...

O cenário econômico foi um dos temas no Congresso da Fecam, Moisés não vai à abertura, Luiz Henrique é homenageado entre outros destaques

Receba pelo celular !!
 
Para receber via WhatsApp é só enviar uma mensagem pelo (49) 98504.8148.
 
PATROCINE ESTA COLUNA: (49) 985048148 / email: mlula.jornalista@gmail.com

Destaque do Dia

A Federação Catarinense de Municípios (Fecam) realiza até amanhã a maior edição do Congresso de Prefeitos que já aconteceu no estado. Sob a presidência do prefeito de Tubarão, Joares Ponticelli (Progressistas), e com o apoio de toda a equipe da entidade, o que inclui o diretor-executivo, Rui Braun, o evento em São José na Grande Florianópolis disponibiliza aos prefeitos participantes uma série de palestras, seminários para secretários e ocupantes de cargos técnicos, além da amostra de produtos e serviços de tecnologia.

No “Conversas de Impacto”, o presidente do SPC Brasil, Roque Pelizzaro Júnior, fez um apanhado da situação econômica do país, onde traçou uma série histórica destacando que o Brasil está apresentando a recuperação mais lenta dos últimos 40 anos, situação que ele atribui ao fracasso do governo de Dilma Rousseff (PT), quando houve uma drástica redução do PIB, comprometendo duas gerações que não conseguiu entrar no mercado de trabalho.

Ele também fez um alerta sobre a dívida pública bruta a qual chegou a 79% do PIB, enquanto que a líquida está na casa dos 55%. “Estamos vindo numa crescente desde 2014 quando chegamos a 56,3% e, em dezembro de 2016, a 69,9%”, afirmou.

Os juros foi outro problema apontado por Pelizzaro Júnior, que destacou que mesmo o Brasil tendo a menor taxa Selic da história, os juros que tem sido pago pelas pessoas e empresas são bem maiores. Por fim, destacou a necessidade de se trabalhar a expectativa, pois, segundo ele, é através dela que os empreendedores investem mais, ao mesmo tempo em que o consumidor busca mais empréstimo e compra mais. “Nós podemos crescer, muito embora tenhamos dois adversários da nossa economia. O cenário internacional e o Twitter do presidente Bolsonaro”, concluiu o dirigente.

Santa Catarina

Por sua vez o deputado estadual, Marcos Vieira (PSDB), palestrou a respeito de Santa Catarina e os desafios para o estado continuar crescendo. Ele começou destacando que o território catarinense representa apenas 1,1% de todo o Brasil, tendo uma população de 3,4%. Mesmo assim, o parlamentar destacou que o estado é o 7º em arrecadação de impostos, 7º em exportação, 6º maior produtor de alimentos do Brasil, 2º no ranking de competitividade dos estados e o 3º em Inovação. “Santa Catarina é um gigante. O nosso PIB passa dos R$ 280,5 bilhões, o que equivale a soma do PIB do Uruguai, Paraguai e Bolívia juntos”, afirmou.

Desenvolvimento

O deputado estadual Marcos Vieira (PSDB), acredita que o desenvolvimento se dá através da infraestrutura, por isso, apontou que é fundamental buscar investimento nas rodovias federais, a exemplo das BRs 282, 470, 282 e 486, além de melhorar as condições das BRs 116, 163, 153 e 158. Já quanto as rodovias estaduais, ele destacou as SCs 283, 108, 412 e 160 e 161. Outro olhar que precisa ser dado segundo Vieira, é quanto à necessidade de ligar o Oeste e a Serra com o Porto de Imbituba, através de um túnel sob a Serra do Corvo Branco estimado em 5 quilômetros de extensão. Vieira também entende que é necessário estudar a situação dos portos que pode render uma arrecadação ainda maior. Por fim, o deputado chamou a atenção para a importância da Rota do Milho, projeto que já está sendo trabalhado há cerca de três anos e, que representará uma grande redução no custeio das agroindústrias na compra do grão.

Abertura do Congresso

O governador Carlos Moisés da Silva (PSL) mais uma vez virou as costas ao diálogo e não compareceu a abertura do 17º Congresso da Federação Catarinense de Municípios (Fecam). Um governador que se nega a dialogar, a ter contato com os prefeitos e demais lideranças, que tipo de governo deseja realizar, e para quem? Não se governa trancado na Agronômica, ou em churrascos na calada da noite. Um verdadeiro governador precisa ser municipalista, tem que conhecer in loco os desafios do Estado. Quem foi em nome do governo, foi o secretário de Estado da Casa Civil, Douglas Borba, homem forte de Moisés. Ele destacou a criação da Central de Atendimento aos Municípios (CAM), responsável pela interlocução com as prefeituras de todo o Estado, quando na verdade, se tornou uma ferramenta para afastar ainda mais os prefeitos do governo, sem contar, que Central de Atendimento é como agendar uma consulta pelo SUS.

Medidas

O secretário de Estado da Casa Civil, Douglas Borba, disse ainda que entre as medidas concretas do municipalismo do Governo do Estado, está o compromisso de honrar os 108 convênios deixados para trás por administrações anteriores, que somam um montante de R$ 65 milhões. Reforçou ainda a intenção da administração estadual em honrar as emendas impositivas, que poderão injetar até R$ 260 milhões nas cidades catarinenses. Em relação a ações regionais, Borba falou das obras encaminhadas no Programa Novos Rumos, o qual segundo ele, devem acelerar o desenvolvimento regional de várias áreas de Santa Catarina. “Isso será feita com recursos próprios, sem deixar dívidas para quem assumir a gestão do Estado lá na frente”, garantiu.

Homenagem a LHS

Numa cerimônia prestigiada por políticos de diversas siglas partidárias e marcada pela emoção, foi inaugurada ontem no cafezinho do Senado, a “Sala Senador Luiz Henrique da Silveira”. O espaço batizado com o nome do ex-senador e ex-governador catarinense ficou lotado para a solenidade. Em discurso emocionado, ao lado dos filhos Cláudio e Márcia e do genro Ronaldo, a viúva Ivete Appel da Silveira enalteceu as caraterísticas do ex-marido e agradeceu a homenagem oferecida. “Meu coração transborda de alegria e de emoção. O Senado Federal era um local que ele tinha muito carinho e era muito importante para ele. Tenho certeza de que ter o nome dele eternizado aqui o deixaria muito feliz”, destacou.  A homenagem atende a um projeto do ex-senador Paulo Bauer (PSDB), e contou com a relatoria do senador Dário Berger (MDB). A proposta foi aprovada por unanimidade e promulgada no fim do ano passado.

Udo por perto

O prefeito de Joinville, Udo Döhler (MDB), também marcou presença na homenagem ao falecido ex-senador, Luiz Henrique da Silveira. Além do fato de ter sido amigo de LHS, Udo também faz um gesto de maior aproximação com a viúva e atual suplente de senadora, Ivete Appel da Silveira (MDB).

Sentou na cadeira

Antes da cerimônia de inauguração da sala Luiz Henrique da Silveira, Ivete da Silveira esteve no gabinete do senador Jorginho Mello (PL). Enquanto recebia cumprimentos de parlamentares, a viúva de LHS experimentou a cadeira que deve assumir no próximo ano, quando Jorginho se licenciará para homenagear a sua suplente. “Fico feliz de receber Dona Ivete da Silveira, que trabalhou muito pela nossa eleição”, disse o senador, que antecipa para o segundo semestre do próximo ano, o período de licença para posse da emedebista.

Chapecó para o exterior

O Prefeito de Chapecó, Luciano Buligon (DEM), participa amanhã em Foz do Iguaçu do 24º Fórum Ibero-americano de Sistemas de Garantia e Financiamento de Crédito para Micro, Pequenas e Médias Empresas. O evento é promovido pela Rede Ibero- Americana de Associações de Garantias (REGAR), e tem como tema central “Inovação e Cooperação no Financiamento de PME’s”. Buligon marcará presença a convite do Sebrae paranaense, com a finalidade de apresentar as experiências e vocações de Chapecó, em especial, de incentivo ao Empreendedorismo.

Homenagem

O prefeito de Chapecó, Luciano Buligon (DEM), será o representante brasileiro a prestar uma homenagem à Comitiva da Colômbia, que contará com 25 integrantes que participarão do evento em Foz do Iguaçu.

Comunicação

O deputado estadual, Fabiano da Luz (PT), recebeu em seu gabinete o presidente da ACAERT, Marcelo Petrelli. Fabiano destacou que é comunicador por profissão e paixão, e confidenciou a Petrelli que acredita que o desenvolvimento de Santa Catarina também passa pela união e fortalecimento da Imprensa catarinense. “Precisamos lembrar e defender os veículos do interior catarinense”, enfatizou Fabiano para Marcelo.

Agrotóxico

Aprovado na Câmara de Vereadores de Florianópolis, o projeto de autoria do vereador, Marcos José de Abreu, o Marquito (PSOL), que define como Zona Livre de Agrotóxico a produção agrícola, pecuária, extrativista e as práticas de manejo dos recursos naturais na parte insular do município. De acordo com o vereador, a proposição vai de encontro às várias ações já aprovadas pelo mandato, como a Política Municipal de Agroecologia e Produção Orgânica, além da criação do programa de governo de Agroecologia e Segurança Alimentar e Nutricional, na Lei de Diretrizes Orçamentárias.

Contato

O conselheiro da Câmara de Comércio e Indústria Italiana, Diego Mezzogiorno segue na Itália, trabalhando para tentar a instalação de um Consulado em Florianópolis, além de discutir a realização de um projeto turístico. Ontem ele esteve em Roma com Ângelo Bonelli, presidente do movimento verde europeu. “Conversamos sobre a situação da Amazônia, sobre os italianos no exterior e de políticas para o meio ambiente. Fui convidado a fazer parte de um movimento europeu-brasileiro junto com a Rede para discussões e frente para o ambiente”, informou.

Na coluna exclusiva dos assinantes

 

– Governador provoca disputa interna no MDB;

 

– Moisés fora do PSL?

– O futuro partidário do deputado Ivan Naatz

– Presidente estadual do PSB acusa deputados de “armarem” para sair do partido;

– Moisés fará mudança no secretariado?

– Qual o partido que está conversando com Sérgio Moro?

Assine o SCemPauta Plus, que trará mais informações durante o dia, podcasts e muito mais. As informações exclusivas e de grande impacto serão exclusivas para assinantes. Assine agora por apenas R$ 10 Reais mensais, assinatura anual.

 

www.scempauta.com.br/finalizar/