Tucanos são assediados em SC, Pinho Moreira critica poderes pela não devolução de recursos, Ferrovia será tema de audiência entre outros destaques

Marcos Vieira seguirá a frente das conversas.
Foto: Marcelo Lula

O PSDB de Santa Catarina se tornou o maior alvo de cobiça, tanto do MDB quanto de Progressistas e pessedistas, pensando na eleição ao Governo do Estado. Quem tem mais a oferecer aos tucanos? Independentemente dos espaços que serão ofertados, o PSDB não aceita nada menos do que a cabeça de uma aliança, ou seja, quem abrir essa porta estará dando um grande passo para fechar uma coligação.

Após um crescimento que fez o partido chegar a todos os municípios do estado, o tucanato não aceita conversar se quer, sobre a possibilidade de apoiar uma outra legenda, tanto, que para marcar de vez o seu espaço, o partido lançará nas próximas semanas o nome do senador Paulo Bauer à disputa a governador.

Ontem a noite eu questionei o senador no momento em que ele embarcava para Brasília, se os tucanos em troca de um apoio ao pré-candidato a presidente da República Geraldo Alckmin, aceitariam apoiar outra sigla. A resposta foi negativa. Bauer lembrou que o apoio a um candidato tucano é algo natural aqui no estado, com exceção aos partidos de esquerda. Por isso, considera desnecessário entrar na conversa sobre troca de apoio, pois, já é esperada a opção dos demais candidatos pelo ainda governador de São Paulo.

Outro ponto que dá segurança aos peessedebistas catarinenses é quanto a promessa feita pela sua executiva nacional, de que não haverá interferência nas decisões aqui no estado. Para as conversas com os demais partidos, ficou definido que o atual presidente estadual, deputado Marcos Vieira, o senador Dalírio Beber e o ex-prefeito de Imbituba, José Roberto Martins, tomarão a frente das negociações. Para Vieira, o PSDB está preparado para o caso de não houver acerto, ir para o pleito com chapa pura, situação que poderá segundo ele, criar uma tripolarização na eleição majoritária.

Amin conversa

Quem tem conversado muito com lideranças de vários partidos, é o pré-candidato a governador Esperidião Amin (Progressistas). Após passar o final de semana na companhia de sua primeira neta, Catarina. Amin voltou a Brasília para as suas tarefas parlamentares, mas também para continuar com as conversas sobre a eleição. Ele já esteve reunido com o governador licenciado Raimundo Colombo (PSD), inclusive, aceitou o convite para participar do ato de desposse que acontecerá em Lages neste próximo sábado (07). Além disso, teve conversas com o senador Paulo Bauer (PSDB) e demais lideranças tucanas, tentando atrair o partido para o projeto encabeçado por pessedistas e progressistas.

Amin quer atrair o PSDB para a aliança entre o Progressistas e o PSD.

Buscará nos poderes

Ontem em entrevista à Super Condá, o governador em exercício Eduardo Pinho Moreira (MDB) afirmou que a dívida na Saúde não será a prioridade de sua gestão, pois, caso opte pelo pagamento do passivo, poderá inviabilizar o seu governo. Mas disse que buscará pagar o passivo através de recursos que são repassados via duodécimo à Assembleia Legislativa, Tribunal de Contas do Estado, Ministério Público estadual e o Tribunal de Justiça. Ele fez uma crítica ao dizer que tem dinheiro sobrando questionando se alguém já viu crise nos demais poderes. O governador esteve com o presidente da Assembleia Legislativa Aldo Schneider (MDB), de quem cobrou o repasse de dinheiro ao Executivo para ser aplicado na dívida da Saúde. “Eles (poderes) poderiam devolver mês a mês, mas não, vão devolver somente no final do ano. Aí não adianta mais”, lamentou Pinho Moreira.

Pergunta indigesta

Questionei o governador em exercício Eduardo Pinho Moreira (MDB), frente a crítica que fez aos demais poderes em relação aos recursos repassados via duodécimo, se ele pensa em dar entrada em algum projeto de lei na Assembleia Legislativa, para tentar fazer com que o dinheiro volte ao Executivo. Para Pinho Moreira, a Alesc não votará qualquer coisa contra os demais poderes. “Eu vou fazer papel de bobo. Mandar um projeto de lei para a Assembleia que será rejeitado pelos deputados. Eu não sei que diabos eles tem medo dos outros tribunais, dos outros poderes. Esses dias mesmo foi anunciada a criação de cargos comissionados em outras áreas. Você sabe o que é feito no final do ano, vocês noticiam aí”, afirmou, em clara crítica ao judiciário.

Pressão

Lembrei durante a entrevista de Eduardo Pinho Moreia (MDB), do que eu acompanhei semanalmente in loco, na Assembleia Legislativa em 2015. Uma proposta de emenda à Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), de autoria do então presidente da Assembleia Legislativa Gelson Merisio (PSD), estabelecia a mudança na base do reajuste dos valores do duodécimo. Ele passaria a ser de acordo com o índice inflacionário do ano, o que limitaria um pouco o repasse de recursos que ficariam no Executivo. As peregrinações de representantes dos demais poderes não pararam, até que Merisio retirasse a proposta de pauta. O pior, é que no final do ano, continuou sobrando recursos, mas, se tivesse sido aprovada a emenda, já teria feito com que os valores ficassem na conta do governo.

Merisio foi pressionado a recuar da proposta.

Eleição

O governador em exercício Eduardo Pinho Moreira (MDB), também foi questionado se é pré-candidato à reeleição. Ele respondeu que tanto o deputado federal Mauro Mariani quanto ele, estão no cenário e que as questões políticas é que vão determinar. Afirmou que não se excluirá do processo eleitoral, e que se o seu partido achar que ele está fazendo um bom governo e que deve continuar, que aceitará o desafio. “Eu não vou dizer não ao MDB”, afirmou.

Catarinenses na China

Uma comitiva catarinense deve estar presente em setembro na Feira Internacional da China para o Investimento e Comércio, na cidade de Xiamen, que oferece possibilidades para investidores e empresários. A sinalização positiva foi dada pelo governador em exercício Eduardo Pinho Moreira (MDB), durante o ato de assinatura do protocolo de intenções de irmanamento entre a província chinesa de Fujian e Santa Catarina, ontem em Florianópolis. O acordo deve abrir novas possibilidades, principalmente na área comercial e do turismo, já que o estado e Fujian contam com um grande potencial de atração de visitantes. Durante a visita ocorreu a tradicional troca de presentes: o governador recebeu um prato decorado, significando desejo de prosperidade, saúde e vida longa e, entregou aos chineses uma cesta de produtos alimentícios catarinenses.

Pinho Moreira com a comitiva chinesa.
Foto: Jeferson Baldo

Saindo do Badesc

José Caramori deixará a presidência do Badesc nesta sexta-feira (06). Ele será substituído pelo atual vice Justiniano Pedroso, que filiado ao MDB, deverá ser mantido pelo governador em exercício Eduardo Pinho Moreira (MDB). Porém, somente após a saída oficial de Caramori, haverá um anúncio oficial de quem comandará a agência até o final de dezembro. Quanto a uma candidatura, o ainda presidente do Badesc afirmou que o PSD de Chapecó não pode ficar sem deputado estadual e nem a federal, e deixou um recado ao seu partido: “O PSD tem que saber se quer eleger alguém de Chapecó ou não. Se colocar um número excessivo de candidatos da grande região, não elege ninguém e só fortalece os que já estão, e não são do Oeste”, afirmou Caramori.

Pedroso assumirá o comando do Badesc.
Foto: Badesc

Federal

Sobre a possibilidade de ser candidato a deputado federal, José Caramori (PSD) defendeu que o espaço no partido pertence ao deputado João Rodrigues, o qual segundo o ainda presidente do Badesc, conseguirá reverter a situação na justiça, comprovando a prescrição de sua pena. “Eu respeito o João. Eu fui vice dele e ele é meu amigo. Se ele não for candidato, pelo menos terá que ser ouvido sobre quem ele irá apoiar na eleição à Câmara”, me disse Caramori.

Caramori demonstra lealdade a Rodrigues.

Convite tucano

O PSDB convidou a empresária Fabiana Rodrigues, esposa do deputado federal João Rodrigues (PSD), para se filiar no partido. A legenda quer ter Fabiana como candidata a deputada federal, caso Rodrigues não possa participar do pleito. Porém, por hora Fabiana está com todas as atenções voltadas à situação de Rodrigues em Brasília.

Processo

Com a renúncia nesta próxima sexta-feira (06), o ainda governador licenciado Raimundo Colombo (PSD) terá o processo que responde por suposto uso de caixa 2 na eleição de 2014, passando do Superior Tribunal de Justiça para a Comarca de Lages. Caso seja eleito ao Senado ou a deputado federal, sim, existe essa possibilidade. Colombo terá o processo enviado novamente para Brasília.

Ferrovia

Acontece hoje a partir das 13h no Centro de Eventos Plínio Arlindo de Nês, uma audiência pública promovida pela Valec Engenharia Construções e Ferrovias, para apresentar o Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental da Ferrovia da Integração. Ela ligará o Oeste aos portos do Litoral. A reunião será coordenada pelo presidente da Frente Parlamentar em Defesa das Ferrovias no Congresso Nacional, deputado Pedro Uczai (PT). Na quinta-feira (05) será a vez de Florianópolis, as 13h no auditório do DENIT.

Uczai preside a Frente Parlamentar das Ferrovias.
Foto: Cleberson Marcon

Tem que aproveitar

Ontem o presidente estadual do PSDB, deputado Marcos Vieira, me disse que o atual secretário de Esportes de Chapecó Ivan Carlos Agnoletto, somente não será candidato a deputado estadual se não quiser. Vieira não deverá disputar a reeleição, pois, busca uma vaga na majoritária, o que abrirá um espaço interessante para quem deseja disputar à Assembleia Legislativa. “Ele tem que aproveitar essa fortaleza que ele é. Quisera ter tamanho prestigio”, disse Vieira a respeito de Agnoletto. Para disputar, o tucano precisará deixar a Secretaria até sexta-feira (06).

Se quiser, Agnoletto terá o apoio de seu partido.

Representou

O deputado estadual Marcos Vieira (PSDB) representou a Assembleia Legislativa na mobilização chamada “A Aduana é Nossa”, ontem em Dionísio Cerqueira no Extremo-Oeste. Cerca de 550 pessoas entre empresários, lideranças políticas e transportadores de cargas de Dionísio Cerqueira, Barracão (PR) e Bernardo de Irigoyen na Argentina, estão cobrando mais agilidade da Receita Federal, na Aduana de Dionísio.  “Estamos em um processo irreversível de desenvolvimento de todo o Extremo Oeste e temos que nos unir para dar estrutura para quem está investindo e gerando empregos e renda. Os caminhões chegam a esperar mais de 30 dias antes da liberação, o que gera uma despesa desnecessária, além de prejuízos para a nossa economia que é afetada em cadeia”, disse Vieira. Uma reunião acontecerá em Brasília amanhã sobre o assunto.

Vieira discursou durante o ato.
Foto: Giancarlo Baraúna

Presidenciável na Condá

Mais um pré-candidato a presidente da República concederá entrevista ao Estúdio Condá. Amanhã, Raquel Lang e eu entrevistaremos o pré-candidato João Amoêdo (Novo). A entrevista terá início às 08h45 na Super Condá AM 610. Também estarão no estúdio o pré-candidato a deputado federal Eduardo Perone, o coordenador do núcleo do Novo em Chapecó Guilherme Pioczovovski e Augusto Favretto coordenador de formação.

Amoêdo falará para Santa Catarina.

Depositado

Após a reivindicação da última semana feita pela Federação Catarinense de Municípios (FECAM), para o imediato pagamento dos recursos do Apoio Financeiro aos Municípios (AFM), prometido pelo Governo Federal no final de 2017, os municípios catarinenses finalmente receberam R$ 39 milhões dos R$ 78 milhões que têm a receber. No dia 29 de março a União liberou parte do AFM por meio do Ministério da Saúde. Foram R$ 1 bilhão do total de R$ 2 bilhões que deve ser destinado aos municípios por meio dos Ministérios da Saúde; Educação; e do Desenvolvimento Social. O objetivo desta parte do recurso é auxiliar a superar dificuldades financeiras emergenciais na área de saúde e deve ser destinado ao custeio da Atenção Básica; Atenção de Média e Alta Complexidade Ambulatorial e Hospitalar; Assistência Farmacêutica e Vigilância em Saúde.

Coletiva do Pavan

O secretário de Estado de Turismo, Cultura e Esporte, Leonel Pavan, concederá uma entrevista coletiva amanhã às 11h, na sede da secretaria em Florianópolis. Ele falará de sua saída do cargo para voltar à Assembleia Legislativa, os programas e projetos em andamento e como funciona a liberação de recursos dos Fundos de Turismo Cultura e Esporte. Existe a possibilidade de Pavan deixar o PSDB. MDB e PDT podem ser os possíveis destinos.

“Me ouça de segunda a sexta as 13h15 na Super Condá AM 610”

“Também me leia no jornal Sul Brasil”

Deixe seu comentário:

Pin It on Pinterest