...

Desperdício de dinheiro no Porto de Imbituba, Udo insatisfeito no MDB, benefícios à JBS em SC são alvo de apuração entre outros destaques

Receba pelo celular !!
 
Para receber via WhatsApp é só enviar uma mensagem pelo (49) 98504.8148.
 
PATROCINE ESTA COLUNA: (49) 985048148 / email: mlula.jornalista@gmail.com

Destaque do Dia

Um verdadeiro absurdo ocorre no Porto de Imbituba com o dinheiro público. Mais de R$ 1 milhão, esse é o volume aproximado de Reais que custaram aos cofres públicos, na aquisição de um caminhão dos bombeiros equipado, e mais um trator que estão há meses parados sem o devido uso.

Primeiro foi a compra do veículo dos bombeiros por cerca de R$ 900 mil, que foi realizada por conta da assinatura de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), pois no ano passado o porto foi notificado para que instalasse hidrantes por toda a sua área de operação. Ao fazer o levantamento de custos, foi sugerida a aquisição de um caminhão que foi comprado na administração portuária anterior e, entregue já sob o comando do novo presidente, o coronel da reserva da Polícia Militar, Jamazi Alfredo Ziegler.

O veículo foi entregue em fevereiro, acontece que no mês de abril passado, quando o caminhão já poderia ter sido repassado, a Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) mudou o regulamento que autorizava a cessão, impedindo que o veículo fosse entregue aos Bombeiros de Imbituba.

Uma fonte relatou que Ziegler teria pedido para que a Antaq interferisse na entrega, o que foi negado pelo atual presidente do porto. Segundo ele, é uma acusação absurda já que não tem tamanho poder, além disso, afirmou que a agência não tomaria uma decisão drástica que afetaria a outros portos, somente para atender a um capricho.

Segundo Ziegler, tanto a assinatura do TAC, quanto a aquisição não foram feitas em seu mandato como presidente. Além disso, ele explicou que tudo o que tem no porto é de patrimônio da União, não podendo ser doado, a não ser que a Antaq autorize e, argumenta que o processo não foi realizado da forma correta, por isso o entrave para a liberação dos veículos. “Estamos tentando criar uma alternativa jurídica para que seja feita a cessão de uso”, informou.

Em relação ao trator adquirido, a entrega não pode ser assinada por não constar no contrato que o equipamento deve ser doado à Prefeitura de Imbituba. Já quanto ao caminhão, Jamazi Ziegler informou que há no contrato a menção que o veículo deve ser doado aos Bombeiros. Enquanto segue o imbróglio administrativo, seguem duas ferramentas importantes ao trabalho em prol da população, parados sem o devido uso. No mínimo lamentável. Ainda hoje tentarei contato com a Antaq, pois no final de semana não foi possível.

Benefícios à JBS?

Uma fonte relatou que está sendo apurada a forma em que a JBS adquiriu a Seara Alimentos. Uma dúvida que teria motivado as investigações, é se de alguma forma os incentivos fiscais concedidos pelo Governo do Estado à empresa, facilitaram a aquisição do frigorífico catarinense. Ainda de acordo com a fonte, estariam mais uma vez sendo avaliadas as doações de campanha que o Grupo J&F que controla a JBS fez a políticos catarinenses. O motivo, não foi explicado.

Tsunami?

Há mais uma vez um profundo silêncio nas investigações em Santa Catarina. É algo como um tsunami, quando o mar recua em silêncio, porém, quando volta, sai arrastando quase tudo e a todos.

Mais gastos?

O Governo do Estado incorporou mais dois Policiais Militares para a segurança do governador, Carlos Moisés da Silva (PSL), e da vice-governadora, Daniela Reinehr (PSL). A portaria da Casa Militar assinada pelo seu secretário executivo, coronel João Carlos Neves Júnior, já foi divulgada no Diário Oficial do Estado. Foram destacados para atuar principalmente nos constantes deslocamentos de Daniela, os terceiros sargentos da reserva remunerada, João Carlos Ioriati, e Luiz Everaldo Mattos, que estavam lotados no 2º Batalhão da Polícia Militar, mais propriamente na 3ª Companhia em Chapecó. Quanto isso custará aos cofres públicos?

Daniela e seus seguranças

Um senador catarinense se deparou com um momento no mínimo, constrangedor. Em um evento onde estava a vice-governadora, Daniela Reinehr (PSL), ele observou que ao chegar ao local, a vice estava com os seus já “famosos” seguranças que saíram empurrando as pessoas que estavam próximas ao palco. “A vice-governadora está vindo, saiam, dá licença”, disseram os seguranças os quais, segundo os relatos, teriam empurrado também algumas senhoras de idade que estavam próximas ao local. A impressão que tenho quando vejo essas pérolas de Daniela, é que Santa Catarina vive numa monarquia.

Udo no PL?

O senador Jorginho Mello (PL), aguarda a oportunidade para voltar a conversar com o prefeito de Joinville, Udo Döhler (MDB). Mello confirmou o convite ao prefeito, que admitiu que está se sentindo incomodado no MDB. Eles tiveram um primeiro encontro em Brasília e devem voltar a conversar nas próximas semanas. Não está descartada uma possível saída de Udo do MDB e a sua volta ao Partido Liberal.

Eva no páreo em Chapecó?

A ex-ministra-chefe da Casa Civil, Eva Maria Dal Chiavon, que atualmente assessora o senador, Jaques Wagner, de quem foi secretária de Estado da Casa Civil quando ele governou a Bahia, não descarta uma possível candidatura no próximo ano. A questionei se ela está no páreo para a disputa à Prefeitura de Chapecó. Eva respondeu que não tem interesse, que prefere ficar atuando como assessora e que o partido tem outros nomes, porém, quando perguntei se ela descarta a possibilidade, a resposta da ex-ministra foi de que é uma soldada do Partido dos Trabalhadores. Será que a ex-ministra pode aparecer no pleito?

Lula na China?

Eva Maria Dal Chiavon, que foi ministra-chefe da Casa Civil do governo de Dilma Rousseff (PT), em uma conversa que participei onde estava a sua assessora Géssica Chiavon e o presidente do Grupo Condá de Comunicação, Alfredo Lang, relatou o que considerou um dos momentos mais difíceis que passou em sua vida pública. Ela estava em São Bernardo do Campo, dentro do Sindicato dos Metalúrgicos onde ficou o ex-presidente Lula, horas antes de se entregar à Polícia Federal. Segundo Eva, Lula tentou se entregar mas foi contido por lideranças e por integrantes de Movimentos Sociais que tinham um plano para sequestrá-lo. “A ideia era tirá-lo dali e levá-lo para uma embaixada”, disse. Questionei para qual e ela respondeu: “Para a Embaixada da China, devido a força política dos chineses. Era a mais segura”, relatou a ex-ministra que segue fiel ao ex-presidente.

Lamentou

Eva Dal Chiavon também fez uma dura crítica. Segundo ela, aqueles foram alguns dos momentos mais difíceis da história do ex-presidente Lula, porém, muita gente incluindo lideranças, foram até o local para fazer selfie ao lado do líder petista sem respeitar o momento. “Ele é um ser humano, é claro que estava sofrendo e as pessoas num clima que foi difícil de entender”, relatou.

Emedebistas no Meio-Oeste

O presidente estadual do MDB, deputado federal Celso Maldaner, começa hoje um giro pelo Meio-Oeste do Estado. O dirigente e o deputado estadual Valdir Cobalchini passarão por oito cidades que integram as coordenadorias regionais emedebistas de Caçador e de Videira. Na pauta, encontros com lideranças locais e planejamento com os diretórios municipais para as eleições de 2020. “Precisamos fortalecer nosso partido, nos reconectar às bases e nos reoxigenar. Temos uma história, um legado de realizações, e o futuro depende da nossa unidade e das nossas ações” disse Maldaner. Os dois dias de atividade intensa incluem visitas a Rio das Antas, Lebon Régis, Timbó Grande, Caçador, Fraiburgo, Calmon e Matos Costa. O deputado estadual Romildo Titon junta-se ao grupo em Arroio Trinta, onde a programação se encerra amanhã à noite com a escolha dos novos coordenadores geral, de mobilização, do MDB Mulher e da Juventude do MDB (JMDB) da região de Videira.

Crise no PSL

Jessé rechaçou o apoio a Minotto.

Conforme o colega de Criciúma, João Paulo Messer, divulgou no final de semana, esquentou o caldo dentro do PSL no Sul do estado. Essa situação somada ao clima de Joinville e de Florianópolis, pode fragmentar um partido que ainda nem ganhou musculatura suficiente para entrar forte nas eleições municipais, correndo o sério risco de não conseguir um bom êxito nos pleitos. Como o deputado federal, Daniel Freitas (PSL), não deseja ir para a disputa, o deputado estadual, Rodrigo Minotto (PDT) entrou no vácuo se lançando pré-candidato a prefeito de Criciúma e contando com o apoio de Moisés. Messer informou que o deputado Jessé Lopes (PSL) não deixou barato. “Se o governador quiser ter oposição na Assembleia é só anunciar o apoio ao PDT. Nada contra o deputado (Minotto), mas o posicionamento político dele na Assembleia, seus votos, não tem qualquer alinhamento com o que o PSL pensa. Além disso, não falou conosco, foi direto no governador”, reclamou. Amanhã eu trago mais detalhes da situação do PSL pelo estado, porém, já é possível dizer que Moisés não está se saindo nada bem como articulador político, e deve enfrentar mais resistências.

Desfiliação judicial

É crítica a convivência entre o deputado estadual, Ivan Naatz, e a executiva estadual de seu partido, o PV. O advogado Felippi Mello foi contatado e está ingressando com ajuizamento de Ação Declaratória de Justa Causa para a desfiliação de Naatz do partido, alegando grave discriminação pessoal, a qual, segundo o advogado do deputado, estariam sendo praticadas pelo presidente estadual Guaraci Fagundes e pela executiva estadual e nacional. Naatz alega que a sua representatividade eleitoral e atuação é ignorada, o que impede novas filiações e o crescimento do partido. Em suas redes sociais, Ivan Naatz comentou o assunto:” Não adianta amar quem não te ama. É uma porta que se fecha e uma maior que se abre. Novos rumos, escreveu, dando a entender que está realmente de saída do Partido Verde.

Preocupados

Um grupo ligado ao ex-vereador de Florianópolis, Tiago Silva, nomeado como diretor de Relações e Defesa do Consumidor pelo governador, Carlos Moisés da Silva (PSL), está preocupado. Acontece que todos temem perder os cargos que teriam sido indicados por Silva.

Segurança Pública

Hoje às 10h, no quartel do comando geral a Polícia Militar vai entregar o primeiro lote de câmeras policiais do projeto que vai implementar a gravação de ocorrências em todo Estado. Este projeto vai entregar mais de 2.000 câmeras, com toda estrutura de apoio, para tornar a PM de Santa Catarina uma referência internacional. De acordo com o coronel Araújo Gomes, comandante geral da Polícia Militar no estado, com as câmeras esperasse atingir dois objetivos principais: melhorar a qualidade das provas, e consequentemente aumentar a eficácia das prisões, e proteger os policiais contra falsas acusações. Após a entrega, será concedida uma coletiva para tratar do assunto.

Para receber via WhatsApp é só enviar uma mensagem pelo (49) 98504.8148.
 
PATROCINE ESTA COLUNA: (49) 985048148 / email: mlula.jornalista@gmail.com