...

Moisés e “as escolhas de Sofia”; Douglas Borba consegue uma sobrevida no Governo; Vem aí a “Corona Jato”; Governo pode ter mudado a empresa que transmite as coletivas entre outros destaques

Ajude quem tem fome – 49 985048148 – mlula.jornalista@gmail.com
O SCemPauta entra na campanha de ajuda aos mais necessitados neste momento tão difícil para todos. Abriremos 5 espaços no site para as empresas que doarem cesta básica para famílias carentes. Em troca das doações, daremos dois meses de anúncio gratuito no site. A doação deve ser no mínimo de 30 cestas básicas. As empresas que doarem poderão escolher o município beneficiado e, as doações deverão ser entregues aos setores sociais que terão que atestar o devido recebimento. Ajude!!!

Destaque do dia

O governador Carlos Moisés da Silva (PSL) liberou a volta dos restaurantes, shoppings, galerias, academias, Igrejas e templos. Mais uma vez, não foi apresentado nenhum parecer técnico que embase a decisão.

Essa pandemia tem imposto uma verdadeira escolha de Sofia, principalmente aos médicos onde o sistema está saturado, que precisam escolher quem viverá e quem morrerá quando faltam, por exemplo, os já conhecidos respiradores. Por outro lado, no que podemos entender como casos menos extremos do que a perda de vidas, ficam as escolhas entre a saúde da população e a economia, decisão que cabe aos gestores públicos.

É por isso que não dá para afirmar categoricamente, se o governador errou como um todo ao decretar o isolamento social, pois, quem teria a solução ideal? Será que o certo seria manter livre e deixar a maior parte da população se contaminar ao mesmo tempo, colapsando o setor da saúde, ou manter fechada as empresas, gerando um caos na economia do Estado, com falências e desemprego?

A resposta que encontro, é que não podemos negar que o isolamento social determinado por Moisés, ajudou a Santa Catarina a ter uma curva de contaminação mais baixa, o que acaba sendo uma vitória, já que o Governo ainda não conseguiu organizar a estrutura necessária. Também não é possível dizer se foi no tempo certo, ou se demorou, o fato é que a situação está posta e, cabe a todos nós usufruirmos dessa reabertura gradual com responsabilidade ao ponto de mantê-la.

Mas também não podemos deixar de olhar por um outro ângulo, pois é possível pensar que se o fechamento tivesse sido gradual, ou seja, que fosse adotado o isolamento a partir das regiões que tivessem casos confirmados e, fosse ampliado aos poucos, pode ser que o resultado tivesse sido o mesmo, com um agravante a menos, que são os prejuízos ao setor produtivo. Todos esses questionamentos tem um único motivo: mostrar que o Governo carece de técnicos que decidam de acordo com a ciência, o que é possível fazer e, em que época. Moisés segue sem dar ouvido a quem poderia ajudar.

Clique para ler a portaria no Diário Oficial: Jornal_2378

Douglas fica?

O secretário de Estado da Casa Civil, Douglas Borba, e o governador, Carlos Moisés da Silva (PSL), conversaram a portas fechadas após as informações divulgadas pelo SCemPauta, a respeito da amizade de Borba com o escritório de advocacia que representa o Hospital Mahatma Gandhi, que chegou a vencer a concorrência para a instalação do Hospital de Campanha em Itajaí. Moisés se mostrou profundamente incomodado com a situação, tanto, que Borba balançou forte, mas parece que começa a respirar novamente, graças à atuação dos bombeiros de plantão que defenderam a sua permanência, além de um outro detalhe: a rapidez em que o secretário de Estado do Desenvolvimento Econômica, Lucas Esmeraldino, apresentou um nome para substituí-lo na Casa Civil. Uma fonte garante que entre Borba e Esmeraldino, Moisés ainda fica com Borba, porém, mais um motivo teria irritado Moisés. O fato da empresa de parentes do secretário, ter sido contratada para fazer as transmissões das coletivas do governador. “É capaz que isso tenha sido pior, do que a questão do hospital”, relatou uma fonte governista.

Gravação

Na segunda-feira (20), mesmo dia em que o SCemPauta divulgou que a empresa de familiares do secretário de Estado da Casa Civil, Douglas Borba, havia sido contratada para fazer a transmissão das coletivas do Governo do Estado durante a epidemia do Coronavírus, a entrevista foi transmitida sem o equipamento profissional, apenas através de um celular. A coletiva chegou a entrar atrasada no ar, sob alegação de que houve um problema com a internet. Ontem, a equipe de transmissão já era outra. Será que foi suspenso o contrato com a empresa de Biguaçu?

CPI do Hospital

O deputado estadual, Ivan Naatz (PL), informou que ajudará o deputado Maurício Eskudlark (PL), na busca por assinaturas para a abertura da CPI do Hospital de Campanha de Itajaí. O Governo do Estado se defenderá dizendo que a investigação não será válida, já que o objeto, no caso, a contratação, foi anulada. A questão é que advogados afirmam que a CPI será válida, uma vez que o contrato foi firmado com o Hospital Psiquiátrico Espírita Mahatma Gandhi e, que somente foi anulado por causa das denúncias.

Mereço uma música

Se na segunda-feira tivesse o programa do Fantástico, eu poderia ter pedido música. Pela terceira vez a mesma pergunta foi ignorada olimpicamente pelo Governo do Estado. Seria mais educado dizer que não responderia ao questionamento, ou então, que Borba ficará, ou quem sabe, que está sendo avaliada a situação, mas ignorar? Temos um Governo que não sabe se comunicar e, que tem um setor de comunicação que não tem a experiência necessária para orientar o assessorado, sobre a importância de respeitar a imprensa. Antes dessas três vezes, a censura já ocorreu em outras coletivas.

Números reais

O Grupo Condá de Comunicação e o SCemPauta, realizaram uma enquete para saber o que a população acha do governador, Carlos Moisés da Silva (PSL), e de sua atuação no combate a pandemia. Durante o prazo de um pouco menos de três horas, os ouvintes e internautas votaram. Ao todo, foram 1556 pessoas. A maior parte do público, 48% avaliou como péssima a atuação, enquanto 36% consideraram ótimo e 15% regular. Não tem como escapar, qualquer número divergente não bate com a realidade.

Ponticelli preocupado

O prefeito de Tubarão, Joares Ponticelli (Progressistas), está preocupado com a falta de estrutura do Governo do Estado para o combate ao Coronavírus. Ele reclama que os prefeitos que estão na linha de frente nos municípios, ou sabem das informações do Governo pelas coletivas, ou através da imprensa. Ponticelli cobra que algo seja feito o quanto antes para atender as demandas das regiões.

MDB de Olho

O MDB catarinense vai cobrar do Governo Federal e, principalmente, do Estado, a realização de ações e recursos para atender todas as regiões de Santa Catarina no combate ao Coronavírus. A decisão foi tomada pela Executiva emedebista em videoconferência, promovida para discutir o posicionamento quanto às medidas aprovadas pelo Poder Público para enfrentar a pandemia. De acordo com o presidente, o deputado federal Celso Maldaner, o partido continuará apresentando propostas que coloquem a saúde da população em primeiro lugar, mas não abrirá mão de fiscalizar os termos e a destinação dos valores já aprovados.

Governo se antecipou

O governador, Carlos Moisés da Silva (PSL), com a decisão de reabertura de mais setores, se antecipou ao pedido de sustação de ato apresentado pelo deputado, Jessé Lopes (PSL), que previa que fosse suspenso o decreto assinado por Moisés, que determinou o isolamento. Como o objeto não existe mais, a Alesc não terá o que votar em relação a esse assunto.

Voluntária

A líder do Governo de Carlos Moisés da Silva (PSL) na Assembleia Legislativa, a deputada Ana Paula da Silva, a Paulinha (PDT), está atuando de forma voluntária na Defesa Civil. Ela tem acompanhado o planejamento para o combate ao Coronavírus. Segundo ela, no final deste mês devem chegar os primeiros respiradores.

Procuradores

Está pautada para hoje às 14h, uma sessão extraordinária telepresencial do Tribunal de Contas do Estado. Na pauta a equiparação salarial dos procuradores do Estado, com os procuradores da Assembleia Legislativa, procedimento feito de forma administração pelo Governo do Estado. Em apenas 4 meses, de outubro de 2019 a janeiro deste ano, o valor gasto com a equiparação que chegou a motivar um pedido de impeachment, foi de R$ 3,089 milhões. Somando-se R$ 772.161,78 para cada mês, de fevereiro a abril, o gasto chega aos R$ 2,316 milhões. O fato é que teremos um prejuízo efetivo aos cofres públicos, no valor de R$ 5,40 milhões.

Corona Jato

A Polícia Federal através da Direção de Investigação e Combate ao Crime Organizado, criou um grupo para acompanhar todos os gastos do Governo Federal, no combate ao Coronavírus, falo do Gecor/Covid 19. Outros grupos devem monitorar os Estados. Entre as ações, o grupo quer concentrar a revisão de todos os contratos, coordenar as ações de investigação e apoiar as apurações e operações. Os policiais serão implacáveis. O coordenador-Geral de Repressão à Corrupção e Lavagem de Dinheiro, o delegado Márcio Anselmo é quem vai comandar. O ministro da Justiça, Sérgio Moro, confirmou em suas redes sociais: “Determinei à Polícia Federal a abertura de investigações para apurar de forma implacável qualquer desvio de verba federal destinada ao combate do novo Coronavírus, em qualquer lugar que isso ocorra. Trabalharemos juntos com a CGU”.

Micro e pequenas empresas

O plenário da Câmara dos Deputados se reúne hoje, a partir das 13h55, para analisar o Projeto de Lei de autoria do senador Jorginho Mello (PL), que institui o Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe) e, concede crédito mais acessível ao setor. A urgência da proposta foi aprovada na quinta-feira (16). “Tenho feito contato com lideranças em busca de apoio e esclarecer possíveis dúvidas do nosso projeto. O nosso objetivo é oferecer uma alternativa para quem produz e trabalha, mas se encontra em dificuldade neste momento”, ressalta Jorginho.

Ajude quem tem fome
O SCemPauta entra na campanha de ajuda aos mais necessitados neste momento tão difícil para todos. Abriremos 5 espaços no site para as empresas que doarem cesta básica para famílias carentes. Em troca das doações, daremos dois meses de anúncio gratuito no site. A doação deve ser no mínimo de 30 cestas básicas. As empresas que doarem poderão escolher o município beneficiado e, as doações deverão ser entregues aos setores sociais que terão que atestar o devido recebimento. Ajude!!!