SC gasta mais com inativos do que efetivos na Educação, Aliança perto de ser formalizada em SC, empresários pedem o apoio dos parlamentares entre outros destaques

A previsão de arrecadação para este ano do governo de Santa Catarina, era de R$ 25 bilhões, sendo que líquido, ficaria em R$ 19 bilhões. Era, porque após a greve dos caminhoneiros, as perdas para o Estado são imprevisíveis. Por isso, entre os próximos dias 11 e 12, o governador Eduardo Pinho Moreira (MDB) concederá uma coletiva, após ter acesso aos números da receita dos 10 primeiros dias de junho, que chegarão a ele na próxima segunda-feira (11).

A previsão não é boa, já que seria no dia 11 a data de contabilizar entre outras entradas, os impostos referentes ao combustível do período de 20 a 31 de maio. O consumo prejudicado pela falta do produto nos postos, será um dos responsáveis pela redução significativa da entrada de dinheiro no caixa do Estado. Sem contar as outras fontes prejudicadas pela greve que parou o Brasil, mas que ainda não é possível mensurar. Para o governador e sua equipe de trabalho, a certeza é que vai demorar de dois a três meses, para que seja possível ter acesso com a clareza exata, aos números referente as perdas na arrecadação.

Para uma economia que já vinha desacelerando, o período da greve somente serviu para travar a esperança de alguma recuperação. Um exemplo é o agronegócio, que terá que reiniciar todo um ciclo que foi interrompido pela paralisação, gerando milhões de prejuízo às agroindústrias.

Enquanto isso, segue a dívida bilionária na Saúde, além de uma folha salarial que em maio, ficou em R$ 1,18 bilhão. Toda essa situação obrigará ao atual governador e principalmente ao próximo governo, a adotar medidas para tornarem o serviço público mais eficaz e com menos gente, pois, aí é que está o gargalo, o quanto de dinheiro que fica na atividade meio com salários e benefícios, fazendo falta lá na ponta na atividade fim, que é o atendimento ao cidadão que sustenta a todo o sistema. Sem falar nas ADRs, que perderam todo o sentido de existir, pois, se tornaram inócuas, por não terem orçamento próprio e nem autonomia. Seria uma significativa economia para o Estado o fechamento das regionais que ainda estão em atividade.

Pinho Moreira nas próximas semanas anunciará mais cortes de comissionados, para isso, estudará nos próximos dias quais setores terão servidores exonerados. Lamenta que na Educação tivessem 500 cargos com função gratificada e, promete que ficarão apenas 100. Além disso, ele teme pela dívida pública de R$ 1,900 bilhão, que ainda pode ser somada ao passivo do Pacto por Santa Catarina, que levará dos cofres do Estado o valor de R$ 90 milhões, sem contar o aumento da folha neste ano em R$ 650 milhões, mesmo sem a concessão de qualquer reajuste. Ao questionar o governador até que ponto vão os cortes de gastos, ele respondeu: “O gasto público é que nem unha. Tem que cortar sempre”, afirma.

Insano

Para termos uma ideia da insanidade que é o custeio público, eu trago um exemplo real. A folha de pagamento da Educação no mês de maio, foi de R$ 268, 3 milhões. Foram R$ 83,5 milhões com servidores efetivos, R$ 45,7 milhões com os ACTs e, pasmem, R$ 138,9 milhões com inativos, ou seja, se gasta quase o dobro com os aposentados. Tem algo de muito errado nessa relação do poder público e a atividade meio. Este também será o próximo desafio do próximo governador, que terá que iniciar um processo de grande desgaste político, mas que salvará as finanças do Estado para os próximos anos. De imediato, o governador Eduardo Pinho Moreira (MDB) pediu à secretária de Estado da Educação, Simone Schramm, que cortes sejam feitos no setor.

Secretária Simone Schramm anunciou mais cortes

Aliança encaminhada

Uma fonte garante que faltam poucos detalhes para que seja formada uma aliança com MDB, Democratas, Partido da República e PPS. Os emedebistas Mauro Mariani ou Eduardo Pinho Moreira disputariam ao Governo do Estado, tendo João Paulo Kleinubing (DEM) como vice, Jorginho Mello (PR) ao Senado, e mais um nome do MDB, ou a deputada federal Carmen Zanotto (PPS) para a outra vaga à Câmara Alta. “Se continuar como está hoje, está muito próximo de fechar essa aliança”, garante a fonte.

Fórum

Aconteceu ontem na sede da Fiesc em Florianópolis, a reunião do Fórum Parlamentar Catarinense. Comandado pelo deputado federal Jorginho Mello (PR), o encontro contou com a presença dos senadores Paulo Bauer (PSDB), Dalírio Beber (PSDB) e Dário Berger (MDB), além dos deputados Carmen Zanotto (PPS), Jorge Boeira (Progressistas) e Esperidião Amin (Progressistas). Representando o Governo do Estado, estiveram os secretários de Estado da Agricultura, Airton Spies; da Defesa Civil, Rodrigo Moratelli e Gonzalo Pereira da Comunicação. Da capital, o prefeito Gean Loureiro (MDB) foi acompanhado dos vereadores Renato da Farmácia (PR) e Erádio Gonçalves (PR). Até mesmo um pré-candidato a deputado federal, Hugo Biehl (Progressistas) e representantes de entidades marcaram presença. Spies e Moratelli fizeram uma ampla explanação sobre o enfrentamento aos prejuízos causados pela greve dos caminhoneiros.

Mello presidiu a reunião do Fórum

Pedido de apoio

Ainda durante a reunião do Fórum Parlamentar Catarinense, vários representantes de entidades apresentaram demandas, porém, uma em conjunto serviu para pedir o apoio dos parlamentares ao enfrentamento dos prejuízos causados pela greve dos caminhoneiros. Os empresários solicitaram que o fórum leve ao Governo Federal, o pedido de linhas de crédito via BNDES, BRDE e Badesc, para as empresas recuperarem o prejuízo ocasionado pelas paralisações. Fiesc e Fecomércio mais uma vez mostraram que ficaram marcas da disputa do ICMS, mas, o que mais chamou a atenção foi a crítica a algumas CDLs pelo estado, que teriam apoiado o movimento dos caminhoneiros. “É um contrassenso, ter gente do varejo apoiando um movimento que tira as pessoas da rua e prejudica as vendas do comércio”, criticou um dos representantes de entidade.

Seriedade

Quem conhece o pré-candidato ao Governo do Estado, deputado Esperidião Amin (Progressistas), sabe que ele é afeito a bons papos e muitas risadas. Porém, segundo uma fonte, ontem na reunião do Fórum Parlamentar ele pareceu mais sério do que o normal. O que estaria pensando, Amin?

Campanha

A Federação de Câmaras de Dirigentes Lojistas (FCDL), através de seu presidente Ivan Tauffer, deu total apoio à campanha criada pelo Governo do Estado: “Compre dê SC”. A defesa da campanha é pelo que ela representa, que é a tentativa de reaquecer a economia para que seja gerado emprego e renda, fazendo com que a máquina gire. Um governo precisa ser o motivador, um animador de sua população. Se ficar apenas divulgando notícias ruins, que são reais e precisam ser divulgadas na hora certa, poderá resultar em um desempenho catastrófico para a economia. Por isso, a campanha é bem-vinda para reascender o orgulho dos nossos produtos, e que todos os catarinenses abracem essa causa em prol de todo o estado. #CompreDeSC

Lanznaster

Uma das lideranças mais premiadas e reconhecidas da indústria brasileira, o presidente da Coopercentral Aurora, Mário Lanznaster, receberá no próximo dia 12, o prêmio Personalidade de Vendas 2018 ADVB/SC. O evento será realizado a partir das 19h, no salão nobre do Lang Palace Hotel.

Suplente assume

Na tarde de ontem tomou posse na Câmara de Vereadores de Chapecó, o suplente Derli Luiz Fernandes (PTC). Conhecido popularmente como Derli do Mate, o vereador de 39 anos assume a cadeira de Jatir Balbinot (PDT), licenciado por motivos de saúde por um período de 70 dias.

ICMS para gráficas

Representantes da Associação Brasileira da Indústria Gráfica – Regional de Santa Catarina (Abigraf/SC) estiveram ontem na Secretaria de Estado da Fazenda, para solicitar o retorno da alíquota do ICMS em 12% para o setor produtivo. “Desde o início, apoiamos a medida do Governo do Estado em reduzir impostos. Hoje, estamos sendo prejudicados com o retorno do ICMS para 17%”, disse o presidente da Abigraf/SC, Cidnei Barozzi. O secretário da Fazenda, Paulo Eli, afirmou que os segmentos estão sendo atendidos individualmente. “Agora, estamos estudando caso a caso, para buscar soluções em conjunto. Nosso objetivo é estimular a competitividade, movimentando a cadeia produtiva catarinense”, declarou. A Abigraf/SC representa 1.278 empresas gráficas de SC e mais de 11 mil trabalhadores.

Novo em Joaçaba

Membros do Partido Novo realizarão um evento em Joaçaba, no próximo dia 15, às 19h, na Associação Comercial e Industrial do Oeste Catarinense (ACIOC). O evento contará com a presença do pré-candidato a deputado federal, Eduardo Perone, que irá apresentar a filosofia e propostas da sigla, além de falar sobre a estratégia para as Eleições 2018. O Novo é um partido liberal, único a não usar fundo partidário e com o maior número de seguidores no Facebook. Do ano passado para cá, a legenda cresceu 800% em número de filiados só em Santa Catarina. O evento é gratuito e aberto ao público. Mais informações pelo site do partido www.novo.org.br

Delegados

Após diversas reuniões realizadas com os delegados de Polícia Civil de todo o estado, para debater as principais necessidades da categoria. A Associação dos Delegados de Polícia do Estado de Santa Catarina (ADEPOL-SC), enviou as demandas para o governador Eduardo Pinho Moreira (MDB) e aos setores de segurança. Entre os principais tópicos apresentados pela entidade, para segundo ela, melhorar a segurança e motivar o servidor estão:

  1. a) Realização das promoções de 2018.
  2. b) Recomposição financeira referente a inflação de 2016 e 2017.
  3. c) Escolha do Delegado-Geral através de eleição de lista tríplice.
  4. d) Proibição de permanência de presos em Delegacias de Polícia além do tempo referente a lavratura dos procedimentos policiais.
  5. e) Fim do contingenciamento do Fundo de Melhoria da Polícia Civil.
  6. f) Disponibilização de agentes administrativos para realização de atendimentos burocráticos.
  7. g) Contratação dos aprovados no concurso público.
  8. h) Incorporação, ao subsídio, da indenização de regime especial de trabalho policial civil.
  9. i) Investimentos em estrutura, viaturas e novas tecnologias.
  10. j) Mudança da Lei de Promoções, com prévio debate com as carreiras Policiais Civis.
  11. l) Aprovação de uma lei orgânica, também com prévio debate com as carreiras Policiais Civis.

Parque Tecnológico

Importante a iniciativa da Câmara de Vereadores de Chapecó, através do vereador Cleiton Fossá (MDB), que provocou uma audiência pública para discutir a questão do Parque Tecnológico. Como a empresa que ganhou a licitação decretou falência, um novo processo foi aberto e, de acordo com o diretor de Captação de Recursos de Chapecó, Osmar Buss, o edital foi lançado em maio e finalizará no dia 19, sendo que a obra deve ser concluída até o final do ano. Falando em nome do Governo do Estado, o secretário de Desenvolvimento Econômico e Sustentável, Adenilso Biasus, garantiu que tem recursos disponíveis para a conclusão da obra e também para a compra do mobiliário.

“Me ouça de segunda a sexta as 13h15 na Super Condá AM 610”

“Também me leia no jornal Sul Brasil”

Deixe seu comentário:

Pin It on Pinterest