Mês de novembro termina e com ele as incertezas políticas também. Será?

Na próxima segunda-feira (30), último dia de novembro, saberemos como se desenha o futuro político e administrativo de Santa Catarina. Estão programadas importantes decisões para o final de semana como a reunião do Tribunal Especial de Julgamento sobre o afastamento do governador Carlos Moisés da Silva (PSL), na sexta-feira, e a eleição em segundo turno nos municípios de Blumenau e Joinville, no domingo.

No domingo os eleitores de Blumenau e Joinville voltam as urnas para escolher entre manter o atual prefeito Mário Hildebrandt, do Podemos, ou eleger para mais um mandato o ex-prefeito por duas vezes João Paulo Kleinubing (DEM). Em Joinville a disputa se dá entre o empresário Adriano Silva, do Novo, e o deputado federal Darci de Matos (PSD), que tenta mais uma vez administrar a maior cidade do estado.

Na sexta, tudo indica que Carlos Moisés da Silva será reconduzido ao governo do estado. O afastamento do governador foi aprovado por 6 votos a 4 e o processo contra a governadora Daniela Reinehr (sem partido), foi arquivado, o que possibilitou que ela assumisse o comando do estado. Agora, nesta etapa, são necessários dois terços dos votos para afastá-lo em definitivo do cargo. Portanto, se o placar se repetir ou até mesmo se der empate, Moisés retornará ao cargo. Quanto ao segundo processo de impeachment relativo à compra dos respiradores, não tenham dúvidas que será levado em conta o fato da Polícia Federal não ter encontrado indícios da participação do governador no processo de compra. É bom que se diga, que a maioria dos deputados sempre deixou claro que preferia afastar Moisés e Daniela do que entregar à vice o governo catarinense.

Esperamos que em 1º de dezembro tenhamos um novo governo Moisés, mais articulador, comunicativo, transparente e humilde. Será que somente o temor de perder o cargo e vir a ser o primeiro governador de Santa Catarina a sofrer impeachment serviu de lição de que é preciso sim fazer política e dialogar?  O tempo de mais dois anos dirá.

Já em 1º de janeiro Blumenau, Joinville e os demais 293 municípios terão seus novos gestores que terão quatro anos para cumprir as promessas feitas durante o primeiro turno da campanha, uma vez que, neste segundo turno, predomina uma prática nada elogiosa de desconstrução entre adversários.

Confúcio e vários outros pensadores nos ensinaram que somente estudando o passado poderemos prever o futuro e não repetir os mesmos erros. E já que estamos falando de administração vamos relembrar a dica de Peter Drucker: A melhor maneira de prever o futuro é criá-lo.

O mais novo prefeito catarinense

É de Nova Trento o prefeito eleito mais jovem de Santa Catarina. Tiago Dalsasso tem 27 anos, é do MDB, e com 54,2% dos votos válidos tirou do PP a gestão do município. A diferença de votos que surpreendeu até mesmo os emedebistas mais otimistas se deve também a escolha do empresário Moacir Dallabrida (PL)

Tiago Dalsasso quer começar logo a transição o que já teria acertado com o prefeito Gian Francesco Voltolini (PP).