Udo está no páreo eleitoral, PDT e o apoio a Merisio no Oeste, Pinho Moreira anunciará cortes e ações entre outros destaques

Paulo Eli (Direita) assumiu a Fazenda.
Foto: Jeferson Baldo

Ontem a tarde eu conversei com o novo secretário de Estado da Fazenda Paulo Eli, que assume com a missão de ajudar o governador Eduardo Pinho Moreira (MDB), a fechar o ano com as contas em dia. Ele lembrou que Santa Catarina está enfrentando a crise financeira que abalou o país desde 2015, sobretudo por causa da recessão de 2014. Isso fez com que a atividade econômica reduzisse, ocasionando perda na arrecadação e para piorar, no mesmo período as despesas cresceram devido aos aumentos concedidos aos servidores antes da crise.

Para ter uma ideia do problema, conforme eu já havia adiantado, o Estado já ultrapassou o limite máximo estabelecido pela Lei de Responsabilidade para o custeio com pessoal. Se contar o Tribunal de Contas e o Judiciário, 60% da receita está sendo utilizada para o pagamento de salário dos servidores. Sem contar esses dois órgãos, a folha fica nos 49,73%.

A expectativa é que neste ano haja aumento na receita acima da inflação, neste caso, como a despesa corrente está limitada ao gasto de 2017 mais a inflação deste ano, na medição do primeiro quadrimestre em maio, o Estado já deverá ter saído dos 60%. Eli também garantiu que não haverá atraso nos salários e nem no décimo terceiro, e confirmou que será cumprido o gasto mínimo de 14% na saúde. Para viabilizar tudo isso, são prometidos cortes que permitirão cumprir com os compromissos.

Dívidas

Ainda de acordo com o secretário de Estado da Fazenda, Paulo Eli, todos os contratos com fornecedores do setor da saúde serão revistos. Os que forem mantidos e tiverem uma gordura para queimar, serão renegociados e até contestados. Quando questionei se isso será o suficiente para pagar a dívida bilionária com os fornecedores de produtos e servidores, Eli contestou a informação, dizendo que o levantamento da dívida feito pelo Tribunal de Contas foi com base em entrevistas com as empresas, o que segundo o secretário, não garante que o passivo chegue a casa dos bilhões. Para isso, será determinado que todos os contratos de 2017 passem por um pente fino, comparando o produto solicitado, com o que foi entregue. A ideia é colocar todos os contratos deste ano em dia, e pagar somente os do ano passado, que forem julgados como pertinentes. Outra preocupação é com o sistema prisional, que também apresenta contas atrasadas.

Impostos

Sobre a busca de recursos, Paulo Eli disse que tem espaço para a redução no custeio do Estado. Além disso, a ideia é criar ações para o incremento da receita, mas, descartou qualquer possibilidade de aumento nos impostos. Um plano de demissão voluntária também foi descartado, pois, de acordo com Eli, não há um excesso de servidores concursados e, dois terços se aposentarão nos próximos cinco anos.

Ações

Hoje as 10h em seu gabinete no Centro Administrativo, o governador em exercício Eduardo Pinho Moreira (MDB), fará o anúncio das primeiras ações de seu mandato. Entre as medidas estará um corte drástico no número de cargos comissionados, tanto, que segundo uma fonte, nem curativo adiantará para fechar, pois, será uma verdadeira intervenção cirúrgica do médico Pinho Moreira. A fala da liderança é alusiva ao impacto que poderá ter no meio político, sobretudo em quem tem cargos indicados. “O principal não é a atividade meio, é a fim. Estaremos atendendo melhor a população”, relatou a fonte. Além disso, outras medidas de cortes de gastos serão anunciadas como a revisão de todos os contratos com fornecedores. Pinho Moreira que se reuniu ontem a tarde com a bancada do MDB na Assembleia Legislativa para pedir apoio, apontará a saúde, segurança, educação e infraestrutura como as prioridades.

Deputados garantiram apoio a Pinho Moreira
Foto: Jeferson Baldo

Rodovias

Ontem na posse do secretário de Estado da Segurança Alceu Pinto Júnior, o governador em exercício Eduardo Pinho Moreira (MDB), anunciou que o projeto de autoria do deputado estadual Valdir Cobalchini (MDB), aprovado pela Assembleia Legislativa, já será colocado em prática. A nova lei estabelece que 10% do que é arrecadado com o IPVA, seja separado em uma conta especifica para ser utilizado na manutenção e recuperação de rodovias estaduais. É uma importante iniciativa, que oportunizará mais ações nas estradas que precisam de mais atenção.

Segurança Pública

Ontem a noite conversei com o secretário de Estado da Segurança Pública Alceu Pinto Júnior, sobre as ações que serão realizadas. Ele disse que em curto a médio prazo tem locais que precisam de intervenção e inteligência para mapear pessoas, armas e drogas. Nas regiões de Florianópolis e Joinville, haverá um forte trabalho da inteligência para desmobilizar as organizações criminosas. O questionei se isso poderá provocar a migração de criminosos para outras regiões, incluindo o Oeste. Júnior respondeu que ao realizar essas ações, não serão desconsiderados os demais pontos do estado, nem mesmo os que apresentam baixo índice de criminalidade. O secretário também informou que além dos concursos para novos policiais em andamento, outros também serão lançados.

Secretário promete ações contra o crime.
Foto: Jeferson Baldo

Rio de Janeiro

Quanto aos efeitos da intervenção no Rio de Janeiro, o secretário de Estado Alceu Pinto Júnior lembrou que a vinda de criminosos de outros estados para Santa Catarina, já era uma preocupação, e destacou que sempre houve o controle através de mapeamento. Porém, ele entende que a nova situação muda o cenário e exigirá uma maior atenção, mas deixou um recado. “A distribuição, o contexto e a polícia no Rio de Janeiro, é muito diferente da nossa. De qualquer forma, estamos acompanhando”, afirmou.

PDT com o PSD

A entrada dos trabalhistas no governo de Luciano Buligon (PSB) em Chapecó, é uma questão de tempo. Foi isso que ficou entendido ontem durante a conversa que eu tive com o vereador Jatir Balbinot (PDT), que é pré-candidato a deputado estadual. Como coordenador regional do PDT, Balbinot já trabalha com a legenda na região para buscar adesões ao projeto do pré-candidato pessedista ao Governo do Estado, Gelson Merisio. Além disso, ele entende que o seu partido poderá se coligar na proporcional com o PSB, o que o aproxima ainda mais de Buligon. Quando perguntei se existe a possibilidade dos pedetistas se tornarem governistas, o vereador afirmou que há o interesse, mas depende de uma conversa. Ao final, ele lembrou que já há alguns anos mantém uma amizade com Buligon.

Udo no páreo

O prefeito de Joinville Udo Dohler (MDB), está no páreo para a eleição ao Governo do Estado. Ontem ele esteve em Florianópolis onde participou das posses dos novos secretários. Aproveitou para conversar com algumas lideranças emedebistas, a exemplo do prefeito de Florianópolis Gean Loureiro e o ex-senador Casildo Maldaner. Hoje as 15h na prefeitura de Joinville, Udo receberá o governador em exercício Eduardo Pinho Moreira (MDB), para reafirmar que está no páreo e, que será pré-candidato a governador, caso consiga os apoios necessários. Até abril, seguirá tentando construir.

Udo busca construir com lideranças de seu partido.
Foto: Jaksson Zanco

Conversas

O senador Paulo Bauer (PSDB) em conversa com o prefeito de Joinville Udo Dohler (MDB), pediu o apoio do emedebista. Ouviu como resposta que Udo está no páreo e que trabalhará para ser o candidato da tríplice aliança. Em conversa com o governador licenciado Raimundo Colombo (PSD), teria ouvido do pessedista que o que complica, é a indefinição de nomes no MDB. Portanto, Dohler seguirá tentando construir um espaço para fazer frente a Mauro Mariani na convenção, e quem sabe, ao próprio Eduardo Pinho Moreira. Aclamá-lo está fora dos planos das demais lideranças.

Varella no páreo?

De acordo com algumas fontes, o diretor da Casan Antônio Varella andou consultando algumas lideranças em Chapecó. Estaria se animando para disputar uma vaga à Assembleia Legislativa.

Verde Vida

Aposentado da Caixa e apoiador de diversas ações sociais e na Igreja Católica, Juacir Pereira de Souza assumiu a presidência do projeto Verde Vida. No ato que contou com a presença do ex-presidente Edinei Scalvi, do prefeito Luciano Buligon e do deputado estadual Cesar Valduga (PCdoB) entre outras lideranças, Souza destacou a importância do projeto que já tem 23 anos de história, principalmente para a geração de emprego e renda aos moradores dos bairros São Pedro e Bom Pastor.

Juacir tem histórico de trabalhos sociais.
Foto: Assessoria Verde Vida

Destaque

“O deputado federal Esperidião Amin (Progressistas) votou contra a intervenção federal no Rio de Janeiro. Amin é contra a intervenção especifica na área de segurança, para ele, o Governo Federal deveria ter assumido todo o estado. Amin invoca o cumprimento do artigo 169 da Constituição Federal, que estabelece que o gasto com pessoal não pode exceder os limites estabelecidos por lei, antes do programa de recuperação fiscal”

“Me ouça de segunda a sexta as 13h15 na Super Condá AM 610”

Deixe seu comentário:

Pin It on Pinterest