Vem aí o Fundam do MDB, Kleinubing convida Plínio de Nês para vice, Júlio Garcia perderá espaço no Governo do Estado entre outros destaques

Tudo que o pré-candidato a governador pelo Democratas, deputado João Paulo Kleinubing não quer, é discutir sobre alianças. Em todas as nossas conversas ele se nega a responder as perguntas sobre composição, mantendo a retórica do projeto para Santa Catarina. “As conversas vão acontecer mais para frente. Pode ter a certeza que não serão com base na conveniência política e partidária, mas temos que discutir um projeto”, afirmou, respondendo ainda, que está aberto também para disputar como vice ou ao Senado.

Kleinubing que concedeu uma coletiva à imprensa ontem em Chapecó, disse que está preocupado em garantir que a agroindústria continue a exportar e escoar a sua produção através das rodovias. Também ressaltou o controle sanitário, criticou a descentralização dizendo que é um modelo que deve ser mudado, passando o Estado a se aproximar das regiões via associações de municípios. Para o líder demista, o grande desafio do próximo governador é tornar o Estado mais eficiente e menor. “O PT sempre disse que queremos enfraquecer o Estado, pelo contrário. Um Estado mais forte é o que é menor”, afirmou.

Quanto a Saúde, Kleinubing defende uma mudança na gestão, sobretudo em relação aos hospitais, citando o Hospital Regional do Oeste como um modelo que se assemelha ao ideal. Além disso, destacou a importância de melhorias no sistema educacional, inclusive, incorporando as mudanças do novo ensino médio, e que segurança pública não se faz somente com investimentos em mais policias, mas, também com força nas ações de bem estar social.

Por fim, o pré-candidato ressaltou que as dívidas que hoje o Estado tem, farão com que o próximo governador tenha que trabalhar com coragem, transparência e alterando o sistema burocratizado. Tudo isso, aliado a busca de dinheiro sem aumentar impostos.

Articulações

O pré-candidato ao Governo do Estado João Paulo Kleinubing (DEM), não fala da política de alianças, mas articula nos bastidores. Ele somente não conversará com o PT e demais partidos de esquerda, de resto, está aberto a ouvir. A sua vinda ontem a Chapecó também teve o objetivo de conversar com o presidente da Chapecoense, Plínio David de Nês, o Maninho, a quem convidou para compor como vice governador em uma eventual chapa pura do Democratas. Ouviu como resposta do dirigente que devido a questões de saúde e mais o compromisso com o clube, que está impedido de aceitar a proposta. Dessa forma, Kleinubing passou a conversar com o empresário Antônio Rebelatto, que pelo menos por hora, rechaçou qualquer possibilidade. Mas o partido ainda insistirá caso decida não coligar, ou até mesmo, Rebelatto poderá aparecer em alguma chapa como suplente ao Senado. Os demistas tem conversado com a REDE, PV, PPS e com o Podemos, porém, o partido liderado pelo deputado Natalino Lazare está alinhado ao PSD, mas, a proposta de Kleinubing é que o deputado estadual Fernando Coruja (Podemos) seja candidato ao Senado.

Proporcional

Ontem durante a coletiva do Democratas em Chapecó, os nomes do vereador Ildo Antonini, do vice-prefeito de Quilombo Jaksom Castelli, o apresentador de TV Eduardo Prado e o jovem Fellipe de Quadros, foram apresentados como pré-candidatos a deputado estadual. Tirando Castelli, os demais decidirão em uma reunião qual dos três será o candidato. Porém, tem mais um detalhe: Prado é o plano B do DEM para deputado federal, caso Fabiana Rodrigues decida não disputar. Ao final do encontro, João Paulo Kleinubing chamou o apresentador para uma conversa em particular.

Fundam do MDB

Enquanto o Fundam do ex-governador Raimundo Colombo (PSD) naufragou, um novo “Fundam”, não propriamente com este nome, começa a navegar em mar emedebista. Segundo uma fonte, o governador Eduardo Pinho Moreira (MDB) nos jantares que tem realizado na Casa D’Agronômica, com prefeitos e vices do MDB de cada região, tem prometido a liberação de R$ 300 mil para cada município. O dinheiro sairá do Fundo Social para abastecer as contas de municípios administrados, ou onde o vice é do partido. A Casa Civil já estaria entregando os documentos aos municípios que serão beneficiados, inclusive contendo a orientação sobre a elaboração, além da minuta do convênio. “Esses recursos devem ser liberados o quanto antes. Dependerá da pressa de cada prefeito e vice”, relatou a fonte.

Do BNDES

Já os R$ 723 milhões oriundos do BNDES, devem ser utilizados também para obras em grandes municípios do estado, que são administrados pelo MDB. Florianópolis e Joinville são dois exemplos do que, segundo uma fonte, será oficializado. “Não vai um centavo para Chapecó, por exemplo”, afirmou.

Cargos no Oeste

Questionei o governador Eduardo Pinho Moreira (MDB), se ele cumprirá com o acordo feito com o pré-candidato a deputado estadual Júlio Garcia (PSD), e manterá Astrit Tozzo (PSD) no comando da ADR de Chapecó, e o vereador Aderbal Pedroso (PSD) no comando da Celesc no Oeste. Pinho Moreira disse que a ligação havia ficado ruim, e que não iria responder sobre o assunto. Porém, ele terá que falar, pelo menos aos deputados emedebistas que cobram que os cargos sejam ocupados pelo partido. Segundo uma liderança, Júlio Garcia já indicou o secretário da ADR de Tubarão, Ricardo Medeiros, o que segundo a fonte “já está de bom tamanho”. “Em Chapecó, desde o Luciano Buligon que já até saiu do partido, o MDB não tem secretário na ADR. Com o governo nós precisamos indicar”, afirmou o emedebista.

Medeiros foi indicado por Júlio Garcia.

Outras formas

Ainda de acordo com a fonte emedebista, o partido tem no empresário Sérgio Galli, uma figura respeitável e que conta com o apoio do setor empresarial. Com a entrada de Galli na ADR de Chapecó, Clobis Cassaro também deverá ser anunciado como o novo responsável pela Celesc no Oeste. Para a liderança emedebista, o governador Eduardo Pinho Moreira (MDB) pode atender até quem é da oposição e, ao próprio Júlio Garcia, mas que seja de outra forma. “Desde que seja de uma forma republicana, não há problema algum. Mesmo na oposição essas lideranças representam a população”, afirmou.

Sérgio Galli assumirá a ADR.

Progressistas

O Progressistas reunirá as suas lideranças no Oeste Catarinense hoje ás 19h, em Pinhalzinho, para um encontro regional na sede social da ASPUMPI, com a presença do pré-candidato a governador, Esperidião Amin, o pré-candidato a deputado federal, Hugo Biehl, e os pré-candidatos a deputado estadual Altair Silva e João Amin. Os prefeitos, vice-prefeitos, vereadores, presidentes municipais e lideranças de mais de 20 municípios estarão presentes para dar o pontapé inicial ao projeto eleitoral. “Será um grande momento para reunir nossas lideranças e somarmos força para o projeto. Estamos animados e construindo uma agenda na região, a fim de fortalecer ainda mais o Progressistas no Oeste”, disse Silva.

Agenda

O pré-candidato ao Governo do Estado, deputado Esperidião Amin (Progressistas), acompanhado de seu filho, deputado estadual João Amin (Progressistas), desembarcaram ontem a noite em Chapecó. Ambos palestrarão na Universidade Federal Fronteira Sul, no caso de Esperidião, ele falará sobre a gestão pública. Antes, participam do programa Estúdio Condá na AM 610 com a Raquel Lang, a partir das 08h45. Os progressistas ainda passarão pela ExpoFemi 2018, que acontece em Xanxerê, Cordilheira Alta entre outros municípios a confirmar.

PR com o MDB

O deputado federal Jorginho Mello, que preside o PR no estado não vai confirmar, mas o fato é que o partido está alinhado com o MDB para a eleição ao Governo do Estado. Mello se coloca como pré-candidato a governador, porém, sabe que os republicanos não tem musculatura para sustentar neste momento, uma candidatura na majoritária, pois não atrairá o apoio dos chamados partidos grandes que são fundamentais para dar sustentabilidade a uma candidatura. Jorginho Mello é um parlamentar com musculatura, mas isso não se transfere para o PR. Com o seu filho Filipe Mello como secretário da Casa Civil de Florianópolis, no governo de Gean Loureiro (MDB), e com o deputado Maurício Eskudlark (PR) como vice-líder de Eduardo Pinho Moreira (MDB) na Assembleia Legislativa, já deixa claro de que lado estarão os republicanos. Para Mello, uma vaga de vice, ou ao Senado deve ser oferecida.

Jorginho deve ir ao Senado.

Debate

As três grandes potências da Maçonaria regular em Santa Catarina, Grande Oriente de Santa Catarina (GOSC), Grande Loja de Santa Catarina (GLSC) e Grande Oriente do Brasil (GOB), seguem realizando debates com possíveis candidatos ao Governo do Estado. Ontem em Joinville, participaram Esperidião Amin (Progressistas), Jorginho Mello (PR), Mauro Mariani (MDB) e Paulo Bauer (PSDB).

Sabatina

Ontem em Florianópolis durante a Sabatina que tem realizado em várias regiões, o pré-candidato ao Governo do Estado Gelson Merisio (PSD), falou mais uma vez a respeito dos desafios de Santa Catarina. Ele voltou a defender a extinção das regionais e, explicou que o modelo foi mantido por Raimundo Colombo (PSD) por respeito a aliança com o MDB. Por isso, defende que os pessedistas não estejam junto com os emedebistas devido a diferença de projeto, e com um processo claro com os próximos aliados, afirmando que acabou a chamada “geografia das urnas”, o que fará com que haja outra forma de indicação de cargos, pois, segundo Merisio, o atual modelo faliu.

Mesmo governo

Ao ser questionado se o discurso do PSD será de oposição, o pré-candidato a governador Gelson Merisio, respondeu que será de rompimento de modelo. Ele disse que o atual governo foi eleito junto com Raimundo Colombo. Para ele, não se trata de ser oposição, mas que terá uma postura frontal ao atual modelo principalmente em relação as regionais. Além disso, Merisio destacou que o próximo governo terá problemas graves, a exemplo das Letras que tem uma dívida bilionária, o Ivesc e o não pagamento de precatórios. Para Merisio, essa situação leva a 1995, sem citar que o governador na época era Paulo Afonso Vieira (MDB), dizendo que de lá para cá, a situação foi postergada. Ele defendeu o pagamento, mas de forma alongada. Outro ponto de preocupação foi o déficit previdenciário.

Cortes

O Governo do Estado divulgou ontem a tarde, que foram canceladas 468 funções gratificadas de funcionários que atualmente trabalham no prédio central do órgão. A medida já foi publicada no Diário Oficial do Estado. De acordo com a nota enviada à imprensa, o objetivo é de economizar R$ 380 mil. Só que tem um detalhe: Metade desse número será reincorporada para ocupar cargos de coordenação e de linha de frente na rede. Mas se retornarão, não teria sido melhor exonerar apenas os 234 que não retornarão?

Homenagem

Em uma rede social, a jovem estudante Caroline Rodrigues, filha do deputado federal João Rodrigues (PSD) que se encontra preso em Brasília, fez uma homenagem ao pai e ao falecido ex-senador Luiz Henrique da Silveira, postando uma foto onde ela ainda pequena, participou de uma caminhada com eles. “Que honra, caminhar e crescer ao lado de dois grandes homens (João Rodrigues e Luiz Henrique da Silveira (in memorian)). Nos representaram e nos orgulharam, em todo legado que deixaram. Como faz falta, homens públicos, como eles, que agem em prol de sua população e não para seus interesses. Fica aqui o meu registro de admiração e orgulho, por esses dois homens, realmente públicos, que governaram para seu povo”, escreveu Caroline.

Crítica

O deputado estadual Valmir Comin (Progressistas), falou na tribuna da Assembleia Legislativa, sobre a aquisição de 195 veículos que efetivou antes de sair da secretaria de Estado da Assistência Social, que serão destinados aos municípios catarinenses pela nova gestão. A declaração do parlamentar se deu após a divulgação da notícia da entrega dos veículos pela nova gestão da pasta, que será realizada hoje. Comin disse estar muito alegre e satisfeito pela continuidade do trabalho iniciado por ele. Contudo, não escondeu a tristeza de saber que foi criticado pelo atual governador, na época de sua saída da pasta, quando, segundo ele, Eduardo Pinho Moreira (MDB) alegou que estes veículos seriam encaminhados para a segurança pública. O parlamentar foi duro ao dizer que está mais do que na hora de encarar de frente os problemas do Estado e, parar de fazer de conta.

 “Me ouça de segunda a sexta as 13h15 na Super Condá AM 610”

“Também me leia no jornal Sul Brasil”

Deixe seu comentário:

Pin It on Pinterest