CPI do Samu é uma necessidade, Moisés afirma que Jorginho precisa ser rechaçado e outras notícias

Isso é grave. Nos bastidores da política, corre a notícia de que o verdadeiro motivo para a Reforma da Previdência não ser aprovada em Joinville, não seria a pauta em si.

O real motivo poderia ser a política adotada por Adriano Silva. A política de não entregar cargos em troca de apoios políticos.

Moisés e sua recepção em Joinville

Em clima ímpar, autoridades recebem de forma diferenciada o governador do estado de Santa Catarina. Palavras positivas do prefeito Adriano Silva e declarações abertas do deputado Fernando Krelling em face do governador foram as mais destacadas.

Choque na gestão

Segundo o governador, a sua forma de fazer política causou dor para algumas pessoas e teria sido o motivo dos dois processos de Impeachment que sofreu.

“Eu não era da política e vim para fazer choque de gestão!” – declarou Moisés. A fala aconteceu na reunião na Acij.

Tem que rechaçar

Sobre a CPI da Covid, Moisés falou que Jorginho Melo precisa ser rechaçado. Isso seria para atrapalhar o seu governo. Ele não falou o nome, mas deixou claro que era o senador.

Ele falou abertamente sobre o assunto e disse que era em tom de desabafo. Mais interessante ainda é que ele falou sem ser perguntado sobre esse assunto.

CPI do Samu

A gravidade das denúncias em todo o estado, a precariedade dos serviços e o impasse entre governo e empresa que presta o serviço para o Samu, precisam sair do papel. Uma CPI do Samu poderá encontrar os detalhes desse desserviço e finalmente, expor os verdadeiros problemas do Samu.

Alguns deputados não querem, algo que me estranha bastante. Aliás, Jessé Lopes chegou a protocolar o pedido de CPI e somente Marcius Machado, Sargento Lima e Ivan Naatz assinaram.

Não há motivo para não aceitar CPI do Samu, afinal, é uma pauta que une o legislativo, executivo e a sociedade em geral em prol da verdade.

Nota do SAMU

Depois da denúncia, recebi informações que a Superintendência teria se manifestado para declarar que irá fazer as melhorias exigidas.

Para essa coluna, a nota foi bem diferente. Segue:

A Secretaria da Saúde esclarece que o Estado faz e sempre fez seu papel de fiscalizador do contrato com a OZZ Saúde, que é a empresa paga para isto. Já chegou a advertir e penalizar a empresa em momentos específicos. O Governo de SC está em dia com suas obrigações licitatórias e pagou, no ano 2020, mais de 125 milhões para a contratada, cuja função engloba essa gestão preventiva e corretiva. A OZZ Saúde venceu a licitação para a prestação dos serviços listados pela matéria. Estamos conversando semanalmente com a empresa para preencher lacunas que achamos pertinentes e foram verificadas em visitas técnicas em bases de todo o Estado. Importante enfatizar que jamais deixamos a população desassistida. Acreditamos que, sim, há melhorias a serem feitas e trabalhamos para isso. Todos os dias. Foi no começo deste Governo, por exemplo, que se renovou a frota do SAMU em cerca de 80%. A SES fica à disposição para novos esclarecimentos e complementa que a matéria só chegou ao seu conhecimento depois de publicada.