...
Carlos Moisés da Silva Jorginho Mello Mauro De Nadal Valdir Cobalchini

Jorginho convida Cobalchini, denúncia na CPI em Florianópolis, proposta redução de vereadores em Chapecó entre outros destaques

Receba pelo celular !!
 
Para receber via WhatsApp é só enviar uma mensagem pelo (49) 98504.8148.
 
PATROCINE ESTA COLUNA: (49) 985048148 / email: mlula.jornalista@gmail.com

Destaque do Dia

Ontem à noite o governador, Carlos Moisés da Silva (PSL), recebeu os deputados estaduais do bloco PSD, PSDB, PDT e PSC, para mais um jantar na Casa D’Agronômica. Ao lado de Moisés, a vice-governadora, Daniela Reinehr (PSL), e o secretário de Estado da Casa Civil, Douglas Borba. Dos três encontros com parlamentares até o momento, foi o primeiro que não contou com o bloco completo, pois, faltaram os deputados Kennedy Nunes (PSD) que está em viagem, e Marcos Vieira (PSDB) que tinha outro compromisso. Júlio Garcia também não foi, por ser o presidente da Alesc.

O governador pediu o apoio da bancada, que deve ter o maior número de deputados se colocando como oposição com o passar do tempo. Chegou a dizer que precisa que todos apoiem os projetos que serão enviados à Assembleia. Reclamando da falta de dinheiro, Moisés explicou que deseja realizar melhorias na infraestrutura do Estado, mas, que antes precisa economizar, além de torcer para que a arrecadação melhore e que a Alesc devolva as sobras do duodécimo do ano passado.

Os deputados falaram das demandas de suas regiões, principalmente os ligados a região Oeste, que pediram uma maior atenção ao aeroporto e as rodovias. Outro questionamento a Moisés, foi quanto a retirada do ICMS de produtos da cesta básica, que encarecerá alimentos básicos, a exemplo do arroz, feijão, óleo de cozinha entre outros. Ele explicou que juridicamente não pode revogar o decreto assinado pelo ex-governador, Eduardo Pinho Moreira (MDB), mas, disse que estão sendo buscadas soluções para o problema. “Preciso de um estudo mais aprofundado sobre a questão do ICMS”, disse aos convidados.

Antes de servirem o jantar, o governador prometeu a exemplo das outras reuniões, que atenderá sempre que possível o pedido dos deputados, independentemente de partido, desde que as demandas sejam realmente importantes para as regiões.

O final do discurso, foi com um pedido, para que todos tenham paciência, já que ele está há apenas um mês a frente do governo e, que é necessário aguardar os estudos que estão sendo feitos a respeito da situação do Estado. “O que aconteceu em 30 anos, não dá para resolver em 30 dias”, falou.

Anuncie a sua empresa, ou o seu produto na coluna. Apoie o nosso trabalho, além de ter a sua marca em uma das colunas mais lidas de Santa Catarina. Ligue: (49) 985048148, ou envie um e-mail para: mlula.jornalista@gmail.com

Tempo

A avaliação do encontro com o governador, Carlos Moisés da Silva (PSL), foi positiva, ou seja, a conversa agradou aos deputados. Mesmo assim, muitos parlamentares darão um prazo até a metade do ano para que o novo governo realmente comece a funcionar, caso contrário, Moisés terá grandes dificuldades no parlamento. Por hora, até os deputados mais distantes do governador dizem que votarão a favor dos projetos que forem beneficiar o Estado e, que defendem que seja dado um tempo para que a partir da reforma administrativa, Moisés possa mostrar para o que veio. Portanto, o governador terá uma trégua moderada, mas, precisará saber usar bem esse tempo para ganhar a confiança da maioria na Assembleia Legislativa.

Preocupação

Ao mesmo tempo em que os deputados estaduais dizem que é preciso ter paciência com o início do governo de Carlos Moisés da Silva (PSL), por outro lado, ninguém colocará a mão no fogo por ele, quiçá, se os pesselistas fizerem isso. O fato é que a maioria dos deputados não votarão com um governo que não lhes pertence, portanto, qualquer projeto que sofra a rejeição da população, é bem provável que os deputados votem contra. Moisés terá que pisar em ovos com um parlamento que está receoso com um governador outsider.

Encontro

Hoje acontece a primeira reunião entre o governador, Carlos Moisés da Silva (PSL), e o presidente da Assembleia Legislativa, Júlio Garcia (PSD). Entre os assuntos que serão discutidos estarão os vetos e a devolução de dinheiro, oriundo do duodécimo do parlamento para o governo.

Convite

O presidente estadual do agora, Partido Liberal, o senador Jorginho Mello, não perdeu tempo. Em meio à crise instalada na bancada do MDB na Assembleia Legislativa, ele visitou o deputado estadual, Valdir Cobalchini (MDB). Além de falarem sobre política, uma fonte contou que Jorginho convidou Cobalchini para se filiar em seu partido. A conferir.

Desenvolvimento regional

O deputado estadual, Valdir Cobalchini (MDB), assumiu a presidência da Frente Parlamentar que incentiva ações e propostas para combater as desigualdades regionais. Com o fim das Agências Regionais, o deputado entende que é fundamental que as políticas públicas sejam voltadas para estimular a economia no interior, fomentando o desenvolvimento. A frente terá a missão de fiscalizar e promover propostas. Além disso, Cobalchini vai presidir mais três frentes, com foco nas áreas de infraestrutura, Defesa das Micro e Pequenas empresas e do setor Madeireiro e Moveleiro do Estado.

Redução de vereadores

Mantelli quer a redução.

O vereador Neuri Mantelli (sem partido), conseguiu as sete assinaturas necessárias para a sua proposta de redução do número de vereadores em Chapecó, de 21 para 17. De acordo com Mantelli, a ideia é reduzir os gastos da Câmara, inclusive, através da redução do gasto com diárias. Ainda ontem o vereador Diego Alves (Progressistas), se manifestou a alguns de seus colegas contrário à proposta. Segundo ele, há outras formas de reduzir os custos mantendo o mesmo número de cadeiras no legislativo. Alves prepara uma proposta de redução do salário dos vereadores dos atuais R$ 8.500, para três salários mínimos. Além disso, ele também vai sugerir que se diminua o repasse do duodécimo.

Anuncie a sua empresa, ou o seu produto na coluna. Apoie o nosso trabalho, além de ter a sua marca em uma das colunas mais lidas de Santa Catarina. Ligue: (49) 985048148, ou envie um e-mail para: mlula.jornalista@gmail.com

CPI na capital

Na sessão de ontem a tarde, os vereadores da Câmara de Florianópolis deram andamento aos trabalhos de composição da Comissão Parlamentar de Inquérito dos Transportes e, da Comissão Parlamentar Especial das quedas de energia. As duas frentes de atuação enfrentam questões recentes levantadas pela sociedade. A CPI dos Transportes será composta pelos vereadores Afrânio Boppré (PSOL), Claudinei Marques (PRB), Guilherme Pereira (MDB), Lino Peres (PT) e Renato Geske (PL). A primeira reunião deve ser realizada nos próximos dias para a eleição do presidente e do relator da CPI. Eles vão apurar a existência de irregularidades no transporte coletivo da Capital nos atos públicos realizados desde 2002. Liguei para o prefeito, Gean Loureiro (MDB), que não atendeu.

Carta denúncia

Ontem durante a sessão da Câmara de Vereadores de Florianópolis, o vereador, Maikon Costa (PSDB), leu uma carta-denúncia enviada pelo ex-secretário de Mobilidade Urbana de Florianópolis. Segue a carta:

“Eu, na condição de ex-Secretário de Mobilidade Urbana de Florianópolis, gostaria de me dirigir à Frente Parlamentar de Mobilidade Urbana na pessoa de seu presidente, o vereador Maikon Costa, para me colocar à disposição da CPI que será instalada em relação ao transporte público. Acredito que se houver um trabalho sério e a investigação for a fundo, devem vir à tona revelações importantes para a sociedade.

Digo isso, pois mesmo eu, após 3 meses à frente da pasta, cansei de ficar de mãos atadas em uma secretaria sem recursos; cansei das dificuldades e falta de transparência nas informações; cansei de ter o processo de tomada de decisões eivado de vícios e estranhezas. Cansei e depois de 3 meses pedi para ser exonerado. Infelizmente minha boa vontade em colaborar para o sucesso da mobilidade em Florianópolis esbarrou em um intransponível muro de interesses.

A certeza que tenho é que todos pagamos caro pelo transporte público, mesmo os que não usam, porque além do espaço na tarefa pública que as empresas ocupam, com seus ônus e bônus, ainda temos um subsídio que, mesmo eu que fui secretário, não tive total transparência nem plena certeza dos valores envolvidos nos custos das empresas.

Sendo assim, coloco-me a disposição da CPI, na fé de que esta caixa preta seja aberta, os dados se tornem públicos, auditáveis e o povo possa ter certeza da justeza do tamanho de seu sacrifício para comparar com a qualidade dos benefícios do serviço prestado.

Sinto, de qualquer maneira, que muitas mudanças necessárias à cidade, como transporte marítimo e outros modais, são emperradas pelo atual sistema. A cidade é o maior acionista deste negócio, merece ser tratada como tal tendo acesso à verdade. A propositura da CPI renova nossas esperanças.” – Sérgio Hickel do Prado

Queda de energia

A Comissão Parlamentar Especial formada pela Câmara de Vereadores de Florianópolis, irá apurar as constantes quedas de energia e o aumento desproporcional na conta de luz dos consumidores. Ontem foi definida em plenário, a formação da CPE, com os vereadores Dalmo Meneses (PSD), Gabrielzinho (PSB), Jeferson Backer (PSDB), Pedrão (Progressistas) e Tiago Silva (MDB). Por ser o vereador mais velho entre os membros, Dalmo presidirá a primeira reunião em que serão eleitos o presidente e o relator da CPE.

Bancada do Oeste

A primeira reunião dos deputados estaduais ligados ao Oeste, aconteceu ontem no gabinete do vice-presidente da Assembleia Legislativa, Mauro de Nadal (MDB). Sob a coordenação da deputada, Marlene Fengler (PSD), neste primeiro ano, os 16 integrantes, incluindo o líder do governo na Alesc, coronel Onir Mocellin (PSL) que é natural de São Miguel do Oeste, discutiram as principais pautas. Ficou agendado para o próximo dia 6 de março, as 11h, um encontro para discutir o aeroporto de Chapecó, com a participação do prefeito, Luciano Buligon (sem partido), representantes da Secretaria de Infraestrutura, da Fecomércio e da Fiesc. Marlene informou que a próxima pauta, será a situação das rodovias.

Ressocialização

O governador, Carlos Moisés da Silva (PSL), recebeu caixas de uva bordô e cebola crioula cultivadas no setor agrícola da penitenciária da região de Curitibanos. Na unidade, 100% dos internos desenvolvem alguma atividade laboral. Inclusive as embalagens são confeccionadas em uma das oficinas industriais. A entrega foi feita pelo secretário, Leandro Lima. O gesto de Moisés, é um estímulo ao trabalho de ressocialização.

Anuncie a sua empresa, ou o seu produto na coluna. Apoie o nosso trabalho, além de ter a sua marca em uma das colunas mais lidas de Santa Catarina. Ligue: (49) 985048148, ou envie um e-mail para: mlula.jornalista@gmail.com

Japoneses na Casan

A Casan recebe até amanhã, uma missão técnica da Agência de Cooperação Internacional do Japão (JICA), que financia o Programa de Saneamento Ambiental do Estado. A parceria está permitindo a aplicação de R$ 404 milhões em projetos de implantação e ampliação de esgotamento sanitário em municípios integrados ao sistema da Casan. A equipe técnica da JICA é composta pelo novo representante no Brasil, Hiroshi Sato, o representante Sênior, Shinji Sato, a coordenadora de projetos Eri Taniguchi e o também coordenador de projetos Mauro Inoue. A agenda de trabalhos inclui reuniões e saídas de campo para avaliação de obras.

Homenagem negada

Um projeto de Lei na Câmara de Florianópolis que concedia a medalha “Aldírio Simões”, ao senador Esperidião Amim (Progressistas), foi rejeitada. Ontem o plenário da Câmara rejeitou o projeto do vereador, Marcelo da Intendência (Progressistas). A proposta precisava de 16 votos, sendo que haviam 16 presentes dos 23 vereadores. Ao final foram 14 votos a favor e duas abstenções.

Anuncie a sua empresa, ou o seu produto na coluna. Apoie o nosso trabalho, além de ter a sua marca em uma das colunas mais lidas de Santa Catarina. Ligue: (49) 985048148, ou envie um e-mail para: mlula.jornalista@gmail.com

Kennedy em agenda

O presidente da Unale, deputado Kennedy Nunes (PSD), esteve na manhã de ontem no Tribunal Superior Eleitoral em Brasília, para realizar uma visita institucional, onde apresentou à entidade as suas principais bandeiras. O parlamentar foi recebido pelo ministro, Edson Fachin, que ressaltou a importância do papel do deputado estadual dentro do cenário político brasileiro. “Os deputados estaduais são as lideranças que estão mais próximas da realidade local em todas as regiões”, disse. Kennedy convidou Fachin e os demais ministros, para participarem da 23ª edição do maior encontro legislativo da América Latina, que é a Conferência Nacional da Unale. O deputado ainda visitará Minas Gerais e o Ceará, para falar com os deputados a respeito do Pacto Federativo.

Sondado

O prefeito de Chapecó, Luciano Buligon (sem partido), recebeu mais um convite para ingressar em um partido. Ele foi convidado pelo PRTB do vice-presidente, general Hamilton Mourão. Buligon não deu uma resposta.

 

Receba pelo celular !!
 
Para receber via WhatsApp é só enviar uma mensagem pelo (49) 98504.8148.
 
PATROCINE ESTA COLUNA: (49) 985048148 / email: mlula.jornalista@gmail.com