Vento Sul….

Reforma da Saúde em Criciúma
O governo municipal de Criciúma tem uma reforma em andamento. Diferente de reformas como a da Previdência, a do município não necessita de votação na Câmara Municipal. Mesmo assim depende muito da repercussão política. Com o exagerado número de postos de saúde que há na cidade, a proposta do governo é concentrar o atendimento. A repercussão política, entretanto, conflita com a teoria máxima de que todos querem um posto de saúde perto de casa. O consenso popular é que é melhor ter um posto e brigar por melhor equipá-lo de gente e estrutura, do que andar mais alguns metros até um posto melhor equipado. Vencido o debate sobre o IPTU, este é hoje o principal assunto nos bairros. A dúvida é se o governo vai ou não bancar esta discussão técnica versus a política. No caso do IPTU prevaleceu a decisão política.

Teste
Uma primeira tentativa de reformar a estrutura dos postos foi rejeitada em reunião terça-feira à noite no bairro Nova Esperança, onde o posto com estrutura precária funciona a menos de 500 metros da unidade da Santa Luzia. A prefeitura levou a proposta, mas a comunidade rejeitou. Aparentemente o governo recuou.

Impasse
Na teoria a região da Santa Luzia tem pelo menos cinco postos que funcionam com um médico cada. A ideia é levar toda estrutura técnica e de pessoal para um único posto central da grande região. A comunidade prefere o posto com menos estrutura, mas perto de casa. A desconfiança é que depois de concentrar o atendimento o governo diminua a estrutura também dos postos centrais.

Indignação
Houve reação de indignação de vítimas do processo administrativo da Criciúma Construções com a notícia de ontem. O retorno de Rogério Cizeski à empresa agora, com possibilidade de assumir com poder de decisão a partir de janeiro, não foi bem absorvida. Vítimas esperavam pena pesada ao empresário e são surpreendidas com informação contrária. Enquanto estas vítimas esperavam algo mais duro, como sua prisão, por exemplo, ouvem o contrário.

Porém
Relevante às vítimas do processo da Criciúma Construções entender que à luz da Justiça o seu retorno à empresa é consequência legal do processo cível e que penas mais duras na área criminal não estão afastadas.

Nova Veneza
O prefeito Rogério Frigo divulgou ontem uma reunião com agentes de saúde do município, que são aqueles personagens que conhecem um a um dos cidadãos. A classe teve um ganho adicional aso salários, mas busca o reconhecimento da insalubridade. É uma questão que esbarra no aspecto legal. Qualquer prefeito quer este pessoal mais perto de sí do que ninguém.

Carnaval
Quem diz que Criciúma não tem carnaval? A Fundação Cultural está fazendo uma exposição do que já foi o carnaval da cidade. Está na sede da entidade, no centro. Ou é melhor dizer que Criciúma já teve carnaval? Afinal, o que expõe é do que já teve no carnaval.

O Brasil imita Criciúma
Há divergências, mas o cenário indica que após a condenação de Lula o Brasil caminha para um cenário que amedronta criciumenses desde há muito. São as “idas e vindas” da Justiça com liminares com capacidade para ter candidato disputando a eleição sub judice e governante eleito sem reconhecimento imediato dos votos e que mais tarde entra e sai do governo conforme sopra o vento das posições de magistrados das mais altas cortes brasileiras.

CONDENADOS O empresário Luciano Hang, que ontem fez queima de fogos por 13 minutos em Brusque em comemoração pela condenação de Lula já foi condenado pela mesma Justiça Federal a 13 anos, nove meses e 12 dias de reclusão e ao pagamento de uma multa de R$ 1,2 milhão por crimes contra o sistema financeiro nacional e de lavagem de dinheiro. O processo em está em fase de recurso.

SOTAQUE Na vigila pró Lula em Porto Alegre havia muito sotaque espanhol, o suficiente para reforçar a tese da construção de um ídolo que extrapola as fronteiras brasileiras. Conversei com alguns.

ARGENTINO Um argentino chamou minha atenção. Parecia tentar entender melhor o cenário. Estava vestindo uma camisa da CTA (Central de Trabalhadores da Argentina), em uma loja de conveniência. Era ponderado e de bom diálogo, inclusive com alguns anti Lula que também estavam no local.

CATARINA O desembargador Victor dos Santos Laus, último a proferir o voto no julgamento do ex-presidente Lula, nesta semana em Porto Alegre, é catarinense de Joaçaba. Seu pai era advogado e lutou contra o regime militar pelo qual foi preso em 1964. Na época Victor tinha um ano de idade.

PORTA VOZ O Ministro Chefe da Secretaria de Governo da Presidência da República, deputado Carlos Marun, vai abordar hoje na FIESC, em Florianópolis, o tema reforma da previdência.

MAL NA FOTO É por figuras “amebas” como este deputado que hoje fala em defesa da reforma da previdência em Santa Catarina que custo a absorver mudanças tão necessárias.

GANGORRA Lê-se pouco sobre isso, mas conclui-se o suficiente para entender que com Lula em baixa a reforma da previdência está em alta, ou seja, o governo federal vai aproveitar a alta na gangorra. “A reforma é prá já!”

FRASE DO DIA
“Eu estou aqui custeada pelo meu dinheiro. Não sei dos outros, mas eu e as pessoas que vieram comigo estão aqui custeadas por seu próprio bolso. Outra coisa precisa ficar bem claro, de que o Siserp não patrocinou nenhum centavo para ninguém vir aqui”.
Jucélia Vargas, presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Criciúma, entrevistada durante a manifestação pró Lula, terça-feira a tarde em Porto Alegre. Ela rechaçou a tese de que a entidade sindical havia bancado despesas de manifestantes.

Deixe seu comentário:

Pin It on Pinterest