Vignatti não abre mão de ser candidato, DEM quer independência para discutir aliança, projeto do aeroporto de Chapecó é considerado modelo entre outros destaques

Lima é o pré-candidato petista.

O Partido dos Trabalhadores de Santa Catarina somente definirá as questões paroquiais, após o dia 24 de janeiro quando o ex-presidente Lula (PT), terá o seu recurso julgado pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região em Porto Alegre.

Se for mantida a decisão de primeira instância, do juiz Sérgio Moro, em tese, o petista estará fora da eleição devido a lei da Ficha Limpa, que determina a inelegibilidade de quem for condenado em segunda instância, o que é contestado pelo PT, que defende a ilegalidade da lei. Lideranças dizem que uma pessoa não pode ser impedida de disputar a eleição, até que seja julgada em última instância.

De acordo com o ex-prefeito de Chapecó José Fritsch, o Tribunal Superior Eleitoral derrubará a lei, o que permitirá que Lula seja candidato, mesmo assim, ele destaca que há uma determinação dentro do partido para aguardar. Fritsch se disse animado devido ao convite que recebeu do coordenador do Plano de Governo de Lula, Márcio Pochmann, que o chamou para participar do conselho gestor de campanha, se ela ocorrer com Lula.

Além disso, Fritsch analisa o cenário estadual, pois, pretende estar na eleição, seja na coordenação, ou em uma das vagas majoritárias, com exceção da eleição a governador, já que os petistas tem no deputado Décio Lima o seu pré-candidato. “Devido aos números da pesquisa, não tem como ser outro”, afirmou Fritsch.

O PT trabalha com mais preocupação em torno da eleição a deputado. Tem em Pedro Uczai como postulante à candidatura para a reeleição a federal, enquanto que Luciane Carminatti não abre mão da disputa estadual. A questão é, em qual lugar, Claudio Vignatti se encaixará, lembrando que ele não aceita ficar de fora do pleito. Pelo visto, os petistas terão muito o que discutir no início de fevereiro.

Vai disputar

Claudio Vignatti não abre mão de disputar a eleição e, chegou a considerar uma heresia a possibilidade de ser coordenador de campanha. “Se aceitarem candidato como coordenador, sem problema”, me disse em rápida conversa por telefone. Vignatti relatou que tem conversado com lideranças, pessoas que poderão lhe apoiar na eleição. Tem ouvido que a maioria defende que ele dispute a deputado federal, porém, também tem os que desejam que a sua candidatura seja à Assembleia Legislativa. Vignatti tomará a decisão mais para frente, após conversas com as bases. “Tenho que falar com quem se comprometerá comigo”, afirmou, destacando que há uma defesa de que ele dispute a Câmara Federal e, que Pedro Uczai vá para a majoritária. Pelo visto, em fevereiro vai ferver os bastidores do PT.

Vignatti não abre mão da eleição.
Foto: Marcelo Lula

Comunistas conversam

A suplente de deputada federal, Ângela Albino (PCdoB), e o deputado estadual Cesar Valduga (PCdoB), tem conversado com lideranças de outros partidos. Ângela explica que são conversas pessoais, não institucionais e exemplifica o caso do PSD, onde as conversas se limitaram ao pré-candidato ao governo, Gelson Merisio. O recado de Ângela é claro, pois, se Merisio for o candidato, há a possibilidade, mas, caso João Rodrigues entre no cenário, está totalmente descartada qualquer conversa, e a reciproca é verdadeira. Ângela também destaca conversas com petistas e lideranças do PDT, podendo construir uma aproximação, porém, ela teme que se crie um “Frankstein”, no caso, alianças com partidos que tenham candidatos a presidente, antagônicos as bandeiras dos comunistas, que, segundo Ângela, defenderão até o fim a manutenção da candidatura de Manuela D’Ávila.

Ângela conversa com outros partidos.

Disputarão

Ângela Albino (PCdoB) está decidida a disputar uma vaga para a Câmara Federal, até mesmo, para contribuir com o partido para atingir o índice mínimo da cláusula de desempenho. Neste caso, os comunistas estão abertos a alianças, porém, na disputa a deputado estadual será em chapa pura, com Cesar Valduga (PCdoB) tentando a reeleição. O partido não deverá ter candidato ao Governo do Estado, mas, está aberto para apontar o vice.

Quer independência

O presidente estadual do Democratas, Paulo Gouvêa, me disse que o partido segue conversando pensando nas alianças para a eleição do próximo ano. Segundo ele, a legenda está mais próxima do MDB e do PSDB, porém, não descarta o PSD, mas, considera difícil uma aproximação. Gouvêa só não aceita conversar com o PT, PCdoB e demais partidos mais à esquerda. Outra definição nas hostes demistas, é de que não participarão do governo de Eduardo Pinho Moreira (MDB), caso sejam convidados. A ideia é de se manter descompromissado, para ter liberdade de escolha para o pleito.

Gouvêa quer o DEM livre para escolher.

PR espera

O Partido da República espera passar os feriados de fim de ano para conversar sobre a eleição do próximo ano. Ontem o presidente da legenda e pré-candidato a governador, Jorginho Mello (PR), esteve em Itapuá, no Litoral Norte do estado. Mello me disse que jantou com o senador Paulo Bauer (PSDB) em Brasília, quando discutiram as possíveis alianças para a majoritária. Ele não quis dar detalhes, somente se limitou a dizer que nesta época, alguns falam com sinceridade, enquanto outros a economizam.

Mello mantém a pré-candidatura a governador.

Prestigiado

Quanto a presidência do Partido da República de Chapecó, Jorginho Mello deixou claro que não há problema algum e, que o comando da legenda no município cabe a uma discussão entre Márcio Sander e Elio Cella. “Eles é que discutirão quem ficará na presidência”, disse Mello, destacando que ambos tem prestigio dentro do partido.

Exemplo

No dia da assinatura do compromisso do Governo Federal de liberar os recursos para a modernização dos aeroportos regionais, entre os quais, o Serafin Enoss Bertaso, o secretário Nacional de Aviação Civil (SAC) Dario Lopes, destacou a rapidez com que Chapecó elaborou e entregou o projeto de ampliação e modernização. Segundo Lopes, a partir de agora quem quiser elaborar um projeto para buscar recursos, será direcionado a conhecer o projeto da Capital do Oeste, para ter como modelo. Vale destacar que a elaboração foi realizada pelo diretor Diego Ferraz.

Desfiliação

O prefeito de Campo Êre Odilson Lima, o Nego Lima, deixou o PSD. Com convites de vários partidos, Lima estuda o rumo que dará ao seu projeto político.

Carimbo

Um selo personalizado do centenário de Chapecó foi impresso pela Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos. O ato de oficialização foi realizado na sala de reuniões do gabinete do prefeito em exercício Valmor Scolari (PSD). A gerente regional dos Correios Fernanda Guillen, e o coordenador geral Giancarlo e Sá fizeram a entrega e o lançamento oficial. O selo traz o Monumento 100 anos de Chapecó com as esculturas do colonizador Ernesto Bertaso, do industrial Plínio Arlindo De Nês e do cooperativista Aury Bodanese.

Scolari recebe o selo comemorativo.

Destaque

“Santa Catarina criou 4.995 novos postos de trabalho em novembro, o segundo melhor resultado do Brasil. No acumulado do ano, de janeiro a novembro, foram 51.550 vagas abertas em SC. Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados pelo Ministério do Trabalho.”

Deixe seu comentário:

Pin It on Pinterest