continental na BR-282 em Florianópolis encontram-se em fase final devido ao ritmo acelerado. A conclusão da troca do pavimento em lajotas por asfalto está prevista para acontecer dentro de 10 dias. “Seguimos com trabalho intenso na marginal da Via-Expressa Continental. Era uma via de lajota muito ruim”, recorda o prefeito Gean Loureiro (DEM). É mais uma obra da Operação Asfaltaço da Prefeitura, através da Secretaria de Infraestrutura.

Doação

A Secretaria de Assistência Social da Prefeitura de Joinville recebeu da Rede Condor a doação de 24 toneladas de alimentos não perecíveis. São todos itens que integram a cesta básica e serão destinados aos usuários dos Centros de Referência da Assistência Social (CRAS) da cidade. O município, que antes distribuía 500 cestas básicas por mês, agora tem a demanda mensal de 1.500 cestas. “Pessoas que nunca imaginaram que passariam por isso precisaram acionar a Assistência Social. Essa ação é um acalento que atenderá cerca de 2 mil famílias”, afirma a secretária de Assistência Social, Fabiana Cardozo.

Fecomércio

Após o afastamento do presidente da Federação das Empresas de Comércio de Bens e Serviços de Santa Catarina (Fecomércio), Bruno Breithaupt, devido a Operação Mercúrio realizada pelo Ministério Público e pelo Gaeco, a entidade passa a ser administrada por um período, pelo presidente da Fecomércio do Rio Grande do Sul, Luiz Carlos Bohn. A gestão é em parceria com a atual diretoria, incluindo o vice-presidente, Emílio Schramm, que assumiu a presidência.

ATENÇÃO!!

Devido a um problema de memória do telefone, alguns contatos de pessoas que pediram para receber a coluna e demais informações foram perdidos. Se você pediu para receber via WhatsApp, mas não está recebendo, favor informar novamente o número. Obrigado!

Para seguir recebendo a coluna via WhatsApp, favor salvar o número: 49 98504.8148. Para quem ainda não recebe, favor enviar mensagem para o mesmo número.   FAZER JORNALISMO COM INDEPENDÊNCIA CUSTA CARO. ASSINE O SCEMPAUTA E APOIE A CONTINUIDADE DE NOSSO TRABALHO!