...

Moisés chama Jorginho Mello de irresponsável, três advogados de Blumenau concorrem à vaga no TJ e outras notícias

A sua passagem por Joinville foi bastante movimentada nesta sexta-feira (28), muito bem recebido pelas autoridades e empresários da cidade, o governador mostrou-se bem à vontade e falando abertamente sobre diversos assuntos.

Ao final de sua participação, questionei o governador sobre a decisão do Senador Jorginho Mello (PL) em convocá-lo à CPI da Covid no Senado. Moisés afirmou que são movimentos meramente políticos e que o senador não estaria pensando nos catarinenses, mas sim, na eleição de 2022. Por essa razão, o governador afirmou que aproveitou a reunião para o protesto e o desabafo perante os empresários.

Ele ainda disse que um político é remunerado para trabalhar, tendo em seu gabinete “várias pessoas gerando despesa pública”, portanto, teria que pensar em projetos pró-estado de Santa Catarina. Moisés chegou a afirmar que era um movimento de parlamentar contra o estado. “Pessoa irresponsável e que precisa ser rechaçado.” – declarou Moisés.

O governador fez questão de frisar que foi eleito por mais de 71% dos catarinenses e no caso dos respiradores não existe justa causa, verificado inclusive, pelo Tribunal de Justiça, Tribunal de Contas de Santa Catarina, Ministério Público de Santa Catarina e Federal, Procuradoria Geral da República, Superior Tribunal de Justiça e Supremo Tribunal Federal.

Kennedy assina CPI do Samu

O deputado estadual Kennedy Nunes (PSD), afirmou que também assina a abertura da CPI do Samu em Santa Catarina. Portanto, o documento que institui a CPI terá mais uma assinatura.

Por enquanto, defendem e assinam a CPI do Samu os deputados Jessé Lopes, Marcius Machado, Sargento Lima e Ivan Naatz.

“Claro que assino!” – afirmou Kennedy Nunes. Que disse não ter sido procurado ainda.

Esquisito

Vários parlamentares se fecharam em copas sobre o assunto e ninguém mais se prontificou a assinar o documento elaborado pelo deputado estadual Jessé Lopes. É muito estranho uma pauta que interessa a todos os catarinenses ser tratada dessa forma.

A CPI ajudaria a elucidar eventuais problemas contratuais e sobretudo, entender o que levou à má-prestação dos serviços no estado de Santa Catarina. E mais, qual a razão de um contrato ser mantido mesmo que descumprido.

Previdência em Joinville

São vereadores que defendem publicamente a Reforma da Previdência em Joinville: Willian Tonezi (Patriota), Neto Petters (Novo), Alison Julio (Novo), Henrique Deckmann (MDB), Diego Machado (PSDB) e Érico Vinícius (Novo).

Barra Velha de Araranguá

Sim, essa expressão deverá continuar sendo usada. Apesar da população usar alguns dos serviços de Balneário Rincão, diversos serviços não estarem sendo prestados a contento pela Prefeitura de Araranguá, a população da região concordar em desanexarem de Araranguá e pertencer à limítrofe Balneário Rincão, o prefeito de Araranguá considera inaceitável essa mudança.

Na semana passada, chegou a acontecer uma audiência pública com a presença de vereadores de ambas as cidades e o prefeito de Balneário Rincão, Jairo Custódio (MDB). O prefeito de Araranguá, César Cesa (MDB), não apareceu.

O município prometeu dar uma atenção à comunidade e ficou por isso mesmo.

Narrativa hipócrita no lixo

Todos aqueles que mandavam as pessoas ficarem em casa e foram se manifestar nesse fim de semana, precisam no mínimo “criar vergonha na cara!”

A preocupação era só narrativa. Uma falsa demonstração de virtude, como ensina Theodore Dalrymple.

Moisés foi cercado

Em sua chegada à ACIJ, nesta sexta-feira (28), um grupo de integrantes da Associação de Diábeticos da cidade de Joinville, cercaram o governador para pedir atenção no oferecimento de medicamentos análogos de insulina que deixaram de ser oferecidos no estado de Santa Catarina. O governador atendeu o grupo e prometeu verificar a situação.

Doze candidatos continuam

Sem dúvidas, a OAB de Santa Catarina deu um belo passo à democratização da escolha da vaga ao quinto constitucional para a cadeira de desembargador. Dos 23 nomes que se colocaram à disposição, 12 continuam.

Desta vez, todos os advogados são eleitores e votarão em quem quer vê-lo ocupando a cadeira. Os 6 mais votados seguem no crivo.

Dos nomes que continuam, três não surpreendem e já eram cotados para continuar. Aliás, são nomes fortes para a eleição aberta também: É o caso de Diogo Nicolau Ptisica (Capital), Wilson Pereira Júnior (Joinville) e Vinícius Marcelo Borges (Capital). O último já chegou a figurar uma recente lista tríplice.

Atenção para Blumenau

A eleição em Blumenau deverá ser acirrada, afinal, três nomes estarão concorrendo e disputam os votos dos advogados blumenauenses. Apesar de poder receber votos de todo o território catarinense, é natural que a disputa comece dentro de “casa”.

Os advogados de Blumenau são Romualdo Paulo Marchinhacki, Angelito José Barbieri e Cleide Regina Furlani Pompermaier.

Em Tubarão, a advogada Patricia Uliano Effting e o advogado Marivaldo Bittencourt Pires Júnior também deverão disputar os votos na cidade e claro, em toda a Santa Catarina.

Um candidato em cada cidade: São José, Criciúma, Lages, Joinville e Chapecó

No Oeste, o advogado Jandrei Aldebrand de Chapecó é o único candidato local. Na grande Florianópolis, além dos dois da Capital, ainda há a candidata de São José, Tammy Fortunato.

Em Criciúma, o advogado Carlos Werner Salvalaggio também continua na disputa. O advogado de Lages, Eduardo Cavalca Andrande também está em campanha.

Por fim, na maior cidade do estado, Joinville, o candidato é Wilson Pereira Júnior.