...
Alesc André Motta Ribeiro Carlos Moisés da Silva Derian Campos Fábio Schiochet Gelson Merisio João Rodrigues Marcos Vieira PSL Sinte

Coronavírus: Anunciados mais leitos para o Oeste e para Florianópolis; Ex-secretário faz duras críticas a Moisés; Secretaria de Educação deve ir à justiça contra a decisão do Sinte entre outros destaques

Para seguir recebendo a coluna via WhatsApp, favor salvar o número: 49 98504.8148. Para quem ainda não recebe, favor enviar mensagem para o mesmo número.

 

FAZER JORNALISMO COM INDEPENDÊNCIA CUSTA CARO. ASSINE O SCEMPAUTA E APOIE A CONTINUIDADE DE NOSSO TRABALHO! 

Moisés é duramente criticado pelo ex-secretário.

O presidente estadual do PSL, deputado federal Fábio Schiochet, deve conversar com o governador Carlos Moisés da Silva (PSL) nos próximos dias. A informação é de uma fonte próxima ao parlamentar, que também confirmou a insatisfação de Schiochet com a postura de Moisés em relação aos pesselistas, fato que divulguei há alguns dias.

Ainda de acordo com a fonte, lideranças que estiveram ao lado do governador desde a campanha, em que ele foi eleito, se sentem menosprezadas e sem espaço no governo. “Ele (Schiochet) vai querer saber se terá espaço para o PSL no governo, ou se o partido tomará o seu rumo”, adiantou a fonte.

Oficialmente ainda nada foi confirmado, porém, ontem o vice-presidente estadual do partido, Derian Campos, ex-secretário de Articulação Internacional do Estado, que está passando uns meses nos Estados Unidos, entrou em contato comigo para fazer duras críticas a Carlos Moisés.

Campos começou a conversa chamando a entrada do MDB no governo de descarada. “Não dá para saber o que foi mais vergonhoso. O convite, ou o aceite”, afirmou. Para ele, o governador rifa o que definiu como time executivo, traindo quem o ajudou. “Desde lá de trás ele traiu o Bolsonaro, traiu quem trabalhou na campanha com ele, os suplentes que até hoje estão revoltados e não para, sendo agora o PSL que o defendeu e ele simplesmente ignora”.

O ex-secretário questiona o que está por trás da abertura total do governo para o MDB, deixando no ar que Moisés poderia estar de malas prontas para se filiar ao partido. “Só se for para disputar a senador, pois não terá espaço para governador, já que o MDB tem o Dário (Berger), o Maldaner (Celso), o Antídio (Lunelli), não terá espaço para governador”, afirmou Campos, questionando o motivo de não ser dado o mesmo tratamento a outros partidos.

Por fim, ele ainda chamou o governador de ingrato, por ignorar as lideranças pesselistas que o defenderam no processo de impeachment e, encerrou reclamando da falta de um olhar para o Norte do estado.

 

Saída de Moisés

As manifestações de lideranças do PSL de descontentamento em relação ao governador, Carlos Moisés da Silva, pode acelerar a saída do chefe do Executivo estadual do partido. Conforme escrevi há alguns dias, Moisés já teria decidido pela desfiliação, agora, com as críticas que vem recebendo, passa a ser questão de dias para que ele deixe o PSL.

 

Emergência no Oeste

O governador Carlos Moisés da Silva (PSL) anunciou ontem, em Chapecó, a ampliação de 34 leitos de UTI e 10 leitos de enfermaria na região Oeste. A ativação será de 29 leitos de UTI no Hospital Regional do Oeste, em Chapecó, cinco de UTI no Hospital Regional São Paulo, em Xanxerê, além de 10 leitos clínicos no Hospital Frei Bruno, em Xaxim. A previsão é de abrir as novas vagas até sexta-feira (19). A medida faz parte das ações do Governo do Estado para reforçar o enfrentamento ao Coronavírus na região. “Estamos fazendo todos os esforços para distensionar o sistema de saúde da região e salvar o maior número de pessoas possível. Santa Catarina tem a menor taxa de letalidade do país e teve destaque entre outros estados brasileiros como a melhor gestão no Coronavírus. Não deixaremos nenhum catarinense sem o recurso necessário para ter sobrevida”, afirmou o governador.

 

100 mil doses

O prefeito de Chapecó, João Rodrigues (PSD), destacou a importância da ampliação da estrutura e da equipe de saúde para a região: “Essa ação não é apenas para apagar um incêndio, mas para construir uma estrutura que nós iremos trabalhar para que seja mantida”. Ele também afirmou que fez um pedido ao Ministério da Saúde de 100 mil doses de vacina para reforçar o plano regional de imunização. De acordo com o governador Carlos Moisés da Silva (PSL), o Governo Federal também garantiu o custeio de R$ 1,6 mil por cada leito de UTI criado de janeiro a março na região. Moises informou que serão contratados novos profissionais para os leitos ampliados em Xanxerê e Chapecó. Há uma expectativa também de criação de 150 novos leitos clínicos de retaguarda nos municípios de Ponte Serrada, Coronel Freitas, Faxinal dos Guedes, Cunha Porã, Nova Erechim, Palmitos e Xaxim.

 

Repasse da Alesc

Durante a reunião o governador Carlos Moisés da Silva (PSL) também lembrou do repasse de R$ 20 milhões feito pela Assembleia Legislativa e, enalteceu a importância do trabalho conjunto entre os poderes. O presidente da Alesc, deputado Mauro De Nadal (MDB), e o coordenador da bancada do Oeste, Fabiano da Luz (PT), acompanharam a agenda.

 

Leitos para Florianópolis

Ontem o secretário de Estado da Saúde, André Motta, informou ao governador Carlos Moisés da Silva (PSL) sobre a necessidade de ampliar o número de leitos para pacientes com o Coronavírus em Florianópolis. De acordo com Moisés, serão mais 30 leitos para a capital.

 

Merisio é o nome

Marcos Vieira defende o nome de Merisio.

Ontem à noite em conversa com o deputado estadual Marcos Vieira (PSDB), ouvi que o ex-deputado Gelson Merisio é o único nome dos tucanos ao Governo do Estado. Segundo Vieira, Merisio foi o único a conversar com todas as lideranças do partido tendo recebido o aval para trabalhar pela candidatura. “Não tentem plantar notícia que não é verdadeira. Ninguém vai sentar na janela, tem que conquistar o partido. O PSDB não tem dono”, afirmou o experiente Marcos Vieira. O questionei se era um recado direto à presidente estadual peessedebista, a deputada federal Geovania de Sá, que disse para a coluna que além de Merisio, também tem o nome dela, do prefeito de Criciúma Clésio Salvaro, e até mesmo do secretário de Turismo de São Paulo, Vinicius Lummertz. Vieira disse que não era recado algum, que apenas estava divulgando uma verdade.

 

Movimentações

Nos bastidores do PSDB é dito que o prefeito de Criciúma, Clésio Salvaro, não deseja mais renunciar. Mesmo com uma reeleição robusta, o que o colocaria no cenário estadual, Salvaro tem falado com lideranças próximas que pretende concluir o mandato. Se fizer isso, ou o prefeito está pensando em deixar a política, ou pode ser uma jogada arriscada para uma eleição estadual futura, pois ficará dois anos sem mandato. A deputada federal Geovania de Sá surpreendeu pelo seu crescimento político, mas, segundo fontes, estaria mais interessada em uma reeleição a federal, do que uma disputa à majoritária estadual. Quanto a Vinicius Lummertz, ainda não se manifestou abertamente sobre uma possível candidatura, ou seja, por hora, esse cenário aponta para uma porta aberta para Gelson Merisio disputar o pleito.

 

Florianópolis contrata

A Secretaria Municipal de Saúde de Florianópolis informa que abriu processo seletivo para a contratação emergencial de médicos temporários. As inscrições devem ser feitas entre 15 e 26 de fevereiro, por meio do link: https://forms.gle/3tAgiiPuqpnvt22EA. Foram abertas vagas para um neuropediatra e um neurologista. A homologação das inscrições será divulgada no site da prefeitura, no dia 1º de março.

 

Fura fila em Joinville

Com o início da vacinação contra o Coronavírus no Brasil, já surgiram notícias de “fura-filas” em municípios de diversas regiões do país. Com o objetivo de primar pela transparência na gestão das vacinas em Joinville, o vereador Claudio Aragão (MDB) propôs um Projeto de Lei que prevê a divulgação da lista das pessoas que receberam a vacina, em formato de fácil acesso no website da Prefeitura. “É fundamental que a população saiba que a vacinação está seguindo os critérios legais, tudo dentro da boa gestão e transparência. Inclusive resguarda a Prefeitura, que desde o início da pandemia vem trabalhando fortemente e utilizando os recursos com prudência”, afirmou o vereador.

 

Alcatraz

O ex-presidente da Assembleia Legislativa Júlio Garcia (PSD), se tornou réu após a juíza federal, Janaína Cassol, ter aceitado uma de duas denúncias apresentadas pelo Ministério Público. Ele responderá pela acusação de lavagem de dinheiro. Além de Garcia, mais cinco outros acusados se tornaram réus. Eles têm um prazo de 15 dias para se manifestar.

 

Boeira de saída

O ex-deputado Jorge Boeira quer sair do Progressistas. Segundo uma liderança próxima a ele, a ideia é buscar um partido que dê condições a Boeira sonhar com uma disputa ao Governo do Estado como candidato a vice, ou em último caso, para deputado federal. Boeira não esconde nos bastidores que teria uma mágoa em relação ao senador, Esperidião Amin (Progressistas).

 

Zanatta com a bênção

A advogada Júlia Zanatta (PL) se prepara para disputar uma vaga à Câmara dos Deputados. Convidada pelo deputado federal, Eduardo Bolsonaro (PSL), ela foi com o esposo e a filha passar o final de semana com o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), amigos e familiares em São Francisco do Sul. Sentada a mesa com Bolsonaro que vestia uma camisa do Figueirense, Júlia recebeu um incentivo para encarar a eleição. Ela é pré-candidata a deputada federal pelo Partido Liberal e, em Criciúma, poderá fazer uma dobradinha com Márcio Búrigo que disputará a estadual.

 

Volta às aulas

Já está valendo o decreto estadual que permite a volta às aulas nas escolas do Estado com 100% de ocupação. Conversei ontem com o secretário de Estado da Educação, Luiz Fernando Vampiro, que explicou que mesmo com o decreto, não serão colocados todos os alunos de uma mesma turma em uma única sala de aula. De acordo com o secretário, será mantida a distância segura de 1 metro e meio por aluno e se for necessário, as turmas serão divididas em mais de uma sala, ou haverá a alternância entre aulas presenciais e online. Quanto aos intervalos, Vampiro garante que terá toda a segurança de que terá o distanciamento através do trabalho de monitores.

 

Secretaria se manifesta

A Secretaria de Estado da Educação informou que foi surpreendida na manhã de ontem com um ofício enviado pelo Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Santa Catarina (Sinte-SC), notificando a deflagração de greve a partir do próximo dia 18, data marcada para o início do ano letivo, como resultado de uma assembleia realizada no dia 12 passado. De acordo com a nota, a secretaria aguardou os representantes do Sinte para apresentar o andamento das ações de retomada das aulas, construídas de acordo com o setor, de forma democrática em três modelos: 100% presencial, misto e 100% remoto, com o objetivo de respeitar os profissionais do grupo de risco e incluir as especificidades de cada escola. “Sem a reciprocidade do diálogo, a SED optou por cancelar a reunião por entender que uma greve neste momento é um movimento radical por parte do Sinte e uma decisão que não será aceita pela sociedade, que espera ter a opção de levar os filhos para a escola de forma segura, conforme está sendo planejado há meses pelo Governo do Estado”, diz a nota.

 

Início será mantido

A Secretaria de Estado da Educação informou ainda que irá manter o trabalho para o início das aulas a partir do próximo dia 18, seguindo nos três modelos para atender todos os alunos. Assim, também atende ao interesse público para cumprimento da Lei 18.032/2020, que considera atividades educacionais, aulas presenciais nas unidades das redes pública e privada de ensino, como serviço essencial em Santa Catarina. Por fim, a secretaria afirma que entende que a deflagração da greve não representa a vontade da maioria dos trabalhadores em educação da rede estadual. “Caso necessário, a SED está se mobilizando para acionar a Justiça e adotar as medidas cabíveis”, alertou.

 

Saída de Pazuello

Através de nota a Confederação Nacional dos Municípios (CNM) afirma ser necessária, urgente e inevitável a troca do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello. Assinada pelo presidente da entidade, Glademir Aroldi, a nota afirma que o ministro não tem condição de conduzir os trabalhos para a superação da pandemia e que deve ser substituído para o bem dos brasileiros. A CNM resolveu se manifestar após os anúncios de falta de vacina nos municípios.

Para seguir recebendo a coluna via WhatsApp, favor salvar o número: 49 98504.8148. Para quem ainda não recebe, favor enviar mensagem para o mesmo número.

 

FAZER JORNALISMO COM INDEPENDÊNCIA CUSTA CARO. ASSINE O SCEMPAUTA E APOIE A CONTINUIDADE DE NOSSO TRABALHO!