...

Bancada catarinense define a pauta que será entregue a Bolsonaro, governador receberá deputados para jantar na Casa D’Agronômica, CPI da Ponte tem depoimento importante entre outros destaques

Receba pelo celular !!
 
Para receber via WhatsApp é só enviar uma mensagem pelo (49) 98504.8148.
 
PATROCINE ESTA COLUNA: (49) 985048148 / email: mlula.jornalista@gmail.com

Destaque do Dia

Após a Assembleia Legislativa dar mais uma demonstração de força e deixar um recado claro ao Governo do Estado, de que não afrouxará e se manterá contrária ao aumento de impostos, o governador Carlos Moisés da Silva (PSL) resolveu se mexer para tentar construir uma maioria.

A pergunta é: Qual deputado em sã consciência, votará contra o setor produtivo e contra a economia catarinense, no caso das isenções fiscais? O que explicarão para a população? Ontem, Moisés sofreu mais uma dura derrota, 9 a zero foi o placar na Comissão de Constituição e Justiça, que aprovou quatro projetos de sustação de atos do governo. Vale lembrar que na semana passada em plenário, a derrota foi de 35 a zero, ou seja, nem a base votou com o governador.

Para entender o que está acontecendo e tentar convencer os deputados a apoiarem a sua iniciativa de aumentar imposto, Moisés através de interlocutores passou o dia de ontem entrando em contato com os parlamentares e os convidando para que hoje a partir das 19h30, compareçam à Casa D’Agronômica para um jantar. Para amenizar o clima, o convite foi feito para uma “Cervejada dos Deputados com o Governador”. Para quem não sabe, Moisés gosta de cerveja artesanal e até se aventura a produzi-las.

Os mesmos interlocutores que fizeram o convite, também já deram um claro sinal aos parlamentares sobre a liberação de emendas. Como são impositivas, todos os deputados devem receber, mas, quem não for da base vai esperar um bom tempo para conseguir a liberação dos recursos.

Por hora, a promessa do Executivo é de liberar as emendas aos deputados que se reelegeram, pois, só fez emenda quem estava no cargo no ano passado. O valor, é de R$ 5,8 milhões, enquanto que aos deputados de primeiro mandato, a promessa é que será liberado para cada um, cerca de R$ 1 milhão via Fundo Social para destinarem ás suas bases. Eu não preciso explicar, mas o fato é que somente serão agraciados, quem votar com o governo na questão do ICMS, ou seja, contra a economia catarinense.

Conversei com alguns deputados convidados para o jantar e, todos afirmaram categoricamente que votarão contra o aumento de impostos, ou seja, contra a pretensão do governo. “Além de estarmos fazendo o certo, não teria como explicar para as pessoas que votaram em nós. Não tem dinheiro que pague”, afirmou um dos parlamentares que está no convite.

Pelo visto, o jantar tem tudo para ser indigesto ao anfitrião Moisés, que mesmo tocando violão e assobiando, não conseguirá convencer os deputados, salvo algo de novo aconteça. Neste caso, repito a pergunta: Como os deputados explicarão para a população um voto contra a economia catarinense?

No convite

Toda a bancada do MDB, do PSL e do Partido Liberal foram convidadas para a “cervejada do governador”. O chamado bloquinho formado pelos deputados Dr. Vicente Caropreso (PSDB), Nazareno Martins (PSB), Paulinha (PDT), Rodrigo Minotto (PDT), Jair Miotto (PSC), Sérgio Motta (PRB), Altair Silva (Progressistas) e José Milton Scheffer (Progressistas). Além desses, outros deputados ainda foram contatados durante a noite.

MDB na base

Pela primeira vez uma liderança do MDB admite publicamente o que o SCemPauta já havia adiantado em primeira mão. Que o partido está sim, na base do governo de Carlos Moisés da Silva (PSL). Ao ser questionado sobre o MDB estar na base governista, o líder da bancada, Luiz Fernando Vampiro (MDB) respondeu que certamente. “Óbvio que discordando com maturidade daquilo que entendemos equivocado”, afirmou, destacando ainda que o governo e o MDB tem uma relação madura e séria. “Como líder de bancada tenho a dizer que estamos fazendo nossa parte. Amanhã (hoje), certamente o governador apresentará o que quer e o que pretende no próximo semestre na Alesc”, explicou Vampiro, que em relação a celeuma do ICMS disse: “Encontraremos amanhã (hoje) um caminho. Nesse momento entre o governo e o setor ficamos com o setor”, deixou o recado.

E a vice?

Há quase dois dias aguardo as respostas da vice-governadora, Daniela Reinehr (PSL), as perguntas que enviei e, que sendo respondidas ou não, publicarei aqui em respeito aos caros leitores. Busquei saber qual a opinião de Daniela sobre a intenção do governador, Carlos Moisés da Silva (PSL), de aumentar impostos tirando do setor produtivo a isenção do ICMS. Informação de dentro do governo é que Daniela e Moisés não tem se falado e, por ser contra a medida defendida pelo governador, que Daniela está evitando responder as perguntas.

Eskudlark entregará a liderança

Hoje à tarde o deputado estadual, Maurício Eskudlark (PL) vai à Casa D’Agronômica, onde tem uma conversa agendada com o governador, Carlos Moisés da Silva (PSL). Eskudlark colocará à disposição a sua condição de líder do governo na Assembleia Legislativa e, na explicação, a impossibilidade de se colocar contra o setor produtivo na discussão das isenções fiscais, o que gera um conflito já que o seu papel como líder seria o de articular a favor do governo. Será que Moisés dirá que aceita a saída de seu líder, ou tentará convencer Eskudlark a ficar?

Próximo líder

Nos bastidores da Assembleia Legislativa, o deputado Dr.Vicente Caropreso (PSDB) é tido como o cérebro do governo de Carlos Moisés da Silva (PSL) no parlamento. Cabe a ele, ajudar o líder do governo no convencimento dos deputados a votar a favor do governo. Caropreso já é considerado um dos principais aliados de Moisés e é o primeiro nome da lista do governador, caso Maurício Eskudlark (PL) mantenha a sua decisão de renunciar a liderança.

Caropreso fora do PSDB?

Dentro do PSDB catarinense a situação do deputado estadual, Dr. Vicente Caropreso, é vista com cautela. Algumas lideranças reclamam que o parlamentar não conversou com o partido antes de se alinhar com o governador, Carlos Moisés da Silva (PSL). Porém, a situação reforça uma conversa de bastidores sobre uma possível saída de Caropreso do PSDB, caso receba a garantia que terá o apoio de Moisés para disputar a Prefeitura de Jaraguá do Sul.

CPI da Ponte

O depoimento mais aguardado até o momento na CPI da Ponte Hercílio Luz ocorre hoje às 10h. O empresário Paulo Ney Almeida, sócio da Construtora Espaço Aberto terá a oportunidade de falar sobre a execução do contrato, dos problemas e dificuldades encontradas pelo consórcio, a relação com os agentes públicos do extinto Deinfra e os motivos da rescisão contratual. Os integrantes da CPI, sobretudo o relator Bruno Souza (sem partido), e o presidente da Comissão, Marcos Vieira (PSDB), estão analisando 17 mil páginas de documentos referentes aos 37 anos de obras na ponte. Foram ouvidas até o momento 29 pessoas e os trabalhos iniciaram em ordem cronológica. O consórcio teve contrato firmado em 2008 e se arrastou até a sua rescisão em 2014, sem a conclusão da obra contratada e depois de R$ 63 milhões terem sido comprometidos em valores históricos, ou seja, correspondentes a pouco menos de R$ 90 milhões atualizados.

Catarinenses com Bolsonaro

O Fórum Parlamentar Catarinense concluiu ontem a noite, a lista de demandas prioritárias de Santa Catarina que serão apresentadas ao presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), durante café da manhã com a bancada amanhã, no Palácio do Planalto. Em consenso, deputados e senadores votaram e decidiram que a prioridade é sanar os principais problemas de infraestrutura do Estado. “Vamos lembrar o presidente, que recentemente Santa Catarina lhe proporcionou significativas vitórias: seja em outubro, quando 76% dos votos válidos foram direcionados a ele, seja há alguns dias, quando 94% dos parlamentares catarinenses votaram a favor da nova Previdência. O que cabe a nós, catarinenses, está sendo feito. Chegou a hora de o Governo Federal retribuir tal apoio”, concluiu o coordenador do Fórum Parlamentar Catarinense, deputado Rogério Peninha Mendonça (MDB).

Confira a lista que será entregue a Bolsonaro

 

– Agilidade nas obras de duplicação dos lotes já licitados da BR-470 e manutenção da pista no trecho de Indaial ao entroncamento com a BR-116, em São Cristóvão do Sul;

 

– A garantia de recursos para as obras de revitalização da BR-282;

 

– Celeridade nas obras de duplicação da BR-280, no norte do Estado;

 

– Verba para a reconstrução da BR-163, no trecho de São Miguel do Oeste a Dionísio Cerqueira, conforme processo licitatório já finalizado;

 

– Aporte para conclusão da BR- 285, Serra da Rocinha;

 

– Fiscalização e a execução orçamentária das obras do Contorno Viário da Grande Florianópolis;

 

– Melhoria na infraestrutura dos portos e investimento em aeroportos com foco na aviação regional;

 

– Aplicação de recursos para manutenção das barragens de contenção de cheias no interior do Estado.

O retorno

No seu retorno à Alesc, após afastamento de uma semana por determinação médica, o deputado estadual, Sargento Lima (PSL), fez uma rápida abordagem sobre medidas que os governos federal e estadual estão tomando, como a reforma da Previdência e o reestudo dos incentivos fiscais, respectivamente. “Nem sempre o remédio é doce. O pai não pode atender a todos os pedidos do filho”, declarou, ao ressaltar que o momento é de equilibrar contas e que não trabalha focado nas eleições de 2022.

Doentes renais crônicos

Projeto de lei do deputado estadual, coronel Onir Mocellin (PSL), propõe que os doentes renais crônicos, que enfrentam sérios problemas de insuficiência renal, isto é, cujos rins perderam a capacidade de efetuar funções básicas, tenham os mesmos direitos das pessoas com deficiência. Mocellin argumenta que essas pessoas precisam realizar de três a seis sessões de hemodiálise toda a semana, enfrentando uma série se transtornos na vida social e profissional, como a dificuldade em conseguir emprego.

Crítica de Daux

O vereador de Florianópolis, Rafael Daux (MDB), foi o único a votar contra o aumento salarial por mérito na Comcap. Um acordo firmado com o prefeito, Gean Loureiro (sem partido), garante a gratificação a quem tiver menos de quatro faltas sem justificativa, não ter sofrido suspensão disciplinar ou que não tenha se afastado por mais de 120 dias. “Para o governo esquerdista da capital, você ir trabalhar, independente de fazer seu serviço ou não, torna você merecedor de um aumento salarial. Esse aumento custará mais de R$ 3 milhões ao ano aos cofres públicos”, criticou Daux. Segundo ele, de 1667 funcionários, 1232 “bateram a meta”. “Fizeram o mínimo, que é ir trabalhar, resultando em 74% dos funcionários contemplados com essa bonificação”, disse.

Sander não recuará

Vereador licenciado e atual secretário de Desenvolvimento Econômico de Chapecó, Márcio Sander (PL) já planeja a sua saída do cargo que ocupa, pois é pré-candidato a prefeito de Chapecó. Sander disse que ao contrário das últimas eleições quando desistiu de disputar, agora manterá até o fim a candidatura a prefeito.

CPI em Criciúma

Os vereadores de Criciúma, Julio Colombo (PSB), Toninho da Imbralit (MDB) e Pastor Jair Alexandre (PSC), foram escolhidos como presidente, secretário e relator, respectivamente, na Comissão de Inquérito que vai apurar possíveis irregularidades existentes entre a Prefeitura e o Criciumaprev desde a fundação do instituto. “O primeiro passo será a realização de uma auditoria desde a criação do Criciciumaprev até o final do ano de 2016, haja vista que de 2017 até hoje, já existe uma auditoria concluída”, pontuou o presidente da CI, vereador Julio Colombo. A Comissão tem prazo de 90 dias prorrogável por igual período para entregar o relatório final que terá que ser votado em plenário.

Recurso para a Saúde

Ontem o governador, Carlos Moisés da Silva (PSL), liberou o repasse de R$ 5,6 milhões para o Hospital Regional do Alto Vale do Itajaí e mais R$ 80 mil destinados ao Hospital Samária, ambos de Rio do Sul. O secretário de Estado da Saúde, Helton de Souza Zeferino, ressaltou que os valores serão utilizados essencialmente para o custeio das unidades.

Encontros do MDB

O MDB-SC lança nesta semana o projeto Somos Transformação, que vai promover dez encontros regionais voltados à juventude do partido (JMDB) e ao MDB Mulher, estimulando e capacitando sua participação nas eleições do ano que vem. O primeiro evento da série está marcado para o próximo dia 31 em Trombudo Central, englobando toda a macrorregião do Vale do Itajaí. Os encontros regionais vão até o final de novembro. Em dezembro, encerrando as mobilizações, a JMDB e o MDB Mulher realizam suas convenções estaduais, na Capital.

Para receber via WhatsApp é só enviar uma mensagem pelo (49) 98504.8148.
 
PATROCINE ESTA COLUNA: (49) 985048148 / email: mlula.jornalista@gmail.com