Ana Campagnolo e o uso das diárias, João Amin critica Loureiro e Pinho Moreira, Governo firma parceria com municípios entre outros destaques

Marcelo Lula

Marcelo Lula

Receba pelo celular !!
 
Para receber via WhatsApp é só enviar uma mensagem pelo (49) 98504.8148.
 
PATROCINE ESTA COLUNA: (49) 985048148 / email: [email protected]

 Destaque do Dia

A cada dia que passa me convenço mais que esse discurso da “nova política”, não passa de um grande engodo, pois o que conta mesmo é a “boa política”, seja ela com novas lideranças, ou com as experientes que seguem o bom caminho. Se não fosse assim, não estaríamos vendo tantas aberrações envolvendo justamente os que se colocam como os novos, os suprassumo da moral e dos bons costumes.

Costa e Alba
CASAN
Brasao

Os veículos onde atuo, sempre foram usados para fazer jornalismo e, isso já me fez criticar e muito o Partido dos Trabalhadores, tanto, que muitas lideranças de esquerda me rotulam como um jornalista de direita. Sinceramente, me considero ambidestro, defendo o liberalismo mas não aceito rótulo e, assim como me sinto livre para criticar a esquerda, os governos do PT e a formação de uma verdadeira quadrilha que assaltou o nosso país, por outro lado, não posso me fazer de cego e fingir ignorância em relação aos erros da direita, pois, ao negar, eu estaria sendo no mínimo, desonesto com quem acredita no meu trabalho.

Ninguém, e nenhum dos lados é o dono absoluto da verdade e da honestidade, seja ela na prática, ou intelectual. Todos têm os seus pontos positivos e negativos e precisamos saber respeitar, ao mesmo tempo que é um dever de cidadão, de quem realmente ama o Brasil, de ser atuante no controle social dos ocupantes de cargos públicos, fazendo com que simplesmente hajam como deve ser, afinal, fazer o certo não é nada de extraordinário, é obrigação. Não devemos ter políticos e nem partido de estimação, todos merecem a nossa torcida e apoio para que façam o melhor, afinal, se acertam será bom para todo o país. Por outro lado, todos podem e devem ser criticados ao errar.

Nos últimos anos temos tido a felicidade de ter no Brasil, uma verdadeira primavera de nossa política, com o aumento do interesse de nossa população. Isso é fantástico, mas é um longo processo ainda, pois, o nosso país passou por anos de despolitização de parte do nosso povo, o que faz com que seja necessário neste momento, um processo importante para que as pessoas sejam politizadas da melhor forma. Quanto a ideologias, cada um tem o direito de ter a sua, porém, infelizmente temos uma pequena parcela de pessoas que não conseguem se conectar com a realidade. Vivem numa batalha ideológica insana, onde defender uma ideia, lhe faz ser comunista ou fascista, ou seja, vivem num Brasil binário, maniqueísta e sem conteúdo, onde as suas ideias nascem do fígado e, não do cérebro.

Portanto, não podemos ter um país que se constrói sob o extremismo de direita e de esquerda. Está mais do que na hora de acordarmos para a realidade, antes que essa polaridade gere consequências nefastas para todos nós. Quando nós da imprensa criticamos, não é por posição ideológica, é para noticiar um fato e que o público tire as suas conclusões. Se não fosse a imprensa, com certeza casos como o mensalão, petrolão entre outros, já teriam sucumbido as articulações dos bastidores do poder.

Fiz mais que um preâmbulo, para as notas que vem na sequência e, que tratam do comportamento de uma certa deputada estadual, a qual mostra um profundo desprezo a democracia, por atacar a imprensa que simplesmente realiza o seu trabalho.

Diárias em causa própria?

O colega Altair Magagnin, que trabalha no Notícias do Dia, escreveu em sua coluna no ND+, sobre um pedido de diárias feito pela deputada estadual, Ana Caroline Campagnolo (PSL), para viagens onde fez o lançamento ou palestrou a respeito de seu dito livro. Magagnin fazendo simplesmente jornalismo, o que é a nossa obrigação, cruzou os dados relacionados a agenda da parlamentar e as solicitações de diárias que constam no Portal da Transparência. Acontece que as datas coincidem com atividades relacionadas ao dito livro da pesselista, nas cidades de Chapecó, Criciúma, Fraiburgo, Guaramirim, Itajaí e Itapoá. A justificativa dada por Ana, é que nessas viagens ela cumpriu agenda com lideranças políticas e de representação da Assembleia. Não tenho dúvida que a deputada tenha realmente realizado tais visitas, mas as agendas foram oportunamente construídas para que pudesse falar de seu livro. Com tanto discurso sobre renovação, Ana Campagnolo não teria que ter agido de forma diferente, ou só vale na retórica?

Pedido de diária

Ainda segundo a coluna de Altair Magagnin, Ana Caroline Campagnolo (PSL) esteve em Criciúma em primeiro de abril, quando cobrou meia diária no valor de R$ 335, enquanto que um assessor também pediu a metade da diária no valor de R$ 210. Ele a acompanhou em outras agendas também, com meia diária em cada viagem. Em 25 de março ela pediu mais meia diária para ir a Itapoá, onde lançou o seu livro. Depois foram mais duas diárias, ao custo de R$ 1.340, para um roteiro entre os dias 10 e 12 de março pelos municípios de Campos Novos, Fraiburgo, Lages e Lebon Regis, sendo que houve um lançamento do livro no dia 10, em Fraiburgo. Antes, em 1º de março, ela lançou o livro em Guaramirim, sendo que consta mais uma cobrança de meia diária para o deslocamento para o município. Entre os dias 21 e 24 de fevereiro, Campagnolo esteve em Águas de Chapecó, Chapecó e Xanxerê, quando cobrou três diárias no valor de R$ 2.010, sendo que no dia 23 fez o lançamento de seu livro em Chapecó. Entre 15 e 16 de fevereiro, quando a recém havia assumido o mandato, ela já pediu diárias, dinheiro público pago por você que está lendo agora, no valor de R$ 1.005, sendo que a viagem foi para Balneário Camboriú e Itajaí, onde no dia 16 lançou o seu dito livro. Seria bom que o Ministério Público se manifestasse a respeito dessa situação, no mínimo estranha.

Leia também »  Exclusivo: Investigado suposto pedido de propina na Casan, Amin diz que PT sabia do vazamento da Intercept, entre outros destaques

Ana e o seu ódio

Os caros leitores podem ouvir a entrevista feita por Altair Magagnin, com Ana Caroline Campagnolo (PSL). Ela negou que tenha havia irregularidade no uso de diárias, justificando que nas cidades onde cumpre agenda, que pode participar de outras atividades, incluindo o lançamento de seu livro, ou até ser convidada para palestrar. Só que a astúcia da deputada não é tão grande assim, pois, fica evidente que as agendas coincidem com atividades parlamentares como uma suposta forma de ofuscar o real interesse, que é a divulgação do seu dito trabalho de escritora. Além disso, ela mostra todo o seu autoritarismo e destempero durante a conversa com o colunista, mostrando que pensa estar acima do bem e do mal e, que não pode ser contestada. Dessa e outras formas, Ana Campagnolo demonstra o quanto é nociva para a política catarinense e ao nosso Estado. Recebe dinheiro público para destilar o seu fel, para fazer proselitismo ideológico, ao invés de cuidar das pautas que realmente interessam à vida do cidadão. Ana é o retrato do atraso, do ranço e da falta de capacidade de se portar decentemente, demonstrada quando usa da sua verborreia para ofuscar a falta de conhecimento e de interesse em aprender o que realmente deve importar para o seu mandato. Que as entidades representantes da imprensa, que tem realizado há anos um trabalho tão importante, que se manifestem a mais esse ataque feito por essa pessoa a um profissional.

Ouça a entrevista:

Merisio reflui?

Merisio na primeira reunião com o Progressistas.

Informação ainda não confirmada oficialmente, é de que o ex-deputado estadual, Gelson Merisio, poderá rever a sua ida para o Progressistas. Segundo uma fonte, Merisio não teria sentido uma receptividade muito grande para a sua volta ao partido, do qual se desfiliou há alguns anos. O fato é que dentro do Progressistas tem a ala que deseja a filiação de Merisio, grupo, que aliás, ele deverá liderar, enquanto que uma outra ala não estaria bem certa dos benefícios que ele poderá levar ao partido. Uma liderança relatou que o fato de Merisio não ter conseguido atrair lideranças de peso frustrou a expectativa de alguns. Agora, se Gelson Merisio decidir ficar no PSD também terá dificuldade, pois perdeu espaço de decisão que será liderada pelo grupo ligado ao presidente da Assembleia Legislativa, Júlio Garcia. De todo modo, ainda está confirmada a presença de Merisio na reunião ampliada que o Progressistas realizará na próxima segunda-feira.

Hobus pensa

Conversei com o deputado estadual, Milton Hobus, que será o próximo presidente estadual do PSD. Porém, ele ainda não confirma oficialmente, pois alega falta de tempo já que tem as atividades de parlamentar e também de empresário. Porém, lideranças confirmam que Hobus é o nome que apaziguará o PSD, já que Gelson Merisio perdeu espaço no partido e Raimundo Colombo não foi aceito pela maioria dos pessedistas, mesmo com a ajuda do ex-governador, Jorge Bornhausen, que tenta convencer o presidente nacional do partido, Gilberto Kassab, a impor o nome de Colombo. Hobus sabe que não poderá declinar, já que a maior liderança pessedista, o presidente da Alesc, Júlio Garcia, não aceita o comando do partido, já que deseja se dedicar exclusivamente ao parlamento.

Amin critica Loureiro

O deputado estadual, João Amin (Progressistas), fez duras críticas ao prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro (MDB) e, ao ex-governador Eduardo Pinho Moreira (MDB), praticamente os acusando de mentir. Amin lembrou que houve um anúncio quando Pinho Moreira estava à frente do Governo do Estado, de que a capital receberia R$ 345 milhões em obras em alusão aos seus 345 anos. Ao pedir informações ao secretário de Estado da Casa Civil, Douglas Borba, o deputado ficou sabendo que é desconhecido o anúncio de investimentos para a região de Florianópolis. Acontece que no dia 22 de março do ano passado, em uma coletiva o então governador e Loureiro, anunciaram que os recursos seriam liberados dentro de poucas semanas, o que acabou não se tornando realidade.

Leia também »  Gean Loureiro fala ao SC em Pauta, advogado da Alcatraz entre os presos da Operação Chabu, as alternativas de Moisés para o duodécimo entre outros destaques

Reposta de Borba

“O Estado de Santa Catarina, através da Secretaria de Estado do Planejamento – Escritório de Gestão de Projetos e a Secretaria de Estado da Fazenda, iniciaram tratativas no ano de 2018, junto ao BNDES, para a contratação de uma nova operação de crédito no valor aproximado de R$ 632 milhões, onde foram submetidos diversos projetos de infraestrutura para a análise do banco. No entanto, a época dos fatos, o Estado não estava alinhado com as diretrizes definidas pela Secretaria do Tesouro Nacional – STN e, portanto, não foi possível concretizar o novo contrato de financiamento”, respondeu o secretário, Douglas Borba, ao deputado João Amin. Com a palavra, Eduardo Pinho Moreira e Gean Loureiro.

Mais vôos

Programa de Lummertz beneficia a vários estados.

Ontem eu recebi a informação através da assessoria do secretário de Turismo do Estado de São Paulo, Vinicius Lummertz, de que Santa Catarina terá pelo menos mais dois vôos da Gol Linhas Aéreas. O anúncio foi feito ontem pela companhia diretamente a Lummertz. Entre vários novos vôos partindo da capital paulista para outros destinos, Chapecó e Joinville ganharão mais um vôo cada, que partirá de Guarulhos. O estado foi beneficiado pelo Programa de Incentivo ao Desenvolvimento e Ampliação da Malha Aérea Paulista (São Paulo Pra Todos), que dará em contrapartida a redução da alíquota do ICMS sobre o querosene para aviação comercial.

Criado por Lummertz

O programa que incentiva as companhias aéreas a aumentarem os voos a partir de São Paulo através da redução do ICMS para o querosene da aviação comercial, foi uma iniciativa do ex-ministro, o catarinense Vinicius Lummertz, que no início do ano foi convidado pelo governador João Dória (PSDB) para comandar o setor. “O programa São Paulo Pra Todos mostra que realmente veio para ficar. Essa parceria entre o Governo de São Paulo e as aéreas mostra que não estamos só promovendo o turismo do estado, mas também beneficiando outras unidades da federação, já que além dos voos para cidades do interior onde não haviam movimentação aérea comercial, novas cidades estão sendo incorporados à malha aérea do país”, afirmou Lummertz.

Aeroporto de Chapecó

Ainda no aguardo dos investimentos prometidos com recursos do Governo do Estado e Federal, o aeroporto Serafim Enoss Bertaso de Chapecó, registrou em março 42.468 embarques e desembarques. O número ficou abaixo em relação ao ano passado, quando no mesmo período foram registrados 44.101 embarques e desembarques. Porém, dados apontam que no primeiro trimestre deste ano, o número foi superior ao do ano passado, chegando a 128.351, contra 123.042 no mesmo período em 2018. Ao todo, foram 4,31% a mais.

Parceria com os municípios

O Governo do Estado fechou uma parceria com as associações de municípios catarinenses na manhã de ontem, em Florianópolis, para agilizar e reduzir custos com recuperação e manutenção de rodovias. O governador Carlos Moisés da Silva (PSL) e o secretário de Estado da Casa Civil, Douglas Borba, ouviram o presidente da Federação Catarinense de Municípios (Fecam), Joares Ponticelli (Progressistas), e representantes das 21 entidades municipais para construir um modelo que atendesse à infraestrutura viária, o principal gargalo apresentado pelos prefeitos. Optou-se conforme adiantado pela coluna, pela criação de consórcios intermunicipais para implantação de usinas de asfalto em todas as regiões. O consórcio de Pinhalzinho criado na época do então prefeito, Fabiano da Luz (PT), servirá de modelo. O atual prefeito, Mário Woitexem (PSDB), compartilhou a experiência com os presentes.

Dinheiro para implantação

O investimento com aquisição das usinas de asfalto ficará sob a responsabilidade do Governo do Estado, por meio de financiamento junto ao BNDES. “A adesão das associações é total neste projeto. O consórcio vem para aproximar Governo e Prefeituras, trazer legalidade ao processo e dar agilidade e economia na recuperação de estradas. É uma excelente forma de autorizar o município a investir seus esforços com a contrapartida do Estado”, disse o governador, Carlos Moisés da Silva (PSL). Por sua vez, Douglas Borba lembrou que 70% das estradas catarinenses estão em condições ruins ou péssimas. “A melhoria das rodovias é uma necessidade urgente. Acreditamos no municipalismo e que o Estado nem sempre precisa ser o executor, e sim, o meio facilitador. Por isso, precisamos fortalecer os prefeitos, pois são eles que conhecem a realidade local”, afirmou.

Salvaro X Casan

A decisão do prefeito de Criciúma, Clésio Salvaro (PSDB), de romper o contrato com a Casan, decisão que poderá ser seguida por outros municípios, a exemplo de Concórdia no Oeste, poderá render alguns problemas na justiça. Uma fonte governista relatou que a companhia de abastecimento estuda uma ação contra a decisão do prefeito. Pelo visto, vem aí uma longa batalha judicial.

Explicação em Chapecó

Siqueira quer explicação da Casan

Ontem a Câmara de Vereadores de Chapecó, aprovou um requerimento de João Siqueira (Progressistas), que pede informações sobre o valor arrecadado pela Casan no município e o quanto já investiu. Ele quer entender o motivo da taxa de esgoto ser tão elevada. Além disso, Siqueira defende que seja criada uma comissão na Câmara para analisar o contrato do município com a Casan, além do atendimento à população devido a constante falta de água.

Leia também »  Gean Loureiro já está na Polícia Federal

CPI do Transporte

Presidente do Conselho

O presidente do Conselho Municipal de Mobilidade Urbana de Florianópolis, Marcelo Roberto da Silva, esteve ontem reunido com a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Transporte Público. Ele explicou a metodologia do cálculo para o aumento da tarifa e, informou que é de acesso público e que consta no contrato de 2014. “É um sistema de fluxo de caixa, que reajusta a cada 12 meses, também previsto em contrato. O contrato prevê duas coisas que a outra metodologia não tinha. O reajuste e a revisão”, relatou. Quando questionado sobre o porquê de Florianópolis possuir uma das tarifas mais caras do país, o presidente explicou que são muitos fatores que influenciam, entre eles, o custo com pessoal, a frota de ônibus que está sendo renovada, sistema de controle operacional, o custo com o aplicativo Floripa no Ponto, entre outros. Marcelo afirmou também que o “Consórcio Phoenix tem que pagar para a Cotisa pelo número de ônibus que entram nos terminais.

Sem comparação

 O presidente do Conselho Municipal de Mobilidade Urbana de Florianópolis, Marcelo Roberto da Silva, disse ainda que não dá para comparar o custo do transporte público da capital, com outros municípios menores. “Enquanto em várias cidades do país a queda no número de usuários foi de 20% a 25%, em Florianópolis essa redução foi de apenas 5%”, explicou. O vereador Afrânio Boppré (PSOL), afirmou que não ficou satisfeito com as explicações. “Apesar de ser uma oitiva longa, faltaram muitos dados fundamentais, como os custos do nosso sistema de transporte coletivo, além disso, o tarifaço ocorreu em menos de 24 horas depois da reunião que aprovou a medida”. Em contrapartida, para o relator da CPI, vereador Renato Geske (PR), impressionou o detalhamento das respostas trazidas por Marcelo Roberto. “O secretário acabou dando uma aula de muitas informações que nós não tínhamos”, destacou. A próxima reunião da CPI, está marcada para a quinta-feira (11).

Palestra em Joinville

A Associação Empresarial de Joinville (ACIJ) recebe na segunda-feira (8), às 18h30, o presidente da Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (FIESC), Mario Cezar de Aguiar. Associados e a comunidade podem assistir gratuitamente à exposição do tema: “Uma visão da economia pela perspectiva do Norte catarinense”. Aguiar é o segundo joinvilense à frente da entidade.

Hemosc em Itajaí

Reivindicação antiga de Itajaí e região, a implantação de uma unidade de coleta e transfusão de sangue na cidade foi discutida ontem, entre o deputado estadual, Coronel Onir Mocellin (PSL), e o presidente da Fahece, Michel Scaff, cuja entidade administra o Hemoesc e o Cepom. Scaff confirmou a disposição de implantar o serviço em Itajaí. “Sabemos da importância dessa iniciativa e por isso vamos trabalhar para viabilizar”, destacou ele, ressaltando que é preciso agora buscar orçamento junto à Secretaria de Estado da Saúde e um local para a implantação. Segundo Mocellin, o projeto tem o apoio do secretário estadual Helton de Souza Zeferino.

BR-116

A deputada federal, Carmen Zanotto (Cidadania), está acompanhando as tratativas da duplicação da BR-116 junto a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). Representando o Fórum Parlamentar Catarinense, a parlamentar reforçou ontem, o pedido ao diretor geral da ANTT, Mário Rodrigues Júnior, para a inclusão de 6,8 Km, trecho compreendido entre a Rua João Pedro Arruda, até a Ponte do Rio Caveiras.

Partido “Cidadania”

Já está valendo o novo nome, do agora extinto PPS. O Cidadania nasceu na esteira do movimento nacional de mudança de nome dos partidos e fusões. Lideranças defendem que além do nome, que o partido também terá uma mudança de rumo.

Geovania em Harvard

A deputada federal, Geovania de Sá (PSDB), viajou aos Estados Unidos acompanhada do ministro do Supremo Tribunal Federal, Luis Roberto Barroso, e da procuradora-geral da República, Raquel Dodge. Eles são os três brasileiros convidados a palestrar no Painel “Mais Tolerância: Relações entre Estado e Religião no Brasil”, durante A Brazil Conference at Harvard & MIT, em Cambridge, Massachussetts. A conferência é realizada pela comunidade brasileira de estudantes em Boston, para promover o encontro com líderes e representantes da diversidade. O objetivo é estabelecer um espaço plural para o debate e criação de ideias para o futuro do Brasil.

Hora Cívica

As escolas municipais de Chapecó terão a Hora Cívica e um programa de aprendizado dos símbolos nacionais, estaduais e municipais. A proposta de origem do Executivo, determina que uma vez por semana, em dias alternados, todas as instituições educativas da rede municipal farão, nos três períodos, o hasteamento e arreamento das bandeiras do Brasil, do Estado e do Município, além de executar os hinos nacional e estadual. A iniciativa é importante, afinal, todos precisam saber os hinos oficiais além de cultivar o amor à pátria.

 

Para receber via WhatsApp é só enviar uma mensagem pelo (49) 98504.8148.

 
PATROCINE ESTA COLUNA: (49) 985048148 / email: [email protected]
 

Atualizado em:
Gean Loureiro fala ao SC em Pauta, advogado da Alcatraz entre os presos da Operação Chabu, as alternativas de Moisés para o duodécimo entre outros destaques
Gean Loureiro concede coletiva neste momento e diz que sai mais forte politicamente
Operação Chabu: TRF4 informa detalhes das prisões de hoje
Gean Loureiro já está na Polícia Federal