TSE e MPE traçam estratégia para barrar a candidatura de Lula

O Ministério Público Eleitoral, já estaria acertado com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), para barrar a candidatura do ex-presidente Lula (PT), que tentará disputar a eleição ao Palácio do Planalto. O apego dos magistrados seria a Lei da Ficha Limpa.

Mas a decisão não ficará restrita a Lula, pois, atingirá a todos os candidatos que foram condenados e seguem cumprindo pena, a menos que haja uma reversão judicial em cada caso, em tempo de ter a candidatura homologada.

Estratégia

De acordo com os repórteres Rudolfo Lago, Ary Filgueira e Wilson Lima da revista Istoé, a estratégia está pronta para ser deflagrada a partir do momento em que o PT registrar oficialmente a candidatura.

A convenção petista acontece amanhã em São Paulo, quando anunciará Lula como o seu candidato, porém, na data prevista para o registro, no próximo dia 15, o TSE aguardará a comitiva petista que deverá ir pessoalmente ao tribunal. Assim que recebida a documentação, será negada a candidatura.

“É da competência do tribunal verificar administrativamente se as candidaturas cumprem os requisitos exigidos pela legislação. Não ter condenação por órgão colegiado em segunda instância é um desses requisitos, previsto na Lei da Ficha Limpa. Assim, o TSE irá informar através de um edital claro e conciso, sem margem para dúvidas, que Lula “não reúne condições de elegibilidade”. “Se não for possível publicá-lo já no dia 15, por conta do horário, do dia seguinte não passará”, garantiu uma fonte, aos repórteres da Istoé.

Deixe seu comentário:

Pin It on Pinterest